domingo, 11 de dezembro de 2016

RESENHA: Alerta de Risco

“As pessoas são sonhos, estranheza e falta de jeito.” (GAIMAN, 2016, p.236)

Acredito que alguns autores transcendem gêneros literários. Não apenas porque escrevem os mais variados tipos de tramas, mas porque seus nomes se transformam em gêneros próprios. Sempre tive a impressão de que Neil Gaiman era um desses autores e o que me atraiu em “Alerta de Risco”, uma coletânea de seus contos escritos nas mais diversas épocas e pelos mais diversos argumentos, foi justamente entender um pouquinho do que significa o universo que leva o nome deste autor.

“Alerta de Risco” é um verdadeiro atestado de criatividade. Os formatos são os mais diversos (poemas, contos curtos, contos longos), as temáticas e os personagens também (caçadores, gênio da lâmpada, estátuas, crianças, piratas, são alguns exemplos). No prefácio, o próprio autor revela que encara os contos como uma oportunidade de experimentar e, até mesmo, cometer erros. O resultado é que temos terror, fábulas, ficção científica, contos de fadas, entre outros. Como consequência, é claro que alguns desses experimentos dão mais certo que outros.

Aliás, o prefácio em si merece destaque. Nele, Gaiman revela como surgiu a ideia de cada história e é muito interessante descobrir qual era a intenção do autor com elas ou qual foi aquela pequena faísca que o fez querer escreve-las. Ele também revela que muitos destes contos foram encomendados (um deles, “Hora Nenhuma” foi escrito para a antologia “Dr.Who: 12 doutores, 12 histórias” – diga-se de passagem que este foi um dos meus contos favoritos de “Alerta de Risco”). O que impressiona é que, ao mesmo tempo em que Gaiman é abordado para escrever uma história de ficção científica, o mesmo ocorre para histórias sobre cartas de amor, por exemplo. Ao ler “Alerta de Risco” é fácil entender porquê: Gaiman consegue escrever de tudo e faz isso sem parecer que está atirando para todos os lados e sim dando o seu toque particular a cada tema. Para mim, uma das principais características do autor é a estranheza.

No geral, os contos de “Alerta de Risco” não buscam respostas ou desfechos. Apenas despertar algo no leitor, seja um sentimento ou uma lembrança. Por se tratar de um livro de contos, é normal que nem todos possuam a mesma qualidade ou cativem da mesma forma. Eu, particularmente, destaco como favoritos “Laranja” (que adota o curioso formato de respostas de uma entrevista), “E vou chorar, como Alexandre” (em que o personagem é um “desinventor”), “Um calendário de contos” (doze contos dedicados a cada um dos meses do ano, cujas temáticas foram sugestões de leitores pelo twitter) e “Terminações femininas” (narrado por uma estátua).

Mas confesso que, mesmo apreciando a criatividade envolvida nas histórias, não consegui me envolver com elas tanto quanto imaginava. Talvez a mistura histórias curtas e temas muito diversos tenha sido a responsável por isso. Se a temática de todos os contos fosse a mesma, haveria um contexto. Se fossem histórias mais extensas, haveria tempo para se absorver cada uma aos poucos. Mas de maneira como “Alerta de Risco” se configura, me senti como se estivesse um pulando de uma coisa para outra o tempo inteiro.

Mas valeu a experiência, pois li para ter um gostinho do que é Neil Gaiman e certamente tive. Só que Gaiman não tem um gostinho único. Tem todos os sabores.

Título: Alerta de Risco (exemplar cedido pela editora)
Autor: Neil Gaiman
N° de páginas: 304
Editora: Intrínseca

12 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Nunca li nada do Gaiman, mas acho que não começaria por esse livro, apesar de gostar de contos.
Beijos
Balaio de Babados
Promoção Natal Literário
Participe do Sorteio de Fim de Ano
Participe da promoção três anos de Um Oceano de Histórias

Gabriela CZ disse...

Seus comentários me deixaram com vontade de encomendar o livro imediatamente, Mari. Apesar da minha experiência com Stardust ter sido um tanto frustrante tenho muita vontade de ler mais de Neil Gaiman, até comprei Deuses Americanos recentemente. Já estava curiosa por Alerta de Risco e fiquei mais agora. Ótima resenha.

Beijos!
Portal Andar de Cima

RUDYNALVA disse...

Mari!
Além de descobrirmos um Gaiman diversificado em suas diversas facetas literárias, para mim, o que achou uma ressalva no livro, é o que tem de melhor: histórias rápidas, algumas sem desfecho e com uma diversidade de assunto grande.
“O verdadeiro sentido do Natal não está nos presentes e nem no papai noel, mas sim no nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para nos libertar do pecado e ser o nosso único salvador!” (Andréia Godoi)
Boas Festas!
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Mari, tudo bem?

Estava hoje mesmo pensando que preciso ler alguma coisa do Gaiman, mas não sabia por onde começar. Agora já sei. Gosto da estrutura de contos e mesmo não tendo um grande envolvimento, parece ser interessante!!

Adorei a resenha!

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Alice Duarte disse...

Oiii Mari

Nunca li nada do Gaiman e tenho curiosidade, é um daqueles autores que parece que não deixa ninguém indiferente. vou deixar esse livro anotadinho na minha lista, pra quando surgir a oportunidade

Beijos

Resenha Atual

Bárbara disse...

Oi Mari, td bem?

Conheci Neil Gaiman através do livro 'O Oceano no Fim do Caminho' e senti muito isso, ele é o seu próprio gênero! Não há nada parecido...depois desse não li mais e nem sabia desse livro de contos!

Vou procurar, mesmo vc fldo que não se envolveu tanto, acredito tb que seja por serem curtos e cada um com uma temática diferente, é Gaiman né? rs

Beijos, Bá.
http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Nunca li nenhum livro do autor, porém sempre tive vontade de conhecer algumas de suas obras.

E como gostei deste livro acho que seria ótimo começar por este.

Eduarda Rozemberg disse...

Eu tenho começado a apreciar livros de contos e na diversidade de temas que eles trazem. E já ouvi falar muito bem desse autor, a capa é bonita e por isso fiquei bem curiosa. Adorei a resenha, está super completa.
Um abraço!

http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

Tony Lucas disse...

Oi, Mari! Tudo bem? Tenho muita vontade de ler algo do Gaiman. Mas isso nunca acontece. Achei extremamente interessante a estrutura desse livro e confesso que achei que ele será bom para o meu começo com o autor. Espero lê-lo em breve. Adorei a resenha! :)

Abraço

https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Mari.
Realmente o autor tem essa aura de ser um próprio gênero. Apesar de pouco ter conferido do seu trabalho, gostei de tudo que li. A forma como ele constrói enredos me anima grandemente.
Quanto a esse livro especificamente, talvez essa alternância entre contos longos e curtos quebre um pouco o clima da obra. Ainda assim, parece trazer temas interessantes. Então, darei uma chance.
Ótima resenha.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de dezembro. Serão dois vencedores, dividindo 3 livros.

Luciana Campos disse...

Oi, Mari!
Sou mais uma que nunca leu nada do Gaiman, mas tenho muita curiosidade. Também não sou muito chegada a contos por dificilmente conseguir me envolver com histórias tão curtas, mas considerando que nessas o autor dá uma noção do que o inspirou a escrever a história, imagino que isso possa me envolver e entusiasmar mais que o normal. E fora que os temas como um todo são bem no estilo de leitura que eu gosto.

Ana I. J. Mercury disse...

A sua resenha me deixou curiosa para saber de toda essa criatividade do autor e tal.
Mas tenho um pé atrás com o Gaiman, porque não gostei da maioria dos livros dele que li kkkkk pois é!!
Vou anotar aqui, vamos ver se dou uma chance mais pra frente, até porque amo contos.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger