sábado, 31 de janeiro de 2015

RESENHA: Marilyn

“A vida é feliz para ela em certa hora, trágica na próxima; agora pode se mostrar inocente ou egoísta, vítima ou vilã, não importa mais. Atravessou a grande barreira da publicidade – a atenção exagerada – e agora é interessante; é um personagem da vida nacional e todos esperam, e mesmo encorajam, que mude todas as semanas.” (MAILER, 2013, p.148)

Muitos leitores têm preconceitos com biografias, partindo do princípio que são enfadonhas. Eu sou da opinião que biografia é como qualquer outro gênero e precisa ter duas coisas para funcionar: personagens interessantes em situações interessantes (no caso da biografia, uma personalidade interessante) e uma boa narrativa (afinal, não há história boa que se torne um bom livro se não for bem contada). E aí chegamos a “Marilyn”, biografia de Marilyn Monroe escrita pelo premiado (inclusive com dois Pulitzers) Norman Mailer, que não chegou nem perto de ser a experiência fascinante que eu esperava.

Talvez seja o caso de muito estilo para pouca substância. Em “Marilyn” a narrativa parece querer dominar os eventos da vida da atriz e aparecer mais do que eles. Um tanto enrolada, principalmente no início, contextualiza alguns eventos a ponto de fazer paralelos com coisas que nem existiam quando Marilyn estava viva. Publicada em 1973, onze anos após a morte da atriz, a biografia faz inúmeras analogias com o governo de Richard Nixon, na época recém re-eleito e em meio ao escândalo Watergate. Mas o que faz Nixon em meio a uma biografia de Marilyn Monroe? Eu esperava encontrar um presidente nessas páginas, mas não esse.

É interessante que haja intenção por parte de Mailer de corrigir os equívocos de outros autores que escreveram biografias de Marilyn. Ele parece se preocupar em filtrar o que é verdade comprovada do que seria um mero factóide (e quando se trata de uma personalidade como Marilyn Monroe isso pode ser bastante difícil, já que muitas coisas – inclusive sobre sua infância – só têm base em suas palavras que podem ser verdadeiras ou não). Uma coisa é certa: chegar ao fundo de quem foi essa mulher não deve ser uma tarefa fácil.

Existem inúmeros filmes, séries de TV e livros inspirados na vida dessa icônica atriz. Cada um mostra uma faceta de Marilyn. A loira burra e ingênua de quem todos tiravam proveito (principalmente os estúdios), a apaixonada por livros (tendo autores como Sartre em sua coleção), a depressiva, a mimada, a sofrida, a atriz de sorte que atuava por intuição, a atriz brilhante, a devoradora de homens que viveu o grande romance de sua vida com Joe DiMaggio (ou seria com Arthur Miller? Ou seria com John Kennedy?). Existem inúmeras (e contraditórias) versões de Marilyn Monroe. Em algumas é essencialmente trágica e infeliz, em outras meramente depravada, em outras doce e carente. A versão de Norman Mailer mostra uma mulher muito mais estrategista que usava das ferramentas que tinha para conseguir o que queria.

A biografia foi escrita em apenas dois anos e o próprio autor reconhece em seus agradecimentos que o trabalho seria mais completo caso tivesse mais tempo, já que dois anos poderiam ter sido usados apenas para coletar fatos. Inclusive, comenta descobertas que fez após o livro já estar em fase de revisão de provas.

Pesquisando um pouco, descobri que o livro gerou polêmica na época por dar vazão às teorias de que a morte de Marilyn pode ter sido um assassinato envolvendo a CIA e o FBI devido ao seu relacionamento com os Kennedys (que, aliás, mal são mencionados, apenas no final, com enfoque maior em Bobby do que em John). A overdose que matou a atriz, possivelmente, permanecerá para sempre um mistério: acidental (já que ela tantas e tantas vezes misturava mais comprimidos do que devia), suicídio (não seria sua primeira tentativa) ou assassinato (que pode ter se valido do fato que ambas teorias anteriores seriam plausíveis).

Não gostei do livro como esperava e o que me desagradou foi sua condução (apressada em alguns momentos, lenta demais em outros, enrolada em quase todos). Ainda assim, encontrei coisas interessantes como a visão de Marilyn em relação aos papéis que interpretou. Como os recebeu e como estava sua vida pessoal na ocasião das gravações de filmes que se tornaram clássicos do cinema como “O Pecado Mora ao Lado” (que traz a famosa cena do vestido branco esvoaçante) e “Quanto mais quente melhor” (considerado em 2000, pelo American Film Institute, a melhor comédia americana de todos os tempos) e como era capaz de reverter as situações a seu favor.

Mistérios, facetas e nuances compõe o quebra-cabeça que foi a vida de Marilyn Monroe e que talvez nunca será montado. Foi ela feliz em algum momento? Teria sido Marilyn Monroe uma mulher ou apenas mais um personagem de uma grande atriz? Tão linda...tão talentosa. Tão trágica.

Título: Marilyn
Autor: Norman Mailer
Nº de páginas: 349
Editora: Record

45 comentários:

D e s s a disse...

Não sabia da biografia da Marilyn, e olhe que não sou fã de ler biografias, mas me interessei pela história dela! *-*
Com certeza lerei se tiver chance!
beijos
www.apenasumvicio.com

Hoje é dia de Livro disse...

Concordo com você, "biografia é como qualquer outro gênero e precisa ter duas coisas para funcionar: personagens interessantes em situações interessantes."
Gostei da resenha, vou procurar saber mais sobre esse livro.
Beijos

hojeediadelivro.blogspot.com.br/

Nardonio disse...

Faço parte desse grupo que "vira a cara" para as biografias. São muito raras as que tenho vontade de ler. Em relação a personalidade dessa, achei incrível, pois são poucas as figuras tão intensas como essa. A Marilyn é sinônimo de luz. Ela é o tipo de personalidade 8 ou 80. Ou você ama, ou odeia, mas nunca fica no meio termo. Enfim, é uma pena que a parte narrativa ficou bem a desejar.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Mariana Ogawa disse...

eu não sou fã de biografias, mas pela questão de saber que é dificil vc contar uma história só com fatos, sempre vai ter a opinião do autor no meio, se ele gosta da pessoa ele tenta "diminuir " os defeitos se não....
e o outro motivo é: se fulano é ator, só me interessa a carreira dele, os fatos da vida pessoal só que influencia a carreira

e pior eu leria uma biografia da marylin que trouxesse algo sobre os escandalos e o relacionamento dela com os Kennedys (pq isso são fatos históricos)
mas se não tem isso... definitivamente vai p minha lista do não ler

Vitória Pantielly disse...

Mari *-*

Essa foi uma das resenhas que mais adorei, rs ! Sempre gostei da Marilyn, mas por incrivel que pareça não conhecia esse livro .. Não sou fã de autobiografias, mas essa com certeza vou procurar pra ler. É uma pena que a narrativa tenha deixado a desejar, porque com tantas coisas na vida da dela pra contar eles poderiam ter feito um livro maravilhoso! Enfim, esse entrou pra minha lista com certeza !
Bj ;*

Elisa disse...

Acho que pertenço ao time dos "biografias são enfadonhas". Por mais interessante que seja o assunto abordado, livros não-ficcionais precisam de uma narração realmente cuidadosa para prender o leitor e são poucos os autores que conseguem isso. Hoje em dia eu só tenho paciência para alguma leitura do tipo se for um livro realmente muito bem-recomendado. De qualquer jeito, a vida da Marilyn não me interessa muito (muita especulação para poucos fatos comprovados), então acho que não leria mesmo que este fosse bom, haha.

The Fat Unicorn

Katrine Bernardo disse...

Oii, confesso que n gosto muito de biografias hahahaa mas adorei a sua resenha!
Beijão.
http://www.garotadolivro.com/

Fernanda Bizerra disse...

Oi Mari
Não conhecia o livro e nem é o tipo de trama que me atrai. Para os fãs sei que é um prato cheio de ótimas noticias.

Beijos
www.amorliterario.com

Aymée Meira disse...

Mari, que resenha. Olha, um autor como ele deveria ter se ocupado mais em coletar mais fatos, a polêmica sempre foi um fato na vida e na carreira da Marilyn. Eu adoro biografias, já li muitas, inclusive algumas da Marilyn. Com os pontos que citou, provavelmente essa é uma das que não lerei. Pois aborda a vida de Marilyn sem muito aprofundamento... a que mais gostei foi My week with Marilyn, mesmo que bem curta e sem muito aprofundamento, um deslumbre e alguns momentos de cumplicidade, são tratados, além do que o filme que fizeram depois é fantástico ♥




beijos,

Amy - Macchiato

♥Mayra disse...

Adorei o livro, parece ser ótimo!
Bj
http://distractionsofaagirl-oficial.blogspot.com.br/

thayna ta disse...

Não sou muito fã de biografias. Ainda mais de personalidades que não tenho aquele interesse. Nunca ouvi falar do livro. Acho bem legal o autor ter escrito sobre ela, e em 2 anos... A narrativa teve vários momentos pelo jeito e isso desagrada mesmo.
Beijos Mari

Hangover at 16 (contato) disse...

Também não tenho nada contra biografias, contanto que o famoso ~realmente~ tenha coisas a contar, não alguém que acabou de fazer sucesso. E que pena que a leitura não te agradou tanto, esse também é um fator muito importante na hora de descorrer a vida de outra pessoa, saber balancear e de acordo com a história real

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem post novo no blog sobre Readgeek, vem descobrir o que é!

Gabriela CZ disse...

Concordo com você sobre as biografias, Mari. A personalidade precisa ser alguém que consideramos interessante e o biografo precisa conduzir a narrativa de forma condizente. Certa vez li uma biografia do Mick Jagger em que por diversas passagem o autor parecia querer roubar a cena falando de artigos que escrevera ao invés do próprio Jagger. Foi até confuso.

Tenho muita vontade de ler uma biografia da Marilyn, mas não sei se seria essa. O fato do autor querer traçar paralelos com coisas que não tem nada ver (Nixon?) me parecem forçadas demais. Mas gostei muito dos seus comentários sobre o que foi e não foi proveitoso. Marilyn Monroe era e continua sendo no mínimo uma mulher intrigante. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Raimundo Ferreira disse...

Ei, Mari!

Antes de ler a resenha já tinha um pensamento formado, que pelo que entendi é o mesmo que o seu:Marilyn nunca estará inteiramente em nenhuma biografia. Uma mulher polêmica e de várias facetas é realmente um quebra-cabeça que não é fácil de montar, talvez até mesmo impossível.

P.S: Não sou fã de biografias, mas é realmente uma questão de gênero, esse é um dos que não consegue me prender.

Beijos,

http://legereoculis.blogspot.com/

Alice Aguiar disse...

cara nada contra biografias, mas eu realmente só leria se fosse de alguém que eu admiro muito sabe.
pena o livro n ter sido muito bom pra vc, sinceramente n suporto leitura enrolada =/
no mais a capa é muito linda, mas infelizmente n leria.Seguindo o Coelho Branco

Ana Clara disse...

Ei Mari!

Eu sou super apaixonada por biografias. Posso não ser fã da pessoa, banda ou personalidade retratada no livro, mas só por ser biografia vou ficar com vontade de ler. É uma pena você não ter gostado desta... Marilyn é uma personagem e tanto, não é? É uma pena não ser aquilo que esperamos, me fez perder totalmente a curiosidade. Mas uma coisa temos que concordar, escolheram muito bem a foto para a capa.

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Jessica Oliveira disse...

Oi Mari!
Eu gosto bastante de biografias, mas não conhecia essa que conta a vida de Marilyn. Mesmo você não tendo gostado tanto assim, o que é uma pena, vou procurar para comprar.

Bjs!
Books and Movies
www.booksandmovies.com.br/

Inês Gabriela A. disse...

Olá,
Não sou a maior fã de biografias, mas essa é uma exceção, sempre tive curiosidade sobre a vida dessa atriz, mas acho que não leria essa, principalmente porque os pontos que te desagradaram não iriam me agradar também, rsrs.
Beijos.
Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

Rafaela Hübner disse...

Oie, td bom?
Confesso que sou dessas leitoras que tem pé atrás com biografias, mas adoooro memórias. Um amor novo, mas que está crescendo a cada livro lido.
Eu morro de curiosidade sobre a Marilyn, me arriscaria numa biografia dela. Conheço o nome desse autor e é uma pena que ele não tenha entregado o esperado. Será que tem uma biografia "melhor" da atriz?

Beijos!
Arrastando as Alpargatas

Ana Lima disse...

Oláaa!
Eu apenas li uma biografia e amei, mas não sei se leria outra. Mas eu sempre quis ler algo da Marilyn, então acho que eu irei dar uma chance. É uma pena que você não tenha gostado tanto assim, porque de começo parece ser muito bom.
Beijos,

http://our-constellations.blogspot.com.br/

Clayci disse...

Muito amor!!! Eu ainda não li, mas pretendo ler esse ano ^^

www.saidaminhalente.com

Tamires Cipriano disse...

Olá!

Eu confesso que não sou fã, já li e ainda leio alguns, mas são poucos os interessantes e como você disse, depende do personagens e construção da história.
Fiquei interessada, uma atriz ou uma verdadeira vida que levou?
Não sabia da polêmica...
Ótima opinião (=

Beijos e ótima semana!
De tudo um pouco

Luiz Gustavo Azevedo disse...

Olá! Pena que não sou muito fã de biografias, mas se fosse com toda certeza compraria essa biografia da Marilyn!

Beijos
blog: http://aproveiteolivro.blogspot.com.br/
página: https://www.facebook.com/aproveiteolivro?fref=ts

Unhas&bocas disse...

Sou fã de livros de biografias....já li varios...atualmente leio Marina ( aquela que foi candidata a presidente), gostei de saber dessa !
Beijos U&B
Adriana e Cláudia
www.unhasebocas.blogspot.com.br
Instagram @blogunhasebocas
https://www.facebook.com/pages/Unhasbocas/477832645611169?fref=ts

Daiana Ayalla disse...

Eu realmente não me permito muito ler biografias, e acho uma área um tanto quanto perigosa. Veja bem, falar sobre a vida de uma pessoa, um ícone, é bem arriscado quando não se usa bem as ferramentas de uma pesquisa. E acho que foi o erro que aconteceu com essa biografia. Além de tudo isso devo admitir, Marilyn me parece ter sido muito misteriosa.

Beijo.
http://www.tendadoslivros.com.br

Wilson Brancaglioni disse...

Antes de mais nada. Parabéns pela resenha, excelente. Não sou muito fã de biografias, no entanto, já li algumas e fiquei fascinado com algumas. Por exemplo, a biografia de Charles Chaplin, que achei fantástica e não é a toa. Eu amo Chaplin. E o que você menciona: "precisa ter duas coisas para funcionar: personagens interessantes em situações interessantes" foi exatamente isso que me deixou feliz ao terminar a obra. Em relação a resenha fiquei curioso sobre a vida de Marilyn Monroe, afinal, não existe, pelo menos não me lembro, uma mulher tão falada e por tanto tempo. Ela foi um ícone do período. A ideia que tenho dela é que ela era uma mulher forte que usava seus dotes para conseguir as coisas. Aliás a minha convicção é que as mulheres são o sexo forte e não os homens. Vou colocar na minha lista. Parabéns.

Wilson Brancaglioni
www.estantedowilson.com.br

Lara Melo disse...

Olá! Não sou a maior fã de biografias, mas adoro a Marilyn, então acho que iria gostar dessa...


http://www.whoisllara.com/

Paula de Franco disse...

Oi, Mari.

Nunca peguei para ler uma biografia e acredito que como você disse ela é igual a qualquer livro quando bem contada. Não sei te dizer o porque ainda não ter lido nenhuma. Se essa biografia não te agradou tanto assim acho que irei passar a leitura, quem sabe não começo com uma outra.

Beijos.
Visite: Paradise Books BR

Beatriz Nathaly disse...

Olá! Já tive contato com esse livro em outro tempo, mas nunca parei para saber mais sobre ele realmente. Não sou fã desse tipo de livro, gosto mais de histórias mesmo sabe? Principalmente aquelas com um toque sobrenatural kk A única coisa que me agradou nesse livro foi a capa! kk

Beijinhos,

Bia - Blog Escrevendo Mundos

David Andrade disse...

Oi Mari!
Eu não li muitas biografias e as poucas que eu li não tiveram resultado diferente sobre a opinião geral. Acho que legal essas obras, para quem gosta do gênero. Para mim, pessoalmente não dá. Não tenho um mínimo de paciencia pra ficção arrastada, quem dirá biografia.

Abraços
David Andrade
www.olimpicoliterario.com

Ágata Bresil disse...

Eu morro de vontade de ler um livro biográfico da Monroe, porém, nunca vi indicação de um que fosse bom. Esse eu já tirei da minha lista porque bem pelo que você falou da narração sobrepor os fatos, já foi o suficiente para que eu soubesse que não iria gostar. Mas acho que pretendo ler Fragmentos.

Beijos. Tudo Tem Refrão

Clube das 6 disse...

Adorei o layout!

Nossa, amei a resenha, o livro parece ser muuuuuito legal!

Beeeeijos
Gio - Clube das 6
www.clubedas6.com.br

Teca Machado disse...

Oi, Mari!

Sério que não é tãããão bom assim? Poxa, tinha me interessado, porque eu adoro a Marilyn e seus filmes.
Realmente, dois anos é MUITO pouco para um biografia de alguém tão intrigante quanto ela.
Já assistiu a série Smash, que é sobre um musical sobre ela? Eu adorei.
Mesmo muita gente não gostando, eu gosto de biografias, desde que seja de alguém interessante.

Seguindo o blog.

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Milena Maciel disse...

Oie,
Biografia realmente não é algo que eu gosto muito de ler, mas acho que ler uma biografia da Marilyn seria incrível. Mas que pena que você não gostou tanto assim do livro.
Beijos
Devaneios Insignificantes

Sil disse...

Eu não gosto de biografias, mas gostei da sua colocação sobre o gênero. Acho que é por isso que não gosto, pois as que eu li eram chatas. Até agora só gostei de uma que li e era sobre o John Lennon. Não sei se leria essa, quando estava me interessando você disse que não gostou tanto quanto esperava hehe.

Blog Prefácio

Dani Kaulitz disse...

Oi! Eu gosto de biografias, mas concordo que é necessário ser contada a vida de uma pessoa interessante, para funcionar. Adorei a resenha e achei uma pena a narrativa ter deixado a desejar tanto assim.
beijos ♥
nuclear--story.blogspot.com.br

Magis Book disse...

Olá, tudo bem?

Não tenho o costume de ler biografias, acho muito complicado o autor se dispor a escrever a vida de alguém porque sempre acaba ficando algo de fora, creio que escolher o recorte daquilo que vai para o livro ou nao acaba envolvendo uma serie de fatores e interesses do biografado e/ou da sua familia, enfim. Uma pena a narrativa não ser boa, isso complica ainda mais a qualidade do livro :/
Bjus!!!
www.magisbook.blogspot.com

Alessandra Tapias disse...

Poxa :( Que pena que não gostou.

Tenho o livro aqui, mas não li. E agora estou um pouco desanimada com ele.
Amo biografias, mas essa enrolação que você citou não me agradou.

Resenha perfeita!!

Bjks

Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Cabine de Leitura disse...

Amei a resenha Mari, mesmo com o livro deixando a desejar fiquei com uma vontade enorme de ler. Infelizmente alguns autores não são imparciais na hora de escrever um livro e deixam a sua opinião pessoal sobre um assunto transparecer na escrita, acredito que esse seja o caso deste livro.

Abraços querida e tenha uma ótima semana.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/02/unboxing-joia-rara.html

Janaína de Souza Roberto disse...

Oi, Mari, tudo bem? Pra mim Marilyn foi uma figura extremamente excêntrica e interessante. Leria com o maior prazer essa biografia. Eu assisti esse ano ao filme "Sete dias com Marilyn" e amei.

Beijocas,
Blog | Youtube | Instagram

Leandro de Lira disse...

Oi, Mari!
Que pena que não supriu suas expectativas. Entendi completamente e perfeitamente você.
Eu sempre quis conhecer mais profundamente a Marilyn. Até gosto de biografia, mas não me arriscaria nessa devido à suas ressalvas.
Parabéns pela resenha!
Abraço!

"Palavras ao Vento..."
www.leandro-de-lira.com

Lost Words disse...

Oi tudo bem?
Nunca li nenhuma biografia, mas gostei da resenha, apesar de algumas partes do livro não parecerem tão interessantes, eu acho que seria um ótimo livro para começar, beijos Lost Words

Fernanda Moraes disse...

Olá!
Sempre quis ler uma biografia mas nenhuma até agora me interessou ao ponto de me fazer ler. Uma pena você não ter gostado do livro tanto quanto esperava, quando fui ler a resenha pensei que seria super positiva, afinal Marilyn Monroe é uma personagem no mínimo curiosa. Sempre tive uma pontinha de curiosidade de saber pelo menos um pouco da atriz que até hoje comentam. Tão conhecida e ao mesmo tempo ninguém consegue dizer quem ela realmente foi.

Beijos, Fer.
http://viciosemtres.blogspot.com.br/

Vanessa Meiser disse...

Você disse uma grande verdade na qual meio que me enquadro, eu também tenho um pouco de preconceito com biografias, só leio mesmo quando admiro a pessoa em questão e felizmente já li este livro na metade do ano passado, quando ainda era parceira da editora. Sou muito fã da Marilyn Monroe, um ícone único da sua época. Também achei o livro meio decepcionante, mas ainda assim foi bem válido.

Beijo, Vanessa Meiser
http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

Cris Albert disse...

Olá!
Eu não costumo ler biografias, apenas se eu realmente gostar da pessoa retratada. O que acontece é que eu tenho uma enorme curiosidade pela Marylin, maybe por ela ser uma figura tão pop e ter sido retratada naqueles belos quadros do Andy Warhol.
É sempre bom ler uma resenha sua, pois elas são tão bem escritas e críticas. Parabéns pelo trabalho!

Leitores Forever

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger