quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

RESENHA: As Luzes de Setembro

“Às vezes acho que todos se foram para algum lugar distante de Baía Azul e que só eu fiquei, preso no tempo, esperando em vão que a maré púrpura de setembro me devolva algo mais do que recordações. (...) O mar tem dessas coisas, devolve tudo depois de um tempo, especialmente as lembranças.” (ZAFÓN, 2013, p.10)

Demorei a começar a ler a Trilogia da Névoa, pois estava determinada a ler os três livros um próximo do outro para não esquecer nenhum detalhe. Esperei que todos fossem lançados, esperei que comprasse todos e então, ao concluir a leitura de “O Palácio da Meia-Noite”, percebi que “As Luzes de Setembro”, livro que encerra a trilogia, era o único de Carlos Ruiz Zafón que eu ainda não havia lido. Não estando preparada para me deparar com a perspectiva de não ter nenhum Zafón inédito, protelei a leitura. Tendo finalizado, fica a certeza de que, não importa o público para que escreva, Carlos Ruiz Zafón é um autor especial.

Depois da morte do marido, Simone Sauvelle e seus filhos, Irene e Dorian, enfrentam sérias dificuldades financeiras. Mas tudo muda quando uma perspectiva de trabalho surge e a família se muda de Paris para o litoral da Normandia. Chegando lá, Simone é contratada como governanta por Lazarus Jann, um solitário fabricante de brinquedos, cuja esposa padece de uma doença terrível há anos. As criações de Lazarus são estranhas, mas o homem é simpático e logo desenvolve uma amizade com a família, especialmente com Simone. Irene, por sua vez, se aproxima de Ismael, um jovem pescador, e os dois se apaixonam. Mas os bons tempos tem seus dias contados já que uma criatura maligna sonda a casa e seus habitantes.

Li “As Luzes de Setembro” tão rápido que agora que sento para escrever essa resenha sinto que não passei tempo suficiente naquele mundo, na companhia daqueles personagens. Isso tudo porque Zafón, mesmo com poucas palavras, consegue transportar o leitor para uma atmosfera completamente diferente. Recuamos no tempo – a história se passa em 1937 – somos levados para uma ilha, uma floresta, uma casa misteriosa, nos deparamos com bonecos medonhos e criaturas sobrenaturais e acreditamos em tudo.

O que mais me causa admiração é ver como o autor consegue empregar cada uma das características marcantes de seu estilo mesmo ao escrever para um público juvenil. Mesmo que as histórias adultas sejam mais emocionantes e carregadas de maior profundidade, enquanto as juvenis tenham uma abordagem mais aventureira, os elementos em que giram em torno são os mesmos: amizade, amor, mistério com uma pitada de sobrenatural e todos envoltos por sua narrativa belíssima. A diferença está no tratamento que o autor dá para esses elementos.

Por se tratar de um livro juvenil, as histórias dos personagens servem à aventura. Em primeiro lugar temos o mistério que cerca Lazarus e a misteriosa sombra libertada do frasco. Em segundo plano temos o romance entre Irene e Ismael, depois a história de Simone e, por último, a história do esperto, porém ainda muito jovem, Dorian. Mesmo não garantindo o mesmo nível de desenvolvimento que outros personagens do autor, eles servem ao propósito de um livro juvenil que quer, acima de tudo, entreter, mas sem por isso deixarem de ser cativantes.

Ao ler “As Luzes de Setembro” me senti da mesma maneira que ao ler “O Príncipe da Névoa”, primeiro livro da trilogia, e minha conclusão é que mesmo sendo voltados para um público mais jovem, é difícil imaginar um adulto que não adoraria ler essas aventuras, da mesma forma que é difícil não desejar ter tido a chance de fazê-lo aos 12-13 anos. Minha leitura aconteceu de um dia para o outro. Fiquei horas fechada no meu quarto, sem ter a menor vontade de interromper a aventura, querendo apenas acompanhar aqueles personagens e desvendar os mistérios junto deles.

Mesmo compondo uma trilogia, “O Príncipe da Névoa”, “O Palácio da Meia-Noite” e “As Luzes de Setembro” podem ser lidos foram de ordem, já que uma história é independente da outra, passando até em locais diferentes e sem seguir uma ordem cronológica – a primeira se passa em 1943, a segunda em 1932 e a terceira em 1937.

“As Luzes de Setembro” é uma aventura deliciosa e misteriosa para ser lida sem largar. Vale a pena e, para quem já leu todos os outros livros do autor, deixa a saudade do efeito que suas palavras provocam.

Título: As Luzes de Setembro
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Nº de páginas: 231
Editora: Suma de Letras

39 comentários:

Ana Clara disse...

Oi Mari!

Carlos Ruiz Zafón é realmente um escritor mágico. Nunca me senti tão... Diferente (não consegui encontrar palavra melhor) enquanto lia "Marina". Ainda não tive a oportunidade de ler a Trilogia da Névoa, mas vontade não falta. São os livros preferidos da vida do meu irmão.

Acho ótimo isso de eu poder lê-los fora de ordem...

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Nil Macedo disse...

Ainda não li esse livro do Záfon. Mas li Príncipe da Névoa, o primeiro da trilogia e é exatamente o que você disse. Mesmo sendo voltado para o público infanto-juvenil, não tem como um adulto não gostar dessa história. A narrativa é tão coesa e cativante que prende a gente mesmo sem perceber que passamos o dia lendo.
Adoro Záfon.

bjs.

www.booksandmuchmore.com

Andressa Menezes disse...

Oiee

A muito tempo atrás ja li alguns livros do autor e lembro de ter gostado muito agora faz bastante tempo que não leio mais nada dele e pretendo retomar a leitura em breve com toda certeza!

Beijos

www.livrosechocolatequente.com.br

Paula de Franco disse...

Oi, Mari.

Ainda não li nenhuma obra do Zafón e fiquei interessada em conhecer o seu trabalho. Não me importo de ler aventuras destinadas a um público mais jovem, se o escritor conseguir me prender em sua narrativa eu leio de tudo. Depois irei olhar mais a respeito e quem sabe em breve começar a leitura.

Beijos.
Visite: Paradise Books BR // Instagram

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Só imagino como deve ser ler o último livro de um autor querido sem a previsão de um novo, Mari. Mas é bom saber que gostou tanto e fico ainda mais ansiosa para começar a ler as obras de Zafón. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Gleydson disse...

Oi Mari, parabéns pela resenha!
Ainda não li esse livro, mas todos falam muito bem do autor e eu pretendo ler algo dele um dia. Talvez eu leia As Luzes de Setembro, já que você gostou e falou muito bem sobre.

Beijos!
www.acampamentodaleitura.com

Teca Machado disse...

Oi, Mari!
Eu adoro As Luzes de Setembro. Confesso até que quando li deu um certo medinho de madrugada... Hahaha. #boba
Foi o primeiro livro do autor que eu li e me apaixonei. É muito incrível!
Quero ler os outros da trilogia e mergulhar mais ainda nesse universo do autor.

Beijooos

www.casosacasoselivros.com

Guilherme Dias disse...

Olá!!
Acredita que eu nunca li nenhum livro do Zafón?! Eu tenho um aqui na estante e pretendo lê-lo logo. Pelo que pude perceber na sua resenha ele é um autor magistral =)
Abraços ^^
Enjoy The Little Things

Larissa Santos disse...

Não tinha ouvi falar desse autor ainda, mas fiquei muito curiosa com a série depois da sua resenha. Ótima resenha!

http://blogquerida.blogspot.com.br/

Camila Monteiro disse...

Eu nunca consegui me apaixonar por esse escritor. Sua resenha ficou magnífica e acho que só por isso darei mais uma chance a ele, mas confesso que estou indo com baixas expectativas. De qualquer forma, parabéns pela resenha.

Helana Ohara disse...

As histórias góticas e fascinantes de Zafón, meu segundo autor favorito.
As Luzes de Setembro é lindo. Toda vez que leio e resenho um livro dele sempre é difícil descrever.

Beijinhos, Helana ♥
In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

Tony Lucas disse...

Oi, Mari! A cada dia que passa fico ainda mais interessado em ler algo do Zafón! Todo mundo fala super bem de seus livros e sua resenha também me deixou empolgado para ler algo do autor! :D

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

David Andrade disse...

Oi Mari!
Nunca li nenhum livro do Zaffon. Apesar de algumas indicações, não sei se leria, pq não faz meu tipo. Acho lindo algumas citações e a reflexão que o enredo aparenta ter, mas não tenho vontade de ler.

Abraços
David Andrade
http://www.olimpicoliterario.com/

Criticando por aí - Caroline disse...

Que resenha gostosa! Essa trilogia parece ser bem bacana, apesar de não ser meu estilo favorito. Depois da sua resenha fiquei com vontade de dar uma chance a eles e tirar a dúvida.

Beijos,
Caroline, do http://www.criticandoporai.com.br/

Rafaela. disse...

Oi, Mari! Oi, Alexandre!

Tenho muita vontade de ler algum livro do Zafón, mas nunca sei qual escolher. Sua resenha me animou bastante em conhecer essa trilogia, pois parece ser uma ótima e agradável leitura. Há livros que são para todas as idades e acho que esse é um deles. Espero gostar tanto quanto você, :)

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Ana Lima disse...

Oiii,
Eu ainda não li nenhum livro do Zafón, mas morro de vontade. Só não sei por onde começar. Essa trilogia chamou a minha atenção, parece ser uma leitura muito boa e agradável. A capa é maravilhosa e logo me encantou e chamou a minha atenção. Obrigada pela dica, espero gostar do livro!
Beijos!

http://our-constellations.blogspot.com.br/

Aymée Meira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aymée Meira disse...

Realmente, Mari.
Ele tem o dom de escrever pra vários tipos de público. Esse em específico, eu não li, porém já havia cogitado em comprá-lo várias vezes, pela sua resenha, fiz caca. Deveria ter lido antes... bom, vou anotar para comprá-lo numa próxima. Muito bom.


beijos,

Amy - Macchiato

Nilda de Souza disse...

Oi, Mari! Tudo bem?!
Ainda não li Zafón. Tenho vontade de ler a A Sombra do vento, pois falam super bem. Agora, com sua resenha, fiquei com mais vontade ainda.
As luzes de setembro parece ser um livro intrigante, ao trabalhar com mistérios, sobrenatural e romance.

Beijos!

Isabelle Vitorino disse...

"A Sombra do Vento" está na minha lista de leitura para esse ano. Mas além dele, pretendo ler todos os livros do Zafón por causa da opinião quase unânime que os leitores tem a respeito da escritas e das histórias dele. Tenho vontade de ler alguma obra dele em espanhol, principalmente se o cenário for Barcelona. Acredito que me sentiria nessa cidade que tanto amo mais uma vez.
Beijos,
Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

Mariana Ogawa disse...

há tempos eu quero ler esses livros, já li vários elogios de todas as obras do Zafón.

fiquei feliz em saber que pode-se ler cada livro de forma independente, pois essa era uma das razões que eu não tinha começado ainda, achava que tinha que ser lido na ordem. então, estava esperando um tempo que pudesse ler todos de uma vez.
e era tb um dos motivos que eu estava com medo de ler resenhas, é muito fácil ler resenha de livros de coleção e fazerem spoilers dos outros livros.

e achei interessante o fato do livro ser destinado ao público juvenil, mas que agrada a todos.
definitivamente esse vai p minha lista ( que depois dessa passada pelo blogs de vcs cresceu e muito)

bjs

thayna ta disse...

Quase cheguei a comprar. Nem sabia que era uma trilogia, ia comprar o livro pela metade... Parece que a protagonista sofre um tanto com a morte do marido e também as crianças sem o pai. Essa criatura me deixou bem intrigada. Eu gosto de livros em que a gente tem a leitura rápida. Depois da terminar, dá uma sensação estranha. Mas vi que tem outros romances e personagens, gostei bastante. Ouvi muito sobre a outra obra do autor. Quero conhecer a escrita dele.
Abraços Mari,
ThayQ.
http://leituras-insanas.blogspot.com.br

Rafa Hübner disse...

Ok, eu não li nada além do primeiro parágrafo, porque não li Zafon ainda e pretendo! Em breve.
Mas só pela paixão do primeiro parágrafo, ah, suspirei! Preciso ler :D

Beijos!
Arrastando as Alpargatas

Inês Gabriela A. disse...

Olá,
Eu morro de curiosidade para ler algo desse autor, mas ainda não tive oportunidade, o que é uma pena. Mas um dia eu ainda leio algo dele, as resenhas são sempre tão positivas.
Beijos.
Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

Fernanda Ohashi disse...

Oi Mari! Todo mundo sempre fala bem da escrita desse autor mas eu nunca comprei um livro dele, tenho interesse em ler Marina, eu hei de comprar hehe adorei a sua resenha! e se for uma trilogia eu também vou querer ler tudo ^^ beijos!
http://www.trocandodisco.com.br/

Cabine de Leitura disse...

As vezes também fico pensando o porque de ler um livro tão rápido,
depois que acaba a estória fica remoendo em minha cabeça.
Adorei a resenha e espero ler o quanto antes.

Abraços linda.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/01/unboxing-fake.html#more

Alessandra Salvia disse...

Oi Mari!
Amei sua resenha, achei muito interessante o livro que é a primeira resenha que vejo!
Anotei o nome aqui na minha lista ;)
Beijos
http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

Jessica Garcia disse...

Oi Mari, tudo bom?
Já li dois livros do Zafón, e concordo que é um melhor que o outro. Já li também, Palácio da Meia-noite, e não vejo a hora de chegar em Luzes de Setembro. As caracteristicas da narrativa do Zafón são realmente marcantes, amo! Beijo,
http://entreeleitores.blogspot.com.br/

Vanessa Meiser disse...

O único do autor que li foi A Sombra do Vento e simplesmente ADOREI!!! Depois disto compre O Jogo do Anjo e Marina, mas esta trilogia da Névoa também consta na lista de futuras/próximas compras e leituras, quero ler tudo do autor!!!

Beijo, Vanessa Meiser
http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

Anna Gabby disse...

Oie, Mari!
Nunca li nada do Zafón (vou tentar mudar isso logo), mas ao ler sua resenha fiquei com a seguinte dúvida: qual a ligação dos três livros? Já que são uma trilogia, imagino uma ligação. Mas pelo que entendi são tempo e espaço distintos para cada história.
Letras & Versos

Hangover at 16 (contato) disse...

Awwww, preciso desse livro pra já! Só a capa já é super instigante, e a sua resenha ainda, destacadando o toque de terror que a história carrega, me deixou ansiosa pra finalmente ler. Li só Marina desse autor, e entendo o que você quis dizer com ele ser especial; sua escrita é incrivelmente maravilhosa e envolvente mesmo

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova no blog de "O presente do meu grande amor", vem ver!

Kétrin Galvagni disse...

Oi Mari, nunca li nada do autor, mas tenho muita vontade de conhecer seus livros e sua escrita. Já ouvi falar muito dessa trilogia, e que bom saber que os livros não precisam ser lidos em ordem! Quem sabe eu compre eles e desfrute um pouco da escrita do Zafón!

Beijos

http://www.oteoremadaleitura.com

Milena Maciel disse...

Oie,
Comprei o primeiro livro da trilogia e acredita que até hoje não tive a chance de ler? Do autor só li Marina, que por sinal amei. Sua resenha está ótima.
Beijos
Devaneios Insignificantes

Hoje é dia de Livro disse...

Me interessei pelo livro, li somente o início de sua resenha e já me identifiquei com a história.
Até mais, beijos!

hojeediadelivro.blogspot.com.br

Desbravadores de Livros disse...

Que delícia essa resenha, Mari.
Não li nenhuma obra de Zafón, mas fiquei presa imaginando como seria cada detalhe. Embora seja uma trilogia que pode ser lida fora da ordem, fora da época, vou querer seguir o ritmo certinho e ler o primeiro. Quero conhecer a escrita inesquecível do autor

Estante Diagonal disse...

Oi Mari quero ler algo de Zafon, e sempre vejo este livros em promoção no Sub, por sua resenha me interessei ainda mais.

Beijos Joi Cardoso
Estante Diagonal

Nardonio disse...

Engana-se quem acha que livros voltados para um público mais jovem tem que ser mais "bobinho". São poucos os autores que, com poucas palavras, conseguem nos inserir em qualquer ambiente em que se propõe a desenvolver sua trama. E, pelo que vi, isso é um ponto forte no Zafón. Enfim, essa trilogia está na minha listinha de próximas aquisições.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Vitória Pantielly disse...

Oi Mari :)

Sempre me deparo com os livros de Zafón a preços incríveis nas lojas online, mas apesar disso nunca tentei conhecer um pouco mais sobre ele, e por consequência não comprei nenhum livro até agora. Mas isso mudou quando uma amiga passou a falar com grande estusiasmo sobre a escrita dele. Fiquei tentada a conhecer essa trilogia, e mesmo sendo voltada para um público juvenil creio que irei gostar bastante. Vou dar uma pesquisada e ver se compro a trilogia toda, porque também não gosto quando leio livros de séries/trilogia com grande espaço de tempo.
Bjs

Amanda Pampaloni Pizzi disse...

Já tenho todos os livros dele, só me falta é tempo para ler! Mas depois dessa sua resenha, aumenta ainda mais minha vontade de embarcar no universo por ele criado.
Beijos.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger