quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ESPECIAL: O Tempo e o Vento - parte 1

Desde que eu me entendo por gente ouço minha mãe dizer: “Você precisa ler O Tempo e o Vento.” A vontade existia, mas saber que a trilogia era composta por sete volumes me desanimava, então protelei. E protelei. E protelei. Mas, em 2012, com o lançamento de uma caixa especial com toda a saga pela editora Companhia das Letras, eu disse: “É agora que vou saldar essa dívida!” Ainda assim o “agora” ficou para o ano seguinte. A meta era: ler um livro por mês começando em janeiro. Consegui cumprir o propósito até o quarto livro, depois disso, o intervalo entre as leituras ficou maior. Mas não por falta de vontade ou porque a obra de Erico Verissimo deixava a desejar, porque querer parar de ler “O Tempo e o Vento” é como querer parar de ver a sua família, porque é nisso que Erico consegue transformar os Terra Cambará: em familiares dos leitores.

O Tempo e o Vento - trilogia composta por “O Continente” (volumes 1 e 2), “O Retrato” (volumes 1 e 2) e “O Arquipélago” (volumes 1, 2 e 3) - narra a história de sete gerações da família Terra Cambará e do Rio Grande do Sul desde 1745 até 1945. São duzentos anos de amores, conflitos, batalhas e personagens inesquecíveis.

Então por onde começar a falar sobre uma história ampla como a de “O Tempo e o Vento”? Talvez pelo que a faz tão marcante já nas primeiras páginas. 

É comum dizermos que um autor foi feliz na criação de seus personagens e que eles parecem ter vida e saltar do papel, mas se dizemos isso de outros é preciso encontrar uma nova maneira para se referir ao que Erico Verissimo consegue fazer nesta obra.

Não apenas sentimos que todos esses personagens são reais, como sentimos que eles fazem parte das nossas vidas como se fossem velhos conhecidos. Parte disso vem do fato que muitos desses personagens são apresentados para o leitor ainda quando crianças e crescem diante de seus olhos. Conforme ele vira as páginas, essas crianças se tornam adultas, definem o rumo de suas vidas e eventualmente morrem - momento em que o leitor sente como se tivesse perdido um membro de sua família.

O próprio Erico Verissimo contou que, certa vez, um homem disse a ele que ao ler a cena da morte do Capitão Rodrigo Cambará seu pranto foi tão intenso e sua tristeza tão profunda que no dia seguinte não foi capaz de ir trabalhar, pois não se sentia em condições. Estava em luto. Erico diz que as palavras desse homem foram o maior elogio que ele recebeu sobre O Tempo e o Vento.

Acredito piamente nessa história, pois na minha família reza a lenda que minha mãe, após ler a morte do Dr. Rodrigo (bisneto do lendário Capitão), chorou tanto e ficou tão triste nos dias que se passaram que minha avó ficou preocupada.

“Licurgo não enxerga mais a rua nem os mortos nem a noite: só vê em seus pensamentos Alvarino Amaral metido num pala de seda, com o chapéu de aba quebrada na frente, o rebenque arrogante erguido no ar, o lenço encarnado no pescoço...” (O Continente I, pag. 31)

Conto esses dois episódios como forma de ilustrar o quão vividos e cativantes são os personagens que dão vida a essa história. O corajoso e sedutor Capitão Rodrigo Cambará aparece em apenas um único volume, mas deixa a sua marca como um dos melhores personagens da literatura brasileira. Sua esposa, Bibiana Terra Cambará, ficará para sempre na minha memória como uma mulher forte e determinada que mudou os rumos de sua família, assim como sua bisavó, a valente Ana Terra. Os irmãos Rodrigo e Toríbio Cambará - que se fazem presentes do primeiro ao último livro, graças aos cortes temporais do autor – me fizeram rir, me irritar e sentir outras mil emoções, exatamente como fazem as pessoas que conhecemos na vida real (as melhores delas, pelo menos). 

E não são só personagens sedutores e engraçados que são cativantes. Licurgo Cambará, pai de Rodrigo e Toríbio, mesmo com seu jeito taciturno e sua dificuldade de expressar os sentimentos é extremamente cativante. Maria Valéria Terra, o cerne da moral do Sobrado, com seu jeito seco de dizer as coisas, sua atitude de quem não se surpreende com mais nada na vida, me fez dar muitas risadas e, com a permissão da gente do Sobrado, se tornou um pouco minha tia também. Essa é uma daquelas mulheres a quem nada passa despercebido.

Destaco Maria Valéria, que se tornou uma das minhas personagens mais queridas, para mencionar que Erico Veríssimo dedica aos personagens coadjuvantes (e por coadjuvantes quero dizer aqueles que não são o cerne da história, mas nem por isso são menos importantes) a mesma centelha de vida que aos principais. Ainda sobre os coadjuvantes, amigos da família, como Liroca (“velho de guerra”), o Dr. Dante Camerino e o Vigário também se tornam queridos do leitor. Além deles, Verissimo cria uma série de pequenos personagens que se não fazem parte ativa da história ajudam a dar vida a pequena e fictícia Santa Fé.

Para encerrar meus comentários sobre os personagens, destaque ainda para Bolívar Terra Camabrá (filho do Capitão Rodrigo e Bibiana, pai de Licurgo) que mesmo sendo o personagem mais irritante de 200 anos de história consegue ser vívido a ponto de arrancar de mim - em voz alta – no meio da leitura uma frase mais ou menos assim: “Deixa de ficar choramingando pelos cantos e seja homem! Tu é filho do Capitão Rodrigo Cambará, pelo amor de Deus! Se ele fosse vivo, dava um jeito de te endireitar.”

Não posso ainda deixar de mencionar Floriano, filho de Rodrigo, que conseguiu se aproximar do meu coração, pois inúmeras vezes vi seus pensamentos e questionamentos refletirem os meus.

“ ‘O Sobrado aguentou um cerco de mais de dez dias e não se rendeu.’ Toríbio e Rodrigo crescerão ouvindo essa história e aprendendo com ela a dar valor à casa onde nasceram – a amá-la, respeitá-la e defendê-la; e compreendendo acima de tudo que existem na vida dum homem de honra duas coisas sagradas que ele deve fazer respeitar à custa de todos os sacrifícios: a cara e a casa." (O Continente II, pag. 173)

“Fim do primeiro tomo”


Confira amanhã a segunda parte do Especial “O Tempo e o Vento”.



21 comentários:

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Estava aguardando esse especial. Tenho muita vontade de ler O Tempo e o Vento, e esse box da Companhia das Letras está na minha wishlist. Pena que o preço não ajuda. :/ Mas esse seu belo post só me deixou com ainda mais vontade ler.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Ana Paula Barreto disse...

Apesar de já ter ouvido falar na obra, ninguém nunca me disse que deveria ler! rs
Na verdade, acho que a história não tem um apelo super grande comigo, só isso.
Mas achei muito bacana a descrição dos personagens. Realmente essa construção parece muito boa. Aliás, um personagem que consegue irritar o leitor pela personalidade e atitudes (e não por ser mal elaborado), mostra o quanto o autor é competente.
bjs

Lucas Kammer Orsi disse...

Olá Mari, tudo bom?
Estou bem empolgado para ler O tempo e o Vento, principalmente pela adaptação que passou na Globo esse ano. Adorei a história, os personagens e a trama em si. Como foram apenas três dias na Globo e foi aquele sentimento de passar rápido, fico imaginando com os livros, que são sete. Espero ler o quanto antes!

Abraço,
Lucas
ondeviveafantasia.blogspot.com.br

Alessandra disse...

Já fazia um tempo que eu estava querendo ler estes livros,mas sempre enrolei por causa da quantidade e por ser caro, até que em uma noite que eu não tinha nada pra fazer fui dar umas voltas na biblioteca da universidade. Peguei dois de uma vez, mas a tonta aqui estava tão ansiosa que esqueceu que era final de semestre, e acabou não só não lendo, como criando uma dívida com a biblioteca por esquecer de entregar.

Resumindo, estou em relação de amor e ódio com a obra. Quero voltar a tentar ler, mas vou precisar me organizar melhor, pq aquela multa não sai da minha cabeça kkkkkkk.

Vou continuar acompanhando o especial p ver se confirmo minha ideia de lê-los.

bjs
http://confraria-cultural.blogspot.com.br/

Lais Cavalcante disse...

Eu já tinha ouvido falar dessa obra, mas não pesquisei sobre para ver se é realmente boa ou não. Mas pelo jeito que você falou, me fez sondar mais essa obra para ver o que outros blogueiros acham a respeito.

canto da estante disse...

Eu assisti a série que passou na televisão no começo deste ano, e adorei, só achei que estava faltando alguma coisa, pois os acontecimentos passaram muito rápido, mais pretende muito ler a série só que acho o preços do box um tanto, salgadinho kk

nocantodaestante.blogspot.com.br

Michelle Agda disse...

Pois é, ainda bem que eu não tenho ou tive dívidas à pagar a esse livro, pois meus pais nunca o mencionaram! Erico Verissimo é um ótimo escritor, mas acho que séries com livros demais acabam cansando. Talvez quem sabe algum dia eu não me interesse para lê-lo, não é mesmo?!

Mallu Marinho disse...

Acredita que sempre quis ler essa trilogia, mas acabo adiando e adiando? Acho que depois desse post, vou colocá-lo nas minhas prioridades. Não cheguei a assistir a série, mas depois de ler "Olhai os lírios do campo", me apaixonei pelo Veríssimo.

CUCA BOA disse...

classicos

=)

Regi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nardonio disse...

Assisti a mini-série da globo por esses dias, e mesmo sendo curtinha, adorei o que vi. Então, tenho certeza que os livros devem ser infinitamente melhores e mais profundos. É legal quando nos envolvemos tanto com a trama, que acabamos tornando as personagens como membros de nossa família. Tenho muita vontade de ler, então, aceito doações do kit. Rsrsrs

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Thais Pampado disse...

Nunca tinha ouvido falar nesses livros. É impressionante quando o autor realmente consegue fazer com que os personagens se tornem quase reais para quem lê, no entanto ainda não tenho vontade de ler esses livros, principalmente por ter uma certa - ok, confesso, é uma certa restrição - quanto a autores consagrados da literatura brasileira.

Michelli Santos Prado disse...

Confesso que não sabia desta obra e fiquei super contente de saber do box, e olhei o seriado de tempo e o vento e me apaixonei...Com toda certeza vou querer adquirir este lindo box, pois sua resenha me deixou encantada!!

Adriana disse...

Tenho muita vontade de ler essa obra completa, porque li livros separados, como por exemplo, Um certo Capitão Rodrigo e também Ana Terra, e me apaixonei pelos personagens e narrativa do Érico Veríssimo e recentemente vi a mini série adaptada do filme na tv que me ganhou totalmente! Acho que vou comprar esse Box que a Companhia das Letras lançou, porque com certeza essa historia é um tesouro maravilhoso!
Adriana

beth disse...

Sabe de uma coisa? Eu não acreditava que fosse algo assim tão incrível. realmente a estória é surpreendente e emocionante. Não li os livros, mais assisti a minessérie dele na Globo faz pouco tempo. E me surpreendi e amei. Agora quero ver se consigo ler todos os livros, pois sei que tem muito mais dentro deles do que na série de tv. Além de ser mais emocionante. Beijos.

Tainara H. disse...

Já tinha ouvido falar em "O Tempo e o Vento", mas não sabia muita coisa a respeito, nem que se tratava de uma série com sete livros e nem do enredo em si. Mas agora me interessei muito por esse história e esse caixa especial já entrou para a minha futura lista de compras. Esse é sem dúvidas um dos maiores clássicos da literatura brasileira e merece ser lido por todos e não importa quanto tempo leve, com certeza eu o farei. ;D

Leo Lendo disse...

Tenho muita vontade de ler O Tempo e o Vento. Sou um grande fã do Veríssimo desde que li Incidente em Antares. Quero muito encarar essa trilogia em 7 volumes. Falta dinheiro para comprar e disposição para ler! Mas esse especial só fez borbulhar ainda mais a minha vontade de devorar essa obra-prima!

Isa.Bella disse...

Indicação de mãe desde muito tempo! Segundo ela é realmente interessantíssimo. Não vejo a hora de ler.Cheguei assistir à minisérie o que só me instigou ainda mais hehe Uma obra que já está na minha lista de livros para ler urgentemente :D

Thaynara Luizy disse...

Apesar de já ter visto relatos e ate filmes deste livro .Veríssimo sempre conseguiu me prender com seus romances de época e histórias convidativas, sempre que posso pego emprestado na biblioteca da mina escola livros de sua autoria pois as obras dele são verdadeiras "obras-primas...

Wagner Pontes disse...

Quando vi que sairia um filme sobre a obra pensei loga que não estaria a altura dos 7 livros que compõe a obra fascinante de Érico. O único livro que li dele e me encantei pela escrita dele foi Clarissa seu segundo romance, que está mais pra o Bildungsroman (romance de formação) , novela. Espero muito um dia ler Essa obra de Veríssimo depois q terminar minha empreitada a là Proust..

Abraço!

Licia Franco disse...

Eu já estudei sobre o Érico na escola, mas só cheguei a ver o filme sobre a Bibiana, rs...bom, mas com toda certeza, eu leria as obras dele, afinal adoro textos meio criticos e fora que ele foi uma evolução na época onde todos os escritores escreviam sobre o Nordeste. Enfim, amei sua resenha e deu até um pouco de vontade de ler Verissimo...mas como estou só começando agora a querer ler alguns livros, acho que já começar com uma saga seria complicado pra mim, rs.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger