domingo, 5 de janeiro de 2014

RESENHA: Novembro de 63

“Tentei dizer a mim mesmo que aquilo não estava acontecendo, não podia estar acontecendo, mas não adiantou. Filósofos e psicólogos podem discutir o que é real ou não, mas a maioria de nós, que levamos vidas comuns, conhecemos e aceitamos a textura do mundo à nossa volta. Aquilo estava acontecendo. Afinal, era fedorento demais para ser uma alucinação.” (KING, 2013, p. 37/38)

***

Depois da ótima surpresa que tive ao ler Sob a Redoma, estava ansioso para ler outro livro do Mestre do Terror, e como mencionei no post das Expectativas Literárias para 2013, Novembro de 63 era uma das minhas apostas. Apostei bem, por que a obra não foi apenas uma boa leitura, mas A MELHOR LEITURA DO ANO, assim mesmo, em letras garrafais.

Jake é um professor de inglês divorciado que é apresentado por Al a uma brecha no tempo, por onde é possível retornar para o ano de 1958. O plano de Al é voltar no tempo para tentar impedir o assassinato do presidente Kennedy, que ocorreu no 22 de novembro de 1963. Antes de se aventurar em uma missão tão grandiosa, Jake decide testar a brecha no tempo com um objetivo mais simples: impedir o massacre de uma família.

Uma das coisas que mais me chamou atenção em Novembro de 63 foi observar como King tem paciência para desenvolver a trama e em como isso resulta em um livro com qualidade excepcional. É verdade que em alguns momentos parece haver um declínio na ação, mas mesmo assim o leitor permanece vidrado nas palavras do autor.

Está foi a primeira obra que li de Stephen King narrada em primeira pessoa, e foi a escolha perfeita. Aliás, difícil imaginar como o autor exploraria a viagem no tempo se não fosse transmitindo a incomum experiência através dos olhos do protagonista. E que protagonista!

Jake Epping se vê, de uma hora para outra, com a oportunidade de mudar a história americana, mas os obstáculos para a sua hercúlea tarefa são maiores e mais imprevisíveis do que ele poderia esperar. Apesar de acusado por sua ex-mulher de ser uma pessoa emocionalmente imatura, o leitor se depara com um homem maduro, que com frequência coloca as necessidades alheias a frente das suas, mas que ao mesmo tempo não tem medo de fazer o que é necessário.

No que tange aos demais personagens, sinto que irei chover no molhado: King sabe compor os atores de suas estórias como poucos, extraindo tudo o que eles têm a oferecer, mesmo que se tratem de personagens secundários. Apenas confesso ter sentido falta de uma lista de personagens para identificar quem era quem (principalmente os personagens históricos, desconhecidos do público brasileiro), a exemplo do que foi feito em Sob a Redoma.

A narrativa, como era de se esperar de um livro extenso, é fluída. Em menos de um capítulo Stephen King já tinha prendido minha atenção, e a cada virada de página ficava mais difícil largar o livro. Como disse no vídeo das melhores leituras de 2013, li Novembro de 63 em apenas cinco dias e, para ser sincero, teria lido mais rápido se tivesse tempo.

A trama é absolutamente perfeita, sem furos, sem defeitos e sem pontas soltas, mesmo partindo de uma premissa complexa como é a viagem no tempo. O desfecho da obra é a cereja do bolo. Muita ação, tensão e adrenalina, em um final de tirar o fôlego e fazer o coração bater mais rápido. Na verdade, justiça seja feita, não é apenas no final que o coração vem parar na boca. 

Novembro de 63 me fez perceber que a cada obra que leio, meu respeito por Stephen King cresce mais. Sei que me derreti em elogios, mas quando uma obra é inigualável em tantos níveis, não há adjetivos suficientes para descrevê-la. Encerro admitindo que me tornei fã incondicional do Mestre do Terror, disposto a ler qualquer livro que tenha seu nome impresso na capa.

Título: Novembro de 63
Autor: Stephen King
N.º de páginas: 727
Editora: Suma de Letras

12 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Esse livro está na minha lista! Infelizmente ainda não li nada do autor, mas sei que ele é bom demais!
Gosto dessa mistura inusitada de história com viagem no tempo. A ação, tensão e o final inesperado também me enchem de curiosidade!
bjs

Eduarda Menezes disse...

Stephen King é sensacional! Desde A Zona Morta, primeiro livro que li dele, sou toda elogios haha Acho que contagia todo mundo que tem contato com sua obra.
Ele realmente consegue criar personagens como poucos. Todos ganham vida, até os mais coadjuvantes e passageiros.
Estou louca para ler Novembro de 63. Parece ser um livro excepcional!

Luana Farias disse...

Li metade de um livro dele "Celular" e realmente tenho que dizer que tive a mesma sensação que ele me prendeu de uma forma que eu não conseguia não ler ahahah, mas acabei que não terminei. Agora que estão falando desse livro dele quero muito ler esse. E com a sua resenha!

Beijos
http://www.partesdeumdiario.com/

Mallu Marinho disse...

Ainda não li nada do King, mas depois de tudo que escuto falar sobre ele, não tenho dúvidas de que seja um ótimo livro. Volta ao tempo pode ser um tema batido, mas na mão de um bom autor nenhuma história consegue ficar clichê. Principalmente quando se mistura realidade e ficção. Stephen King é mestre nisso e eu não vejo a hora de ler qualquer obra dele. A capa é linda e eu nunca iria imaginar que tem esse tanto de páginas.

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Nem sei por onde começar a me aventurar nas narrativas de King, mas depois dessa resenha acho que vou começar por Novembro de 63.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Mariana Maciel disse...

É incrível a capacidade do King de lançar livros com a frequência que ele lança e ainda sim ter uma construção da história e dos personagens tão perfeita. Ele escreve de um jeito que te dá uma visão completa, e é como se a gente conhecesse os personagens há muito tempo e qualque atitude que eles tenha compreendemos perfeitamente apesar de não concordarmos. Sem contar o ótimo humor que ele tem, o que dá o toque final pra perfeição da obra dele. Sou suspeita pra falar, mas pro King não me faltam elogios.

Michelle Agda disse...

Até hoje, não pude ler nenhum livro de Stephen King, e não por falta de vontade - o que falta é oportunidade. 'Novembro de 63' é um livro que me deixou ansiosa para lê-lo, afinal, voltar ao tempo para tentar salvar o presidente Kennedy é um tema nunca abordado em um livro antes, pelo o que eu saiba. Espero esse ano poder ter a oportunidade (e dinheiro para comprar o livro, é claro ;])

Fran disse...

Do King eu já li O Iluminado, Christine e O Talismã. Não tinha me interessado nenhum pouco por esse Novembro de 63 mas fiquei surpresa com o que vc disse q acho que vou ter que colocar ele na minha lista de futuras compras hehehehe J´pa tenho em casa À Espera de um Milagre mas ainda nao li.
Realmente a construção de personagens é um talento nato do sr King e fazer livros longos pq ele explica os detalhes tb =)

http://www.trilhasculturais.com/
http://www.entrandonumafria.com.br/

pamela giovana disse...

Devo confessar que nunca li um livro dele, e nem havia sentido vontade de ler.... até ver esta tua resenha que conporta tantos elogios a ele!!!
Este livro tem um contexto histórico, envolvente, e trata de um assunto que amo, e que não é muito trabalhado nos dias de hoje: Viagem no tempo.
Este livro entrou em minha lista para leitura, com certeza!!!

Michelli Santos Prado disse...

Olá Alexandre, tudo bem??
Andei meio " sumida" do blog...Mas agora irei colocar os comentários em dia!!
Bah, vi este livro em blog, e ela estava indicou como uma das metas para 2014, e desde que vi ele fiquei morrendo de curiosidade e dai chego aqui e leio esta resenha super fantástica deste livro que realmente parece ser uma historia de "prender" a gente na leitura. Li somente um livro do autor Autoestrada e foi amor a primeira vista e me animei bastante com sua resenha sobre este livro! Fui dar uma conferida no preço dele, e por enquanto esta muito " salgado", mas fiquei bastante curiosa, e assim que diminuir o preço irei adquirir!!
Abraço!

Nardonio disse...

Do King, pode-se esperar tudo de bom. Geralmente, costumo me jogar em tramas que abordam viagens no tempo, independente do autor. E agora, sabendo que o grande mestre King se aventurou nesse tema, já se tornou item obrigatório na minha listinha de próximas aquisições. Tenho certeza que não vou me arrepender.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Adriana disse...

É muito bom quando a historia nos prende já no primeiro capitulo né, é uma sensação deliciosa, de ter acertado na escolha da leitura. E que bom que a narrativa foi perfeita e sem deixar pontas soltas, isso me deixa muito mais fã do King...sou louca pra ler esse livro e com certeza vou fazer isso em breve! Ótima resenha, bjão!
Adriana

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger