terça-feira, 1 de outubro de 2013

RESENHA: Os 500

“ [...]. Se você quer liderar nações, precisa começar pela compreensão de um único homem, de seus desejos e medos, dos segredos que ele não admite e dois quais pode ser que nunca tenha consciência. Essas são as alavancas que movimentam o mundo. Todo homem tem um preço. E uma vez que você descobre qual é, você se torna dono dele, de seu corpo e de sua alma.” (QUIRK, 2013, p. 18).

***

Os 500, obra de estréia de Matthew Quirk, foi recebido pela crítica norte americana como um verdadeiro “page turner” — expressão utilizada para designar um livro cuja leitura é impossível de ser interrompida —, o que me deixou bastante curioso.

Após impressionar Henry Davies, o recém-formado em Direito Mike Ford consegue um emprego no Grupo Davies, uma das maiores empresas de consultoria de Washington. Mas consultoria é, no mínimo, um eufemismo para as atividades da empresa. Afinal, se você precisa que uma lei seja aprovada, que um juiz tome uma decisão, que uma empresa saia do caminho, então o Grupo Davies tem a solução. Em plena ascensão na companhia, Mike acaba envolvendo-se em um caso que, além de fazê-lo questionar seus valores, colocará sua vida em risco.

Construído sobre a premissa de que todo homem tem uma alavanca de acesso, um modo de convencê-lo a fazer ou deixar de fazer algo, Matthew Quirk cria não somente um thriller eletrizante, mas o faz tendo como pano de fundo a importante discussão sobre a corrupção nos mais variados ramos da sociedade. 

O título do livro é uma alusão às quinhentas pessoas que detém o poder de fato em Washington e que controlam os rumos da nação, sejam governantes, sejam empresários. Saliento que mesmo para aqueles que não são adeptos às teorias conspiratórias, a estória criada por Quirk não soa mirabolante, nem destoa da realidade.

O grande destaque da obra fica para o protagonista, em virtude de sua complexidade. Mesmo com um passado insólito, ele luta há anos para não se envolver em atividades criminosas e viver o mais honestamente possível, mas em seu novo emprego percebe que a linha entre o certo e o errado é ainda mais tênue.

Todavia, minha crítica também fica reservada a Mike. Mesmo sendo um ótimo personagem, bem construído e verossímil, achei a motivação de algumas de suas ações um tanto superficiais. Para deixar claro, há explicações sim, porém, estas não me parecerem o suficiente para dar origem as ações do protagonista.

Reconheço que o início do livro seja um pouco lento, devido a apresentação dos personagens e, principalmente, pela ambientação da trama; porém, quando o caso principal começa a ganhar contornos mais claros se torna bastante difícil deixar a leitura de lado.

Os 500 é o melhor thriller que já li? Não. Mas como livro de estréia, com certeza serve para demonstrar o potencial do autor. Para aqueles que desejam uma leitura rápida, com bons personagens e repleta de questionamentos sobre a tríade moral, ética e corrupção, o livro é uma excelente opção.

Update: Apesar dos nomes semelhantes, Matthew Quirk não deve ser confundido com Matthew Quick, autor de O Lado Bom da Vida

Título: Os 500 (exemplar cedido pela Editora Paralela)
Autor: Matthew Quirk 
N.º de páginas: 305
Editora: Paralela

19 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

E eu li Matthew Quick de primeira! rs
Gostei muito da premissa do livro e estou curiosa para saber se é tudo isto que promete. Adoro thrillers policiais e acho que esta discussão de poder e corrupção é sempre atual.
Quanto a superficialidade de algumas atitudes do personagem, concordo que acaba (mesmo que pouco) influenciando negativamente a leitura.
bjs
Gfc: Ana Paula Barreto

Fran disse...

Nunca li nada do autor, só assisti ao filme do lado bom da vida, mas achei o filme fraco. Tinha uma ideia legal, mas nao desenvolveu bem. Esse livro pareceu legal pela resenha, mas eu tb tenho problemas qdo o livro fica mais monótono... Enfim, se tiver oportunidade vou ler =)
GFC-Franciely

beth disse...

Estou impressionada por esta obra. Não fazia deia que gostaria tanto e que o autor fosse tão brilhante nos detalhes da história. Sei que ele é o cara, mas não esperava tanto. A história já tem um ponto forte pra mim pois amo romances policiais, mas esse é muito mais incrível. Tenho que ler. Amei.

thaila oliveira disse...

não conhecia esse livro, mas me envolveu, com uma crítica tão boa e uma resenha tão positiva deve ser ótimo
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br

Adriana disse...

Ainda bem que voce explicou quem é ele, logo que vi achei que fosse o mesmo autor de O lado bom da vida,rsrs! A historia parece bem contada, e acho que a superficialidade em algumas atitudes do protagonista não vai atrapalhar minha leitura, gosto muito de thrillers e esse me pareceu realmente muito bom, como voce disse, não é o melhor, mas é uma historia interessante, ótima resenha, bjão! :)
Adriana

cristiane disse...

Nossa parece ser letrizante mesmo. Eu adoro ler sobre teorias de conspiração, até as mais absurdas haha! Então acho que é impossível eu não gostar desse livro. Fiquei muito curiosa pra ler!
Beijos :)
GFC: Cristiane

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Eu não sabia muito sobre o livro, mas já me sentia instigada a lê-lo. E agora quero mais ainda. ^^

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

GFC: Gabriela Cerutti Zimmermann

Maria Oliveira disse...

Vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabéns pelo cantinho.
Gostaria de te convidar para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir ou curtir a fanpage também,será muito bem vinda!

http://emcasademaria.blogspot.com

Amanda Z. Dutra disse...

Eu ainda não tinha ouvido falar do livro :S Mas gostei da sua resenha! Como gosto de livros desse gênero literário acho que merece uma chance !
Valeu pela dica

Beijo
http://heysisteraj.blogspot.com.br/

Helana O'hara disse...

Oi Alê, tudo bem?
Gostei muito da sua resenha. apesar de nunca ter ouvido falar do livro, é a primeira vez.
Sabe o que me chamou atenção em sua resenha essa frase "livro é uma alusão às quinhentas pessoas que detém o poder de fato em Washington e que controlam os rumos da nação" - gostei de saber dessa alusão, fiquei mais curiosa ainda.

Beijinhos
www.intheskyblog.blogspot.com.br

Andréia Harter disse...

Adorei a resenha...adicionada a minha wish list

Vanilda disse...

Também imaginei que fosse o autor de O Lado Bom da Vida e também achei que tivesse alguma relação com os 500 de Esparta ... nada a ver. Bem, não conhecia o livro nem o autor e não tenho lido muitos thriller atualmente mas de qualquer forma parece ser uma boa história e gostei da indicação.

Larinha Andrade disse...

Quando li pensei: "será que o autor de O Lado Bom da Vida?", só depois da sua pequena observação que entendi que não era esse o autor da obra resenhada rsrsrsrs Enfim, o livro me pareceu muito bom e também fiquei curiosa com o fato dele ser "impossível de ser interrompido". Nunca li nenhum thriller, mas adoro histórias com caráter político e que me façam refletir sobre as atitudes e o caráter humano. Parece-me ser uma história que me prenderia e adoraria desvendar.

Samuel disse...

O livro parece ser incrível! Com certeza adicionarei a minha lista de leituras futuras! Ótima resenha, por sinal, parabéns! :D

Abraços, Samuel.
http://recodificado.blogspot.com

Michelli Santos Prado disse...

Olá Alê!! Tudo bem??
Parabéns pela resenha,não conhecia este livro,mas gosto bastante desta temática e tipo de enredo. E sempre bom ler um livro que tenha uma historia mais leve e rápida.

Nardonio disse...

Achei esse livro interessante, pois a premissa me pareceu bastante próxima da realidade. Corrupção e venda de caráter é o que mais vemos por aí. Infelizmente! Legal saber que o autor já mostrou um potencial interessante já no primeiro livro publicado.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Rossana Batista disse...

Como livro de estreia do autor realmente deve ser bom.
Pretendo ler e conhecer sua escrita. A capa do livro não me agradou tanto. E até não sabia o que queria dizer esse 500, foi bom saber :)

Roberta Moraes disse...

Eu sou fã de Thriller ! É uma pena eu não ter lido esse livro ainda.
Mesmo não sendo o melhor que você já leu ele pode se tornar o melhor que eu já li. Tomara que seja uma leitura boa.

Bia Menezes disse...

O livro dele parece ser bem legal. Eu, mesmo lendo a resenha não consegui entender muito do que se trata - talvez porque eu lia e saía, mas tudo bem. Mesmo assim ele parece ser interessante, e se disseram que este livro é um "page turn" (uma expressão que nunca havia ouvido) deve ser bom mesmo. Eu nunca li livros do gênero, talvez, depois que eu conseguir os livros da minha lista, eu leia algo do tipo.
PS: Eu quase que ia falar do Quick, que gostaria de ler O Lado bom da Vida, e só depois que vi o update eu saquei rsrs >.< Nomes bem parecidos!
Beijoca

Foreverbia.blogspot.com

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger