terça-feira, 22 de agosto de 2017

RESENHA: Eu Sou o Peregrino

“Ninguém gosta de pensar que encontrou um inimigo à altura, especialmente não um agente de inteligência selecionado e treinado para ser o melhor no campo de batalha, mas esse era meu medo mais arraigado quando cheguei no aeroporto. E devo dizer que, à medida que eu e o Sarraceno nos tornamos mais próximos um do outro nas semanas seguintes, não tive motivos para afastar tal sentimento." (HAYES, 2016, p. 320)

***

Quando Eu Sou o Peregrino fui lançado, tinha achado a premissa bastante interessante, mas estava sem ânimo para ler suas quase setecentas páginas. Este ano, porém, resolvi dar uma chance e li a amostra do livro no site da editora e quando terminei fiquei com um gostinho de quero mais. 

O Peregrino é o codinome de um espião americano já aposentado e que aproveitou seu conhecimento de campo para escrever um livro sobre o uso da ciência forense em casos de homicídio. Quando ele é convidado por Ben, um detetive de Nova York, para auxiliar na investigação de um assassinato, a dupla percebe que o assassino utilizou os casos comentados pelo Peregrino em seu livro, de forma a cometer um crime sem deixar vestígios. Mas antes que consigam fazer progressos, o Peregrino é convocado para o mundo da espionagem mais uma vez, a fim de impedir um terrorista que planeja um ataque biológico mortal. 

Confesso que em virtude da leitura da amostra do livro, havia ficado com a impressão de que Eu Sou o Peregrino contaria com uma pegada de investigação policial. Porém, este é apenas o início da obra de Terry Hayes e logo vemos a trama ganhar proporções homéricas e aos poucos as diversas estórias começam a se entrelaçar. 

Assim, o que começa com uma investigação policial, envolvendo dois homens, acaba se tornando em uma empolgante caçada por um terrorista inteligente e habilidoso. Hayes vai desenvolvendo aos poucos a estória da vida pregressa do Peregrino, incluindo a amizade que desenvolveu com Ben, bem com a jornada de Sarraceno, o terrorista que dedicou sua vida a causar o maior número de baixas. 

Apesar desta abrangência da trama, em nenhum momento a leitura se torna monótona. Isso por que a profundidade da construção dos personagens nos dá a exata dimensão de quem são aquelas pessoas, de modo que entendemos exatamente por que agem ou pensam de determinada forma. Além disso, Hayes soube contar a estória de uma forma que os saltos temporais e a alteração do foco narrativo não dispersasse o interesse do leitor. 

A narrativa é outro aspecto que merece destaque. O texto de Hayes é dinâmico e ágil, sendo que o leitor emerge na estória rapidamente. Quando as peças do quebra-cabeça começam a se encaixar, o ritmo do livro atinge níveis alucinantes, sendo difícil parar a leitura antes da última. Por isso, creio que Eu Sou o Peregrino é um verdadeiro thriller, capaz de deixar o leitor completamente sem fôlego, especialmente na reta final. 

Mesmo que o livro tenha assumido um rumo diferente do que eu aguardava, Eu Sou o Peregrino foi uma grata surpresa e um dos melhores thrillers que li nos últimos tempos. Cabe salientar que este foi o livro de estreia de Terry Hayes e não restaram dúvidas de seu talento para compor personagens intrincados e criar uma trama complexa. Assim, mal posso esperar por seus próximos livros. 

Título: Eu Sou o Peregrino
Autor: Terry Hayes
N.º de páginas: 685
Editora: Intrínseca
Exemplar cedido pela editora

Comprar: Amazon - Saraiva - Submarino
Gostou da resenha? Então compre o livro pelos links acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

19 comentários:

Click Literário disse...

Oi! Que legal a história ter se mantido interessante, apesar das quase 700 páginas. Vou adicionar na lista. Bjos ❤
Click Literário

Giulianna Santicioli disse...

Acharia mais legal se o livro seguisse pela trama policial, não sei como o autor conseguiu manter o livro interessante por 700 páginas, pois para mim não parece ser muito legal ficar lendo sobre a vida de alguém e sua caça a um terrorista em tantas páginas, não sei se leria o livro, mas se algum dia tiver a oportunidade, quem sabe.
Beijos!

RUDYNALVA disse...

Alê!
Adoro livros policiais quando são bem escritos e pelo jeito, esse se encaixa nessa categoria.
Fiquei tão intrigada em poder descobrir quem é o Peregrino e acompanhar toda sua saga ao redor do mundo para desvendar toda conspiração.
Sensacional!
"...Aceite com sabedoria o fato de que o caminho está cheio de contradições. Há momentos de alegria e desespero, confiança e falta de fé, mas vale a pena seguir adiante..."(Paulo Coelho)
Cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

Nicole Longhi disse...

Um dos meus gêneros favoritos!
Não conhecia livro e nem autor, mas achei premissa bem interessante.
Sempre me empolgo quando as histórias começam se entrelaçar, e creio que por mais que tenha quase 700 páginas e não conseguir dispersar o leitor é um boa leitura!

beijinhos

Gabriela CZ disse...

Aconteceu algo parecido comigo em relação a esse livro, Alê. Quando foi lançado me interessei pela premissa, mas não me animei com o tamanho. Só que depois simplesmente me esqueci de sua existência, e ainda bem que você me lembrar. Parece incrível e envolvente, ando precisando de algo assim. Vou ler. Ótima resenha.

Beijos!

Amanda Barreiro disse...

Caramba, como nunca ouvi falar desse livro? rs Fiquei bem empolgada com as suas impressões sobre ele, adoro thrillers e é ótimo saber que vai além da investigação policial. Anotei aqui! Obrigada pela dica! Beijos.

Sora Seishin disse...

Oi Alê!
Ainda não conhecia esse livro, mas me interessei!
Quando o autor é bom não importa se o livro tem 100 ou 700 páginas, né? Pelo jeito ele conseguiu te prender bem.

Beijos,
Sora | Meu Jardim de Livros

Sil disse...

Olá, Alê.
Aconteceu comigo isso também de querer ler, mas o tamanho desanimou hehe. Mas agora lendo sua resenha e vendo que a escrita da autora é bem ágil, acho que o número de paginas não vai ser um problema. Vou deixar anotado aqui para não esquecer.

Prefácio

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê, confesso que só pelo título não me animaria ler, nem pela quantidade de página srsrrsrss mas depois da resenha até bateu curiosidade. sempre bom quando um livro nos surpreende positivamente!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Caverna Literária disse...

Quando a gente se depara com um livro com uma quantidade tão grande de páginas dá preguiça mesmo de ler, mas fico feliz de saber que no final a surpresa com a obra foi boa e ela acabou se tornando uma leitura super proveitosa. Não sei se leria por não ser muito o meu estilo, mas pelos elogios irei pensar no caso!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Eu não conhecia o livro, porém lendo a resenha fiquei curiosa. Adoro livros de investigação, thrillers, e gosto de livros que nos surpreende e tomam rumos diferentes.

Rissia Ribeiro disse...

Oi ^^ Mesmo que o livro não tenha ido pelo caminho que você esperava que bom que a leitura mesmo assim se mostrou proveitosa, eu acho um absurdo quando você ler um livro e o final você tem a sensação de que perdeu tempo. Eu já tinha visto esse livro por aí mas nunca tinha me batido a curiosidade de saber mais sobre o livro e agora veio a sua resenha que talvez a leitura seja realmente boa, se eu tiver a oportunidade vou procurar lê-lo.

Bruna Bento disse...

nossa, essa capa é brochante demais hahaha nunca em 10 anos eu ia parar numa livraria e escolher esse livro!
achei o que voce contou do livro e a premissa interessante, mas 700 paginas? acho que vou passar! haha muito livro pra ler e pouco tempo, entao temos que escolher sabiamente a que vamos nos dedicar!

Márcia Saltão disse...

Oi, tudo bem?
Esse é um dos meus gêneros preferidos e quando com enredos bem construídos e que prendem nossa atenção, com certeza fazem parte da minha lista. Já faz um tempo que estou querendo ler esse livro e agora, depois da sua excelente resenha, mais ansiosa fiquei.
Ótima indicação.
Beijos.

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!
Gostei bastante da resenha desse livro e essa é a primeira vez que leio algo sobre essa estória. Como gosto muito de livros que tenham essa pegada mais policial já fiquei em alerta para adicionar esse estória na minha lista de desejados. Achei bem instigante tudo que acontece nessa obra e sem dúvida vou amar descobrir tudo sobre ela.
Bjoss

André dos Santos disse...

Eu também achava que seria uma investigação policial pela sinopse, ainda não fiz a leitura, mas agora sabendo que o ritmo é cada vez mais rápido e os personagens bem construídos fiquei muito curioso para fazer essa leitura, tem uma pegada atual falando sobre terrorismo e vivemos essa realidade diariamente, fico muito satisfeito de saber que vale cada uma das 685 páginas sem ficar enrolando ou perdendo o foco da narrativa, adicionado a lista de compras quando eu encontrar em promoção!

Patricia FQ disse...

Li a amostra e tb imaginei que era só investigação policial, mas já era uma ótima investigação policial. Sua empolgação me deixou mais curiosa, preciso ler este livro.

Ana I. J. Mercury disse...

Não é bem meu estilo, parece bem escrito e instigante.
Mas acho que não lerei não.
Porém, não posso deixar de dizer que essa coisa toda do terrorista me deixou curiosa!
bjs

Isabela Carvalho disse...

Oi Alê ;)
Simplesmente adorei sua indicação, não conhecia o livro ainda mas ele já foi para a minha lista de leitura com certeza!
Só fiquei meio intimidade por esse tanto de páginas haha
Gosto de livros policiais, mas que bom saber que ele é bem mais que isso também. Fiquei curiosa para saber mais sobre esse espião aposentado e sobre esse terrorista que eles estão perseguindo.
Obrigada pela indicação ;)
Abç

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger