sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

RESENHA: Acima de Qualquer Suspeita

“Olho para a etiqueta familiar, colada no papelão: O POVO CONTRA ROZÃT K. SABICH. Sou outra vez minado pelo sentimento: isso não aconteceu.” (TUROW, 2008, p.192)

“Acima de qualquer suspeita” é um livro que há muito eu tinha vontade de ler, mas, por uma razão ou outra, ia protelando. Provavelmente o principal motivo para isso deriva do meu primeiro contato com a obra de Scott Turow que se deu através do livro “O ônus da prova”. Embora eu tenha começado a ler bastante entusiasmada, o livro se revelou uma decepção, tanto em termos de história, quanto de narração, mas não a ponto de eu desistir de ler a obra mais famosa do autor, que inclusive foi para as telas do cinema, em 1990, estrelada por Harrison Ford. Ainda bem, porque muito diferente de “O ônus da prova”, “Acima de qualquer suspeita” é excelente!

A história gira em torno do promotor assistente Rusty Sabich que se encontra em uma complicada situação logo no inicio do livro: uma de suas colegas, a ambiciosa e sensual Carolyn Polhemus, foi brutalmente assassinada. Rusty é encarregado da investigação, que se torna ainda mais complicada visto que Rusty e Carolyn costumavam a ser amantes. A época do assassinato também não é das melhores. Às vésperas das eleições para promotor de justiça, o chefe de Rusty se encontra em uma apertada disputa na qual o resultado tende a piorar caso não se encontre e puna o responsável por tal crime. Rusty ainda tem outra batalha para enfrentar: seu casamento com Bárbara que, ciente do caso do marido, é contra que ele trabalhe na investigação do assassinato da ex-amante. Mas o que é ruim fica ainda pior. Devido ao seu relacionamento com Carolyn, Rusty é acusado de tê-la assassinado, o que coloca o promotor assistente nas manchetes de todos os jornais e faz deste o maior caso que o condado já viu.

No inicio do livro, a historia se desenvolve em três núcleos paralelos: a investigação do assassinato, os acontecimentos relativos às eleições, e ainda as consultas de Rusty com um psiquiatra, através das quais temos conhecimento das circunstancias que deram inicio ao seu caso com Carolyn. Todos esses núcleos são desenvolvidos com calma e de forma igualmente interessante, deixando evidente desde as primeiras páginas que Turow sabe do que está falando e não tem medo de discorrer sobre praticas jurídicas e investigações criminais.

A investigação caminha a passos lentos, como provavelmente aconteceria em um caso real, sem o surgimento de pistas extraordinárias e soluções miraculosas. Isso até poderia tornar o livro maçante se não fosse o conjunto de acontecimentos que o autor criou em volta da história principal, ou seja, o casamento de Rusty e Barbara, as eleições, e as seções de terapia.

Mas se as coisas iam bem até esse momento, elas ficam muito superiores depois que Rusty é indiciado e principalmente quando o julgamento tem inicio no tribunal do júri. É nesse momento que “Acima de qualquer suspeita” deixa de ser um livro bom, para tornar-se excelente.

Para sua defesa, Rusty contrata um dos melhores advogados da cidade, alguém que, inclusive, já foi seu adversário anteriormente no tribunal, Alejandro “Sandy” Stern. Foi com surpresa que me deparei com Sandy Stern, afinal, ele é o protagonista de “O ônus da prova” que citei anteriormente. É curioso observar que em “Acima de qualquer suspeita” o advogado de defesa é um personagem muito mais carismático, sendo um mero coadjuvante, do que no livro onde todos os acontecimentos giram ao seu redor. Alias, carismático não é o termo correto. Eu arriscaria dizer que brilhante estaria mais adequado. Para os que me conhecem, basta dizer que se Patty Hewes (da fantástica série Damages) não estivesse disponível eu estaria inclinada a contratar Sandy Stern como meu advogado, caso eu precisasse de um. E já que eu mencionei advogados da ficção, devo dizer que ao ler o livro de Turow foi impossível não lembrar da série Law & Order e ficar com muita vontade de assistir algumas reprises da finada série jurídica.

Voltando ao julgamento de Rusty, quando se chega neste ponto, é impossível parar de ler o livro. Cada argumentação, cada inquirição é excitante. São bons personagens e é uma boa historia, mas sem sombra de duvidas o que faz “Acima de qualquer suspeita” um ótimo livro é o fato de ter sido escrito por alguém que tem conhecimento sobre o que escreve, que vivenciou acontecimentos semelhantes. Turow consegue fazer do tribunal do júri um espetáculo e não deixa nada de lado. A defesa feita por Stern, a apresentação dos promotores, o depoimento das testemunhas, a reação dos jurados e até mesmo do juiz, tudo, absolutamente tudo é instigante e fascinante. Entre as argumentações e os ânimos exaltados é possível sentir empatia, pena, raiva, orgulho e ainda rir de algumas situações.

A história mostra diversas facetas de alguns dos personagens e a que ponto as pessoas são capazes de chegar para conseguir o que querem. Por exemplo, Carolyn, a vítima, nos é apresentada aos poucos como uma mulher interesseira. Impossível afeiçoar-se a ela. Além disso, o caso extra-conjugal, centro da história, não é a única traição que ocorre entre personagens. Vendo pelo lado positivo, há também provas de amizade. Em acréscimo a todas essas emoções, o final também não deixa a desejar. Mais do a identidade do assassino em si, a maneira como o assassino de Carolyn é revelada se dá com maestria.

Em seu primeiro livro de ficcção, Scott Turow marca seu nome no gênero suspense de tribunal (ou thriller jurídico, se assim preferir) com uma história verossímil e ainda assim fascinante. Mal posso esperar para para ler “O Inocente”, livro que relata os acontecimentos de vinte anos após “Acima de qualquer suspeita”.

Título: Acima de Qualquer Suspeita
Autor: Scott Turow
Nº de páginas: 544
Editora: BestBolso – Best Seller

0 comentários:

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger