quarta-feira, 14 de novembro de 2018

RESENHA: A Pequena Caixa de Gwendy

A Pequena Caixa de Gwendy / Stephen King / Richard Chizmar
Mais um daqueles livros que eu li porque vi o nome de Stephen King na capa.

Gwendy Peterson tem apenas doze anos quando conhece Richard Farris, um homem de terno e chapéu pretos, que mudará a sua vida. Nesse dia, ele lhe entrega uma caixa cheia de botões coloridos, cada um com um significado. Um botão produz inigualáveis pedacinhos de chocolate que, além de deliciosos, deixam Gwendy totalmente satisfeita. Outro produz raras moedas de prata. Outros têm poderes sobre determinados lugares (Ásia, África, Europa...). E tem ainda os botões vermelho e preto e suas graves consequências. Possuir a caixa é sinônimo de responsabilidade e Gwendy será a dona dela por muitos anos.

Escrito ao longo de um mês, em parceria com o autor Richard Chizmar, “A Pequena Caixa de Gwendy” é mais uma daquelas adoráveis estranhezas saídas da imaginação de Stephen King. O autor tinha uma história em mente, mas não sabia exatamente o que fazer com ela. Escreveu um trecho, passou para Chizmar, que devolveu a King, que escreveu mais um pouco, que retornou para Chizmar e assim por diante até que os dois completassem esse que não é um romance e sim uma novela.

E se algo pudesse lhe dar tudo aquilo que você quer? É com base nessa premissa que a história se desenrola. Quando a caixa surge em sua vida, Gwendy está lutando contra seu peso e a caixa lhe ajuda a emagrecer. Sem que lhe peça, a caixa salva o casamento dos seus pais, a transforma na melhor aluna da classe, a menina mais bonita, a melhor atleta. É como se ela e caixa tivessem uma ligação profunda que permite que o objeto saiba as coisas que a menina quer, sem que ela precise externá-las. Tudo que Gwendy faz é comer os chocolatinhos.

“E, por um tempo, tudo fica bem. Ela acha que a caixa de botões está dormindo, mas não confia nem um pouco nisso. Porque, mesmo que esteja dormindo, ela dorme com um olho bem aberto.” (KING;CHIZMAR, 2018, p.132)

Durante toda a leitura eu me perguntei o tipo de pessoa que a caixa tornaria Gwendy. Afinal, se trata de uma menina de doze anos com muito poder nas mãos. Como ela escolherá utilizá-lo? Por alguma razão ela foi escolhida para possuir tal artefato (Farris deixa isso claro ainda no primeiro capítulo), mas isso seria por que ela saberá usá-lo para o bem ou por que o usaria para o mal? Perguntas como “o que, exatamente, é a caixa?” e “quem é o misterioso homem de chapéu?” ficam em segundo plano.  

“A Pequena Caixa de Gwendy” não é um livro eletrizante, mas é uma história envolvente e rápida. Mais uma para a coleção Castle Rock.

O livro também conta com as ilustrações de Ben Baldwin e Keith Minnion

Título: A Pequena Caixa de Gwendy
Autores: Stephen King e Richard Chizmar
N° de páginas: 167
Editora: Suma de Letras
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon 
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

domingo, 11 de novembro de 2018

RESENHA: Uma história de solidão

Quem acompanha o blog sabe que sou fã incondicional de John Boyne, a ponto de confiar tanto no talento e nas habilidades do autor que dispenso até mesmo ler a sinopse. Para mim, basta ver seu nome na capa e sei que terei uma boa experiência de leitura. 

Em Uma história de solidão conhecemos Odran Yates que, quando jovem, acabou indo para o seminário por insistência de sua mãe, mas que descobriu que a vida eclesiástica combinava com sua personalidade. Assim, desvendamos não apenas suas origens e seus passos como padre, mas também descobrimos os segredos mais nefastos da Igreja Católica. 

Narrado em primeira pessoa pelo protagonista, Boyne mais uma vez consegue o feito de emergir o leitor na estória em poucas páginas e sempre deixa-lo curioso para saber o curso da estória. Me impressionou o fato que o autor, logo no início do livro, conseguiu escrever uma cena extremamente emotiva, que me deixou com um nó na garganta, mesmo sem ter conhecido ou me apegado aos personagens. 

Apesar de Odran ser um padre, a estória é sobre toda sua trajetória de vida. Ou seja, ele não se limita a um sacerdote, mas o vemos em muitos outros papeis, como filho, irmão, tio, amigo e homem. Vemos momentos de infância, que foram decisivos para os rumos de sua vida; entendemos os problemas que sua família enfrentou; acompanhamos seus anos de seminário e seu intercâmbio em Roma; vemos sua ordenação e seus anos de serviço à Igreja; e também acompanhamos os escândalos de abuso sexual. 

Acho incrível como Boyne discute assuntos pesados e complexos, mas sem tentar dar lição de moral. A questão da pedofilia dentro da igreja é um dos assuntos abordados, e é preciso admirar como o autor reflete sobre o tema por diversos ângulos: é claro que a igreja errou de muitas formas — fosse pela omissão ou pelo acobertamento —, porém, o autor também mostra o lado daqueles sacerdotes que nada fizeram de errado, mas que sofreram as consequências pelos erros dos outros. 

Um tema recorrente nos livros do autor é a crítica a religiosidade na Irlanda. O país tem um histórico de catolicismo fervoroso, mas que, muitas vezes se torna uma fachada para o preconceito. A Bíblia era lida para acusar, o altar se tornou um tribunal, e a Igreja se colocou no papel de guardiã absoluta da moral e dos bons costumes. Assim, foi através desse discurso supostamente religioso que atitudes machistas e misóginas se perpetuaram. 

“Pensando em retrospecto, vejo que, naqueles dias, pouquíssima compaixão podia ser encontrada no coração das pessoas, em especial no que dizia respeito à vida e às escolhas das mulheres — em relação a isso, se não a tudo, a Irlanda não mudou quase nada em quarenta anos.” (BOYNE, 2016, p. 103)

Outro grande acerto do autor é a composição de personagens extremamente reais: são pessoas normais, com suas qualidades e defeitos, ambíguas como todos nós. Odran é um protagonista extremamente complexo e multifacetado, que vai revelando traços de sua personalidade do início ao fim, e que me deixou com a sensação de que o conhecia profundamente quando terminei a leitura.  

O livro não segue uma ordem linear. Os capítulos se alternam entre eventos significativos de diversos anos: um capítulo pode ser de 2001, o seguinte retornar para 1973 e o próximo saltar para 2008. Assim, vamos formando um grande quebra-cabeça, juntando as peças, entendendo cada vez mais o protagonista e sua jornada de vida, bem como suas atitudes. No entanto, ressalto que em alguns momentos fiquei um pouco perdido, sem saber exatamente o momento que determinado fato havia ocorrido. 

Como o próprio título já diz, espere por uma estória triste, de dor e sofrimento. Vemos as diversas feridas emocionais, não apenas as que o próprio Odran sofreu e ainda carrega, mas também daquelas que ele testemunhou. De certa forma, podemos dizer que Uma história de solidão é um acerto de contas com o passado. 

Apesar de todas as qualidades do livro e de encerrar a leitura com a cabeça quase explodindo com tantos pensamentos, tentando interpretar todos os personagens e me indagando sobre qual seria o futuro deles, preciso admitir que não me conectei com o protagonista. Mesmo estando completamente imerso na estória, senti que faltou um que a mais para que o protagonista me cativasse por completo

Ainda assim, Uma história de solidão foi uma excelente leitura e provou mais uma vez que minha confiança cega no autor é mais do que justificada. 

Título: Uma história de solidão
Autor: John Boyne
Nº de páginas: 412
Editora: Companhia das Letras
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

Promoção de Aniversário: Roendo Livros


Quando eu criei o Roendo Livros em novembro de 2013, não imaginei que ele conquistaria tantos leitores e parceiros. Eu queria muito compartilhar minhas experiências literárias, mas realmente não fazia ideia de que tantas pessoas se interessariam pelas coisas que eu tinha a dizer. Cinco anos depois, estamos aqui firmes e fortes, e sem intenção nenhuma de parar, e tudo isso é graças a vocês! Obrigada! Para comemorar tantos anos de existência, pedi ajuda para os meus amigos e montamos um kit com dez livros para um único ganhador. 

Regras
- A promoção terá duração de um mês, do dia 11/11/2018 ao dia 11/12/2018;
- A opção obrigatória vale 1 ponto, enquanto as opcionais valem 5 pontos cada;
- A entrada "tweet about de giveaway" só será válida se a pessoa estiver seguindo todos os os Twitters;
- Na opção "Visitar a Página" não basta apenas passar por ela, é preciso curtir;
- Após o término da promoção, o Roendo Livros tem até quinze dias úteis para divulgar o resultado;
- O ganhador tem 48h para responder o e-mail com os dados de envio, caso contrário o sorteio será refeito;
- Após feito o contato, os prêmios serão enviados dentro de até 60 dias úteis;
- É obrigatório residir em território nacional ou ter endereço de entrega no Brasil;
- O Roendo Livros não se responsabiliza pelos livros enviados pelos blogs e editoras parceiras;
- Para o livro ser enviado, é necessário que o ganhador passe o número do CPF para a Ana, já que agora os Correios solicitam uma declaração de conteúdo (saiba mais aqui) Só participe do sorteio se estiver de acordo;
- Roendo Livros e os parceiros não se responsabilizam por extravio ou atraso na entrega dos Correios, bem como danos causados nos livros. Assim como não se responsabilizam por entrega não efetuada por motivos de endereço incorreto, fornecido pelo próprio ganhador, e/ou ausência de recebedor. Os livros não serão enviados novamente;
- Roendo Livros se reserva o direito de dirimir questões não previstas neste regulamento;
- Este concurso é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita.


Prêmios



Participantes 

A Melodia Feroz — Editora Seguinte
Correndo Descalça — Editora Verus
Mil Palavras — Editora Gutenberg
Uma Coisa Absolutamente Fantástica — Eu Li, e Daí?
A Última Nota — Ei Nati
As Oito Montanhas — Além da Contracapa
Bem Safado — Seja Cult
International Guy (Paris, New York, Copenhagen) — Livro Lab
Banhado em Terra — Escuta Essa

sábado, 10 de novembro de 2018

Promoção de Aniversário: Queria estar lendo

[SORTEIO] Aniversário de 3 anos do Queria Estar Lendo!

É aquela época do ano de novo! O Aniversário do Queria Estar Lendo chegou e nos unimos com alguns blogs amigos queridos para presentear os leitores que nos acompanham por todo esse tempo. Esse ano são 2 kits, com 6 prêmios cada, o que significa que teremos 2 ganhadores!
Além do sorteio aqui no blog, também estamos sorteando uma caixa misteriosa exclusiva lá no Instagram, para participar é só clicar aqui

REGRAS
- Residir ou ter endereço de entrega em território nacional;
- O prêmio não pode ser trocado por dinheiro;
- Apenas um vencedor por kit;
- Sorteio inicia em 10/11/2018 e vai até 10/12/2018;
- O sorteio será realizado através de formulário Raffeclopter;
- Na opção para "VISIT US" no facebook você deve CURTIR a página;
- Após o cumprimento das regras obrigatórias, o formulário dará as opções de regras opcionais;
- O ganhador terá até 48 horas (dois dias) para responder ao e-mail de notificação, caso não responda, o sorteio será refeito;
- Caso o vencedor não tenha cumprido uma das entradas obrigatórias, o sorteio será refeito;
- O prazo de envio do prêmio será de 45 dias após a divulgação dos vencedores;
- O envio dos prêmios é de responsabilidade dos blogs/autores que o disponibilizaram;
- O envio é de total responsabilidade dos vencedores. Os blogs e autores não se responsabilizam por eventuais extravio dos correios. Em caso de endereço errado, o reenvio é por conta do vencedor;´

Os prêmios são:
Adeus, Tóquio (Meu Epílogo)
O Jogo das Sombras e O Tipo Certo de Garota Errada (Galáxia dos Desejos)
O Dia em que o Presidente Desapareceu (My Dear Library)
Austenlandia (Além da Contracapa)
Vale presente da Saraiva no valor de R$30 (Prefácio)
30 marcadores (Vivendo de Sentimentos)
Os Números do Amor (Queria Estar Lendo)
A Profecia de Mídria (Denise Flaibam)
O Homem de Areia + 30 Marcadores (Capítulo Treze)
Horror na Colina de Darrington (Minhas Escrituras)

KIT 1
[SORTEIO] Aniversário de 3 anos do Queria Estar Lendo!

a Rafflecopter giveaway

KIT 2
[SORTEIO] Aniversário de 3 anos do Queria Estar Lendo!

a Rafflecopter giveaway

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

RESENHA: O Diário de Myriam

O diário de Myriam / Myriam Rawick / Darkside BooksUma falha no meu currículo de leitora é nunca ter lido “O Diário de Anne Frank”, o relato de uma menina judia sobre os horrores da Segunda Guerra Mundial. Novos tempos, novas gerações. Agora é a vez de Myriam Rawick escrever em seu diário os dias horríveis que vive com a família na cidade de Alepo, durante a Guerra de Síria.

O livro abrange do ano 2011 a 2016. A mudança do tom da menina é notável ao longo dos anos. É triste ver como, mesmo mantendo a inocência, ela passa a se acostumar com as bombas e com as mortes. Aquilo vira o cotidiano, algo que eles não se surpreendem mais quando acontece. Quando os relatos terminam, ela tem apenas 13 anos.

É claro que a Guerra é um pano de fundo de peso, mas, por se tratar do diário da menina, o livro não é sobre o conflito e sim sobre como a vida dela muda. Como o mundo dela muda. Como os olhos dela nunca mais enxergarão a vida do mesmo jeito. E, de alguma forma, é sobre como ela consegue ainda preservar uma dose de inocência em meio à tanta brutalidade e tantas perdas.

Dessa forma, comentários sobre coisas inocentes como brincar com a irmã mais nova, desenhar para passar o tempo, se irritar com os meninos que imitam a professora na escola e sentir saudades da melhor amiga que mora longe se misturam a comentários sobre bombas, armas, racionamento e outras crianças passando por necessidades.

“Ele tem cinco anos e dá para ver bem que está triste. Às vezes, ele bate na mesa que nem em um tambor. Mamãe diz que é normal, e que é porque ele ouviu bombas demais caindo.” (RAWICK, 2018, p. 284)

E assim aquela que eu vejo como sendo uma das facetas mais relevantes de “O Diário de Myriam” transparece: as pessoas são boas. Mesmo em meio a uma situação tão drástica e tão cruel, a bondade se sobressai. São pessoas que estão sem nada, mas que sempre encontram um jeito de compartilhar com os vizinhos ou os refugiados.

Com simplicidade e verdade, Myriam nos apresenta os olhares de uma menina pequena (sua irmã), de uma pré-adolescente (ela mesma), uma mulher adulta (sua mãe) e um homem adulto (seu pai) diante de um conflito angustiante. Apesar da temática pesada, o livro é lido com tranquilidade e rapidamente, já que algumas entradas no diário são bastante breves. Que o de Myriam seja o último desses diários que precisemos conhecer.

Título: O Diário de Myriam
Autora: Myriam Rawick
N° de páginas: 319
Editora: Darkside Books
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

domingo, 4 de novembro de 2018

O que vem por aí - novembro

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Top Comentarista de Novembro


No Top Comentarista de Novembro, o vencedor poderá escolher o livro que quer ganhar dentre as quatro opções:  "O Lado Bom da Vida", "Muito Além do Inverno", "Uma estranha em casa" "Para todos os garotos que já amei".

Confira o regulamento:

1. Para participar, basta preencher o formulário abaixo, usando sua conta do Facebook ou seu e-mail. É obrigatório curtir a página do blog no Facebookcomentar em todas as postagens de novembro e ter um endereço de entrega no Brasil.

2. Para simplificar, optamos por utilizar o Rafflecopter. A primeira entrada confirma sua participação no Top Comentarista, enquanto as demais constituem chances extras, sendo opcionais. Atenção: depois de feito o sorteio será conferido se o sorteado comentou em todas as postagens do mês. Caso essa regra não seja cumprida, o mesmo será desclassificado, e um novo sorteio será realizado.

3. Para a entrada "Tweet about the Giveaway" ser válida, é obrigatório seguir o blog no twitter. 

4. Lembrando que somente serão válidos comentários significativos. Ou seja, comentários do gênero “interessante”, “legal” ou “ótima resenha” não serão computados. O participante poderá comentar apenas uma vez em cada post.

5. O sorteado poderá escolher o livro que deseja receber dentre as quatro opções disponíveis:
- O Lado Bom da Vida; 
- Muito Além do Inverno;
- Uma estranha em casa; 
- Para todos os garotos que já amei.

6. O resultado do Top Comentarista será divulgado no blog até o dia 05 de dezembro.

7. O sorteado será contatado por email, tendo o prazo de 48h para fornecer seus dados e o blog se responsabiliza por confirmar o recebimento das informações. Decorrido o prazo sem manifestação do vencedor, novo sorteio será realizado.

8. O prêmio será enviado pelo blog no prazo de trinta dias úteis.

9. A Equipe do Além da Contracapa se reserva ao direito de dirimir questões não previstas neste regulamento.

a Rafflecopter giveaway
 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger