quarta-feira, 20 de agosto de 2014

RESENHA: A Vida do Livreiro A.J. Fikry

“As pessoas contam mentiras chatas sobre política, Deus e amor. Você descobre tudo que precisa saber sobre uma pessoa com a resposta dessa pergunta: Qual é o seu livro preferido?” (ZEVIN, 2014, pag. 69)

“A Vida do Livreiro A.J. Fikry” me chamou atenção aos pouquinhos. Primeiro, recebi da Editora Paralela, um marcador com a seguinte frase: “Nenhum homem é uma ilha. Cada livro é um mundo.” Quando viro o marcador, me deparo com outra frase no verso: “Eu gosto de conversar sobre livros com pessoas que gostam de conversar sobre livros.” Tenho a impressão que minha reação foi um sorriso. Na solicitação seguinte, recebo outro marcador, com outra frase: “Um lugar não é um lugar sem uma livraria.” e “Livrarias atraem o tipo certo de gente.” Dessa vez, sei que minha reação foi colocar “A Vida do Livreiro A.J. Fikry” na minha lista de desejados porque, mesmo antes de ler a sinopse, eu já sabia que esse devia ser um livro encantador.

A.J Fikry é o livreiro de uma pequena cidade litorânea. Cheio de manias, A.J. prefere coletâneas de contos a romances, não gosta de livros com menos de 150 páginas ou mais de 400, detesta ficção infantil ou juvenil (em especial aquelas com vampiros), e edições com capas de filme. Esses são apenas alguns dos itens de uma lista enorme de implicâncias que ele despeja em Amelia, a nova representante de uma editora, em sua primeira visita a sua livraria. É que A.J. não está na melhor fase da sua vida. Ainda é jovem, mas perdeu a esposa em um acidente de carro e prefere beber até apagar sempre que possível. Mas a vida de A.J. muda quando uma criança é deixada em sua livraria na calada da noite.

Cheio de peculiaridades, “A Vida do Livreiro A.J. Fikry” surpreende por conseguir contar tanto em tão poucas páginas. Logo nas primeiras, somos apresentados ao livreiro ranzinza e aos poucos acompanhamos as mudanças que acontecem em sua vida com o surgimento da pequena Maya.

A mulher infeliz, o escritor de um único sucesso, a representante comercial apaixonada por seu trabalho, a menina que cresce em meio aos melhores livros e o policial que adora romances policiais são os personagens que se juntam ao livreiro e que influenciam a sua vida.

Através de vários cortes temporais, o livro mostra apenas alguns momentos das vidas dos personagens, mas se estende por um longo período de tempo, permitindo ao leitor testemunhar o amadurecimento de todos. Algo que dá um ritmo diferente a leitura é a conjugação verbal no tempo presente, raramente vista.

Com poucos personagens e poucos cenários, a autora consegue criar uma história envolvente e cativante e recheia o texto com referências a títulos que amamos, ou sempre tivemos vontade de ler, ou ainda nunca ouvimos falar. Não bastasse isso, cada capítulo começa com os comentários do livreiro sobre uma determinada história (indo de F.Scott Fitzgerald a Mark Twain, passando por Raymond Carver e Edgar Allan Poe) que permite ao leitor tanto conhecer as histórias como, principalmente, o personagem através da visão que tem delas (afinal, você pode saber muito sobre uma pessoa com base nos livros que ela gosta e o pensa sobre eles).

Uma história cativante sobre pessoas que amam livros que pode facilmente ser lida de uma única vez. Uma história sobre como livros impactam pessoas tanto quanto pessoas impactam pessoas. “Uma carta de amor ao mundo dos livros.” É isso o que diz na contracapa e é isso que “A Vida do Livreiro A.J. Fikry” é.

Título: A Vida do Livreiro A.J. Fikry (exemplar cedido pela editora)
Autora: Gabrielle Zevin
Nº de páginas: 186
Editora: Paralela

10 comentários:

Hangover at 16 (contato) disse...

Acho incrível como a vida introduz coisas importantes de forma discreta no nosso cotidiano. Quem diria que esse livro te testaria tanto, até que finalmente você cedesse pra lê-lo né? haha. Adorei sua resenha, a história parece incrível, envolvendo diversos personagens distintos mas que nos encantam facilmente no decorrer!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova de A Seleção, vem conferir!

Nardonio disse...

Sempre me interesso por livros que tenham alguma palavra relacionada ao mundo da leitura no título. E, com esse não foi diferente. Pelo que imagino, é uma trama até certo ponto simples, mas rica ao mesmo tempo. E outra coisa que me chamou a atenção é que todas essas personagens são reais. Creio que todos nós, leitores, conhecemos alguém que se pareçam com essas personagens.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

RUDYNALVA disse...

Mari!
Estou bem curiosa por ler o livro.
Acredito que ser um livreiro deva ser fantástico e tentar superar a morte da mulher e sua própria forma de encarar a vida pelo fato de deixarem um bebê na livraria, deve ser uma verdadeira lição de vida.
cheirinhos
Rudy
Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Quero muito ler esse livro, Mari. É daqueles que nem precisei ler a sinopse, pois só o título já me ganhou. E seus comentários sobre história, personagens e narrativa me deixaram ainda mais curiosa. Parece lindo. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Pah disse...

Oi Mari, tudo bem?

Esse livro também me conquistou aos pouquinhos. Gostei demais desses cortes no tempo, e amei o início de cada capítulo. Me apaixonei completamente pela sutileza dessa história.

Beijos,

Pah - Livros & Fuxicos

Ana Clara disse...

Oi Mari, joia?

Então, todo mundo diz que a estória em si é uma fofura... Porém vi muita gente reclamando bastante da revisão do texto, falando de erros gritantes mesmo. Espero que isso não atrapalhe tanto durante a leitura (sei que vai incomodar um pouco, mas...), porque tô muito a fim de lê-lo.

Beijos!
http://www.roendolivros.com/

Kelly Muniz disse...

Este livro me fez lembrar do livro "A Sombra do Vento" de Carlos Ruiz Zafon. Um livro de pessoas que também amam livros. Não gostei da capa, mas fiquei muito curiosa para ler.
Bjokass

http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

Julielton Souza disse...

Nossa essa resenha me ganhou. Já havia lido sobre o livro, mas nada tão cativante quanto o seu texto. Me interessei muito pelo livro, e a culpa é sua. A Vida do Livreiro ao olhar pra capa despretensiosa parece não prometer nada ao leitor, o erro fatal de julgar o livro pela capa. Se o mesmo for como disse, es verdadeiramente um presente a nós amantes dos livros, espero mesmo gostar desse livro, bem que podia rolar uma promo dele aqui com esses marcadores tão perfeitos que você mencionou né? (risos)

Dialética Proposital

Denise (@dnisin) disse...

Infelizmente eu acabei passando a leitura desse livro e não conhecendo esse enredo que todo mundo tem falado super bem. O fato dele citar outros livros me encantou e com certeza quando ler vou querer ler também as obras citadas.

Bjs, @dnisin
www.seja-cult.com

Liza Mikaelly disse...

Uau! que livro legal! eu já tinha lido uma resenha do livro mas esta foia que me fez ficar impressionada! serio deve ser um livro meio filosófico e cheios de peculiaridades né? Acho que o autor quer nos mostra que nas coisas simples da vida tem certas coisas que devemos valorizar. A Vida do Livreiro A.J. Fikry acabou de entrar na lista de" preciso ler desesperadamente senão eu vou pirar!" adorei a capa bem simples. Beijos <3

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger