domingo, 12 de julho de 2015

RESENHA: Sono

“Eu não tenho sono e minha consciência está lúcida e em pleno estado de vigília. Arrisco dizer que ela está muito mais lúcida do que o normal. Meu corpo também não apresenta nenhuma anomalia. Eu tenho apetite e não me sinto cansada. Do ponto de vista prático, não há nada de errado comigo, a não ser o fato de não dormir.” (MURAKAMI, 2015, p. 12). 

***

Huraki Murakami é um dos mais aclamados autores japoneses da atualidade. Apesar de sempre ter curiosidade de ler algum de seus livros, suas premissas sempre me pareciam um pouco “estranhas”, o que me deixava com um pé atrás. Assim, para vencer o receio, resolvi começar pelo conto Sono

Ela está a dezessete dias sem dormir, mas apesar da insônia, sente-se física e mentalmente bem. Seu marido e filho não percebem nada de diferente. Mas apesar de saber que a ausência de sono não é normal, recusa-se a consultar um médico. E agora que tem as vinte e quatro horas do dia para si, passa a refletir sobre sua própria vida. 

A narrativa de Murakami é extremamente envolvente e em poucas páginas ele consegue prender a atenção do leitor. O conto é narrado em primeira pessoa pela protagonista, e o texto é um verdadeiro espelho de sua alma. Entendemos exatamente qual é sua visão de mundo, medos e anseios. 

Aliás, é impossível não ressaltar a precisão com que o autor constrói os personagens. Muitos escritores entendem que “construir o personagem” é um mero sinônimo para dar um nome e uma profissão aos atores da estória. Este certamente não é o caso de Murakami, que sequer batizou seus personagens, mas ainda assim consegue fazer com que o leitor entenda a personalidade de todos eles. 

Já havia sido alertado que este era um dos livros mais "loucos" de Murakami. E de fato, o autor se recusa a oferecer muitas explicações sobre o que levou a protagonista a esta crise de insônia ou sobre os eventos subsequentes. Até mesmo porque, a meu ver, o cerne da estória, ao contrário do que possa parecer, não era a insônia, e sim a vida daquela mulher, sua apatia, seu desencantamento com a vida e, sobretudo, seu despertamento justamente a partir do momento que deixa de dormir. 

O desfecho é realmente estranho e permite várias conclusões. Creio que a intenção do autor ao limitar as respostas que forneceria era permitir que cada leitor pudesse ter sua própria interpretação sobre os fatos. A meu ver, tal abordagem funcionou, mas imagino que não irá cair no agrado de todos os leitores. 

O único fator que me desagradou foram as constantes menções ao livro Anna Karenina. Como a protagonista estava lendo o clássico russo, compartilhava suas impressões com o leitor. Infelizmente, ainda não tive a oportunidade de conferir a obra prima de Liev Tolstói, então, peguei alguns spoilers durante a leitura. 

Sono é um conto curto, mas impactante, tanto pela estória, quanto pelo tom melancólico e reflexivo. Mesmo não tendo o costume de ler contos, admito que gostei da experiência e mal posso esperar para ler outros livros do autor. Afinal, se Sono é o mais “estranho” ou “louco” que Murakami consegue, creio que não teremos problemas no futuro. 

A edição conta com capa dura e belíssimas ilustrações de Kat Menschik. 

Título: Sono (exemplar cedido pela editora)
Autor: Haruki Murakami
N.º de páginas: 115
Editora: Alfaguara

19 comentários:

Markus Andrez disse...

Oii! Ótima resenha. Fiquei curioso com o livro!!
Beijos
mundoemcartas.blogspot.com.br

Katrine Bernardo disse...

Oii Alê, tudo bem?
Adorei sua resenha, porém não sei se lerei o livro :(
Um beijo.
Garota do Livro

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Nunca tinha ouvido falar sobre esse autor. Na verdade, tirando mangás, não sou muito conhecedora da literatura japonesa. Acho muito curioso quando o autor não dá nome aos personagens; às vezes tenho a impressão que esses têm muito mais personalidade do que qualquer outro. Confesso que fiquei bastante curiosa para ler o conto, mas aparentemente terei que ler Anna Karenina primeiro, né? haha

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Livy disse...

Oi Alê :)

Que resenha fantástica, como sempre!
Também sempre tive curiosidade para ler algo do autor, mas como você disse, já ouvi falarem que seus livros eram meio "loucos" e sempte fiquei com um pé atrás. Mas pelo jeito seu modo de escrever é único e envolvente, mesmo sendo "louco" kkkk. Fiquei bem curiosa para ler este livro, e pela sua recomendação e bons comentários acho que vou gostar.

Beijos
Livy
nomundodoslivros.com

Diane disse...

Sua resenha está nota 10 ! Porém , não me interessei muito no livro .
Os pontos negativos que você mostrou me fez desanimar na leitura ...

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Tenho bastante curiosidade de ler as obras desse autor, pois meu primo sempre fala super bem dele.
Sono é um conto bem comentado dele, e mesmo com as excessivas menções de Anna Karenina, que tenho e ainda não li (shame), ele me parece ser uma leitura bem interessante.

Gostei da dica =)

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Gabriela CZ disse...

Confesso que não conhecia o autor, mas já tinha visto a capa do livro no Skoob e lojas online. Parece mesmo uma história bem louca, Alê. Mas se leva a profundas reflexões é do tipo que gosto. [rs] Fiquei curiosa para conferir esse e outros livros do Murakami. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Tati disse...

Adoro ler autores de vários lugares, mas não conhecia esse livro e gostei muito da premissa.
SUA ESTANTE
Gatita&Cia.

Rafaela. disse...

Oi, Alê!

Assim como você, sempre ouvi falar sobre o autor, mas tinha (tenho) receio de ler seus livros pelas temáticas abordadas. Adoro contos e ler histórias que fogem do comum também é bem bacana. Por isso, eu daria uma chance à narrativa diferente de Murakami. Sua resenha me deixou curiosa para conhecer a escrita dele.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Monique Larentis disse...

Não conhecia, achei super interessante e intrigante

www.vivendosentimentos.com.br

Amanda disse...

Oi, Alê!

Também recebi esse livro da Editora. Será uma das minhas próximas leituras. Fiquei feliz com o seus comentários, espero gostar dele também. Já li um livro do autor o "Minha Querida Sputnik" e gostei, mas não gostei taaaanto! Mas foi bom o suficiente pra me deixar com vontade de conhecer outras obras dele. Ele tem um jeito peculiar de contar histórias, né? Com esse livro que li, também aconteceu isso que você menciona sobre o desfecho, estranho e meio aberto. Que triste que tem spoilers do "Anna Karenina" também não li ainda.

Beijos!
Amanda,
Lendo & Comentando
:)

Jéssica Soares disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Eu conheço o trabalho do Haruki Murakami bem por alto, sei que ele escreveu a trilogia "1Q84" que está na minha lista de desejados, mas ainda não li muitas resenhas de outras obras além dessa. Gostei muito da premissa de "Sono" e toda essa coisa mirabolante por volta dos livros do autor me deixa ainda mais curiosa, mas confesso que essa questão da abordagem limitada por me incomodar um pouco. E pena que o livro tem spoilers do "Anna Karenina", ainda não li esse clássico e não quero saber o seu desfecho por outro meio. Abçs
Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Bianca Dickmann disse...

Oi, tudo bom?
Já ouvi muitas pessoas falarem bem desse autor, mas nunca me interessei nem pesquisei sobre suas histórias. Pelo que você constatou, ele tem uma escrita bem diferente.
Confesso que iria ficar muito curiosa em relação de o porque da insônia D:
Beijos, lendocomabianca.blogspot.com

Soraya Abuchaim disse...

Oi, Alê!
Nossa, não conhecia nada do autor, só de nome, mas achei o máximo sua resenha desse conto.
Aliás, sou uma entusiasta de contos.... adorei a dica!

Beijos

Meu Meio Devaneio

RUDYNALVA disse...

Alê!
O estranhamento já começa quando, após vários dias de privação do sono, a protagonista se sente bem. Neurologicamente falando é impossível, entretanto, comom é ficção, temos de aceitar...
Acredito que o livro sirva mais como uma reflexão de como conduzimos nossas vidas.
Gosto dos finais abertos porque dão margem a imaginarmos da forma que achamos melhor.
Nunca li nada do autor, porém como gosto de leituras 'loucas' e diferentes, gostaria de conferir.
“Tão bom morrer de amor! e continuar vivendo...”(Mario Quintana)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participe no nosso Top Comentarista!

Paola Severo disse...

Oi Alê, adorei a resenha. Gostei muito do que já li do Murakami e não conhecia esse livro ainda, com certeza leria. Sobre os spoiler de Anna Karenina, já peguei vários também e desanimei na leitura, pretendo tentar de novo em alguns meses mesmo sabendo o final :(

Beeijo, Paola
uma-leitora.blogspot.com.br

André Inácio disse...

Oi Alê, ótima resenha. Fiquei interessado, se eu for ler provavelmente farei só depois de ler Anna Karenina, um dos meus objetivos de leitura hahahaha

http://maisumaleitura.blogspot.com.br/

Tamara Costa disse...

Gostei da premissa e apesar de louco eu leria porque os outros livros do Murakami me assustam um pouco rs (também não entendo as sinopses).

Ju M disse...

Acredito que o livro prenda mesmo o leitor, sua resenha sobre o livro já fez isso comigo! Muito interessantes essa premissa! Não gosto muito de finais abertos, em não saber direito o que pensar, fico pensando que o autor deixou margem para se quiser escrever outro livro como continuação.

Ainda assim quero conferir o livro, achei muito interessante!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger