sábado, 8 de novembro de 2014

RESENHA: Legend

“— Porque cada dia significa novas vinte e quatro horas. Cada dia quer dizer que tudo é possível de novo. Você pode aproveitar cada instante, pode morrer num instante, e tudo se resume a um dia após o outro.” (LU, 2014, p. 253)

***

Minha vontade de ler Legend remonta a data de seu primeiro lançamento, ainda no ano de 2012, quando vi inúmeras resenhas positivas. Somente consegui conferir o aclamado trabalho de Marie Lu neste ano, quando a editora Rocco relançou a série. 

Day é o criminoso mais procurado da República, mas apesar de seus constantes ataques, ninguém consegue capturar o engenhoso adolescente. June, por sua vez, é um prodígio militar que se vê tomada pelo desejo de vingança quando descobre que Day é acusado de ter assassinado seu irmão. Entretanto, a República guarda inúmeros segredos, e quando revelados, colocarão em cheque todas as crenças de June. 

Marie Lu adotou uma estratégia ousada: capítulos alternando entre os pontos de vista de Day e June. Apesar das semelhanças entre os personagens, e mesmo havendo certa semelhança da narrativa, a autora conseguiu imprimir uma voz distinta para cada um dos protagonistas. Porém, a narrativa é mediana: está longe de ser ruim, mas também não se destaca. Apenas me chamou a atenção que, em alguns momentos, os diálogos não condiziam com as idades dos personagens. 

Os protagonistas são igualmente medianos. Até que possuem o seu carisma, mas não conseguem despertar aquela conexão com o leitor, o que atribuo ao fato de serem inverossímeis. Tanto Day quanto June possuem habilidades físicas e intelectuais muito superiores a de qualquer adolescente de quinze anos, aliás, tão superiores que conseguem ludibriar até mesmo militares altamente treinados.  

Mas meu problema com Legend foi sua previsibilidade. Assim que iniciei a leitura e percebi os elementos essenciais da trama, imediatamente imaginei qual seria o rumo seguido por Lu. E não deu outra: todas as minhas previsões foram certeiras, e falo isso ressaltando que li poucos livros desse gênero, não podendo ser considerado, nem de perto, um especialista. 

Outro fator que me incomodou foi o uso abusivo de clichês. Não tenho nenhum problema com o uso deles, desde que o autor saiba como usá-los, porém, utilizá-los indiscriminadamente e da mesma forma que inúmeros escritores já o fizeram, apenas serve para desvalorizar a obra, deixando a  amarga impressão de mais do mesmo. 

Tampouco aprovei a abordagem da autora em revelar seu novo mundo. É fato sabido que o primeiro livro de uma série tem um caráter mais introdutório, mas ao findar da leitura parecia que eu não sabia quase nada sobre aquele cenário. Quer explicar as conspirações e esquemas da República apenas nos próximos volumes? Sem problema nenhum, afinal, é o que o próprio leitor espera de uma saga. Mas a história daquele lugar já precisava ficar clara, e não ficou. Então temos referências a costumes ou práticas daquela nação que não são explicadas e deixam ao confuso leitor a missão de desvendar o seu significado. 

Em circunstâncias normais, até daria uma chance para a série, pois embora Legend não tenha alcançado minhas expectativas, mostrou que tem potencial. Infelizmente, estou acompanhando mais de dez sagas no momento, e simplesmente não posso me dar ao luxo de continuar a leitura na esperança de que os próximos volumes melhorem. 

Título: Legend (exemplar cedido pela editora)
Autora: Marie Lu
Tradutora: Ebréia de Castro Alves
N.º de páginas: 253
Editora: Rocco Jovens Leitores

16 comentários:

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Tinha bastante dúvida sobre ler essa trilogia, Alê. Também vi inúmeros elogios, mas alguns não me convenciam. E o fato dos protagonistas serem inverossímeis me faz dar pra trás mesmo. Também tenho muitas sagas para acompanhar. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Thales Soares disse...

Cara, so muito doido pra começar a ler essa trilogia. Parece ser muuuito bom.

http://criativare-leitura.blogspot.com.br/

­­Silviane disse...

Oi, Alê.
Fiquei super animada quando vi que a resenha seria de Legend, pois estou com vontade de ler há algum tempo; Mas logo fiquei triste em saber que não te agradou tanto à ponto de ler os outros volumes. Independente disso minha vontade não passou, pois eu gosto bastante do gênero e mesmo quando eles se tornam previsíveis (depois de tantos livros do mesmo gênero todos acabam sendo previsíveis).

Eu não li muitos livros onde a narração é alternada entre dois (ou mais) personagens e quando pego algum assim me agrada muito. Eu acho importante para a história ver diversos pontos de vista, pois nos da uma uma ideia ampla do que realmente esta acontecendo.

Realmente incomoda muito ver personagens adolescentes/pré adolescentes (as vezes) que tem uma super inteligencia/habilidade que até Deus duvida. Isso me incomoda muito mesmo durante a leitura. Eu sempre acabo imaginando os personagens mais velhos do que, de fato, eles são.

Bjs

Cantar Em Verso

Ø Väzïø ñä Flø® disse...

Livros com narrativas assim, uma hora um, outra hora, outra..acabam me confundindo demais. Nunca consigo ler direito, exceto os livros da Lucinda..rs estes sempre consigo me sair bem.
Mas Legend nunca tinha me chamado atenção demais. Não que eu não curta o tema, mas sabe quando um livro não te ganha pela sinopse e por algumas resenhas?
Foi assim comigo.
Não digo que não lerei, mas...
Beijo

Milena Soares disse...

Ainda não li nenhuma resenha que me deixasse animada pra começa a ler essa série, já estou com uma lista enorme de trilogias e séries na fila de leitura, então só começo a ler outra quando me conquistar de cara e muito.

Liza Mikaelly disse...

Já li resenhas positivas e outras negativas. Sinceramente ainda não sei o que esperar desta serie. Quero lê-la para saber se é boa ou não. Amo distopias e acho essa um pouco previsível. As capas são bonitas. Beijos <3

Livy disse...

Oi Alê =)

Eu li o livro logo que lançou pela Prumo. Na época eu simplesmente amei o livro.
Hoje já não sei, assim como você, se iria gostar tanto. Acho que tudo depende do momento. Eu gostei muito do primeiro livro, achei tão empolgante que vou continuar lendo (agora completarei a série com as publicações da Rocco). Mas, vendo sua resenha concordo com alguns pontos que citou. Hoje me questiono se li e gostei por causa da empolgação, e se deixei de analisar realmente o que tinha na minha frente, ou se realmente é tudo isto que eu lembro.... vou ter que ler novamente para tirar a prova kkk.

É bom ver opiniões divergentes... construtivo ver outros pontos de vista.
Adorei a resenha =)

Beijos,
Livy
No Mundo dos Livros

Loly Fonseca disse...

Já não sou grande fã de distopias, pois costumo achá-las muito fantasiosas e em alguns casos utópicas... Assim como você li muitas resenhas positivas, e isso estava começando a me incentivas para ler, mas agora já não sei... Também acompanho inúmeras séries, e não posso começar uma sendo que a chance de não gostar é bem grande... Concordo com você quando disse que o primeiro livro é introdutório e que deveria apresentar o mundo, uma pena que a autora não tenha feito isso... O fato dos adolescentes terem algumas características que ludibriam inclusive soldados treinados entra justamente no meu pensamento de ideia muito fantasiosa... Não é um livro que eu leria, e continuo sem saber se irei... Pode ser que mais pra frente, mas por enquanto não vou colocar mais uma série na lista...
Kisses =*

RUDYNALVA disse...

Alê!
Distopia vem acompanhado de um governo por traz de tudo que comanda a 'comunidade', no caso aqui uma República e seus objetivos são escusos e aparecem após muita controvérsia durante o desenrolar das premissas.
Compreendo que um livro na sua análise mediano não deva manter a leitura da série, quanto a mim, estou querendo começá-la...
cheirinhos
Rudy

Girlene Viey disse...

Ja li tanta resenha positiva que ja ate estou me acostumado
sinceramente não tem como não gosto deste serie
confesso que estou muuuito empolgada pra conhece
ela mais a fundo !

Vitória Pantielly disse...

Oii Alê!
Quando vi a trilogia pela primeira vez nem dei bola, mas as resenhas que li
foram bem positivas e eu acabei me empolgado pela leitura!
Olha, eu sou o tipo de pessoas que gosta bastante de clichês, então, provavelmente esse fator no livro não vai me incomodar, pelo contrário!! E eu confesso que por enquanto eu ando adorando o Day, rsrs !
Bjs :*

Nardonio disse...

Eu também estou de olho nessa trilogia desde o lançamento dela, pois, além de ser fã de distopias, vi que romance passa bem longe dele. Confesso que achei uma pena que tenha rolado esses probleminhas. Também não me incomodo com clichês, mas fazer algo copiar/colar é fogo. Agora é torcer pela evolução nos próximos volumes.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Ingrid Moitinho disse...

Não tenho muita vontade de ler essa trilogia, vi muita resenha e comentários positivos e alguns negativos, mas não tenho animo pra começar ela agora.

Lais Cavalcante disse...

E mais uma vez, parece que você jogou um balde de água fria em mim rs Eu comecei a ficar interessada por essa trilogia quando a Rocco lançou todos os livros nesse ano e vi rumores de que era uma das melhores trilogias já feitas. Com isso, minha expectativa foi lá pra cima! Aí chego aqui e leio previsibilidade, clichês, personagens medianos... me senti enganada esse tempo todo hahah Mas vou dar uma chance, mesmo assim, para ver se minhas impressões são as mesmas que as suas.

Adriana disse...

Distopia é o genero que menos leio, não sou muito fã, nunca me interessei por essa saga, e agora lendo sua resenha, agradeço por não ter me interessado. Historias muito fantasiosas, com personagens que não convencem e uma narrativa previsível, é tudo que me faz fugir de uma leitura! Bjão! :)

Desbravadores de Livros disse...

Oi, Alê. Complicado quando uma série não nos agrada. Pelo menos foi logo no primeiro volume, assim você não se dá o trabalho de ler dois ou três e se decepcionar no seguinte, o que seria mais frustrante e trágico de descobrir.
Não tenho vontade de ler a obra, a única coisa que me chamou a atenção foi a capa e somente isso. Nem o nome me atraiu.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger