segunda-feira, 20 de agosto de 2012

RESENHA: Hamlet

“Morrer...dormir...mais nada. Dizer que, por meio de um sono, acabamos com as angústias e com os mil embates naturais de que é herdeira a carne, é um desfecho que se deve ardentemente desejar. Morrer...dormir...dormir! Sonhar talvez! Ah! Aqui é que está o embaraço. Pois que sonhos podem sobreviver naquele sono da morte depois de nos termos libertado deste bulício mortal?” (HAMLET, Cena Primeira, Ato Terceiro – pag.85).

Algumas histórias tornam-se verdadeiras lendas e são conhecidas por quase todas as pessoas, independente de elas terem lido essas histórias ou não. Como exemplos, posso citar “Os Três Mosqueteiros” de Alexandre Dumas, ou “As Aventuras de Robin Hood” de Howard Pyle (ambos resenhados no blog). Mas não acredito que tenha existido um autor cujas histórias tenham atingido este patamar tantas vezes como William Shakespeare. Uma dessas histórias, que ultrapassa o tempo e gerações, é "Hamlet". Quer ver como estou certa? Mesmo que você nunca tenha lido "Hamlet" ou mesmo que não saiba sobre do que se trata a história, tenho certeza que já ouviu as frases “Ser ou não ser? Eis a questão?” e também “No céu e na terra há mais coisas do que sonha a vossa filosofia”. Pois então. Isso é "Hamlet". A história do triste príncipe dinamarquês que deprimido pela morte do pai – o rei – e revoltado pelo rápido casamento de sua mãe com seu tio – o novo rei – decide vingar-se. É uma história de traições, complôs, assassinatos, vingança e loucura.

Hamlet é um personagem extremamente racional. Apesar de seus intensos sentimentos em relação às atitudes do tio ou mesmo do seu amor por Ofélia, suas atitudes dificilmente são condizentes com essa intensidade. Justamente por esse lado filosófico do personagem-título, "Hamlet" não é uma história repleta de ação como, por exemplo, “Romeu e Julieta”. Ainda assim é repleta de emoção.

Algumas obras, como “Dom Casmurro” de Machado de Assis, exigem mais de uma leitura para serem compreendidas em sua totalidade, porque algumas coisas passam desapercebidas pelo leitor, por mais atento que este seja. Acredito que "Hamlet" seja uma dessas obras. Sua história, mesmo sendo breve, apresenta várias sub-tramas e o próprio Hamlet é um personagem que precisa de um olhar especialmente atento para que sua complexidade possa ser completamente compreendida.

Apesar de já ter lido alguns livros de Shakespeare, sempre me surpreendo ao ver como suas histórias são agradáveis de serem lidas, apesar da linguagem rebuscada e do estranhamento que pode causar a falta de descrições e comentários, - afinal, como se trata de uma peça de teatro tudo o que temos são as falas dos personagens - mas, mesmo contando apenas com as palavras de suas criaturas, Shakespeare consegue fazer com que seja muito fácil termos a impressão de que a ação se desenrola diante dos nossos olhos. Como em outras histórias do autor, a alma humana, e o que move cada pessoa, é o ponto alto de "Hamlet". As críticas estão ali. As deixas para que o leitor pense e reflita, também.

Existem bons livros. Existem livros clássicos. E existe Shakespere. “O resto…é….silêncio.” (HAMLET, Cena II, Ato Quinto - pag.186)

Título: Hamlet
Autor: William Shakespeare
Nº de páginas: 191
Editora: Martin Claret

Um exemplar de "Hamlet" é um dos prêmios da promoção "Volta às Aulas". Participe!

9 comentários:

Aione Simões disse...

Ai, Mari, que resenha linda!
Também sou super fã de Shakespeare e acho incrível como conseguimos visualizar tão perfeitamente as cenas, mesmo sem descrições, como você falou.
Gosto desse ar reflexivo da obra e espero poder lê-la logo!
Beijão!

Eduarda Menezes disse...

Oi Mari! Adorei a sua resenha, deu até vontade de pegar algum livro do Shakespeare para ler haha Nunca li nada dele (vergonha), mas você está certíssima, quem nunca ouviu falar dessas citações de Hamlet? Ou sobre as histórias de vários dos livros/peças do autor? São mundialmente conhecidas tamanha a grandiosidade atingida pelo seu escritor.
Beijos!

Elis Paulina disse...

Esse livro deve ser muito bom, também Shakespeare é sempre Shakespeare. Além dele o livro também citado por ai quando se fala no autor. A resenha ficou bem elaborada :) beijos

Lú Miranda disse...

mesmo que gosta cada um tenha o seu, mas não gostar ou conhecer shakespeare é quase um pecado.
Adorei a resenha, deslumbrante, esse livro nunca li, só li resumões pra faculdade, mas espero logo logo ler.
Beijooos ;*

Carolina Garrett disse...

É a primeira vez que passo pelo seu blog e vim parar aqui exatamente pela minha paixão por Shakespeare e meu interesse em ver como os brasileiros lidam com suas histórias. Acho muito triste um autor como ele ser pouco utilizado na nossa educação. Shakespeare escreve sobre humanos, apesar, de como você disse, ter uma linguagem que não é comum para nós. Acho que não gostar de Shakespeare, só mostra que a pessoa não o leu!

Uma das coisas que mais gosto em Hamlet é a maneira como ele separa os momentos de loucura do personagem principal, dos seus momentos de sanidade. Quero dizer, óbvio que ele não está louco de verdade, mas no seu fingimento diante de todos, quando ele fala as frases saem em verso e não em prosa. Ele quis marcar algo e forçou isso com a rima. Interessante pensar nisso e que ele parou pra pensar que qdo o público ouvisse ia saber que acontece uma diferença. Isso no inglês, não posso afirmar se a tradução que você leu respeita isso, ou se como muitos tradutores, nem percebeu a diferença.

Adorei o blog e a resenha.
Beijos, Carolina Garrett
BLOG * TWITTER * LOJA

Francielle Couto Santos disse...

Mari, é impossível não querer ler e saber um pouco mais sobre a trama após a leitura dessa resenha maravilhosa e tão bem escrita. Parabéns! Você soube explanar de forma instigante, argumentativa e bastante concisa acerca de uma obra que possui consigo uma carga história, de um autor tão renomado na literatura... é a prova de uma leitura bem feita e realizada com bastante precisão. Adorei!

Um abraço!
http://universoliterario.blogspot.com/

Idelmária Ferreira disse...

Ainda não li nada de Shakespeare, mas pela sua resenha fiquei muito curiosa para ler Hamlet. Gostei muito!
Bjs,
Idelmária
www.idelmaria.com

Nardonio disse...

Shakespeare é "O CARA". Rsrsrsrs
É impressionante o quão suas histórias são atuais. E como você disse, muitas obras precisam ser lidas mais de um vez para o leitor entender, e digo mais, a cada nova leitura da obra, você entende mais e mais coisas.
Gostei bastante de ver uma resenha sobre uma obra de Shakespeare. Ultimamente os blogs falam mais dos lançamentos.
Parabéns pela lembrança de um dos maiores gênios da humanidade!

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

canto da estante disse...

Hammet é um livro feito como peça teatral ????
È que quando minha amiga pego na escola ela disse que era e que nem queria ler porque ela nao gostada desse tipo de livro !!!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger