domingo, 3 de março de 2013

LANÇAMENTO: Editora LeYa

Editora LeYa lança em março “O moedor” de Enio Mainardi e convida para o lançamento do livro  no dia 04 de março, segunda-feira, à partir das 19h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. 

Um dos maiores publicitários brasileiros conta histórias (não sobre publicidade) nesta obra que chega às livrarias em março.

“Tudo que está escrito aqui pode ser verdadeiro. Ou não. Pois a realidade é vaga. Não se pode confiar nem naquilo que se lê nem na memória que engana, disfarçada de imaginação.” Enio Mainardi

Nesta obra, Enio apresenta contos sarcásticos e perturbadores, que podem - ou não - serem histórias de sua vida. Desde sua idolatria por Marcello Mastroianni, até a morte de sua mãe, sempre com personagens quase fictícios ou quase verdadeiros. Nesta obra, um misto de memória e ficção, Enio compõe páginas dedescrições ávidas, já que “a vida é muito curta para quem não tem lembranças”.

Além dos contos, o leitor tem acesso a prelúdios em forma de poesias, que compõem os textos, importantes para o desenrolar da leitura. Com Marcello, A menina de short vermelho, Vagina Dentata, O Moedor, Metade da Terra, Sobrou Pasta Dental, Turma da Faculdade, Atrações, Wind Shear e muitos outros, o escritor nos coloca histórias tocantes e fortes sobre suas ficções quase reais. “O moedor” traz uma visão unilateral do universo masculino, misógina até, que faz os homens balançarem aprovadoramente a cabeça – e as mulheres, talvez nem tanto. Tudo em um só livro, de sentimentos moídos, juntos.

Enio Mainardi, publicitário conhecido como criador de campanhas que marcaram época, é também poeta e agora autor. A leitura dos seus contos pode incomodar alguns leitores, pois seus textos confessionais chegam a ser um tanto chocantes. Quem conhece o Enio-poeta vai agora se surpreender com o Enio-contista. Ninguém vai sair dessa leitura sem uma forte opinião.

Título: O Moedor – ficção não ficção
Autor: Enio Mainardi
Nº de páginas: 256

Sobre o autor
Não é só no ramo publicitário que Enio Mainardi, considerado um dos mais brilhantes profissionais da área, idealizador de slogans marcantes como o “Teorema de Tostines”, se sobressai. Após a estreia bem-sucedida no campo literário, em 2007, com o livro “Nenhuma Poesia é Inocente”, o autor nos apresenta agora uma coletânea de contos e poesias por meio da qual seu talento, criatividade e ousadia novamente se destacam.

15 comentários:

Gladys Sena disse...

Particularmente não curto contos e o fato da leitura ser um pouco forte não me motivou a conhecer a escrita do autor. Quem sabe em outro momento...


GFC: Gladys.

Thaynara ribeiro disse...

em dúvida sobre o livro. Gosto de contos, mas depende de colo o autor os escreve, não li nada desse autor, mas poderia ser um bom livro pra conhecer a escrita dele.

cristiane disse...

Confesso que não me chamou em nada a atenção esse lançamento. Até parece ter uns aspectos legais, mas não me convenceu....

cristiane dornelas

Nardonio disse...

Gosto de livros de contos, pois acho uma leitura mais rápida e agradável. E se os contos forem sarcásticos, melhor ainda.
Só não sou muito fã de poesias.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Enfim Shakespeare disse...

A capa é nojenta rsrsrsr e não gosto muito de contos.

http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

Ana Paula Barreto disse...

Não gostei não. Até gosto de contos, mas este livro em particular não me atraiu. obs: A capa é tensa hein. rs
bjs
GFC: Ana Paula Barreto

Manuela Cerqueira disse...

gente... não gastei nem um pouquinho desta capa, me dá até agonia de olhar!!!!
Sobre contos li alguns livros de cntos e gostei, mas acho que este temas proposto pelo autor não me agradariam.
GFC : Manuela Cerqueira

Manu Hitz disse...

Gosto de contos, pq são uma leitura rápida, muitas vezes me choca diante da realidade crua descrita, além de divertir em doses pequenas. Prefiro, especialmente, quando tenho pouco tempo pra ler, assim a leitura fragmentada não atrapalha o raciocínio do livro.
Não conhecia o autor, mas o sobrenome é bem famoso.

GFC: Manu Hitz

Gislaine Alves disse...

Curto contos, mas a leitura um pouco forte não me atraiu. A capa também não, devo acrescentar.

Gislaine Alves,
http://jeito-inedito.blogspot.com

Gabriela Cruz disse...

A primeira impressão não foi das melhores (essa capa é muito feia),
e a impressão posterior, a que tive depois de ler a sinopse, também não foi muito positiva, o conteúdo do livro não é interessante para mim :/

Layse Hana disse...

Achei a capa bem estranha, não sei se leria o livro não faz muito o tipo de livro que gosto!

cath´s m. disse...

Eu ri quando vi a capa e concordo com o Enfim, é meio nojento mesmo. kk...

cath´s_m

Jessica Lisboa disse...

Não sou fan de contos e oi? que capa é essa!

Clara Beatriz disse...

Confesso que não gostei da capa. Não curti o livro e não pretendo lê-lo.

Andreza Galvão disse...

Essa capa é bem inusitada, ein? haha Por se tratar de contos eu o leria! Gosto bastante do gênero! ;)

GFC: Andreza Galvão

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger