quarta-feira, 18 de maio de 2016

Conversa de Contracapa # 28

Conversa de Contracapa é coluna off topic do blog Além da Contracapa. Sem limitação temática, iremos explorar todo e qualquer assunto relacionado ao mundo da literatura. 

Foram anunciados os dados da 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo IBOPE e encomendada pelo Instituto Pró-Livro, e resolvi fazer uma breve análise sobre os números apresentados. 

Se por um lado o número de leitores no Brasil subiu de 50% para 56% quando comparado com a última edição da pesquisa, os novos números apontam para algumas informações preocupantes. 

Um dos dados que mais me impressionou é que apenas 25% dos entrevistados lê por gosto, ou seja, me parece que ainda não desenvolvemos a cultura de ler por entretenimento, por prazer. Tal fato é corroborado por outra constatação da pesquisa: no tempo livre, os entrevistados preferem assistir TV, ouvir música, usar a internet, reunir-se com amigos e até mesmo usar o aplicativo Whats App. A leitura aparece na 10º posição. 

Aos não leitores perguntou-se por que motivo não liam. Como respostas tivemos: falta de tempo, o fato de não gostarem ou não terem paciência para ler, e preferirem outras atividades. Além disso, 20% se declararam analfabetos e outros 9% afirmaram ter dificuldades para ler. E a falha ao alfabetizar é tão preocupante quanto a falha em ensinar o gosto pela leitura. Afinal, já dizia Mario Quintana: "O verdadeiro analfabeto é aquele que sabe ler, mas não lê".

Creio que uma das informações mais alarmantes da pesquisa diz respeito aos professores. Indagados sobre qual tinha sido o último livro que leram, 50% responderam nenhum, enquanto outros 22% responderam a Bíblia. É fato notório que esta profissão não é valorizada, não há investimento na qualificação, entre tantos outros problemas. Mas o mínimo que se pode esperar de alguém que difunde o conhecimento é o hábito da leitura. E como esperar que pessoas que não têm tal hábito formem alunos que vejam nos livros uma fonte de prazer? Não surpreende que apenas 7% dos entrevistados mencione as dicas dos professores como uma influência na hora de escolher um livro. 

Outro dado alarmante é que, nos últimos três meses, 74% dos entrevistados não adquiriu sequer um livro. Tal fato até poderia ser justificado pela crise econômica, que apertou o orçamento dos brasileiros, associado aos altos preços dos livros. Entretanto, isso não explica por que 30% dos participantes nunca comprou um livro. Assim, fica claro que, se por um lado falhamos em criar uma cultura de leitura, por outro se percebe a falta de acessibilidade aos livros, fatores estes que certamente se retroalimentam. 

Mas entre esses dados assustadores, um deles chama atenção positivamente: 42% dos adolescentes e 40% das crianças leem por gosto, não por obrigação. De alguma forma, mesmo competindo com inúmeras formas de entretenimento, a leitura ainda consegue cativar o jovem. E é isso que me dá esperança de que estes dados mudarão. 

Se hoje apenas 33% dos entrevistados tiveram algum incentivo para ler durante sua vida, tenho certeza de que esta nova geração fará um trabalho melhor que o nosso propagando o amor pela leitura. Se estes jovens já foram conquistados pela leitura, a despeito da falta de incentivo, imagine o que acontecerá quando esse panorama for alterado.



16 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Gostei muito dessa conversa. Realmente, o brasileiro não tem hábito de leitura por gosto. Eu creio que isso vem desde a escola, que somos obrigados a ler alguns livros.
Eu acho que outro fato que influencia é o preço dos livros no Brasil. Comparado com outros países, eles são caros. Aí a pessoa pensa: com esse dinheiro, eu poderia comprar isso, isso e isso.
Beijos
Balaio de Babados

Diane disse...

Oie...
Gostei bastante desse post, mas, ao mesmo tempo fiquei triste com ele... Principalmente, em relação aos professores, porque, eles deveriam ser os incentivadores á leitura e não contribuir para que esse hábito fique extinto. É muito triste também saber que as vezes um livro pode ser trocado pelo whatsap, tv e outras coisas mais.
Mas, enfim é bom saber que ainda existem jovens e crianças que praticam a leitura, como é o caso de todos nós blogueiros literários e esses 42% e 40% de adolescentes e crianças.
Parabéns pelo post!

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Sil disse...

Olá, Alê.
Não tinha conhecimentos desses números. Nossa é até vergonhoso. Eu acredito nisso dos professores, porque tenho uma amiga professora que se leu um livro na vida por vontade foi muito. Eu sempre ouço as pessoas falando que ler dá sono e tem uma das meninas que trabalham comigo que dizia isso. Dai eu fiz um desafio para ela e perguntei o que ela gostava de assistir. Como ela tinha amado o filme Cinquenta tons eu comprei a trilogia para ela. Ela leu em uma semana e de lá para cá já leu mais quatro livros que eu emprestei, entre eles O Pequeno Príncipe. E ela não quer mais parar. Acho que tem que começar com coisas que gostamos para ver que a leitura é algo gostoso de se fazer e não algo chato e que dá sono.

Blog Prefácio

Gabriela CZ disse...

Vi sobre essa pesquisa no jornal da TV Cultura ontem, Alê, mas não tinha visto esse dado dos professores. É mesmo alarmante. E até entendo quando alguém diz não ler por falta de tempo e usar o tempo livre para os amigos, mas a preguiça e o whatsapp são desculpas que me dão nos nervos. Por outro lado, se essas crianças que nasceram na era da informatização tem um alto índice de leitores por prazer então podemos ter esperança. Ótimo texto.

Beijos!

Bruna Lago disse...

Olha, quando vemos os números de leitores subindo é mesmo uma delicia de sentimento. Na minha opinião, o que muda o mundo é a leitura.
Porem, vêm os dados mais tristes ne.. Se eu pudesse ficaria 24 horas grudada no livro, mas claro, temos outras obrigações. Seria lindo se todos enxergássemos a leitura como um momento prazeroso, aqueles que não sabem o que é isso tao perdendo historias incríveis.
Conheço varias pessoas que me falam que não gostam de ler, simples assim. Como citado, preferem assistir ou jogar algo. Não critico, claro que todos temos atividades que maos gostamos, mas acho digno que essas pessoas deveriam ao menos dar uma chance a leitura.
Fiquei triste com esses dados sobre os professores, que seriam aqueles que têm o poder de disseminar a leitura. Uma pena que nossa cultura seja tao longe da realidade dos livros.

Vanessa Vieira disse...

Gostei do post Alexandre. Infelizmente é triste se deparar com tais números a respeito da leitura dos brasileiros. Talvez esse seja um dos agravantes que tem tornado o povo cada vez mais alienado e massificado. Abraço!

www.newsnessa.com

Tony Lucas disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Se nem os professores têm o hábito de ler, fica difícil os alunos se interessarem pela leitura, né? Que coisa feia... Eu, até um tempo atrás, estava um pouco desenganado com esse cenário. Mas recentemente, algo me surpreendeu: a cada dia que se passa encontro mais e mais pessoas lendo livros! Anteontem mesmo vi uma menina lendo "Como Eu Era Antes De Você"... Isso me deixa feliz e com esperança de que as coisas possam mudar para melhor. Adorei o post! :)

Abraço

https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Não sei se é por que desde dos meus três/quatro anos meu pai me incentivava a ler, mas fico tão triste quando vejo ou ouço pessoas dizendo que não gostam de ler, ou que só leem por "obrigação". E o pior é ver que os professores aqueles que tem nas mãos o poder de mudar isso, não fazem nada para melhorar as coisas =/

Muito triste esses dados ... é de corta o coração na verdade.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Caverna Literária disse...

A falta de tempo é um motivo bem compreensível, e acho que os jovens serem o público que mais lê traz esperança, afinal, a leitura é uma fonte de aprendizado e cultura super importante pra eles.

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Sou professor e posso confirmar que a pior das perspectivas é a do professor. Eu tenho colegas de profissão, inclusive de português, que não possuem a prática leitora. O mínimo que se espera de um professor é que ele leia ao menos o conteúdo da sua área.
Um alento, ao menos, é perceber que os jovens leem por gosto. Torço para que o cenário, nesse caso, melhore ainda mais.
Ótima postagem.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

Cabine de Leitura disse...

Olá Alê;
Fiz uma breve postagem sobre este assunto na Cabine e confesso que apesar deste aumento de 6% no número de leitores muitos números me impressionaram. Fiquei impressionada, enfim... Torcer para que este cenário mude, afinal os brasileiros pedem tanta cultura nas redes sociais, não é mesmo?!

Beijos.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/

Carolina Garcia disse...

Olá, Alê!

Concordo com tudo o que disse! Mas não fiquei surpresa com o baixo número de pessoas que leem por prazer ou mesmo das pessoas que leem.
Infelizmente é uma realidade no Brasil.

Acredito que para melhorar o incentivo da leitura também seja necessário melhor o ensino e outras necessidades básicas como o ensino e a segurança. Países com uma qualidade de vida melhor que a nossa tem um média de livros bem mais alta.

Outra questão que acho muito importante para o incentivo à leitura é tirar a obrigatoriedade da leitura para as crianças. Por exemplo, no Japão os professores não obrigam as crianças a lerem determinado livro. Lá eles criam uma lista com xx títulos nos quais os alunos devem escolher pelo menos um para ler e fazer um trabalho sério sobre a história depois.
Assim, a criança escolhe o próprio livro e começa decidir quais são seus gostos literários.

Eu já disse para algumas pessoas que todo mundo gosta de ler, algumas pessoas apenas não encontraram ainda o que gostam de ler.
E acho que é isso mesmo porque quando você lê algo que gosta, isso se torna um vício e é simplesmente impossível parar. :)

Espero que um dia a situação melhore no país. Um livro de cada vez, certo?

Bjs

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Thuanne Souza disse...

São dados bem tristes. Ter o hábito da leitura é tão bom, pena que muita gente ainda não se deu conta disso. Espero que o dia isso mude.
Muita gente não tem acesso, é verdade, mas muitas outras não leem por que não querem e isso é realmente triste.

suzana cariri disse...

Oi!
Gostei muito desse post, realmente alguns dados já dão para nos imagina, mas é nem triste quando a gente ver que realmente é, gostei muito de ver que o numero de leitores está aumentando mesmo sendo pouco da esperança que a cada ano suba, mas tem dados realmente alarmante, mas fico feliz de ver que as crianças e adolescentes estão criado o gosto dela leitura !!

Ana I. J. Mercury disse...

Nossa Alê, é muitooooo preocupante mesmo!!!
Uma pena que a leitura seja tão pouco valorizada.
Eu comecei a ler por incentivo da família e de professores, tive sorte. Desde cedo.
Mas conheço pessoas que quando digo que to ansiosa pra comprar um livro, dizem "livros pra que? Não enche barriga."
Pois é, muito triste, eu fico pê da vida com isso, porque pra mim, leitura é tudoooooo de incrível, na verdade, é meu único entretenimento kkkkk
Espero que essa juventude de hoje possa mudar essa questão, assim como, os adultos também, possam ler mais e consequentemente sonhar mais com um futuro melhor em todas as áreas.
bjss

David Galan disse...

São dados realmente alarmantes, eu sempre fui incentivado a ler desde pequeno e peguei gosto pela leitura, por descobrir novas estórias, desvendar novos mundos, adquiro um novo livro sempre que posso mesmo que não esteja com condições para isso, mas sempre tento aproveitar as promoções, que as novas gerações leiam mais e propagem isso para os mais velhos, que a alfabetização melhore e as pessoas realmente compreendam o que leem, a realidade será melhor com mais leitores e mais conhecimento adquirido.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger