quinta-feira, 7 de maio de 2015

RESENHA: Dois Garotos Se Beijando

“A liberdade não é só uma questão de votar e casar e beijar na rua, embora todas essas coisas sejam importantes. A liberdade também é uma questão do que você vai se permitir fazer.” (LEVITHAN, 2015, p. 10)

***

Craig e Harry são dois jovens prestes a embarcar em uma desafiadora jornada: tentar bater o recorde de beijo mais longo ao mesmo em que transmitem uma poderosa mensagem contra a homofobia. Além deles, conhecemos outros adolescentes, que embora não façam um grande e inspirador gesto, também lutam contra o preconceito.  

O primeiro aspecto a chamar atenção em Dois Garotos Se Beijando é o narrador da obra. Trata-se do espírito/energia/presença da geração de homossexuais que morreu em virtude da AIDS. Estranho, eu sei, mas não é que funciona? Acho que Levithan é um daqueles autores que tem capacidade de escrever bons livros a partir de premissas que, em um primeiro momento, causam essa estranheza.  

E a verdade é que o autor encontrou a voz perfeita para contar esta estória. Considerando os livros que já li de sua autoria, creio que este é o que tem uma maior carga ideológica, afinal, aquela geração acompanha as estórias de garotos como eles, mas que vivem em uma época que muitos avanços foram feitos, embora se esteja longe do ideal. Se não fosse pela voz dessa geração, não creio que Levithan teria conseguido contrapor contextos diferentes de forma tão harmônica, e mais, creio que este conteúdo mais profundo teria soado forçado em um livro destinado ao público Young Adult.

Ao longo do livro acompanhamos inúmeros personagens, e fiquei com a impressão que cada um deles deveria representar uma das facetas sobre como é ser um adolescente homossexual. Por exemplo, temos um adolescente que não se aceita e vive no armário e pais que não aceitam a homossexualidade do filho, mas também pais que não veem o menor problema em ter um filho gay, ou então pais que estão apreendendo a lidar com a situação. Temos adolescentes que se aceitam e abraçaram sua sexualidade, que estão dispostos a lutar por seus direitos e que não desanimam frente ao preconceito, mas também temos aqueles que são a ovelha negra e que ainda não sabem como enfrentar a discriminação.

Como se vê, há uma pluralidade de estórias, e creio que Levithan fez questão de contar cada uma dela para mostrar que os dramas vivenciados pela comunidade LGBT não são tão diferentes do que se costuma imaginar. Quem nunca sofreu alguma forma de preconceito? Quem nunca teve problemas familiares? Ou sofreu pressão para assumir uma identidade que não era sua? Enfim, creio que as origens das lutas podem ser diferentes, mas, a clara conclusão é que independentemente da orientação sexual, somos todos iguais. 

Apesar de ter achado interessante esta abordagem ampla, fiquei com a impressão que se Levithan tivesse limitado o número de personagens, teria conseguido desenvolver melhor as estórias pessoais, de modo a criar um maior vínculo entre leitor e personagem. Entretanto, entendo a opção do autor. Fica claro que o cerne da estória é a conscientização. Tendo como foco um evento incomum, múltiplas estórias e um narrador que enxerga os avanços e retrocessos, é impossível encerrar a leitura sem parar um momento para refletir. 

Se precisasse resumir, diria que Dois Garotos Se Beijando é visceralmente real e impactante. Dialogando de forma honesta sobre assuntos como liberdade, aceitação, identidade, diversidade e amor, Levithan mais uma vez levanta sua voz contra o preconceito e a ignorância. 

Título: Dois Garotos Se Beijando (exemplar cedido pela editora)
Autor: David Levithan
N.º de páginas: 222
Editora: Galera Record

33 comentários:

blogsemserifa.com disse...

Oi, Alê! Nossa, fiquei pasma com o narrador, que interessante! Pena que o autor não desenvolve mais os personagens (eu gosto de realmente me conectar com eles), mas a ideia do livro é bem legal - e importante.
Bjos,
Isa

Helena Cintra disse...

Adorei sua resenha!
Li Will e Will que ele escreveu em parceria com John Green e gostei bastante.
Bjos,
Helena

http://doslivrosumpouco.wordpress.com

Katrine Bernardo disse...

Oi, nossa eu fiquei curiosa com esse livro, acho que vou colocá-no na minha lista de futuras compras asuiaus
Beijos!
http://www.garotadolivro.com/

Bianca Geisler disse...

Ouvi falar muito bem desse livro e estou bem ansiosa para ler. Me parece um pouco com Will & Will (que ele escreveu com o John Green) por ter a temática homossexual, mas acho que vou gostar mais dessa, uma vez que Will & Will não me cativou nem um pouco.

Beijos,
Bi.

- www.naogostodeunicornios.com

Kamila Villarreal disse...

Olá!

A premissa do livro é maravilhosa, mas só por ser do Levithan, acabo me afastando um pouco. Li Um Dia e não gostei da forma como ele escreveu. Posso estar errada, mas acho a escrita dele fraca.

resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

Luana Moser disse...

Olá,
Já li boas resenhas desse livros, estou querendo comprar.
O enredo me atraiu. Eu gostei.
Mas sempre passo livros na frente.
Parabéns pela resenha.
Beijos.

http://www.leituradelua.com

Garota na Alcateia disse...

Oi Alexandre! Tudo bem?
Nossa, só pelo título e capa eu já teria interesse no livro, mas saber quem é o narrador dessa história me deixou ainda mais curiosa sobre essa leitura.
Pena que são citados tantos personagens mas não são tão bem desenvolvidos... mesmo assim vou colocá-lo na minha lista de desejados.

Obrigada pela visita e comentário no meu blog, também adorei o seu cantinho!

beijos
http://garotanaalcateia.blogspot.com.br/

Gabriela Silva disse...

Eu acho o enredo desse livro muito interessante, curti bastante a sua resenha e gostaria de ler o livro sim! <3
Mil Beijos!
http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

Sil disse...

Tenho visto bastante resenhas desse livro ultimamente. Eu virei fã do autor depois que li Todo Dia. Adorei a forma que ele usou para mostrar como somos todos iguais. Acho bacana o autor usar seus livros para tentar mudar a visão das pessoas. Não leria esse livro no momento, mas assim que der eu vou ler.

Blog Prefácio

Diane disse...

Já vi 1000000 de comentários bons sobre ele ! Não vejo á hora de lê-lo :)
Uma amiga chegou até a chorar nas últimas páginas .

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Luis Carlos disse...

Já faz algum tempo que eu gostaria de ler esse livro, pois vi várias pessoas falando bem dele. Eu ainda não li um livro com a temática gay, e esse parece ser ótimo. A impressão que eu tenho é de que os personagens são adoráveis! Além disso, eu adorei a capa *-*

Gabriela CZ disse...

Parece que além de uma ótima história Levithan encontrou uma ótima forma de conta-la. Gostei dos seus comentários, Alê. Gosto dessas histórias que mostram que as dificuldades que os "diferentes" enfrentam são na verdade o que todos sofrem. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Paula Juliana - Overdose Literária disse...

Parece mesmo ser um livro muito forte e impactante!!!!
Parabéns pela resenha e como passou bem a mensagem central do livro!! Curti muito e anotada a dica!
Beijos
http://overdoselite.blogspot.com.br/2015/05/resenha-o-jeito-que-me-olha-nao-era.html

Nadja disse...

OI! Esse livro vem fazendo bastante sucesso entre os leitores, mesmo assim não me interessei por ele, mesmo depois dos diversos elogios, estou no clima de ler sobre aventura, romances de época e sobrenatural. Mas achei interessante a sua resenha, deu para perceber a essência do livro e como ele te tocou.

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Gente, achei incrível esse negócio do narrador, sério! Minha experiência com Levithan foi muito boa no geral, ele escreve livros fortes que afrontam a sociedade e eu adoro autores assim. Esse é um dos motivos que fazem eu morrer de vontade de ler Dois Garotos se Beijando, além do próprio tema do livro, é claro.

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Paula de Franco disse...

Oi, Alê.

Tinha lido algumas resenhas desse livro, mas não tinha ficado sabendo que eram várias estórias. Acho que como você não irei curtir muito isso, mas teremos o tema abordado de maneira mais ampla. Creio, né. kkk Pretendo fazer essa leitura em breve.

Beijos.
Visite: Paradise Books

DominO Simmons disse...

eu já li várias resenhas sobre esse livro e até agora nenhuma delas me transmitiu a forma que vc conseguiu passar da história com a sua resenha...
eu tbm não gosto de livros com diversas histórias por isso talvez não curta muito não Mô beijos

http://cantodadomino.blogspot.com/

Tici Faria disse...

Ah, eu amei "Dois Garotos Se Beijando" <333 Acho que você disse tudo ao dizer que o Levithan encontrou a voz perfeita para escrever esse livro, e eu gostei bastante de todos os personagens, acho que cada um mostrou um lado muito bonito e que todos deveriam encarar sem preconceito :) Bjo e parabéns pela resenha!

Tici | www.bibliophiliarium.com

Milena Caldas de Souza disse...

Eu jpa tinha visto o livro, mas admito que nunca tinha me interessado em lê-lo até agora. Sua resenha aguçou minha curiosidade, e já me fez pensar sobre o assunto abordado pelo livro.
Parabéns pela resenha.
Beijos

http://amadoslivros.blogspot.com.br/

Abracalibro disse...

Olá,
Tenho este livro na pilha cá em casa para ler.
Gostei muito da resenha.
Boas leituras. :)
http://abracalibro.blogspot.com.es

Helana Ohara disse...

Já ouvi falar do livro, mas confesso que ainda não tive aquela curiosidade em ler.

Beijinhos, Helana ♥
In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

gih disse...

Oii Alê, tudo bem??? Eu gosto muito dessa temática e acho muito importante livros que tragam isso =D
Mas confesso que não me agrada a ideia do "narrador" homossexual que morreu com AIDS. Sempre acho que haverá seres ignorantes que irão relacionar o a homossexualidade com a doença, coisa que nada tem a ver com a outra. Mas todo e qualquer tipo de ação, para lutar contra o preconceito é válida =D
Um beijão
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Milena Soares disse...

Estou doida pra ler esse livro, gosto muito da escrita do David Levithan, a história parece ser bem emocionante e cada resenha que leio dele me deixa ainda mais ansiosa em conferi essa história.

Caverna Literária disse...

Adorei a resenha, deixou bem claro o que eu já imaginava, que não se trata exatamente sobre os personagens, e sim sobre a realidade de pessoas gays num geral. É interessante mesmo

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova no blog de "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares", vem conferir!

Luan Jonathan disse...

Adorei a sua resenha, e que concordo em algumas partes com você, principalmente em diminuir o número de personagens, eu estou lendo e estou um tanto confuso para identificar os personagens, bom, do David Levithan, eu já li Will & Will, e gostei do livro(Menos do final)! Bom, adorei sua resenha, muito bem explicada e escrita!

Abraços e até!

http://lendoferozmente.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Alê1
O que acho mais bacana no Leviathan é levantar mesmo a bandeira contra o preconceito homossexual e aqui ele mostra os diversos dramas que as famílias vivem em relação a essa condição, que a meu ver, já deveria estar superada, afinal, estamos em pleno século XXI.
Acho que a abordagem ampla deu uma maior visualização de todos os tipos de problemas que existem nas famílias homossexuais.
Feliz dia das mães!!!!
“Às mães de todo planeta, Ofereço o brilho de um cometa, Para tal beleza comparar, Sem jamais pestanejar, Por Deus abençoada, Por Maria imaculada, De seu ventre surge a vida, Mãe tu és consagrada.”(Marcos G. Aguiar)
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Bruna Aguiar disse...

Oiii! Também recebi esse livro, mas não li ainda. Fiquei contente em saber que a leitura é válida, assim que der lerei :)

Beijinhos

http://www.chezb.com.br/

Cecília Vieira disse...

Esse livro está fazendo bastante sucesso e já vi muita gente falando bem dele. Adorei o fato do autor ter abordado esse tema, que ainda é um tabu para muita gente. E entendo o que você quer dizer com o fato de que ele poderia ter limitado um pouco os personagens, já que isso pode acabar deixando um pouco confuso quem está lendo, mas mesmo assim quero fazer a minha leitura!
Beijos.

Maisanara F. disse...

Oi, não gosto muito de livros assim, mas parece que o livro fala coisas que nos fazem refletir sobre nossas ações.

Kelly Muniz disse...

Essa é a minha leitura do momento. Estou gostando um pouco do livro pq David escreve muito bem, mas como vc mesma disse: Tem muitos personagens e eu confesso que estou me perdendo um pouco :( Mas....vamos ver como vai terminar essa história.
Bjss

http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

Nardonio disse...

Gosto bastante dos livros do Levithan por vários motivos, principalmente pela sua escrita. Ele consegue falar diretamente com o leitor sem florear demais suas tramas. O que me chamou a atenção nesse, e que vejo em todos os outros livros dele, é que ele sempre trabalha com a pluralidade de personagens, com o intuito de representar o maior número de indivíduos possível. E sempre manda bem. Enfim, mais um livro do autor que vou querer ler.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Ana I. J. Mercury disse...

Do David Levithan só li Garoto encontra garoto e achei um amorzinho !!! *---*
Também quero muitoo ler o Todo dia, comecei o e-book mas por conta da dor nas costas kkk parei. Amei o pouco que li.
E esse é o que mais quero, porque parece ser tãao intenso, vívido, curioso, polemico, e acima de tudo: humano.
Dois garotos se beijando mostra um tipo de protesto, de diversas formas, mas com o mesmo intuito aparente, poder viver sem medo e que seguir o caminho do seu coração.
E acho que os narradores mortos pela aids mostram justamente isso, talvez pela vida "escondida" que tiveram que levar, os levaram de encontro a aids e aconteceu o que aconteceu. Essa é como uma nova chance de não repetir o erro do mundo no passado.
bjooos

Becca Martins disse...

Oi Alê,
Eu ainda não li nada deste autor, mas quero muito começar por esta obra deles. Achei um pouco confuso esta narrativa dele, mas pretendo descobrir com o livro.
Beijos!!
umlugarparaleresonhar.blogspot.com

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger