domingo, 22 de setembro de 2019

Promoção de Aniversário



Está no ar a festa de aniversário do Além da Contracapa! Você é nosso convidado para comemorar os nossos 8 anos conosco e o melhor: o presente é seu. Confira abaixo o regulamento e participe.

E fiquem ligados. Em breve novos livros serão anunciados neste post.


Regulamento

A promoção terá início no dia 22 de setembro e término no dia 22 de outubro.

Para participar, basta preencher os formulários abaixo, usando sua conta do Facebook ou seu e-mail, e ter um endereço de entrega no Brasil.

É obrigatório seguir o perfil do blog Além da Contracapa no Instagram.

As demais entradas são opcionais.

Para a entrada "Tweet about the Giveaway" ser válida, é obrigatório seguir o blog no twitter. 

A mesma pessoa poderá ser vencedora de mais de um sorteio. Basta seguir as regras e ter sorte.

O resultado será divulgado no blog e nas redes sociais até três dias após o encerramento da promoção, sendo que os sorteados serão contatados por e-mail, tendo o prazo de 48 horas para fornecerem seus dados e o blog se responsabiliza por confirmar o recebimento das informações. 

O livro “O Desaparecimento de Stephanie Mailer” será enviado pela editora Intrínseca. Os demais livros serão enviados pelo blog em um prazo de 45 dias úteis.

A Equipe do Além da Contracapa se reserva ao direito de dirimir questões não previstas neste regulamento.



a Rafflecopter giveaway
a Rafflecopter giveaway
a Rafflecopter giveaway
a Rafflecopter giveaway
a Rafflecopter giveaway

terça-feira, 17 de setembro de 2019

TAG: Celebrating King


O Além da Contracapa divide o mês do seu aniversário com um dos nossos autores favoritos: Stephen King. Então, como um dos conteúdos comemorativos deste mês, decidimos trazer para vocês um post diferente: a TAG Celebrating King, para vocês entenderem um pouquinho mais da nossa relação com o autor. 


Como você descobriu o autor?

Alê: Sempre ouvi falar muito do autor, especialmente depois que entrei para a blogosfera literária. 

Mari: Não sei se foi exatamente uma descoberta. Acredito que Stephen King seja um daqueles autores de quem sempre ouvimos falar, até que um dia eles caem nas nossas mãos. 

Quantos livros do Stephen King você tem?

Alê: 31

Mari: 14

Qual foi o seu primeiro King lido?

Alê: Meu primeiro contato com o autor foi com O Pistoleiro, o primeiro volume da saga A Torre Negra. Porém, o livro não me envolveu e li poucos capítulos antes de desistir. Anos depois tentei ler O Iluminado, porém, eu e a Mari acabamos vendo o filme antes de terminar a leitura. Como o filme não me empolgou, acabei desistindo mais uma vez. Assim, considero que o primeiro livro lido do autor foi Sob a Redoma

Mari: Tudo é Eventual, um livro de contos que, confesso, não gostei. Inclusive me recordo de ter abandonado as últimas histórias. 

Quando você começou a ser fã?

Alê: Me tornei fã logo após a leitura de Sob a Redoma. O calhamaço de mais de 900 páginas me mostrou a genialidade do autor, que criou uma trama homérica, sem perder o fio da meada, e mantendo o leitor preso na estória do início ao fim.  

Mari: Tendo iniciado com uma experiência negativa, emendei duas positivas na sequência (foram elas O Iluminado e Carrie), mas o livro que me tornou fã mesmo foi Sob a Redoma. Foi com ele que eu entendi o que torna a obra de King tão especial. Sim, algumas premissas são estapafúrdias e sim muitas usam do sobrenatural (tema que não me atrai muito), mas a história da cidadezinha que, de uma hora para outra, fica presa sob uma redoma invisível me mostrou que esses elementos são usados pelo autor apenas para colocar os personagens em situações extremas que de outra forma eles não estariam. É para extrair deles emoções e reações que de outra forma não viriam à tona. Para mim, é isso que torna Stephen King um autor genial. 


Livro favorito do Stephen King?

Alê: Pergunta difícil. Acho que não sei escolher entre Sob a Redoma, Novembro de 63 e Doutor Estranho

Mari: Vou roubar nessa: Escuridão Total, Sem Estrelas (por apresentar quatro contos impecáveis); Sobre a escrita (uma verdadeira aula para qualquer um que goste de escrever, ainda mais para aqueles que admiram King) e Sob a Redoma (pela maneira como me fez enxergar o autor)

Qual livro do Stephen King te deu mais medo?

Alê: Apesar do autor ser conhecido como Mestre do Terror, não senti medo em nenhum de seus livros. É claro que algumas obras, como It, a Coisa e O Iluminado, contam com cenas mais tensas, que transmitem uma atmosfera de tensão e angústia. Mas não chegou a ser medo. 

Mari: Nenhum. Não sou do tipo medrosa para livros. 

Qual livro do Stephen King você menos gostou?

Alê: Saco de Ossos. A obra que era uma das minhas maiores expectativas literárias se revelou uma das minhas maiores decepções. O livro me pareceu patinar demais, ter estória de menos e mesmo contando com diversos elementos sobrenaturais, não conseguiu provocar medo. 

Mari: Tudo é Eventual, o único que desisti da leitura. 


O que você mais gosta no estilo do Stephen King?

Alê: Os personagens sempre são o ponto forte do autor. Fico impressionado com a capacidade de King em criar personagens verossímeis e bem desenvolvidos. Geralmente, seus livros contam com protagonistas cativantes e que logo conquistam o leitor. Ainda mais impressionante são os antagonistas: é incrível como King consegue fazer nosso sangue ferver e provocar tantas emoções por causa de seus vilões. 

Mari: A habilidade de transformar qualquer coisa, por menor ou mais absurda que seja, em uma história que não deixa o leitor piscar. King é capaz de nos fazer acreditar em qualquer coisa (até em carros malignos) e isso é um talento de poucos. 

O que você acha das adaptações das obras do autor?

Alê: Não sou cinéfilo de carteirinha, mas creio que as adaptações não conseguem transmitir toda a profundidade que os livros carregam, tampouco geram o mesmo impacto. 

Mari: Acredito que isso varie muito de adaptação para adaptação. Algumas são excelentes e fiéis, outras são ótimos filmes/séries mesmo que tomando algumas liberdades em relação à obra original (e é preciso saber diferenciar uma coisa da outra), e algumas são péssimas. Não podemos generalizar, não quando existem tantas adaptações. 


Adaptação favorita?

Alê: It, a Coisa. Assisti apenas a primeira parte, mas certamente foi a adaptação que mais gostei, sobretudo, porque não curti tanto assim o livro. Não me entenda mal: gosto da estória de It, porém, a estrutura adotada pelo autor não funcionou comigo. King vai e volta no tempo diversas vezes, pois acompanhamos dois núcleos temporais, um com os protagonistas crianças e outro com eles adultos. Meu problema é que ao ir e voltar no tempo, a estória parece não se desenvolver. E quando me envolvia com alguns dos arcos narrativos, era subitamente jogado para a outra linha temporal. Dessa forma, a adaptação corrigiu minha única critica ao livro e ainda manteve-se fiel ao restante da estória. 

Mari: Conta Comigo. Filme de 1986, de Rob Reiner (que também dirigiu a adaptação do ótimo Misery), com River Phoenix, Jerry O'Connel e Kiefer Sutherland. O filme é a adaptação do conto O Corpo, do livro Quatro Estações, uma das minhas histórias favoritas de King e que, inclusive, foge bastante da temática que costumamos associar a ele. O Corpo é um cativante história de amizade entre quatro meninos de 12 anos e uma breve, mas marcante, jornada. Adoro as duas versões (tanto a original, quanto a cinematográfica) dessa história. 

sábado, 14 de setembro de 2019

RESENHA: Objetos Sobrenaturais

Objetos Sobrenaturais / Stacey Graham / Darkside BooksToda história de terror que se preze concentra seu núcleo aterrorizante em algo: um lugar, um objeto, uma lenda. O que poderia ser mais promissor que um livro que compila uma análise de todos esses elementos através de exemplos reais?

Dificilmente associamos o terror ao humor e essa foi a primeira coisa que me chamou a atenção em “Objetos Sobrenaturais”. Há humor no texto de Stacey Graham, nos exemplos e comparações que a autora faz, o que, claro, torna a leitura mais leve.

Na abertura, a autora expõe o tipo de lugares onde é mais fácil encontrar objetos que são mais do que meros objetos (caso você esteja procurando por um fantasminha de estimação) e também uma breve explicação sobre o tipo de fantasmas que podem ser encontrados e o que fazer para dar início a sua própria investigação sobrenatural, caso você queira (ou precise) se aventurar em uma.

A partir disso, o livro se divide em categorias, de acordo com os objetos que mais frequentemente carregam fantasmas, maldições e coisas do tipo. Começamos pelas nada inocentes bonecas. Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que Anabelle não é apenas um filme de terror, mas uma boneca real tenebrosa? Também para a minha surpresa, essa foi uma das categorias que achei mais interessantes.

“Eu me sentia zonza e queria sair correndo. Enfiei a cabeça dentro de um quarto e de imediato senti alguma coisa correr em minha direção. Não sou exatamente médium – apenas o bastante para saber quando é preciso dar o fora.” (GRAHAM, 2019, p. 133)

Além das bonecas, a autora explora ainda casas, mobílias e hotéis (que, sem dúvida não poderiam faltar), ossos, em especial, crânios (que achei um tanto tedioso, confesso) e experiências pessoais (que traz histórias de lugares que podem ser visitados, como a Ponte de Londres e a Golden Gate). O livro dedica capítulos também para histórias relacionadas a Hollywood (como do carro “Little Bastard” de James Dean, o espelho assombrado por Marilyn Monroe, o anel amaldiçoado de Rodolfo Valentino e até mesmo o letreiro de Hollywood) e para histórias ligadas a oceanos (mais uma para a minha coleção de descobertas surpreendentes: a água é um chamarisco para entidades sobrenaturais). Por fim, uma espécie de manual sobre objetos e práticas que podem ajudar na proteção de pessoas e também de lugares.

Dentre as minhas histórias favoritas, destaco a de Anabelle, a do boneco Robert, “A Velha Faísca” (cujo objeto central é a cadeira elétrica onde morreu Ted Bundy), a do Hotel Driskill e a do Diamante Hope.

Além de construir a narrativa em trechos curtos, a autora também insere quotes dos mais diversos autores, entre eles o casal Ed e Lorraine Warren, Stephen King, Peter Straub e HP Lovecraft, que enriquecem a leitura.

Eu não chamaria “Objetos Sobrenaturais” de um livro assustador. Por focar em objetos e histórias, acredito que a intenção não seja criar uma atmosfera que cause arrepios, como seria no caso de uma trama complexa. Ainda assim, a imaginação é uma força poderosa, então talvez seja aconselhável não fazer essa leitura antes de dormir (nem deixar o livro repousando inocentemente na sua mesa de cabeceira).

Título: Objetos Sobrenaturais: histórias reais e artefatos sombrios
Autora: Stacey Graham
N° de páginas: 221
Editora: Darkside Books
Exemplar cedido pela editora



Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

RESENHA: O Cemitério

o cemiterio stephen king
Louis Creed é um médico que se muda com a família para a pequena cidade de Ludlow. Ao explorar a região, descobrem que nas proximidades da sua nova casa há um cemitério para animais de estimação, utilizada há gerações pelas crianças da região. Mas aquelas terras indígenas escondem outro cemitério e a razão de Louis será confrontada quando descobrir o poder maligno daquele local. 

O início de O Cemitério é um pouco lento. King introduz não apenas os personagens centrais da estória e sua dinâmica, como também apresenta os cenários da obra, que desenvolvem um papel de extrema importância no desenvolver da trama. Mas, apesar de vagaroso, King consegue manter o leitor interessado, sobretudo porque nos deixa na expectativa do que está por vir. 

Um dos primeiros aspectos que me chamou atenção durante a leitura foi ver como o protagonista, um homem da ciência, lidaria com fatos sobrenaturais, inexplicáveis do ponto de vista lógico. A meu ver, é essa angústia do personagem, que não consegue lidar com o que aconteceu, que dá o tom do livro. 

Como era o esperado de um livro com tal título, King vai a fundo na temática da morte, da perda e do luto, mostrando as consequências que a dor podem causar. Assim, O Cemitério é um livro que dialoga abertamente sobre um assunto que ainda hoje é tratado como tabu, apesar de ser a única certeza que temos em vida. 

“— [...] Talvez ela aprenda alguma coisa sobre o que a morte realmente é: o ponto em que a dor cessa e as boas memórias começam. Não é o fim da vida, mas o fim da dor.” (KING, 2013, p. 173)

Vale registrar que é preciso ter cuidado para se referir a O Cemitério como um livro de terror. Isto porque a obra de King não se limita apenas a este gênero. É claro que há elementos sobrenaturais e em muitos momentos somos envolvidos por um clima de tensão, no entanto, é perceptível que King não escreveu apenas para amedrontar o leitor. A meu ver, O Cemitério é muito mais um drama familiar — que aborda até onde estamos dispostos a ir por amor —, temperado com uma dose generosa de suspense e horror. 

Saliento também que o autor não explica exatamente o que é o poder sobrenatural que domina aquelas terras, tampouco qual a sua origem. No entanto, tais detalhes são irrelevantes para o desenvolvimento da estória, pois o cerne diz respeito a família Creed, como eles são afetados por este poder e como reagem. 

Confesso que fiquei um pouco frustrado com a leitura e creio que isto aconteceu por causa do trailer da recente adaptação cinematográfica da obra. Imaginava que o livro focaria mais no que aconteceria após o encontro com as forças sobrenaturais e em suas consequências. No entanto, o livro termina de uma forma um pouco abrupta, deixando o leitor atordoado com os acontecimentos finais, deixando algumas coisas em aberto. E, apesar de ter gostado do desfecho, tinha uma expectativa diferente do que seria o desenvolvimento da estória. 

Infelizmente, não me envolvi tanto quanto gostaria com o livro. Não sei dizer até que ponto minha expectativa afetou ou até mesmo a demora para concluir a leitura. Ainda assim, O Cemitério foi uma leitura prazerosa, que conta com bons personagens, uma trama bem costurada e diversas reflexões sobre a vida e a morte.

Título: O Cemitério
Autor: Stephn King
N.º de páginas: 423
Editora: Suma
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

O que vem por ai - setembro

Separamos alguns dos lançamentos de nossas editoras parceiras que estão previstos para o mês de setembro. Quais estão na lista de desejados de vocês?

INTRÍNSECA



GRUPO COMPANHIA DAS LETRAS



DARKSIDE BOOKS



GRUPO EDITORIAL RECORD



ALEPH


quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Setembro é mês de festa no Além da Contracapa


Setembro chegou e por aqui isso é sempre sinônimo de festa. 8 anos! 8 vezes que nos perguntamos: “O que vamos fazer esse ano?”, “O que funcionou nas outras vezes?”, “O que podemos inventar de novo?”. Independente das respostas, o mais legal é perceber que a nossa vontade de fazer de setembro um mês especial continua a cada ano. Queremos surpreender a nós mesmos. Queremos fazer algo que, no próximo aniversário, possamos olhar para trás e dizer: “Puxa! Isso ficou ótimo”. Esse é o espírito que construiu o Além da Contracapa nesses 8 anos.

Por aqui, brincamos entre nós dizendo que o blog é o nosso bebê. E como toda criança ele passa por fases. Algumas mais tranquilas, outras mais desafiadoras. O blog já esteve conosco em época de faculdade, em final de faculdade, em período de férias, em intercâmbio, em início de carreira profissional, em épocas de trabalho intenso, em início de relacionamentos, em fim de relacionamentos. Fases. As nossas e as dele. E foi passando tudo isso que percebemos que o blog não é algo que nós fazemos. É parte do que somos. Antes de blogueiros somos leitores. E a nossa paixão em falar de livros está sempre conosco, mesmo que, às vezes, ela se esconda em brechas de tempo cada vez mais curtas.

E, da mesma forma que os pais precisam se adequar às fases de seus filhos, os filhos também precisam se adequar às fases dos pais. Esse ano, atividades profissionais têm exigido de nós um olhar diferente para o blog. Estamos em uma nova fase. Uma fase em que as postagens precisam ser mais esparsas para que possam continuar sendo feitas com a mesma essência: a leveza do reflexo da nossa amizade que construiu o Além da Contracapa nesses 8 anos.

E assim chegamos em setembro! No nosso instagram, já está rolando uma contagem regressiva com quotes que nos marcaram nesses oito anos, levando até o dia do aniversário do blog. E, como não podia deixar de ser, a festa vem ainda com presentes e conteúdos especiais. Nossos leitores estão todos convidados a comemorar conosco.

domingo, 1 de setembro de 2019

Top Comentarista Setembro


Setembro é mês de festa no Além da Contracapa! Esse ano, o blog completa 8 anos e o presente do  Top Comentarista do mês será um livro escolhido pelo vencedor  dentre as quatro opções: "Objetos sobrenaturais", "Ponti", "A filha do rei do pântano"e "Uma sombra do passado" mais um kit de marcadores das nossas editoras parceiras. 

Confira o regulamento:

1. Para participar, basta preencher o formulário abaixo, usando sua conta do Facebook ou seu e-mail. É obrigatório curtir a página do blog no Facebookcomentar em todas as postagens de setembro e ter um endereço de entrega no Brasil.

2. Para simplificar, optamos por utilizar o Rafflecopter. A primeira entrada confirma sua participação no Top Comentarista, enquanto as demais constituem chances extras, sendo opcionais. Atenção: depois de feito o sorteio será conferido se o sorteado comentou em todas as postagens do mês. Caso essa regra não seja cumprida, o mesmo será desclassificado, e um novo sorteio será realizado.

3. Para a entrada "Tweet about the Giveaway" ser válida, é obrigatório seguir o blog no twitter. 

4. Lembrando que somente serão válidos comentários significativos. Ou seja, comentários do gênero “interessante”, “legal” ou “ótima resenha” não serão computados. O participante poderá comentar apenas uma vez em cada post.

5. O sorteado poderá escolher o livro que deseja receber dentre as quatro opções disponíveis:
- Objetos sobrenaturais;
- Ponti;
- A filha do rei do pântano;
- Uma sombra do passado. 

6. O resultado do Top Comentarista será divulgado no blog até o dia 05 de outubro.

7. O sorteado será contatado por email, tendo o prazo de 48h para fornecer seus dados e o blog se responsabiliza por confirmar o recebimento das informações. Decorrido o prazo sem manifestação do vencedor, novo sorteio será realizado.

8. O prêmio será enviado pelo blog no prazo de quarenta e cinco dias úteis.

9. A Equipe do Além da Contracapa se reserva ao direito de dirimir questões não previstas neste regulamento.

a Rafflecopter giveaway
 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger