domingo, 25 de março de 2012

RESENHA: A Cadeira Vazia

"Não havia mais nada? Em uma cena onde um perpetrador mata uma pessoa e seqüestra outra há prova suficiente para fazer um filme sobre quem fez o quê com quem e, provavelmente, o que cada membro do elenco esteve fazendo nas últimas 24 horas. Aparentemente, eles ali enfrentavam dois criminosos: o Menino-Inseto e a incompetência das forças da lei." (DEAVER, 2005, p. 48).

***

Lincoln Rhyme e Amélia Sachs estão de volta para mais uma caçada humana, desta vez nos desolados pântanos da Carolina do Norte, onde irão auxiliar os policiais de Tarner’s Conner a desvendar uma morte e dois seqüestros que espantaram a pequena cidade.

Novamente, Amelia é os olhos e as pernas do brilhante criminalista tetraplégico que, com sua mente aguçada, analisa os vestígios das cenas dos crimes e consegue descobrir os passos tomados pelo ofensor, um garoto de dezesseis anos, Garret Hanlon, também conhecido como o Menino-Inseto.

Reconheço que as primeiras duzentas folhas do livro não representam a melhor forma de Jeffery Deaver. Embora aja muita ação, e a contínua corrida contra o tempo, faltou um pouco de suspense e de emoção. Todavia, da metade para o final, tais ingredientes não faltaram, pelo contrário, sobejaram. Só para você ter uma idéia, creio que li em torno de duzentas folhas em um dia.

E além deste início um pouco apático, senti falta da marcação do tempo. Em sendo uma caçada, eu gostaria de saber exatamente o momento em que a ação acontecia, enquanto sequer sabia se era dia ou noite. Se não me engano, a primeira menção ao horário ocorreu na folha 356.

Todavia, o final, como era de se esperar de Deaver, foi muito bom. Com altas doses de adrenalina e muita emoção, o autor consegue nos deixar presos ao desenrolar de uma trama perfeitamente concatenada.

Além disso, a dinâmica e a sintonia entre a dupla/casal Rhyme e Sachs durante a caçada é fantástica. Tratam-se de personagens bem construídos, e que sabem protagonizar e conduzir um romance policial como ninguém.

Para fãs do gênero, Deaver é leitura obrigatória. E ainda que não seja seu melhor livro, A Cadeira Vazia é um thriller empolgante e instigante, com muitas reviravoltas e que merece ser lido.

Título: A Cadeira Vazia
Autor: Jeffery Deaver
N.º de páginas: 491
Editora: Record

4 comentários:

Juliana disse...

Oie!
Nunca li nada desse autor :P
Na realidade, nem romance policial eu leio muito, então fica meio difícil fazer algum comentário com conhecimento de causa hahaha

Mas uma coisa que eu posso concordar, é que também não gosto quando um autor não sabe marcar o tempo da narrativa, porque eu sou lerda por natureza, então só faz com que eu me perca ainda mais ><" hahaha

Beijooo!

Ju
julianagiacobelli.com

Vanilda disse...

Eu gosto de histórias policiais, suspense, mas não li nada ainda de Jeffery Deaver. Pela sua resenha fiquei meio apreensiva por conta dessa coisa da marcação do tempo e do início meio parado. Enfim, como gosto do estilo, é provável que eu dê uma chance ao livro qualquer hora dessas.

Thyeri Bione disse...

Nunca tinha ouvido falar desse autor, mas como gosto de romances policiais, vou tratar de procurá-lo. Não sei se eu ligaria muito para a marcação do tempo, pois quando eu to lendo, eu geralmente me esqueço de alguma marcação mais específica, mas a marcação do dia e da noite seria o mínimo para se colocar...

elton sousa disse...

Estou terminando de ler o livro é muito
Bom.recomendo!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger