segunda-feira, 11 de maio de 2015

RESENHA: Escuridão total, sem estrelas

“Ele achava que, até mesmo no inferno, as pessoas ganhavam um gole d’água de vez em quando, nem que fosse para perceberem melhor o completo horror de uma sede não satisfeita quando voltassem a senti-la” (KING, p.294, 2015)

Houve um tempo em que eu costumava ter preconceito com contos por achar que o número reduzido de páginas impedia um maior desenvolvimento de personagens e trama. Se eu já não tivesse deixado essa bobagem para trás, “Escuridão total, sem estrelas” teria me obrigado a fazê-lo. Porque em 390 páginas, Stephen King apresenta 4 histórias curtas intensas, repletas de suspense e surpresas e cujo maior mérito está justamento no desenvolvimento psicológico de seus personagens.

“Escuridão total, sem estrelas” é a representação do que mais me agrada nas histórias de King. Pessoas vivendo suas vidas normais até que algo inesperado as tira do rumo e muda tudo. O interessante não é a situação em si, mas sim o comportamento dessas pessoas. Como elas se ajustam a nova realidade e o que fazem a partir dela. É claro que, em se tratando de Stephen King, o que vem pela frente é perturbador, mas não se engane achando que esse é um livro de seres sobrenaturais. Perturbador é testemunhar através desses contos o que as pessoas são capazes de fazer quando levadas a extremos ou tentadas ou ainda deparadas com o inesperado. Perturbador mesmo é o quão humanas elas são capazes de ser.

Em “1922”, conto que abre essa impecável coletânea, um homem prestes a perder suas terras decide que a melhor coisa a fazer é se livrar da esposa e convence o filho de 14 anos a ajudá-lo. Na forma de carta, escrita oito anos após os acontecimentos, o autor já revela nas primeiras linhas que os personagens cometerão esse ato e escaparão impunes da lei. O suspense se constrói ao redor do que essa ação desencadeou e as outras punições que precisaram encarar. “1922” é intenso do início ao fim, conta com milhares de pequenas reviravoltas e ainda traz um desfecho de tirar o fôlego.

Em “Gigante do Volante” uma escritora de livros de mistério está voltando de uma palestra quando é estuprada pelo caminhoneiro que a ajuda a trocar um pneu furado. Esse é o ponto de partida para mostrar como um evento isolado pode fazer uma pessoa descobrir uma faceta que não sabia que tinha e que a leva a atos que jamais pensou que poderia cometer. A narrativa em terceira pessoa transmite toda a angústia da personagem como se fosse narrada por ela própria e mostra que a violência do ato em si não é nada comparada ao terror que se cria na cabeça da pessoa que vivenciou e precisa continuar lidando com isso mesmo depois que está em casa salva. “Gigante do Volante” é uma história sobre vingança e ganhou as telas em 2014 no filme “Big Driver”, com Tess Thorne no papel principal.

“Extensão Justa” é o mais curto dos quatro contos (meras 36 páginas) e uma história típica de Stephen King, em que uma fagulha de sobrenatural é usada para despertar as mais humanas reações nos personagens. Um homem que tem câncer terminal se depara com um estranho negociante que lhe propõe uma extensão de seus dias. Mas isso, claro, vem com um preço a ser pago, porém não por ele, nem pelas pessoas que ele ama, mas sim por alguém que ele odeia. O que leva o protagonista a escolher a vítima que escolhe, o que ele assiste acontecer com a pessoa e como ele reage às mudanças em sua própria vida fazem de “Extensão Justa” provavelmente o mais complexo desses contos, mesmo sendo tão curto.

E como se King já não tivesse deixado claro que as pessoas são capazes de tudo, o autor encerra a coletânea com “Um bom casamento”, mostrando que nunca se pode ter certeza de conhecer de verdade uma pessoa. No conto, uma mulher descobre uma caixa na garagem que lhe revela que o homem com quem vive casada e feliz há vinte anos pode não ser a pessoa que ela achou que fosse. Como lidar com a verdade e o que fazer diante dela, sabendo que se não fosse um pequeno acidente ela permaneceria desconhecida e sua vida continuaria como vem sendo pelas últimas duas décadas? Anthony LaPaglia e Joan Allen estrelam a adaptação “A Good Marriage” (ainda sem título no Brasil) que chega aos cinemas em 2015.

Ganância, vingança, orgulho, egoísmo, ilusão, traição, remorso e vergonha dão forma a esses quatro contos. São todas situações de extrema violência, mas não violência física e sim psicológica. São atos e pensamentos agressivos e brutais. Em “Escuridão total, sem estrelas” não existem cenas gratuitas ou de violência explícita porque o foco das histórias está no impacto psicológico que essas situações têm sobre os personagens. Stephen King se revela genial, mais uma vez, porque as situações nunca são mais importantes que seus personagens e o autor os leva a extremos, deixando-os sangrar, metaforicamente, e aproveitando cada gotinha que pinga. King mostra que a maldade nasce de algum lugar (ou sempre esteve ali e apenas foi despertada?) e o mais provável é que esse lugar faça parte do cotidiano. Existe uma razão por trás de tudo, mas razão não é sinônimo de justificativa.

Em um posfácio, o autor explica como foi para ele escrever essas histórias e de onde surgiram as ideias e inspirações para elas, indo de uma cena que viu na estrada a fotos de jornais ou a perturbadora história do assassino BTK.

São poucos os livros de contos que apresentam uma qualidade constante como “Escuridão total, sem estrelas”, de forma que se torna difícil eleger um conto favorito, já que cada um tem algo que o torna fascinante. Cada um tem um ritmo, um dilema e gera uma reflexão que o torna memorável.

Vencedor do Bram Stoker e do British Fantasy, ambos na categoria melhor coletânea, “Escuridão total, sem estrelas” é um desfile de bons personagens em situações de extrema tensão. Um dos melhores livros que já li de Stephen King.

Título: Escuridão total, sem estrelas (exemplar cedido pela editora)
Autor: Stephen King
Nº de páginas: 390
Editora: Suma de Letras

31 comentários:

Inês Gabriela A. disse...

Olá,
Só li um livro desse autor, e nem foi de ficção, mas gostei muito e virei uma grande admiradora do mesmo. Pelo que conheço de sua escrita não duvido que esse livro seja incrível e mereça ganhar todos esses prêmios.
Beijos.
Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

Kamila Villarreal disse...

Olá!

Achei super interessante a premissa desse livro! Adoro coletâneas, ainda mais quando o sobrenatural se mistura com o cotidiano e ambos são determinantes para o desenrolar da história.

resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

Diane disse...

Como eu havia dito em outro post daqui do blog , eu nunca li nada de Stephen King . Apesar de querer muito , acho que vai demorar um pouco para mim ler algo do autor porque , minha lista de leitura está muito longa :)
Gostei bastante desse livro , a capa também ficou linda :)

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Como comentei na resenha passada, o King não é um autor com o qual me dou bem. Reconheço que ele realmente é um grande autor, mas tudo é uma questão de gosto na vida né rs...

A capa desse livro ficou linda! E fico feliz que você tenha curtido a leitura ^^

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Cecília Vieira disse...

King sendo King. Como se não bastasse ele ser fantástico descrevendo terrores sobrenaturais, é talvez ainda melhor descrevendo os horrores da personalidade humana. E como uma situação de tensão pode desencadear tudo isso num piscar de olhos. Com certeza essa é uma leitura que adorarei fazer.

Guilherme disse...

Oi!
Adoro os livros do King, o autor é sensacional, não sei se lerei esse livro de contos mas parece ser uma ótima pedida.
Abraço
Leitura Fora De Série

Luis Carlos disse...

Dizem que os livros do Stephen King são ótimos, aí você me vem com esse que contém vários contos? Amei! Além dos contos aparentarem ser ótimos, o que mais gostei foi de saber que eles se tratam de suspense, um dos meus gêneros favoritos!

Maisanara F. disse...

Oi, quero muito ler os livros do Stephen King, pois com certeza vou gostar. Esse livro parece ser ótimo e foi o que mais me atraiu.

Alessandra disse...

ois, nunca li nenhum livro desse autor, pq ele me lembra palhaços e eu odeio palhaços hahahahah, gostei da resenha *u*

http://chadesaudade.blogspot.com.br/

Priscilla Frasnelli Rocha disse...

Oi Mari!
Só li À Espera de um Milagre do Stephen King, que é uma obra muito bonita. Quero muito ler algum suspense/terror dele, que são os estilos pelos quais ele é tão conceituado! Amei a resenha e já anotei o nome desse livro, fiquei muuuito curiosa pra conferir esses contos macabros.
Beijos,

Priscilla
http://infinitasvidas.wordpress.com

Soraya Abuchaim disse...

Mari, assim você acaba comigo!!!
Olha, eu AMO Stephen King e estava louca pra ler esse livro. Só que tendo que comprar fralda (hahaha) ainda não me sobrou dinheiro pra ele.
Ok, eu estava convivendo bem com esse fato, até você publicar essa resenha que me atiçou a curiosidade.
Pior que tenho uns 5 na fila :(
Vou ter que comprar, não tem jeito.
Beijos

Meu Meio Devaneio

Maurilei Teodoro disse...

Muito bom mesmo este livro, sendo o meu conto preferido Extensão Justa, que em poucas páginas o King criou uma história muito criativa.

bomlivo1811.blogspot.com.br

Gabriela CZ disse...

Quase sempre que leio uma resenha de King por aqui acabo ficando ainda mais curiosa. Também tinha esse problema com contos, Mari, mas nos últimos anos perdi o preconceito. Seus comentários me deixaram ainda mais ansiosa por Escuridão Total Sem Estrelas, tenho gostado muito de histórias que exploram esse lado do ser humano. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Bruna Aguiar disse...

Oi, Mari! King não é muito meu estilo de literatura, mas meu marido adora e sempre mostro essas resenhas pra ele! :) Beijos

http://chezb.com.br/

Rízia Castro disse...

Oi Mari

Nunca li nada de King, mas esse livro chamou bastante minha atenção.
Gosto de narrativas com situações extremas e esse me pareceu ser um belo exemplar.
Vou add na lista!
Beijinhos
Rizia - Livroterapias

Teca Machado disse...

Mari, não é que eu tenha preconceito com contos, é que eu não gosto muito mesmo. Mas pelo que você falou desse livro, me interessou.
Fora que não são tão curtos assim, né? Uma média de quase 100 páginas para cada.
Gostei e quero ler.
Ainda não li nada do King. Shame on me!

Beijooos

www.casosacasoselivros.com

Bárbara Carollo disse...

Oi Mari,
Tenho muita vontade de conhecer a escrita do autor, mas não sei se escolheria começar por este livro. Gosto de contos, mas separados. Não costumo comprar livros de contos porque demoro muito para ler =/
No entanto, gostei da sua resenha e fiquei interessada!
Beijos,

http://versosenotas.blogspot.com.br/

Helena Cintra disse...

Oi, Mari.
Parabéns pela sua resenha, está excelente e me deixou morrendo de vontade de ler o livro.
Nunca li nd do King pq sou meio medrosa rsrs mas fiquei muito interessa em ler esse contos e saber o que acontece!
Bjos,
Helena

http://doslivrosumpouco.wordpress.com

Tici Faria disse...

Já li outro livro (Ao Cair da Noite) também de contos do Stephen King e sei como ele consegue manter o suspense ou o terror psicológico em poucas páginas. É um talento nato dele, nem todo mundo consegue! Vou anotar esse livro para ler também! Bjo

Tici | www.bibliophiliarium.com

Carla A. disse...

Oi, Mari! Ele é mestre, né?! Ainda não li nada dele que me decepcionasse. Também gosto quando o autor não se vale do sobrenatural para contar uma história perturbadora. Nem precisa. Os seres humanos também têm lados obscuros e assustadores!

Beijos, Entre Aspas

Sil disse...

Oi, Mari. Mas os contos do King são praticamente histórias inteiras hehe. Já li dois livros de contos dele achei até melhor que os livros únicos. Fiquei com muito mais medo hehe. Ainda não conhecia esse e assim que der eu lerei.

Blog Prefácio

Paula Juliana - Overdose Literária disse...

Mari! Eu nunca li nada do King, acredita! Já vi vários dos seus filmes, mas ainda vou escolher uma obra para começar! Gostei muito da sua resenha! Beijos
Ps: Acabe com a Ansiedade antes que ela acabe com você
http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/05/resenha-acabe-com-ansiedade-antes-que.html

DominO Simmons disse...

Oie amore... tudo bene?
Que leitura gostosa eim...
do Stephen eu sí li a hora do Lobisomen, e curti bastante... esse eu tenho bastante interesse em ler pois possui um quode sobre a miss Marple e bem tudo que envolve Agatha já me convence em 50% da leitura.... gostei bastante do seu post mô beijos

http://cantodadomino.blogspot.com.br/

Juliara Vasconcelos disse...

Curto muito Stephen King e esse livro parece estar super interessante!
Parabéns pelo blog, conheci hoje e adorei!

Zona de Conspiração | Facebook da Zona

Nadja disse...

Oi! Tenho um pouco de receio dos livros de Stephen, justamente porque ele é bom demais no que escreve. Seus livros de terror não são simplesmente isso, assim como você disse, o desenvolvimento psicológico dos personagens é o alvo do autor, nenhum acontecimento é tão importante quanto o impacto que ela causa no personagem. Acho ele um maravilho escritor.

David Andrade disse...

Oi Mari!
Não curto muito o King porque, como é terror, não faz meu gênero, mas essa edição, gente, ta impecavel demais :3 Demorou, demorou, mas Suma destruiu :3

Abraços
David Andrade
http://www.olimpicoliterario.com/

Camila Monteiro disse...

tô com esse livro aqui e agora me deu mais vontade ainda de ler. Eu amo contos e do King são ainda melhor!

Excelente resenha.

Nardonio disse...

Só o Stephen King mesmo para nos fazer ler um livro de contos e não conseguir escolher um favorito, pois todos são excelentes. É incrível como ele consegue com poucas páginas, contar tramas e personagens bem complexas. Enfim, como todos os outros livros do King, esse já está na minha listinha de próximas aquisições.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

RUDYNALVA disse...

Mari!
Bom poder ler um King diferente em certo aspecto.
Acredito mesmo que seja o melhor livro dele, porque é diferenciado dos outros, embora o 'terror' ainda esteja presente.
A crítica tem sido maravilhosa em relação a esse livro.
Gostaria de ler.
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Ana I. J. Mercury disse...

Nunca li Stephen King, que vergonha!! kkkk
Tenho um certo medo dos livros dele, kkkk but ok.
Me interessei bastante por esse conto, porque ele parece mexer bastante com nossa concepção de mundo e da que temos sobre as pessoas.
Com terror, mas também põe em pauta o que vc faria, ou o que concorda/discorda sobre o comportamento dos personagens.
Eu sairia CORRENDO provavelmente se estivesse no lugar deles kkkkkkkkkkkkkkkkk
Enfim, li algumas críticas negativas sobre esse livro, porém, ainda quero ler, porque gente a capa é perfeita kkkk e os contos tem uma cara de bem escrito, reflexivos e nem tão apavorantes assim (o que para mim, já um superponto positivo kk).
bjoos

Thayz Figueirêdo disse...

to louca pra ler!!!!
adorei seu blog =D mesmo!

tenho um tb, se quiser conhecer http://rodapedelivros.blogspot.com.br

;)

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger