terça-feira, 7 de julho de 2015

RESENHA: O Sol é Para Todos

“— Mas antes de ser obrigado a viver com os outros, tenho de conviver comigo mesmo. A única coisa que não deve se curvar ao julgamento da maioria é a consciência de uma pessoa.” (LEE, 2015, p. 135).

***

O Sol é Para Todos é um dos maiores clássicos da literatura americana e sempre tive muita curiosidade para conferir a obra prima de Harper Lee, mas tinha dificuldades em encontrar a edição brasileira. Quando a autora anunciou que o livro iria ganhar uma continuação, a editora José Olympio relançou o livro para a felicidade dos leitores brasileiros. 

No início de 1930, Atticus é o advogado designado pelo juiz Taylor para defender Tom Robinson, negro acusado de estuprar uma mulher branca. Enquanto todos aguardam o julgamento, vemos os conflitos e tensões oriundos deste caso sobre os moradores da cidade de Maycomb, e especialmente sobre os filhos de Atticus, Jem e Scout. 

O livro é narrado em primeira pessoa, por Scout, uma menina de seis anos de idade. É através de seu olhar inocente que vemos todos os conflitos de Maycomb, e mesmo quando ela não entende as implicações dos acontecimentos, todos os fatos são narrados de forma que o leitor acompanhe o desenvolver da estória. A narrativa de Lee é extremamente fluída e faz com que o leitor seja tragado para dentro da estória logo nos primeiros capítulos. 

Merece destaque que O Sol é Para Todos não é um thriller jurídico. O caso em que Atticus está envolvido não é tão relevante quanto as consequências que o mesmo irá causar na vida daquela família e daquela cidade. Ou seja, o processo serve como pano de fundo, e não como cerne da estória. Ainda assim, impossível não elogiar o trabalho da autora nas cenas que ocorrem no tribunal, pois além de muito bem executadas, são de tirar o fôlego. 

Os personagens são um capítulo à parte, pois extremamente bem construídos, sendo impossível não se apegar a eles. Seu desenvolvimento e evolução ao longo da trama é palpável, especialmente no tocante as crianças. De certa forma, O Sol é Para Todos até poderia ser classificado como um romance de formação, pois a sucessão de eventos irá moldar a vida e o caráter de Jem e Scout de forma indelével. 

A proposta da autora era discutir temas como justiça, preconceito, perda da inocência, amadurecimento, integridade, coragem, violência e tantos outros. Mas seu trabalho é tão impecável que as reflexões surgem na mente do leitor de forma natural, a partir das situações criadas no livro. Ou seja, mesmo abordando assuntos complexos, em nenhum momento Lee dá lições de moral. Além disso, é incrível como tais discussões permanecem atuais e relevantes, mesmo fazendo mais de cinquenta anos da publicação do livro. A verdade é que O Sol é Para Todos é um livro atemporal, e não é por menos que foi laureado com o prêmio Pulitzer da literatura em 1963.

Com personagens profundamente humanos, uma narrativa sensível e temas universais, O Sol é Para Todos se tornou um dos meus livros de cabeceira, e reconheço que minhas singelas palavras nesta resenha não fizeram justiça ao livro. Encerro dizendo que em tempos em que o preconceito, em todas as suas formas, continua arraigado em nossa sociedade e se manifestando em proporções homéricas, creio que esta obra deveria ser considerada leitura obrigatória. 

O livro foi adaptado para o cinema em 1962, sendo indicado ao Oscar em oito categorias, das quais ganhou a estatueta em três.  

Go Set a Watchman, a inesperada continuação de O Sol é Para Todos, será lançado nos Estados Unidos no dia 14 de julho de 2015. Este livro também será publicado no Brasil pela Editora José Olympio. 

Título: O Sol é Para Todos (exemplar cedido pela editora)
Autora: Harper Lee
N.º de páginas: 349
Editora: José Olympio

23 comentários:

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Primeiro: essa capa ficou incrível, amei muito. Segundo: já tinha ouvido falar demais desse livro e dos personagens inesquecíveis, mas realmente, nunca havia vido uma edição brasileira. Eu sei exatamente quando você se sente quando não consegue descrever a grandiosidade de um livro. Quero muito ter a oportunidade de ler também.

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Guilherme Dias disse...

Heey!!
Eu quero muito ler esse livro, a temática me interessou muito e, pelo que li na resenha, o autor escreve muito bem!
Abraços!!
http://desbravando-o-infinito.blogspot.com.br/

Diane disse...

Olá ...
Tenho muita curiosidade em ler esse livro . Já vi zilhões de comentários positivos sobre ele ;)
E além do mais ele sempre é citado dentro dos livros ...
Ótima indicação ...

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Já tinha bastante vontade de ler esse livro mas não sabia que teria uma continuação, Alê. Recentemente li um livro com inúmeras referências à O Sol é Para Todos, e com seus comentários pude perceber melhor alguns paralelos entre as histórias. Fiquei ainda mais curiosa. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

André Inácio disse...

Deixei de compra-lo pois achei que não fosse gostar, mas agora depois da resenha quero muito ler. Talvez eu espere a continuação e leia os dois em uma tacada só. Ótima Resenha

http://maisumaleitura.blogspot.com.br/

Dan Igor disse...

Oi, Alexandre! Nunca tinha ouvido falar de um livro com tantas criticas positivas como esse. Parece ser impecável. Também não sabia que ia ter continuação O.O
Espero ler. Abraços :)


bookdan.blogspot.com

Soraya Abuchaim disse...

Oi, Alê.
Que legal, eu ouvi falar bastante desse livro, mas não tinha lido uma resenha tão completa como essa sua.
Adorei, esses livros profundos me deixam super afim de ler.

Beijos

Meu Meio Devaneio

Ágatha Kripke disse...

Oiee
Confesso que nunca ouvi falar, mas gostei da história. Gosto de todos os tipos de literaturas, mas aquelas com um fundo de assuntos mais sérios sempre chamam a atenção. Gostei do enredo e quero ler *-*
Beijinhos Screepeer
screepeer.blogspot.com

The Nice Age disse...

Oi Ale!

Quero muito ler esse livro, todo mundo tem comentando bastante. Principalmente depois que ganhou o prêmio de literatura. Adorei sua resenha! Só queria que o preço do livro ficasse mais acessível.

Beijos!

Cintia
http://www.theniceage.blogspot.com.br/

Alessandra Tapias disse...

Suas palavras mostraram muito bem o que você sentiu quando leu.

Comprei ontem o livro e estou esperando chegar. Pretendo ler logo.

Adorei sua resenha super emocionada. Essas são sempre as melhores ♥

Bjksssss

Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Rafaela. disse...

Oi, Alê!

Assim como você, sempre tive vontade de ler este livro, mas nunca consegui encontrar. Fiquei contente em ver que relançaram, finalmente poderei lê-lo, rs! A história é fascinante mesmo e imagino que, ao ler, irei me encantar ainda mais. Adoro essa atemporalidade, é ótimo trazer à tona questões ainda tão recentes e abrir espaço para discussão e reflexão.
Ótima resenha.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Diego França disse...

Oi Alê! Tudo bom?
Eu tenho lido muitas coisas sobre esse livro e só aqui eu descobri q ele já foi lançado antes e que é um clássico. Tenho vontade de ler e sua resenha me deixou com mais vontade. Ficou show!
Abraço
Diego, Blog Vida & Letras
http://blogvidaeletras.blogspot.com

Willow disse...

Que bela resenha! Fiquei muito interessada nesse livro.
SUA ESTANTE
Gatita&Cia.

Carla disse...

Oi Alê!
Eu apenas conhecia o título, e pouco sabia do tema. Gostei muito do assunto abordado no livro, e já vou anotar aqui para procurar \o/
Bjks!

http://www.historias-semfim.com/

Telemaco disse...

Oi tudo bom?
Ai eu sou louco pra ler esse livro desde que li As Vantagens de Ser Invisivel, acredita que essa é a primeira resenha que leio do livro? Adorei

Abraço
http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

Luiz Paulo Nunes disse...

Eu adoro to kill a mocking bird, e concordo com o primeiro comentário sobre a capa.
A pegada gótica e o tratamento com respeito a injustiça racial são excelentes e tanto o livro quanto a adaptação para o cinema são obras que devem ser vistas e apreciadas. Mas o mais interessante é ver que a autora disse que não tinha muita expectativa com relação a ele.
http://www.interruptedreamer.com/

Caverna Literária disse...

Já tinha ouvido falar no lançamento desse livro, mas particularmente não havia chamado minha atenção. Adorei sua resenha, obras que nos induzem a refletir sem forçar isso, sem transmitir uma lição em palavras concretas, geralmente são os melhores, os que captam mais facil nossa curiosidade

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Cláudio Cabral disse...

Fala Alê tudo bom?
Cara como fiquei com vontade de ler esse livro.Aliás não acredito que ainda não li.Adoro livros que abordem essas questões mais humanas,que por mais antigos que sejam acabam sendo super atuais.
Abraços!!

http://livreirocultural.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Alê1
Assisti o filme e pelo visto, é uma adaptação muito próxima ao livro, embora no filme a narração não seja pela garotinha.
Concordo quando diz que o livro é atemporal, porque os preconceitos continuam em pleno século XXI, tremendo absurdo.
O essencial é a leitura para a transformação desses preconceitos.
“Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo...”(Mario Quintana)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participe no nosso Top Comentarista!

Minhas Impressões disse...

Vejo que esse livro tem sido muito comentado ultimamente. Essa foi a primeira vez que parei para ler uma resenha e fiquei muito interessada! Elementos como a questão da cor da pele e a narrativa ser feita por uma criança de apenas seis anos atraíram minha curiosidade.

Minhas Impressões

Mariana Ogawa disse...

uma das coisas que eu adoro no blog é o fato de vcs resenharem clássicos da literatura. eu já tinha visto esse livro em uma lista dos:100 livros que vc tem que ler, mas admito que ainda não criei coragem para ler.
não sabia que a obra tinha sido relançada no brasil. acho que agora vai =)

Tamara Costa disse...

Quase cai aqui pra trás quando vi a notícia de continuação...sério mesmo? Nem sabia que a autora ainda era viva! Que bacana! Quanto ao livro...é um dos clássicos que mais tenho vontade de ler, parece um história e tanto e essa edição novinha da JO. Só dá mais vontade!

Ju M disse...

Não conhecia esse livro maravilhoso! Que clássico, atemporal e reflexivo, adorei! Aborda temas que ainda devem ser muito discutidos, gostei muito! Depois de ler o livro vou procurar o filme também!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger