quarta-feira, 29 de junho de 2016

RESENHA: O Fim da Infância

“Nenhuma Utopia jamais poderá dar satisfação a todo mundo, o tempo todo.” (CLARKE, 2010, p. 119). 

***

Arthur C. Clarke é um dos autores mais conceituados da ficção científica e para meu primeiro contato com sua obra, escolhi o livro O Fim da Infância, indicado pelo grão-almirante da Editora Aleph, Adriano Former. 

No início da Guerra Fria, durante a corrida espacial travada entre Estados Unidos e União Soviética, a humanidade descobre que nenhum destes países irá vencer a disputa. Uma raça alienígena mais inteligente e com uma tecnologia mais avançada chegou à Terra, a qual pretende governar. Os Senhores Supremos conduzem a humanidade a um período de prosperidade, pondo um fim à fome, às guerras e à miséria. Entretanto, eles não permitem que os homens os vejam, tampouco que explorem o universo, o que causa desconfiança entre alguns grupos resistentes a este governo. 

A narrativa de Clarke flui com naturalidade e rapidamente envolve o leitor, imergindo-o no contexto da estória. Outro fator que merece destaque é a habilidade do autor em manter o suspense acerca dos Senhores Supremos — não apenas sobre sua identidade, mas principalmente sobre suas intenções —, dando respostas que sempre geram mais questionamentos. 

A trama de O Fim da Infância é quase como uma colcha de retalhos, pois cobre um período de duzentos anos, de modo que não há um protagonista, alguém que conduza a estória. Creio que em virtude desta ausência de um personagem principal, há um certo distanciamento entre a obra e o leitor, pois este não tem alguém com quem se conectar.

Impossível não elogiar a genialidade de Clarke, não apenas por suas ideias sobre o possível contato com uma cultura alienígena e as consequências de um salto tecnológico abrupto, mas também por aproveitar a estória para trazer à tona temas como liberdade, livre arbítrio, poder, religião, decadência cultural, entre outros. 

O Fim da Infância é deliciosamente imprevisível e Clarke com certeza utilizou o tema “invasão alienígena” de forma original, criativa e, acima de tudo, reflexiva. O desfecho amarra as pontas soltas da trama, entretanto, não dá todas as respostas que um leitor que gosta de todos os pingos nos is poderia esperar. Acrescento também que apenas no final da leitura fica claro o sentido do título do livro, sendo impossível não apreciar ainda mais a genialidade do autor. 

O Fim da Infância é o tipo de livro que mostra que ficção científica pode ser tão impactante quanto qualquer outro gênero, fazendo o leitor refletir não apenas sobre a estória, mas também sobre o futuro da humanidade. E depois de uma experiência tão forte, é impossível não ficar com vontade de conferir outras obras do autor. 

Esta edição inclui o conto Anjo da Guarda, que posteriormente deu origem ao livro, bem como uma versão alternativa do primeiro capítulo

O Fim da Infância foi adaptado em uma minissérie de três episódios pelo canal SyFy (clique aqui para assistir ao trailer).

Título: O Fim da Infância (exemplar cedido pela editora)
Autor: Arthur C. Clarke
N. de páginas: 319
Editora: Aleph

12 comentários:

Camila Monteiro disse...

Tenho um probleminha com função científica. Mas adorei essa sua resenha. Eu precisoer outras coisas porque. Ão conheço muitas obras desse gênero ,posso estar julgando errado. Vou procurar essa sua indicação. Valeu!

>> Vida Complicada <<

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Eu não sabia que havia sido adaptado... Vou já procurar.
Ficção científica e distopias são dois gêneros que me fazem pensar muito sobre o futuro da humanidade.
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Desde que você postou a foto do livro no Instagram, estava aguardando a resenha. Fico feliz que, após lê-la, saber que a obra traz exatamente o que eu imaginava: um enredo diferenciado, reflexões e uma obra que mostra todo o potencial que a FC possui.
Só li um livro desse autor e encontrei exatamente o mesmo na obra. Li As Fontes do Paraíso.
Sem dúvidas, obra resenha. A obra vai para a lista de desejadas.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

Diane disse...

Oie...
Adorei a sua resenha e pelas suas palavras parece que o autor é extremamente talentoso! Porém, acho que não é um livro pra mim, não que eu tenha achado ruim e sim que não é o tipo de leitura que estou habituada a ler.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Bruna Vieira disse...

Adorei a resenha, o livro parece ser bem interessante, nunca li nada do gênero, mas espero poder ler em breve :)
Beijo*
http://umminutoumlivro.blogspot.com.br/

Ana I. J. Mercury disse...

Não costumo ler muito ficção científica, mas fiquei curiosa por esse, ainda mais falando de alienígenas e tal. Bem diferente do que já li.
Anotado aqui.
Vou procurar para lê-lo, preciso me aventurar mais nesse gênero.
bjos
Ana,
elvisgatao.blogspot.com

suzana cariri disse...

Oi!
Ainda não li nada do autor, mas achei essa historia bem interessante, principalmente pelo contexto historia que temos e por esse período tão longo que o livro cobre, a unica coisa que não gostei muito foi não temos um personagem como referia no livro todo !!

Gabriela CZ disse...

Já faz um tempo que cultivo a vontade de ler algo de Arthur C. Clarke mas sem saber por onde começar. E seus comentários me fazem querer começar por esse, Alê. Confesso que o fato de não ter protagonistas me preocupa um pouco, mas se mesmo assim impressiona tanto vou embarcar nessa. Vou ler! Ótima resenha.

Beijos!

Mari Dahrug disse...

Acho que nunca li um livro desse estilo, de ficção e sem protagonista, achei muito interessante. Já ouvi falar muito bem do autor!

Beijos

http://www.rabiskos.com.br/

Ariane Reis. disse...

Oie Ale =)

Não conhecia o livro, mas gosto bastante de ficção científica ainda mais se envolve aliens rs... Pela sua resenha deu para perceber que a narrativa é bem envolvente e o trailer me deixou bem curiosa para saber mais.

Ótima resenha!

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Mandy disse...

Não costumo ler ficção científica mas sua resenha me deixou bem curiosa,
Vou ver se assisto a mini série e se curtir procuro o livro,
As capas da Aleph são sempre lindas né,
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!

Esse é um dos meus livros desejados no momento e você aumentou minha vontade em tê-lo! Hahaha
Tive que dar uma pausa nas ficções e fantasias para variar os gêneros e não ficar presa em uma área só, mas eles sempre chamam minha atenção.

Adorei ter uma ideia melhor de como é a história e com certeza esse livro fará parte da minha próxima compra! :)

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger