terça-feira, 25 de março de 2014

RESENHA: 12 Anos de Escravidão

“Então passamos, algemados e em silêncio, pelas ruas de Washington, atravessando a capital de uma nação cuja teoria de governo, dizem, repousa sobre a fundação do direito inalienável de qualquer homem à vida, à LIBERDADE e à busca da felicidade!” (NORTHUP, 2014, p. 47). 

***

Meu interesse por 12 Anos de Escravidão surgiu quando a adaptação cinematográfica se tornou um dos favoritos para a premiação do Oscar, contando com indicações em nove categorias (das quais ganhou em três). Quando li uma resenha aduzindo que a obra literária era ainda mais impactante que o filme, não resisti. 

Solomon Northup nasceu no estado de Nova York, livre do manto da escravidão, tendo desfrutado da liberdade por trinta e três anos. Atraído pela promessa de trabalho, acompanhou dois senhores até Washington DC, ocasião em que foi drogado. Quando acordou, estava acorrentado em uma cela e os papeis que atestavam sua liberdade haviam desaparecido. 

12 Anos de Escravidão é um relato biográfico sobre os piores anos da vida de Northup — passando pelo sequestro e cárcere aos anos de trabalho em plantações de algodão e cana de açúcar —, em que acompanhamos o desespero de um homem pela liberdade. O autor não pormenoriza os acontecimentos de cada ano, mas atém-se a escrever sobre os eventos marcantes, além de fornecer uma descrição detalhada das tarefas a que era submetido. 

Por se tratar de uma obra autobiográfica, e não um livro de ficção, é compreensível que o autor não tenha se preocupado em fazer suspense com alguns elementos do livro, como o que acontece com os responsáveis por sua venda, o que descobrimos logo nos primeiros capítulos. 

Apesar de publicado em 1853, a linguagem da obra não é rebuscada nem complexa. Contando com uma narrativa direta e dinâmica, mas que não poupa o leitor de detalhes importantes, Northup revela uma visão muito mais crua e angustiante sobre o “instituto da escravatura”. 

Existem alguns livros que têm o poder de nos fazer refletir profundamente sobre determinados assuntos e 12 Anos de Escravidão é um deles. Hoje vemos a liberdade como um direito tão inerente ao ser humano que não temos ideia de como seria a sensação de ser privado da liberdade, obrigado a trabalhar em condições extremas e ainda ser punido pelos motivos mais irrisórios. 

Talvez 12 Anos de Escravidão não seja uma obra prima da literatura, mas sem dúvida apresenta valor histórico inestimável, apontando para um período que muitas vezes preferimos ignorar. Impossível encerrar a leitura sem se questionar se violações semelhantes a estas não continuam a ocorrer. 

Título: 12 Anos de Escravidão (exemplar cedido pela editora)
Autor: Solomon Northup
N.º de páginas: 273
Editora: Penguin Companhia

14 comentários:

Alessandra Tapias disse...

Amei a resenha. Eu li este livro lançado por outra editora, mas como é de domínio público, acredito que os dois sejam fieis em sua edição.
Também achei de um valor histórico imenso!! Amei!
Adorei a resenha!!

Bjkas

Lelê Tapias
http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Nardonio disse...

Não li o livro ainda, mas consegui assistir o filme. Apesar de estar longe de ser do gênero que aprecio, acabei gostando bastante do filme. Tenho quase certeza que o livro deve ser bem melhor do que o filme. E concordo com você quando fala do valor histórico dessa obra.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Julia G disse...

Oi Alexandre, eu não tinha nem ideia da história até a indicação do filme ao Oscar, e parece ser um enredo bem intenso mesmo. Não é um livro que me faça ter vontade de ler, se considerar hoje, mas acho que a leitura me agradaria em um momento mais tranquilo da minha vida.

Beijos

Marina Santos disse...

No começo achei o filme chatinho mais depois a historia é linda,principalmente saber que ela é baseada em fato real torna mais emocionante ainda a historia.

http://pormarinasantana.blogspot.com/

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Quero muito ler o livro e ver o filme justamente por ser uma história impactante. E por ser real sua reflexão se torna ainda maior. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Matheus Salera disse...

Adorei a resenha. Esse livro parece ser muito bom, aquele tipo de livro que te envolve e tem uma história avassaladora, quero ler! uehuehueh

Bjs
de-livro-em-livro.blogspot.com

Ketlen Patricio disse...

Eu realmente não fazia idéia que esse livro existia mas logo depois quando o filme venceu o Oscar alguns blogs postaram resenhas e assim eu acabei descobrindo mais dessa maravilhosa história. Esse livro tem um tema bastante comentado no mundo e eu acho que deve ser um livro incrível assim como o filme ou talvez até melhor que o filme, quero muito lê-lo.
Beijos

Poison Girl disse...

Realmente é triste a vida de Northup; ser praticamente sequestrado para trabalhar forçadamente para pessoas cruéis, quando na verdade era para está livre. E é este um dos motivos para que eu não leia, não gosto de recordar que o mundo já foi dessa forma, além do mais, já vivemos em um mundo violento e cruel, para que ler sobre isto também? Os livros são meu escape, por este motivo prefiro ler os velhos e bons romances recheados de cenas românticas.

Blog: http://worldbehindmywall.fanzoom.net/
Twitter: https://twitter.com/Blog_WBMW

Laura Zardo disse...

Fico horrorizada com o fato de que isso acontece até hoje, sim porque quem pensa que a escravidão acabou estão redondamente enganado, pessoas ainda realizam trabalhos escravos, sofrem maus tratos, entre outras coisas, mas hoje isso tudo é camuflado, as pessoas fecham os olhos e preferem acreditar no que o governo está dizendo. Não vou entrar muito mais neste assunto, mas fiquei indignada com algumas coisas que li e precisava desabafar, e no governo que vivemos também podemos nos considerar presos, escravos da corrupção, da violência, reféns de uma sociedade extraviada e cega.
Enfim, falando sobre o livro, ainda não o li, mas com certeza pretendo. ;)

Fabíola Nunes disse...

Desde que soube que o filme era baseado em um livro autobiográfico estou me contendo para não vê-lo antes de ler o livro! Está na minha wishlist e quero lê-lo o mais rapidamente possível!

Michelli Santos Prado disse...

Nossa, deve ser uma história incrível, imagina só, pensar que vai dar tudo certo em um novo emprego e acontece de ser vendido como escravo?! Isso me indigna e me faz querer conhecer os fatos.Um livro que deve ser lido!! Parabéns pela resenha =)

Desbravadores de Livros disse...

Esse livro parece ser uma grande lição. É de derramar lágrimas de sangue ao saber que isso ainda não acabou, que ainda existe e está bem pertinho de nós.
Lamentável.
Um lindo livro, sem dúvida.
M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

jk disse...

Filme sensacional , o livro deve ser melhor ainda !

Tainara H. disse...

Eu só soube da existência do livro quando o filme foi lançado e passaram a fazer uma divulgação maior em cima dele, incluindo esse lançamento da editora Penguin. Como eu sou apaixonada por História, me interessei na hora pelo filme e, principalmente, pelo livro, já que este tipo de história eu prefiro ler do que assistir. Um dos meus maiores receios, porém, era justamente sobre a linguagem, então gostei muito de saber que não é rebuscada ou muito complexa e certamente é uma obra que merece ser lida. ;D

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger