domingo, 13 de outubro de 2013

RESENHA: Fique Comigo

“Megan (...) pensou em como o passado nunca nos abandona, nem as partes boas nem as ruins, em como o colocamos dentro de uma caixa e a guardamos em algum armário, pensando que nunca mais vamos abri-la. Então, um belo dia, quando nos sentimos sobrecarregados pelo mundo real, vamos até o armário e pegamos a caixa de volta.” (COBEN, pag. 37, 2013)

Harlan Coben e eu começamos o nosso relacionamento de maneira morna quando há alguns anos li “Alta Tensão”. Mesmo sendo bom, o livro não estava à altura do que eu esperava do “mestre das noites em claro” de forma que terminei a leitura decepcionada. Desde lá, esperei por um livro com potencial para me fazer mudar de opinião e minha escolha foi “Fique Comigo”, um título que foge da famosa série Myron Bolitar.

A noite do desaparecimento de Stewart Green mudou a vida de muita gente. Broome foi o detetive responsável pelo caso e continua atormentado por não ter encontrado as respostas necessárias; Ray Levine era um fotojornalista renomado e hoje é um paparazzi de aluguel que passa os dias bebendo; Megan Pierce era uma stripper que gostava da vida de aventuras e hoje é uma mãe de dois filhos que vive nos subúrbios com o marido. No aniversário de 17 anos do desaparecimento de Stewart, outro homem some nas mesmas circunstancias e faz com que a polícia identifique um padrão nunca antes percebido. É assim que os caminhos de Ray, Megan e Broome irão se cruzar novamente.

Nas primeiras páginas, Coben faz uma mera apresentação dos personagens principais como se abrisse três pontas, e aos poucos vai mostrando ao leitor como essas pontas se transformam em linhas que se entrelaçam.

Usando de narrativa em terceira pessoa, a história é contada por três pontos de vista – Ray, Megan e Broome -, o que se revela um excelente recurso, pois explora o que a trama tem de melhor: os conflitos existenciais dos personagens principais. Os três são pessoas insatisfeitas com suas vidas que, por uma razão ou outra, enxergam o passado como os tempos áureos. Além disso, todos são atormentados por dúvidas, pois o desaparecimento de Stewart Green deixou cicatrizes e por 17 anos permaneceu uma incógnita. É interessante que nenhum dos personagens saiba a verdade sobre uma noite que alterou o rumo de suas vidas, mas que cada um tenha uma teoria sobre ela que faça sentido.

A trama é muito interessante e Coben consegue deixar o leitor curioso do início ao fim, pois insere pequenos mistérios na história. “O que aconteceu naquela noite que fez Megan mudar sua vida?” “O que é a visão de sangue que tanto atormenta Ray?” são algumas das perguntas que vão sendo esclarecidas aos poucos. É também aos poucos que Coben nos permite conhecer a fundo esses personagens e compreende-los. Podemos não concordar com suas atitudes e reconhecer que são cheios de defeitos, mas entendemos porquê eles fazem o que fazem e isso é essencial para a credibilidade da história.

O desfecho de “Fique Comigo” traz uma revelação no melhor estilo Agatha Christie: surpreendente, mas que faz o leitor dizer: “Puxa! Como eu não vi isso? Estava na minha cara o tempo todo!”

Com personagens bem construídos, uma narrativa eficiente, e uma trama intrigante que não decepciona ao ser desvendada, “Fique Comigo” me fez ficar atenta aos próximos lançamentos de Harlan Coben ainda que não tenha me deixado ansiosa por eles. Meu relacionamento com o autor não termina aqui, mas ainda é preciso mais para me fazer passar a noite em claro.

Título: Fique Comigo (exemplar cedido pela Editora Arqueiro)
Autor: Harlan Coben
Nº de páginas: 286
Editora: Arqueiro

11 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Tenho muitas expectativas em relação ao livro. Comprei há algum tempo, mas ainda não li. Fico feliz em saber que em alguma coisa o Harlan se assemelha a Agatha.
Gosto muito dos mistérios e da sensação de não ter sido capaz de enxergar o que estava lá.
bjs
Ana Paula Barreto

Lucas Kammer Orsi disse...

Minha experiência com Harlan Coben foi mínima, mas extremamente positiva. Li Não conte a ninguém e Cilada. O primeiro não gostei tanto, mas o segundo que me agradou profundamente. Cheio de mistérios e revelações se tornou uns dos meus livros favoritos. Tenho vontade de ler outros livros do autor, como esse, mas não sei quando eu lerei.

Beijos
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Rossana Batista disse...

Não li nenhum livro de Harlan Coben ainda :(
Eu sou muito fã dessas histórias de suspenses, mistérios, pitadinhas de policial... Fiquei tão curiosa para ler. Espero que o livro também me prenda do começo ao fim.

Roberta Moraes disse...

Adoro isso de desaparecimentos e mistérios em um livro. Harlan com certeza é um mestre em tirar o sono da gente. Ainda não tive a oportunidade de ler este livro mas ele está entre minhas próximas aquisições!

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Não conhecia esse livro, mas sua resenha me chamou atenção. Parece bem interessante. Vou procurar.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Nardonio disse...

Ainda bem que, mesmo não tendo uma boa primeira experiência com Harlan, você resolveu dar uma segunda chance a esse relacionamento, e acabou gostando (embora não tenha adorado). Particularmente, adoro os livros do Harlan, e tento ler todos que posso, e esse está na minha listinha de próximas aquisições.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Michelli Santos Prado disse...

Parabéns pela resenha Mari!! Ainda não li nada do Harlan Coben, e só ouço ótimos elogios tecidos a esse autor. Quero muito conhecer seus livros e Fique Comigo parece ser um livro fantástico! Beijo!

Helana O'hara disse...

Sou suspeita de falar de Harlan Coben, minha pequena coleção dos livros dele me denuncia, sou fã!
Fica comigo é um dos livros que li e não foi tãoooo assim UAU, gosto mesmo de Jogada Mortal e Confie em Mim.

Beijinhos
www.intheskyblog.blogspot.com.br

Larinha Andrade disse...

Eu ainda não li nada do Harlan!
Tenho muita curiosidade em ler algo dele, principalmente por causa dos elogios que ouço. Não recorro muito a este gênero literário, mas gosto de narrativas bem feitas, com personagens verossímeis, do tipo "carne e osso" sabe? rsrs E a história me deixou curiosa (amo quando isso acontece). Não passou a noite em claro, mas te deixou interessada, certo? Acho que já é o suficiente para finalmente dar uma chance pro senhor Coben *-*

Bia Menezes disse...

Nunca li um livro do autor, mas minha amiga disse que queria... Os livros dele devem ser ótimos, mas não sei se são de meu gênero preferido. Só acho que talvez não seja um livro voltado para pré-adolescentes (estou correta?) então não sei se vou adicioná-lo á minha wish ou coisa assim, não sei se minha mãe iria gostar. Mas a estória parece ser realmente intrigante, e acho mistérios muito legais... Quem sabe um dia eu leia um livro do tal "Mestre das noites mal dormidas"? Parecem ser muito bons >.<
Beijoca

Foreverbia.blogspot.com

Adriana disse...

Adoro tramas contadas por diversos pontos de vista, assim ficamos sabendo a impressão de vários personagens, não de apenas um. Desde o primeiro livro que li do Harlan eu me apaixonei pelo jeito que ele escreve e de como ele consegue nos deixar totalmente envolvidos na historia, tentando descobrir os enigmas, os mistérios e nunca é como pensamos ser, é muito bom! Esse é mais um livro dele que quero muito ler! Espero um dia poder conseguir comprar todos os publicados aqui no Brasil, porque ele conta histórias como ninguem! :)

Adriana

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger