terça-feira, 17 de setembro de 2019

TAG: Celebrating King


O Além da Contracapa divide o mês do seu aniversário com um dos nossos autores favoritos: Stephen King. Então, como um dos conteúdos comemorativos deste mês, decidimos trazer para vocês um post diferente: a TAG Celebrating King, para vocês entenderem um pouquinho mais da nossa relação com o autor. 


Como você descobriu o autor?

Alê: Sempre ouvi falar muito do autor, especialmente depois que entrei para a blogosfera literária. 

Mari: Não sei se foi exatamente uma descoberta. Acredito que Stephen King seja um daqueles autores de quem sempre ouvimos falar, até que um dia eles caem nas nossas mãos. 

Quantos livros do Stephen King você tem?

Alê: 31

Mari: 14

Qual foi o seu primeiro King lido?

Alê: Meu primeiro contato com o autor foi com O Pistoleiro, o primeiro volume da saga A Torre Negra. Porém, o livro não me envolveu e li poucos capítulos antes de desistir. Anos depois tentei ler O Iluminado, porém, eu e a Mari acabamos vendo o filme antes de terminar a leitura. Como o filme não me empolgou, acabei desistindo mais uma vez. Assim, considero que o primeiro livro lido do autor foi Sob a Redoma

Mari: Tudo é Eventual, um livro de contos que, confesso, não gostei. Inclusive me recordo de ter abandonado as últimas histórias. 

Quando você começou a ser fã?

Alê: Me tornei fã logo após a leitura de Sob a Redoma. O calhamaço de mais de 900 páginas me mostrou a genialidade do autor, que criou uma trama homérica, sem perder o fio da meada, e mantendo o leitor preso na estória do início ao fim.  

Mari: Tendo iniciado com uma experiência negativa, emendei duas positivas na sequência (foram elas O Iluminado e Carrie), mas o livro que me tornou fã mesmo foi Sob a Redoma. Foi com ele que eu entendi o que torna a obra de King tão especial. Sim, algumas premissas são estapafúrdias e sim muitas usam do sobrenatural (tema que não me atrai muito), mas a história da cidadezinha que, de uma hora para outra, fica presa sob uma redoma invisível me mostrou que esses elementos são usados pelo autor apenas para colocar os personagens em situações extremas que de outra forma eles não estariam. É para extrair deles emoções e reações que de outra forma não viriam à tona. Para mim, é isso que torna Stephen King um autor genial. 


Livro favorito do Stephen King?

Alê: Pergunta difícil. Acho que não sei escolher entre Sob a Redoma, Novembro de 63 e Doutor Estranho

Mari: Vou roubar nessa: Escuridão Total, Sem Estrelas (por apresentar quatro contos impecáveis); Sobre a escrita (uma verdadeira aula para qualquer um que goste de escrever, ainda mais para aqueles que admiram King) e Sob a Redoma (pela maneira como me fez enxergar o autor)

Qual livro do Stephen King te deu mais medo?

Alê: Apesar do autor ser conhecido como Mestre do Terror, não senti medo em nenhum de seus livros. É claro que algumas obras, como It, a Coisa e O Iluminado, contam com cenas mais tensas, que transmitem uma atmosfera de tensão e angústia. Mas não chegou a ser medo. 

Mari: Nenhum. Não sou do tipo medrosa para livros. 

Qual livro do Stephen King você menos gostou?

Alê: Saco de Ossos. A obra que era uma das minhas maiores expectativas literárias se revelou uma das minhas maiores decepções. O livro me pareceu patinar demais, ter estória de menos e mesmo contando com diversos elementos sobrenaturais, não conseguiu provocar medo. 

Mari: Tudo é Eventual, o único que desisti da leitura. 


O que você mais gosta no estilo do Stephen King?

Alê: Os personagens sempre são o ponto forte do autor. Fico impressionado com a capacidade de King em criar personagens verossímeis e bem desenvolvidos. Geralmente, seus livros contam com protagonistas cativantes e que logo conquistam o leitor. Ainda mais impressionante são os antagonistas: é incrível como King consegue fazer nosso sangue ferver e provocar tantas emoções por causa de seus vilões. 

Mari: A habilidade de transformar qualquer coisa, por menor ou mais absurda que seja, em uma história que não deixa o leitor piscar. King é capaz de nos fazer acreditar em qualquer coisa (até em carros malignos) e isso é um talento de poucos. 

O que você acha das adaptações das obras do autor?

Alê: Não sou cinéfilo de carteirinha, mas creio que as adaptações não conseguem transmitir toda a profundidade que os livros carregam, tampouco geram o mesmo impacto. 

Mari: Acredito que isso varie muito de adaptação para adaptação. Algumas são excelentes e fiéis, outras são ótimos filmes/séries mesmo que tomando algumas liberdades em relação à obra original (e é preciso saber diferenciar uma coisa da outra), e algumas são péssimas. Não podemos generalizar, não quando existem tantas adaptações. 


Adaptação favorita?

Alê: It, a Coisa. Assisti apenas a primeira parte, mas certamente foi a adaptação que mais gostei, sobretudo, porque não curti tanto assim o livro. Não me entenda mal: gosto da estória de It, porém, a estrutura adotada pelo autor não funcionou comigo. King vai e volta no tempo diversas vezes, pois acompanhamos dois núcleos temporais, um com os protagonistas crianças e outro com eles adultos. Meu problema é que ao ir e voltar no tempo, a estória parece não se desenvolver. E quando me envolvia com alguns dos arcos narrativos, era subitamente jogado para a outra linha temporal. Dessa forma, a adaptação corrigiu minha única critica ao livro e ainda manteve-se fiel ao restante da estória. 

Mari: Conta Comigo. Filme de 1986, de Rob Reiner (que também dirigiu a adaptação do ótimo Misery), com River Phoenix, Jerry O'Connel e Kiefer Sutherland. O filme é a adaptação do conto O Corpo, do livro Quatro Estações, uma das minhas histórias favoritas de King e que, inclusive, foge bastante da temática que costumamos associar a ele. O Corpo é um cativante história de amizade entre quatro meninos de 12 anos e uma breve, mas marcante, jornada. Adoro as duas versões (tanto a original, quanto a cinematográfica) dessa história. 

12 comentários:

O Vazio na Flor disse...

Mestre king!!!Tão gostoso esse jogo de perguntas feito acima,pois a gente vai lendo e revivendo não somente os livros na memória, mas também todas as adaptações que já foram feitas.
Ainda mais agora que It, parte 2 tem dado tanto o que falar(preciso ainda ver)
Amo as obras do autor e apesar de já ter lido muitas, tenho pouquíssimos livros do autor.
O conheci na época escolar e claro que adorei de cara. Tenho medo de filem de terror(só assisto de dia),mas em contrapartida, amo o terror escrito e oh, King é psicológico. Ele mexe com a mente..rs a mente do ser humano!!!
Amei o post!
Beijo

Nil Macedo disse...

Mestre King! Muito legal vocês terem compartilhado essa relação com o autor.
Sabe que, apesar dele ser o mestre do terror, eu também nunca senti medo lendo os livros dele. Já as adaptações, aí, às vezes, pode dar um certo calafrio, aquele susto gostoso. kkkkkkkkk
Eu estou aqui só aguardando a mostra que terá dele, seus livros e adaptações aqui em SP.

RUDYNALVA disse...

Alê e Mari!
Amei a postagem.
Sou fã de King, mas ainda não cheguei a ler tantos livros quantos vocês.
Gostei demais de Sob Redoma (e como gosto de filmes), assisti a série e muitas das adaptações e concordo, algumas são ótimas, outras um tanto modificadas.
It é tudo de bom, adorei!
cheirinhos
Rudy

Ludyanne Carvalho disse...

Que legal conhecer esse amor que vocês tem pelo King.
Nunca li nada do autor, mas concordo com a Mari de que ele é um autor que sempre ouvimos falar, até que surge a chance de ler.
Confesso que sou bem resistente em ler algo dele; mas estou descobrindo que ele escreve vários gêneros e que muitos não são terror, foi bom saber que não sentem medo. Apesar que eu sou bem medrosa.

Beijos

Rayssa Bonai disse...

Olá! ♡ Nunca li nada do Stephen King e no momento confesso que não sinto tanta vontade de conhecer suas histórias, ultimamente tenho preferido histórias um pouco mais leves, mas quem sabe mais pra frente. Apesar de que tenho curiosidade acerca da escrita do autor, já que todos sempre falam bem da mesma e admito que gostei muito do fato do King criar personagens próximos da realidade e os desenvolver muito bem. Não duvido de que o King é um autor incrível, todo mundo sempre elogia sua genialidade.
Fiquei interessada por Sobre a Escrita, eu adoraria escrever melhor e com certeza o autor tem muito para ensinar sobre escrita.
Gostei do post, foi interessante ver a relação que vocês têm com o King.
Beijos! ♡

mirian kelly disse...

Que interessante essa TAG. Foi bom saber que se tornaram fãns apartir da leitura de Sob a Redoma, játenho uma ideia de o que ler dele primeiro. E eu adoro o filme It a coisa, embora não tenha vontade de ler o livro. Gostei de saber a relação de vocês com o autor e ver que cada um tem uma experiência diferente.

Rayane B. de Sá disse...

Oiii ❤ Deve ser maravilhoso que o blog faça aniversário no mesmo mês de um dos seus autores favoritos.
Nunca vi responderem essa tag, então foi bem legal acompanhar as respostas de vocês.
Realmente, Stephen King é aquele autor que mesmo quem não costuma ler terror, como no meu caso, já ouviu falar.
Legal que vocês dois se tornaram fãs do autor ao ler Sob a Redoma. Que livro enorme, hein!
Queria não ter medo de certos livros que nem a Mari.
Sempre ouço que o autor é impecável na hora de criar personagens, esse é dos motivos que me deixam curiosa sobre a escrita do autor.
Beijos ❤

Luana Martins disse...

Olá!
Adorei essa tag sobre King.
Nunca li nada do autor, mas gostei de saber que os livros do autor não dão aquele medo que os filmes transmite.
Espero que quando surgir oportunidade de ler King eu não sinta medo, confesso que sou medrosa.
Coincidência o blog e King fazer aniversário no mesmo mês, fico feliz que ele é o autor favorito de ambos.
Beijos

Giovanna Talamini disse...

Oie!

Ao longo da entrevista, fui tentando me identificar com as falas de um de vocês dois, mas ao final percebi que sou uma mistura de vocês kkkkk
Na minha opinião, a adaptação de 1990 de It é mais legal do que a mais recente.

Ana I. J. Mercury disse...

Oi Mari e Alê!
Adorei a tag!
Descobri mais coisas sobre o King lendo as respostas de vocês e o mais legal é ver os livros que não curtiram também. Eu sempre me sinto culpada ao não gostar de um livro de um autor preferido! kkk
Aii, depois dessa preciso ler Sob a redoma!
Estou curiosíssima!
bjs

Ana Paula Santos Moreira disse...

Nada como ler algo relacionado ao seu autor preferida. Amei as perfuntas e respostas, é difícil não gostar de Stephen King, para mim um dos melhores da atualidade.

Marta Izabel disse...

Adorei a Tag Celebrating King!! E gostei muito conhecer um pouco da experiência de cada um com o mestre King!!
Bjs

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger