domingo, 8 de janeiro de 2017

RESENHA: No Limite da Loucura

“Eu tinha poder, literalmente. Precisava me lembrar. Eu era maior e mais forte que qualquer fantasma que cruzasse meu caminho. Isso ainda não havia me ocorrido. Eles deveriam me temer. E eu nunca tinha sido amedrontadora para ninguém.” (JOHNSON, 2016, p. 95). 

***

O primeiro volume da série Sombras de Londres se mostrou como uma inusitada e surpreendente mistura de young adult, fantasia e policial, de modo que mal podia esperar para conferir a continuação. Entretanto, No Limite da Loucura não conseguiu repetir a formula bem sucedida de seu antecessor.

ATENÇÃO: a sinopse (parágrafo abaixo) CONTÉM SPOILERS de O Nome da Estrela, primeiro volume da série Sombras de LondresO restante da resenha é SPOILER FREE.

Depois de seu exílio em Bristol, Rory retorna a Londres e volta a frequentar Wexford, onde aconteceu seu último encontro com o imitador de Jack, o Estripador. Além do trauma, Rory precisa lidar com seus novos poderes e ainda ajudar na investigação de uma nova onda de crimes que atormenta a cidade. 

O primeiro ponto que chama atenção é o fato de que a trama se encontra extremamente dispersa. O livro conta não apenas conta os ganchos deixados pelo livro anterior, mas também introduz novos arcos, de forma que falta não apenas unicidade, mas um fio condutor que guie a estória. Assim, a impressão que eu tinha era de que muita coisa estava acontecendo ao mesmo tempo em que estória parecia não estar avançando. 

Johnson também falha no desenvolvimento do suspense, pois as opções que tomou ao longo da estória se mostraram as mais previsíveis, de modo que não consegue surpreender o leitor. Me pareceu que a autora notou tal deslize e, para apimentar a obra, recorreu a reviravoltas desesperadas, que além de forçadas, tampouco surpreenderam. 

O envolvimento romântico da protagonista também não convence. Me causou muito estranhamento a forma como esse romance surgiu do nada, ficando claro que a autora optou por tal recurso apenas para que determinado evento causasse um impacto maior. 

Apesar de todo o desenvolvimento da estória ter parecido como um carro desgovernado, no desfecho Johnson pareceu ter retomado o controle. Foi apenas nas últimas páginas que a autora conseguiu amarrar algumas pontas da trama e ainda encerrar a obra com um promissor desfecho. 

A verdade é que No Limite da Loucura sofreu da “maldição do segundo livro” e se tornou o que costumo chamar de “livro ponte”, cujo objetivo é tão somente fazer a ligação entre o primeiro e o terceiro livro da série, pois conta com uma estória vazia, não tendo elementos suficientes para se manter por conta própria. 

Assim, No Limite da Loucura é um livro que apenas promete, mas que não entrega. A verdade é que Johnson deu o passo maior do que a perna e, ao tentar atirar para todos os lados, conseguiu a façanha de não acertar nenhum alvo. Sinceramente, tenho dúvidas se terei ânimo para ler os próximos volumes da série. 

Título: No Limite da Loucura (exemplar cedido pela editora)
Autora: Maureen Johnson 
N.º de páginas: 304
Editora: Fantástica Rocco

16 comentários:

Thaynara ribeiro disse...

Eu sou meio complicada com suspense... Ou a história me prende completamente, ou não consigo nem terminar. Pela resenha não fiquei com vontade de ler já que a maldição do segundo livro o atingiu rs

Carla A. disse...

Oi, Alê!
Lembro de ter lido a resenha do primeiro livro aqui e gostado bastante. Que pena que a autora não soube conduzir o segundo livro de forma satisfatória. Pela sua resenha deu pra sentir que ficou tudo meio perdido e confuso mesmo.

Beijos, Entre Aspas

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Desde o livro anterior, fora a sua resenha, eu só li comentário negativo sobre a história :( Sabe que o segundo livro cai na maldição não melhora nada a situação
Beijos
Balaio de Babados

Nessa disse...

OI Alê
Mesmo com suas ressalvas negativas, me despertou o interesse para ler o primeiro livro da série, parece ser um enredo interessante. Que pena que a leitura não foi tudo que vc esperava, quem sabe o terceiro livro melhora.

Beijinhos
http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Acho uma pena quando sequências são decepcionantes assim, Alê. Mas tomara que as falhas fiquem apenas nesse segundo volume, pois quero muito ler essa série da Maureen Johnson. Ótima resenha.

Beijos!
Portal Andar de Cima

Gêmea Má disse...

Oi!!!

Eu acabei comprando o primeiro livro na BF, apesar de ainda não o ter lido e fiquei um pouco desapontada ao saber que o segundo livro é uma porcaria! Odeio essas séries/trilogias em que um do volume soa como uma enrolação pro próximo!!

bjbj

Lá... E de volta outra vez

RUDYNALVA disse...

Alê!
Uma pena que esse exemplar tenha sofrido a maldição do segundo livro e não tenha trazido todo impacto e dinamicidade do primeiro, que foi fabuloso de acordo com resenhas que li.
Como um escritor consegue perder a mão desse jeito?
Desejo uma semana de luz e paz!
“A dúvida é o princípio da sabedoria.” (Aristóteles)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

Rena Késsia disse...

Olá!
Realmente como você disse, ''a maldição do segundo livro'' passa quase sempre em todas as séries. Poucas das que eu li o segundo livro foi ao menos satisfatório. Bom, eu tento ler este tipo de livro com calma, muitas vezes o autor me ganha e me convence a embarcar na história. Ainda não conhecia esta série, ficarei atenta. Espero que o terceiro livro deixe uma impressão melhor!

Beijos!

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!!
Não conhecia esse livro mais fico triste quando vejo uma série que teria tudo para dá certo é chega ''a maldição do segundo livro'' e acaba com a história toda!! Bom esperar para ver se os próximos não são melhores!!
Beijoss

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê, a maldição do segundo livro é terrível, poucos escapam rsrsrs que pena que a leitura não foi das melhores. Não comecei a ler a série ainda, mas quando sair o próximo livro e for bom eu começo rsrs

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Adriana Holanda Tavares disse...

Suspense para mim tem de ter uma coisa muito bem organizada chamada nexo, linhas e mais linhas escritas com um padrão de ressonância que façam sentido entre si, e não um monte de acontecimentos ao mesmo tempo que nos deixe com a sensação de que não estamos acompanhando o livro, e pelo que você faltou faltou essa "liga". que pena!

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!!
Tudo bem?

Senti a mesma "maldição" na leitura que você. Terminei o livro um pouco decepcionada, confesso. Mas acredito que quando lançarem o terceiro livro vou pegar para ler sim, até porque é o último, né? O quarto livro é um pre-sequel apenas.

Só espero que o terceiro livro seja um desfecho bom para a saga.

Bjs!!!

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Rossana Batista disse...

Ah, é uma pena quando acontece isso do livro ponte. Já aconteceu comigo de ler uma série e no segundo livro ir com toda expectativa e acabar não sendo tudo aquilo que eu não esperava então te entendo bem. Esperamos que o terceiro livro seja melhor.

Roberta Moraes disse...

Não é a primeira pessoa que vejo falar que o segundo livros da série é assim meio disperso, sem ligação... essa e outras coisas deixam mesmo a pessoa sem ânimo. Mas lê sim o terceiro livro pra resenhar aqui pra a gente. Quero ver se melhora.

Ana I. J. Mercury disse...

O primeiro livro eu achei bacana a premissa e as resenhas, fiquei curiosa. Mas pela sua resenha, deu pra ver que esse segundo foi totalmente desnecessário.
Perdi a vontade de ler kkkkkkkk
Talvez só o primeiro mesmo.
bjs

Bruna Bento disse...

nossa, eu achava q essa autora escrevia livro YA fofinho haha Tô chocada com esses sangue na capa e tals.
Não tenho mto o q falar sobre a resenha pq li meio por cima pra nao pegar spoiler já q era o segundo livro!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger