sábado, 3 de fevereiro de 2018

RESENHA: Mindhunter

Mindhunter John Douglas
Já comentei algumas vezes por aqui que atuei como advogado criminalista e que tenho a ambição de escrever um thriller policial. E livros como Mindhunter sempre chamam minha atenção por serem um farto material de pesquisa. 

John Douglas foi uma agente do FBI por mais de vinte anos, tendo chefiado a Unidade de Apoio Investigativo. Através da ciência comportamental, Douglas revolucionou a forma como o FBI poderia auxiliar polícias locais na resolução de crimes violentos, especialmente em casos de serial killers. 

Após ter ingressado no FBI e passar a trabalhar na Unidade de Ciência Comportamental, Douglas sentiu a necessidade de se embrenhar mais fundo na mente dos criminosos. Assim, ele passou a entrevistar diversos serial killers, como Charles Mason, Ted Bundy e Ed Gein, a fim de tentar entender suas motivações. 

A partir das entrevistas, Douglas identificou padrões de comportamento, os quais lhe permitiram tirar conclusões surpreendentes e certeiras a respeito do criminoso. Assim, analisando a cena do crime e a vítima, Douglas conseguia criar um perfil que limitaria a lista de suspeitos, tornando mais fácil a missão de capturar o assassino. 

“O que tento fazer em cada caso é absorver todas as provas com as quais posso trabalhar, como os relatos de caso, as fotos e descrições da cena do crime, os depoimentos das vítimas ou protocolos da autópsia, e depois entrar de forma mental e emocional na cabeça do criminoso. Tento pensar como ele.” (DOUGLAS; OLSHAKER, 2017, p. 150). 

Assim, Mindhunter é um misto de biografia de Douglas e uma coletânea de estórias sobre os casos em que trabalhou. Acompanhamos sua trajetória pessoal e profissional até os dias em que ingressou no FBI, o início da pesquisa com serial killers e o desenvolvimento da técnica de análise de perfil nos casos em que trabalhou. 

Douglas compartilha diversas estórias, mostrando como a análise do perfil comportamental é complexa e desafiadora. Como esperado, acompanhamos o autor em uma jornada por dentro da mente criminosa, e vemos de perto a violência que eles praticam. Por isso mesmo, a leitura pode ser um pouco pesada e até mesmo cansativa em alguns momentos. 

Para quem gosta de estórias policiais e de seriados como Criminal Minds — claramente inspirado no trabalho realizado por Douglas —, o livro certamente será uma leitura fascinante, pois revela o mundo real, diferenciando mitos da verdade. 

O livro deu origem ao seriado Mindhunter, uma produção original do Netflix. 

Título: Mindhunter
Autor: John Douglas e Mark Olshaker
N.º de páginas: 383
Editora: Intrínseca
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

11 comentários:

Gabriela CZ disse...

Quero muito ler esse livro, Alê. Comecei a ver a série do Netflix inspirada nele, mas por causa dos meus problemas recentes de saúde só vi metade. Quero retomar logo. É muito interessante, apesar de um tanto pesada no quesito psicológico. Mas voltando ao livro, deve ser mesmo muito esclarecedor. Espero conseguir logo. Ótima resenha.

Beijos!

Ludyanne Carvalho disse...

Que bacana, não sabia que tinha atuado como advogado criminalista e nem que tem o sonho de escrever um Thriller; é uma profissão admirável. E não deixe de escrever, pela qualidade da sua resenha dá pra imaginar que será uma ótima história.
É a primeira vez que leio sobre Mindhunter, e não sabia que era um thriller. Mas confesso que não curto muito histórias policiais e nem de seriados nesse estilo, então não seria fascinante pra mim.

Beijos

Gabriela Soares disse...

Cara, tenho muuuita curiosidade na série, e não tinha me ligado ainda que ela tinha ligação com esse livro! Curti muito a resenha e acho que ia me agradar bastante, vou tentar ler na próxima oportunidade!
Um beijão,
Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

RUDYNALVA disse...

Alê!
Confesso que vi tanta propaganda do livro da série e também tive a impressão que era uma série policial com a participação do John Douglas e não uma biogradia sobre a vida dele. Não que não goste de biogradias, até gosto, mas achei que seria algo diferente.
Como ganhei a Netflix das filhotas, vou ver se assisto a série primeiro e se gostar, leio o livro depois.
Mas pelo jeito, ainda assim o livro foi bom na sua opinião, né? Vamos ver…
Como amo Criminal Minds, devo dar uma chance a leitura.
Desejo uma ótima semana e um mês mais que abençoado!!
“Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.” (Cynthia Kersey)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

Victor Nascimento disse...

E ai Alê! Tudo bem?

Cara eu sinceramente não sabia que tinha o livro da serie, apesar de eu não gostar muito de ler livros de series, mas eu vou me arriscar e incluir nas minhas próximas aquisições.

Grande abraço!
www.cafeidilico.com

Patrini Viero disse...

Assisti ao seriado na Netflix antes mesmo de saber que ele era baseado em um livro, porque o gênero investigativo sempre me atraiu e é um dos meus preferidos (amo Criminal Minds). O fato de poder ler maiores detalhes, que talvez não apareçam na série, me é bastante convidativo, e essa mistura de biografia com entrevistas e casos reais me deixa bastante instigada a me embrenhar mais uma vez nessa história.

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Logo quando lançou eu fiquei curiosa para ler e assistir a série, porém confesso que perdi um pouco desta vontade, mas ainda pretendo ler um dia rsrs.

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!!
Gosto bastante de livros de thrillers policiais, e fiquei bem feliz quando do a série baseada nesse livro. Sem dúvida quero muito ler essa história.
Bjoss

Ana I. J. Mercury disse...

Não leio tanto livros policiais, mas achei esse muito interessante e bem bolado!
Fiquei curiosa.
Não sabia que a série era baseada nele.
Vou querer conferir também!
bjss

Mariana M... disse...

Apesar de não ser um gênero que eu curto, achei a premissa da obra muito instigante, principalmente em se tratando da parte da biografia mesmo e da busca pela vítima e culpado das situações.

Carolina Santos disse...

Confesso que esse livro me fez ficar umas boas noites sem dormir é completamente em cima ou com o que você lembrou e é impressionante o estudo que o autor faz sobre a psicopatia explorada nesse livro ainda não pude assistir a série mas o livro é simplesmente fenomenal

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger