sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

RESENHA: Domínio Sombrio


“Não era preciso ser um detetive para concluir que alguma coisa dera terrivelmente errado. Mas para quem? E, talvez, o mais importante: por quê?” (McDERMID, p. 223, 2010) 

Fazia tempo que eu tinha vontade de ler algum livro de Val McDermid e quando eu digo algum eu quero dizer qualquer um. Todos os cinco livros da autora publicados no Brasil pela editora Bertrand tem sinopses extremamente interessantes e capas incríveis, de forma que não fazia diferença para mim qual seria a minha primeira leitura (e algo me dizia de antemão que a primeira não seria a última). Comecei por “Domínio Sombrio” e não me decepcionei.

A detetive Karen Pirie, especialista em casos arquivados, se depara com um caso diferente: o desaparecimento de Mick Prentice - um mineiro que há mais de vinte anos abandonou a família, aparentemente, se juntando aos fura-greves que sempre abominou. Enquanto tenta descobrir o que aconteceu com Mick, Karen é solicitada para outro caso: após um sequestro e uma operação de resgate de consequências trágicas, a filha de um milionário é morta a tiros e seu filho, ainda bebê, desaparece sem que ninguém mais tenha notícias dele. O caso estava arquivado até que uma jornalista descobre por acidente uma pista que pode finalmente lançar luz ao enigma. A principio, o que os dois casos tem em comum é apenas a coincidência de terem ocorrido no mesmo ano. Mas talvez isso não seja tão coincidência assim.

É difícil apontar uma única coisa que não funcione bem em “Domínio Sombrio”. A história criada por McDermid é ambiciosa e executada com maestria. O leitor é apresentado aos dois casos e se sente fisgado por ambos rapidamente, mal percebendo o momento em que tudo começa a se fundir em uma única trama.

Composto por capítulos curtos que sempre terminam em cliffhangers adequados (e por adequados eu quero dizer, que funcionam ao deixar o leitor curioso, mas sem forçar a sua importância) o livro é lido rapidamente com aquela deliciosa sensação de “só mais um capítulo” constantemente. Alternando a narrativa no presente e no passado, a autora utiliza dessa técnica para aproximar o leitor de todos os acontecimentos, de forma que ele descubra tudo vivenciando os momentos junto com os personagens – seja agora, ou seja há vinte anos – e nunca através de um mero relato de um personagem para outro. Eu, particularmente, adoro livros que centram sua trama em casos antigos, que permitem observar as consequências daqueles acontecimentos ao longo da vida dos envolvidos e ver o quanto o passado influencia o presente.

Karen, a detetive à frente das investigações, é uma mulher inteligente, racional e extremamente dedicada à carreira. Uma personagem com consistência, assim como a história que está sendo contada e o estilo da autora que escreve.

“Domínio Sombrio” é um daqueles livros que você não quer largar e ao mesmo tempo quer ler aos pouquinhos porque tem medo de saber como vai terminar. Enquanto ama e odeia os personagens, você teme se decepcionar com alguém ou constatar que o destino de um deles foi mais trágico do que você imaginava.

Mostrando que o simples é mais complexo do que parece, mas que também o complexo pode ser absurdamente simples, Val McDermid cria em “Domínio Sombrio” um suspense impecável.

Título: Domínio Sombrio
Autora: Val McDermid
Nº de páginas: 362
Editora: Bertrand Brasil

9 comentários:

Aione Simões disse...

Mari, confesso que não conhecia a autora nem seus livros publicados pela Bertrand.
Quando vi a capa, pensei ser um sobrenatural, algo sobre vampiros, por causa das cores e do título. Vai pro Parece, Mas Não É (não que a capa não seja adequada, apenas me enganou).
Enfim, por gostar de romances policiais, esse certamente chamou minha atenção por causa dos seus muitos elogios. Gosto dessas histórias que prendem e os capítulos curtos facilitam e muito a leitura!
Beijão!

Aione Simões disse...

P.S: Acabei de achar a capa de Sombras de Um Crime e percebi que já conhecia a autora sim, só nunca fixei o nome dela hehe!

MsBrown disse...

Gostei da resenha, atiçou minha curiosidade sobre esse livro que eu, infelizmente, nunca tinha ouvido falar.

Mey disse...

Não estou muito para esse genero ultimamente, mas gosto muito. Também achei que fosse um livro sobrenatural, essa capa engana bastante. Fica a dica p o momento em que eu querer um bom suspense policial. Bjksss

Mey disse...

Meyre Christina

Nardonio disse...

Falou em suspense, falou comigo!! Rsrsrs
Confesso que não conhecia essa autora, mas posso dizer que já gostei. Essa ideia de desenvolver a trama com casos que já foram abandonados, me fez lembrar de uma série bem legal que assisto, que é "Cold Case". Não sei se tem a mesma pegada, mas mesmo assim, me deixou curioso pra ler.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Daiane Carvalho disse...

Não conhecia a autora :/
Mas ultimamente estou numa "vibe" de suspense policial que está difícil passar. Adoro quando existem duas histórias, e depois elas se fundem.
E essa capa, nossa!

Beijos, Dai :*
Seguidora: Daiane Carvalho

Eduarda Menezes disse...

Oi Mari!
Eu só li um livro dessa autora, mas adorei! Ela tem essa capacidade de mesclar tramas paralelas, isso também aconteceu no livro que li, de uma forma incrível e excitante. A gente fica na maior ansiedade para saber o que vai acontecer. E a investigação também é muito bem conduzida.
O enredo desse também me chamou muita atenção, e sem dúvida pretendo ler no futuro, assim que tiver uma oportunidade.
A resenha está ótima!
Beijos!

Virginia de Oliveira disse...

Sinceramente nunca tinha lido nada sobre essa autora, mas depois dessa resenha fiquei muito curiosa em ler alguma livro dela.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger