terça-feira, 9 de julho de 2013

RESENHA: Tigres em Dia Vermelho

“Ninguém diz nada que realmente quer dizer. Nada é verdadeiro. (...) Acho...ainda não sei, mas acho que estão fazendo tudo errado.” (KLAUSSMANN, pag. 270, 2013)

O ano é 1945 e com o fim da guerra se aproximando as primas Nick e Helena sonham com um futuro promissor. O marido de Nick voltará e Helena - que ficou viúva nos primeiros anos da guerra - irá se casar pela segunda vez. Porém os anos que se seguem não trazem a elas a felicidade que haviam imaginado. Nick vive uma vida sem muitas emoções, enquanto Helena vê o melhor em um marido interesseiro, que não merece seu amor e dedicação e é obcecado por uma mulher já morta. De tempos em tempos, as duas primas se reencontram, mas com o passar dos anos esses reencontros passam a ser menos felizes e a amizade dá lugar a ressentimentos. Tudo piora quando Daisy e Ed (filhos de Nick e Helena, respectivamente) encontram o corpo de uma moça assassinada e esse se torna o marco zero para uma série de conflitos que mudará as relações dos membros da família para sempre.

Poucos livros já começam no clima tenso em que “Tigres em dia vermelho” tem início. Liza Klaussmann nos apresenta uma tensão dissimulada, escondida nas entrelinhas e que pinica o leitor a cada frase. Uma tensão elegante (como o suspense de um filme de Alfred Hitchcock ) e que justamente por ser camuflada é muito mais intensa do que se fosse escancarada.

Os personagens são tão cheios de nuances que mesmo terminada a leitura eu não sabia dizer como me sentia em relação a alguns deles. Ao mesmo tempo em que eu era capaz de admirar a intensidade de Nick, eu condenava o seu comportamento, mesmo conseguindo entender o porquê de ela agir como agia. Enquanto muitas vezes eu tinha pena de Helena, outras eu me irritava profundamente com ela e tinha vontade de esbofeteá-la. Essa dicotomia força/fraqueza, amor/ódio está presente em todos os personagens e contribui para o clima de desconfiança que permeia tanto a relação de uns com os outros, quanto a do leitor para com eles. O que está presente o tempo todo é a sensação de se conhecer tanto e ainda assim não saber onde se está pisando. O leitor pode criticá-los e até não gostar deles em muitos momentos, mas os entende por conhecer a fundo seus anseios e ressentimentos, por que esse é um livro sobre pessoas que tiveram muitos sonhos que não se realizaram. Pessoas que não são felizes. E são esses sentimentos e conflitos que fazem de “Tigres em dia vermelho” um livro que puxa o leitor para dentro de seu mundo e não o deixa sair até chegar à última página.

Liza Klaussmann aproveita ao máximo a riqueza dos personagens e narra o livro sobre 5 perspectivas: Nick, Daisy, Helena, Hughes (o marido de Nick) e Ed. Em uma história em que a maneira como as pessoas se vêem e como se sentem umas pelas outras é o combustível para os acontecimentos, uma narrativa como essa é um artifício rico. Como a trama abrange mais de 20 anos muitos cortes são feitos, mas autora a conduz de forma que buracos de 12 anos não parecem fazer falta e cenas narradas duas vezes, a partir do ponto de vista de dois personagens, não soam repetitivas.

Como todos querem ser felizes e muitas vezes não tem ideia de como conseguir. Como o certo para um pode ser errado para outro. O que cada pessoa esconde e como isso afeta aquelas ao redor. É em cima disso que “Tigres em dia vermelho” constrói a sua trama cujos contornos entre drama, romance e suspense se confundem o tempo todo. É uma história que está muito longe de ser feliz e talvez por isso soe tão verdadeira. É um suspense que não é pontual nem se direciona a encontrar a resposta para uma pergunta específica ("quem matou?", por exemplo), e sim uma tensão que parece atingir o leitor por todos os lados, o deixando ansioso e, em alguns momentos, até temeroso para saber o que vai acontecer.

Título: Tigres em dia vermelho (exemplar cedido pela Editora Intrínseca)
Autora: Liza Klaussmann
Nº de páginas: 320
Editora: Intrínseca

19 comentários:

Gladys Sena disse...

Estava bem curiosa com esse livro e sua resenhas tirou minhas dúvidas e resolvi lê-lo.
Diante de tantos lançamentos parecidos, esse tem uma premissa diferente que, na minha opinião, vale a pena ser lido, ;)

GFC: Gladys.

Ana Paula Barreto disse...

Simplesmente adorei sua resenha. Nunca li um livro assim, mas gosto demais quando os autores são habilidosos na criação e caracterização da personalidade dos personagens. Esta dicotomia é algo que me intriga, que deixa a trama mais real, mais tensa. Assim como os personagens têm sentimentos diferentes uns pelos outros, parece que acontece o mesmo com o leitor em relação a cada um deles.
Gostei da história e pretendo ler.
bjs
GFC: Ana Paula Barreto

Lucas Kammer Orsi disse...

Adorei a resenha. Curto livros com cenário histórico (não é a toa que faço História), ainda mais da Segunda Guerra. Achei bacana o livro ter o ponto de vista de 5 personagens. É um ponto positivo, pois assim a história não se torna cansativa e podemos ter uma noção geral da trama em diversos pontos de vista. Outro ponto legal foi a "tensão elegante" que você destacou.... hehehehe

Beijos
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

✿Nessa✿ disse...

Oie!

Também,gosto muito de livros como estes que trazem um pouco da história.

Beijos*

Eduarda Menezes disse...

Oi Mari,
Adoro livros que carregam uma tensão narrativa. Gostei da comparação com os suspense dos Hitchcock.
Me apaixonei pelo título e capa deste livro. Ainda não tinha visto em lugar nenhum, nem em páginas de divulgação da Intrínseca, primeira vez foi agora e gostei muito! Título cativante.
Beijão!

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Tentei ganhar esse livro nas cortesias do Skoob, mas não tive sorte. E pelo jeito que você o descreveu, percebo que preciso arranjá-lo de qualquer jeito!

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

GFC: Gabriela Cerutti Zimmermann

Aline T.K.M. disse...

Há tempos estava querendo ler uma resenha desse livro. Agora que li, tenho ainda mais vontade de ler o livro. Também acredito que as tensões de certa forma veladas podem ser muito mais intensas que as que se apresentam escancaradas. Chamou muito a minha atenção o fato de os personagens serem complexos, de possuírem variadas nuances; acho que isso os aproxima de seres humanos reais. O bom personagem é aquele que a gente nunca consegue decifrar por completo, na minha opinião.

Bjão e parabéns pela resenha.
Livro Lab

Naty disse...

Eu fiquei curiosa com esse livro desde que vi a capa. Gostei do enredo, é bem diferente do que eu já li. E sempre gosto de livros que geram esses conflitos de sentimentos, eles tornam a leitura bem mais interessante.

Rodrigo Lessa ® disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thaynara ribeiro disse...

Gostei muito da resenha!
Pela capa não esperava um suspense e gostei de ser surpreendida.

Gabriella Alvim disse...

Estava curiosa com esse livro pela capa. Parece uma história interessante, procurarei saber mais sobre ele ;)

Ju disse...

Que loucura!! Não tinha a menor ideia de sobre o que era esse livro, mas acho que eu gostaria muito dele! Adoro quando as personagens são ricas, quando nos fazem amá-las e odiá-las. E gosto de histórias que não são felizes... rs...

Ju
Entre Palcos e Livros
GFC: Ju

Luiza Ferreira disse...

Não conhecia este livro. Confesso que pelo título não me interessaria pela leitura, mas sua resenha passou-me a ideia de ler uma leitura interessante :)
Curto quando um livro tem mais de um ponto de vista entre os personagens, mas de 5! UAU.. Acho que eu ficaria perdida, rs!
E vejo que a autora trabalhou muito bem seus personagens. Adorei!

Beijos, Lu ♥
http://luizando.blogspot.com.br

Rodrigo Lessa ® disse...

Eu gostei muito desse livro desde que fui na Turne Intrinseca e agora quero le-lo ainda mais. A capa é bem bonita e o nome me despertou bem mais a curiosidade. Vejo que há muitos sentimentos em jogo e isso parece me agradar bastante, é diferente para mim, mas de alguma forma eu quero muito ler esse livro. Nossa, quero ver como esse livro deve confundir rs e ainda quero ver as pitadas de drama '-'

GFC: Rodrigo Lessa ®

Alessandra disse...

Já vi este livro em algum lugar, mas nunca chamou muito minha atenção.
Também eu nunca tinha parado para ler uma resenha dele, então vamos fazer de conta que é tudo novidade :P

Esse negócio de não ser perfeitamente feliz me agradou bastante, não que eu seja maluca e acredite que td mundo precisa sofrer, mas perfeição não existe em nada,nem na felicidade.

Gostei bastante do que tu escreveu sobre ele, mas ele ainda não está na minha lista de livros que eu NECESSITO comprar.
Provavelmente ele vai ganhar um lugar no meu Kobo, pq é mais barato hehehe


Seg: Lê

Pam disse...

Oie
Adorei sua resenha..
Eu gostei muito da capa tbm.. e me deixou interessada e depois da resenha, curti mais ainda a história...
Gostei d ser um livro que a história parece ser real..
Alem do seu blog, não o tinha visto em nenhum outro lugar..

bjinhooos
Pam
Meus Livros Preciosos

Nardonio disse...

Gosto de livros que sejam narrados por vários pontos de vista. E nesse temos cinco diferentes. Ao mesmo tempo, acho bem perigoso, pois corre o risco da autora não conseguir diferenciar as personagens. Pelo jeito, ela conseguiu fazer isso magistralmente.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Jessica Lisboa disse...

Nossa! O livro parece ser muito bom, adoro livros que narram fatos (cosias) de guerras que realmente sao verídicos, achei a capa linda meio vintage *-* Espero lelo logo!

Jessica Lisboa

livroseoutrasfelicidades disse...

Sabe que não consegui gostar do livro? é bem escrito, mas não me afeiçoei aos personagens e, como consequência, não me afeiçoei à história...

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger