segunda-feira, 24 de junho de 2013

RESENHA: O Mercador de Veneza

“O bom pregador é aquele que segue seus próprios preceitos; para mim, acharia mais fácil ensinar a vinte pessoas o caminho do bem do que ser uma dessas vinte pessoas e obedecer as minhas próprias recomendações.” (SHAKESPEARE, 2013, p. 24).

***

No segundo ano da Faculdade de Direito assisti ao filme O Mercador de Veneza, estrelado por Al Pacino e Joseph Fiennes, e desde aquela época tinha vontade de ler a obra de Shakespeare. Encerrei a leitura me perguntando por qual motivo demorei tanto tempo para conferir uma das mais conhecidas peças do dramaturgo inglês.

Bassiano, necessitando de dinheiro para empreender uma aventura até Belmonte, aceita o empréstimo de Shyloc, rico judeu da cidade, tendo por fiador seu amigo Antonio. Entretanto, se os três mil ducados não fossem pagos em até três meses, a penalidade consistiria em uma libra da carne de Antonio.

O livro é construído em cima do brocardo latino pacta sunt servenda, o qual aduz que os pactos devem ser respeitados. Assim, todos aqueles que se interessam pelas áreas de obrigações e contratos encontrarão bastante substrato para uma discussão profunda sobre os princípios que até hoje regulamentam este campo do Direito Civil.  

Para aqueles que não têm interesse por princípios jurídicos, saliento que o livro tem muito mais a oferecer, visto que possui uma elaborada trama que envolve amor, ódio, vingança, orgulho e amizade. O autor demonstra grande sensibilidade ao escrever sobre sentimentos e relações humanas, de modo que é fácil entender o porquê da obra ter transcendido ao seu tempo e ser relevante até os dias de hoje.

Sendo escrito na forma de peça de teatro, o livro é desprovido de narrativa, evidentemente. Todavia, é surpreendente como a narrativa não faz a menor falta ao desenvolvimento da estória. Imagino que a razão disso seja a perfeição com que os diálogos foram escritos, o que permite ao leitor imaginar com exatidão as cenas e as ações/reações de cada personagem.

Embora conte com uma linguagem um tanto rebuscada, esta não atrapalha o ritmo da leitura em momento algum. Em verdade, achei a obra tão envolvente que a li em apenas um dia.

Creio que a leitura de O Mercador de Veneza seja o suficiente para afirmar que Shakespeare escreve com uma profundidade impressionante, sendo poucos os autores que conseguem ser comparados a ele neste quesito.

Para aqueles que não sabem ressalto que Shakespeare é o autor mais vendido da língua inglesa, e não é por menos que seus livros são clássicos da literatura mundial. Me arrependo por não te lido mais livros do autor, e agora mal posso esperar para continuar a desbravar e me deliciar com cada uma de suas peças.

Título: O Mercador de Veneza (exemplar cedido pela Editora Martin Claret)
Autor: William Shakespeare
N.º de páginas: 128
Editora: Martin Claret

9 comentários:

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Sonho em ler algo de Shakespeare...

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Vânia Gama disse...

Shakespeare... não tem nem o que dizer né??!
como eu amo ler qualquer coisa dele! Me da uma sensação muito boa! O Mercador de Veneza eu ainda não li.. mas provavelmente não vai demorar muito pra eu comprar haha
beijos

https://twitter.com/_nirvania/status/349633364883542017

Aione Simões disse...

Oi Alê!
Sou fã de Shakespeare, mas, até então, nunca havia sentido curiosidade de ler O Mercador de Veneza.
Gostei da premissa e, principalmente, dos elementos da história, e concordo completamente com você sobre a narrativa não fazer falta em momento algum.
Te indico Otelo e Sonho De Uma Noite De Verão, acho que são meus dois favoritos!
Beijão!


https://twitter.com/mi_simoes/status/349659309354913792

Naty disse...

Eu vivo querendo ler algo de Shakespeare, mas acabo sempre adiando para ler outros. Acho que quando eu finalmente conseguir vou ficar me perguntando pq não li antes como você.

https://twitter.com/NatyIC/status/349684067974918144

Nardonio disse...

Sou muito suspeito pra falar do Shakespeare, pois sou formado em Teatro. Ele é realmente um gênio, e é impressionante que, mesmo escritas há muito tempo atrás, suas peças continuam atuais.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom
Divulgação: https://twitter.com/_Dom_Dom/status/350055606503219200

Rossana Batista disse...

Gosto de livros com muitos sentimentos e que mostram relações humanas.
Fiquei curiosa para ler o livro :D

https://twitter.com/rooohbatista/status/351018960013111296

Roberta Moraes disse...

Acredita que eu nunca li nada do William Shakespeare ?
É porque ouço dizerem que é uma linguagem difícil...
Acho que vou ler essa livro pra ver se é verdade o que os outros falam.

https://www.facebook.com/roberta.moraes.7127/posts/328056483995848

Jessica Lisboa disse...

Acho que o unico livro de Sheakes.. (nunca consigo digita o resto do nome do homem enfim) é Romeu e Julieta, fim. Sempre tive curiosidade de ler algo mais dele, porem sempre coloco mais livros na frente e nuca leio.

https://twitter.com/jessikalisboa_/status/351340373039263745

cristiane disse...

Interessante essa trama dele. Tem tudo pra ser boa e acho que eu gostaria de ler. Não lembro se conheço, é familiar de nome mas vendo a resenha não me lembro de ter visto a história mais que o nome...acho que só o nome mesmo. Bem, parece ser bom, e olha de quem é né!
https://twitter.com/cristianecullen/status/351374102843502594
cristiane dornelas

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger