domingo, 12 de agosto de 2012

RESENHA: O Poder e a Lei

“As noções da faculdade de direito acerca da virtude do sistema adversário, dos controles e equilíbrios do sistema, da busca pela verdade, tinham há longo tempo erodido como os rostos das estátuas de outras civilizações. A lei não tratava da verdade. Tratava de negociação, aperfeiçoamento, manipulação. Eu não tratava com culpa e inocência, porque todo mundo era culpado. De alguma coisa.” (CONNELLY, 2011, p. 33).

***

Não é segredo para ninguém que Michael Connelly é um dos autores preferidos deste que vos fala. Confio tanto em seu potencial como escritor que para comprar o livro basta ver seu nome impresso na capa. Mas com a recente adaptação de O Poder e a Lei para o cinema, admito que minha curiosidade estava um pouco mais acentuada para ler este livro.

Michael Haller, advogado criminalista, é contratado para defender Louis Roulet, acusado de tentativa de estupro e agressão de Regina Campo. Após conseguir libertar seu cliente mediante o pagamento de fiança, Haller começa a investigar o caso, dando início a um thriller jurídico eletrizante.

Após ter chegado ao fim da leitura, conclui que Connelly é mestre em criar protagonistas. Assim como Harry Bosh e Jack McEvoy (dos livros Echo Park e O Poeta, respecitvamente), Michael Haller consegue cativar o leitor e conduzir a estória de forma hábil.

A narrativa, em primeira pessoa, flui com naturalidade, sendo que nem mesmo as cenas que ocorrem no tribunal são cansativas. Além disso, o autor criou uma trama crível (leia-se: sem reviravoltas mirabolantes), mas que não deixa de ser instigante e empolgante. Assim, a narrativa impecável somada a uma trama bem concatenada criaram um livro impossível de ser largado.

Outro fator que merece destaque é a verossimilhança da estória criada por Connelly que, mesmo sendo jornalista, conseguiu descrever de forma precisa os nuances do sistema criminal e do trabalho de um advogado criminalista. Ou seja, não espere encontrar aquelas tramas “jurídicas” (leia-se: fajutas) que inspiram inúmeros filmes de Hollywood. Connelly foi incisivo ao retratar a vida real. E talvez, por isso, não agrade a todos.

De minha parte digo — na condição de fã do gênero policial, de graduando em Direito e de apaixonado pelo Direito Penal — que este livro foi um dos melhores que já li, e que não me desapontou na parte literária, nem na parte técnica.

E se você está a se perguntar a respeito do filme, lhe aconselho: não veja! Não sei explicar exatamente o porquê, mas a estória criada por Connelly não funcionou na telona.

Como já disse em outras resenhas dos livros de Michael Connelly, sinto-me obrigado a dizer novamente: leitura obrigatória para fãs do gênero policial.

Título: O Poder e a Lei
Autor: Michael Connelly
N.º de páginas: 404
Editora: Record

10 comentários:

Eduarda Menezes disse...

Oi Alê!
Fico até feliz por você não ter gostado do filme/ou não recomendá-lo pois só lembro de tê-lo achado suuuuper fraco e mais nada. Por incrível que pareça foi tão fraquíssimo que não lembro nem da história. Ou seja, pelo menos isso tem um lado bom pois imagino que o livro seja bem melhor e dessa forma poderei ainda me surpreender já que não me recordo de nada! ^^
Eu também sou MEGA fã de romances policiais. Do Connelly já li O Poeta e amei, gostei mesmo, faz tempo que li mas ainda me lembro de como curti a investigação e o modo como ela terminou. Desde então tenho vontade de ler outros dele.
Comprei Echo Park há um tempo já então será o próximo!
Beijos!!

@ Moda e Eu. disse...

UAU!
Que resenha mais in love. Realmente parece muito legal.
Vou por no skoob.
:D

beijos.
Selene Blanchard
Bacio,Moda & eu

Lili disse...

Caramba! Não sabia que era um livro. Vi o filme e a d o r e i!
Com certeza vou correr atrás do livro.

liliescreve.blogspot.com

Francielle Couto disse...

Alê, nunca vi o filme, e confesso que não sabia da existência do livro. Fiquei feliz, no entanto, por conhecê-lo um pouco mais graças a sua resenha (muito bem escrita, por sinal). O gênero muito me agrada, e pela forma como você o descreveu parece ser mesmo excelente. Vou buscar saber mais para, quem sabe, lê-lo futuramente.

Um abraço!
http://universoliterario.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Oie Ale!
Tenho que confessar que fiquei com vontade de ler o livro após ler sua resenha e olha que não sou nada fã do gênero policial.
Ainda bem que mudaram o titulo do livro...o outro era bem ruim enão chamava tanto a atenção!
Abraços,
Débora Koenig

Lú Miranda disse...

to com muita curiosidade de ler esse livro, porém o que vc falou do filme me desanimou. Mas isso acontece mesmo, tem muitos outros livros que a adaptação não funcionou, parece que falta "química".

Nardonio disse...

Não conhecia nem o livro, nem o autor (pois é, já pode me matar). Pelo menos ele escreve um dos gêneros que gosto bastante. Vou procurar saber um pouco mais sobre ele.
É realmente uma pena quando um livro vai ser adaptado pro Cinema e não dá muito certo. Pelo menos a obra literária não deixa à desejar.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

canto da estante disse...

O poder e a lei tem filme????

Érica Daiane da Cunha disse...

Eu gostei muito do filme não tenho do que reclamar...

Érica Daiane da Cunha disse...

Eu gostei muito do filme não tenho do que reclamar...

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger