domingo, 16 de junho de 2013

RESENHA: É Melhor Não Saber

“Subi com dificuldade as pedras escorregadias e fui para a margem. Depois fiquei curvada, vomitando água e medo na areia.” (STEVENS, 2013, p. 285).

***

Após ler Identidade Roubada e ser surpreendido pela qualidade da estória criada por Chevy Stevens, mal podia esperar para conferir os demais livros de sua autoria. Assim que É Melhor Não Saber foi lançado, sabia que precisava lê-lo. Mas, como sempre digo, quando a expectativa é grande, a decepção também pode ser.

Sara foi adotada e — algumas semanas antes de seu casamento — decide descobrir quem são seus pais biológicos. É então que encontra a amarga verdade: ela é filha de um famoso serial killer e sua mãe foi a única vítima que sobreviveu. Quando a estória de Sara é divulgada na internet, seu pai entra em contato, desejando conhecê-la.

Assim que li a sinopse, a premissa me pareceu fantástica. Rapidamente, imaginei as inúmeras possibilidades que a autora poderia seguir, criando um livro interessante, envolvente e instigante, porém, não foi o que aconteceu.

É Melhor Não Saber segue a mesma estrutura de Identidade Roubada: cada capítulo corresponde a uma sessão de terapia, nas quais Sara coloca para fora todas as suas angustias, emoções e sentimentos. Continuo achando a estrutura do livro muito criativa, porém, o problema foi que não simpatizei com a protagonista, de modo que foi difícil se importar com sua estória.

A trama é linear e relativamente simples, o quê não é uma crítica. A crítica surge quando esta estória linear está associada a uma narrativa monótona e que não prende a atenção do leitor. Entendo a opção da autora pela forma como escreveu boa parte do livro, mas devo dizer que faltou ação, o que me transmitiu a sensação de que nada importante aconteceu por capítulos e mais capítulos.

Nas últimas páginas, Stevens tentou surpreender o leitor, porém, as reviravoltas inseridas por ela nos momentos finais do livro não me surpreenderam. E mesmo que o final tenha contado com mais ação e suspense, eles não foram suficientes para causar-me uma boa impressão sobre o conjunto da obra.

Ainda confio no potencial de Chevy Stevens, contudo, em É Melhor Não Saber a autora não atingiu seu melhor nível. A verdade é que por mais interessante que seja uma premissa, não é apenas disso que se faz um livro.

Título: É Melhor Não Saber (exemplar cedido pela Editora Arqueiro)
Autora: Chevy Stevens
N.º de páginas: 317
Editora: Arqueiro

16 comentários:

Vânia Gama disse...

seria interessante começar a ler algo dessa autora por esse livro... já que você considera mais "fraco" que os outros...
a história parece ser bem interessante! Tem um "quê" de mistérios e tals!
adorei
beijos

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Olá!

É Melhor Não Saber estava na minha lista, agora já não tanta certeza. Talvez deva ler o 1º capítulo antes de comprá-lo. No entanto, fiquei com mais vontade de ler Identidade Roubada.

Pode passar no meu blog? http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Beijos, Gabriela

Victoria disse...

Adorei sua resenha!
Tem uma indicação pro seu blog la no Ponto das Letras :)

http://pontodasletrasblog.blogspot.com.br/2013/06/tagselinho-2.html

beijo

Vitor Santos disse...

Achei a premissa da trama mto criativa, além de achar a ideia de sessões de terapia bastante inovadora...
Se tiver a oportunidade, lerei o livro.

GFC: Vitor Santos

Gladys Sena disse...

Ainda não conheço a escrita da autora, mas já li muitos elogios.

Thaynara ribeiro disse...

Parece ser um suspense muito bom!!! Como não li nada do autor, esse livro pareceu otimo! Com certeza vou procurar algo do autor para ler!


Divulgação twitter: https://mobile.twitter.com/thaynaralavign2/status/347670747709325313

Sara Bertti disse...

Esse livro já esta comprado e está na minha meta de leitura.
Ler a resenha porém me fez deixa-lo laaaa pro final da lista!!!

Bjs

Sara

Rossana Batista disse...

Realmente depois que li a resenha eu também fiquei imaginando sobre tudo que poderia acontecer no livro.
Espero não me decepcionar tanto quanto você.

Divulgação: https://twitter.com/rooohbatista/status/348461309085507584

Roberta Moraes disse...

Que capa é essa ? Que linda!
E que frases é essa na capa?! Já faz com que eu queria muito ler!
Espero que eu não fique sem me surpreender, rs.

Divulgação: https://www.facebook.com/roberta.moraes.7127/posts/324609177673912

Aione Simões disse...

Oi Alê!
Eu gostei bastante do livro, ainda que ele tenha ficado longe de me agradar como Identidade Roubada.
Achei que a estrutura dos dois foi muito similar e, com isso, eu acabei, como você, não sendo surpreendida ao final por já tê-lo adivinhado.
Eu acabei não sofrendo com a falta de ação porque li o livro sem ler a sinopse, então o começo já foi surpreendente o suficiente pra mim.
Beijão!

Vânia Gama disse...

https://twitter.com/_nirvania/status/346696217465585665

Naty disse...

Infelizmente você está certo, acho triste quando uma premissa tão boa assim não é aproveitada. Gostei da divisão dos capítulos, mas acho que ela acaba limitando um pouco também.
Não estou entusiasmada para ler o livro, mas lerei se tiver oportunidade.

https://twitter.com/NatyIC/status/348929617148649472

Aione Simões disse...

Divulgação: https://twitter.com/mi_simoes/status/350757602910674946

Nardonio disse...

Uma pena que esse livro não te agradou tanto quanto o primeiro. Mas realmente fica complicado você se interligar em uma trama que não tem uma narrativa tão legal assim.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom
Divulgação: https://twitter.com/_Dom_Dom/status/350824113419456512

Jessica Lisboa disse...

Apesar do tema ser interessante nao estou muito animada com esse livro nao, sei lá acho que nao ficaria tão curiosa para lelo.
https://twitter.com/jessikalisboa_/status/351340373039263745

cristiane disse...

Putz, ainda não consegui ler! Doida pra fazer isso, vale muuuuuito a pena! Adoro histórias assim e esse entrou pra lista dos super desejados.
cristiane dornelas
https://twitter.com/cristianecullen/status/351368536863674369

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger