sábado, 4 de outubro de 2014

RESENHA: Cemitérios de Dragões - Legado Ranger I

“Os dois continuaram a caminhar sem nenhum orgulho, deixando suas sombras para trás. Deixando angústias juvenis e palavras atiradas, além de esperanças despedaçadas em seu rastro. 
Rastros de pais desesperados.
Rastros de filhos em agonia.
Rastros de monstros. 
Rastros de heróis.” (DRACCON, 2014, p. 218).

***

Após a leitura de Caçadores de Bruxas, primeiro volume da saga Dragões de Éter, sempre tive vontade de ler outros livros de Raphael Draccon. E embora ainda não tive tempo de encerrar aquela trilogia (#ShameOnMe), não consegui resistir a oportunidade de conferir a nova saga criada pelo autor. 

Por razões desconhecidas, cinco pessoas de diversos cantos do globo são transportadas para uma realidade comandada por seres reptilianos. Assim, cada um deles inicia uma jornada em busca por respostas, sem imaginar que o destino deles está conectado e que o futuro lhes reserva uma tecnologia bélica jamais vista, criada a partir de metal-vivo, magia e sangue de dragão. 

Para aqueles que, assim como eu, tiveram contato apenas com a trilogia Dragões de Éter, é preciso dizer que Cemitérios de Dragões promete ser uma saga muitos mais dark, pois destina-se a um público adulto. Não se trata apenas de personagens mais velhos, mas também de um ambiente mais pesado e violento. 

Para quem gosta de altas doses de ação a boa notícia é que tal elemento não falta, pois nos diversos pontos de vista que acompanhamos, inúmeras fugas ou lutas aguardam o leitor. Mas como não poderia deixar de ser, o melhor é guardado para o final, em uma batalha de tirar o fôlego.

Assim como os personagens que são transportados, sem maiores explicações, para uma outra realidade, o leitor também é “jogado” no meio desse mundo sem receber esclarecimentos. Embora esta abordagem tenha me causado certa estranheza, é interessante que apenas descobrimos os motivos para tal acontecimento quando os personagens os descobrem. 

A meu ver, o ponto alto da obra foi a evolução da improvável dupla de amigos Romain e Daniel. Além de garantirem as gargalhadas e trazerem uma certa leveza em momentos tensos, os personagens também fazem o leitor refletir. Ainda, é interessante notar que todos os personagens possuem seus conflitos pessoais, os quais, imagino, devem ser aprofundados nos próximos volumes. 

Como é de se esperar de uma série fantástica, o primeiro volume precisa introduzir o leitor a um novo mundo, porém, me pareceu que, em alguns momentos, Draccon abusou de descrições, o que tornou a narrativa um pouco mais vagarosa. 

Devo admitir que senti falta de um mapa, apontando as localidades pelas quais os personagens passavam. Talvez este seja o lado preguiçoso de um leitor já acostumado a ler obras de fantasia com mapas, mas creio que tal recurso teria facilitado minha compreensão da estória.

O mundo criado por Draccon é bastante complexo, e por isso, em alguns aspectos, me pareceu um tanto confuso. Mas contado com uma mitologia original, personagens bem construídos e com um desfecho que, além de exalar adrenalina e sangue, prepara o leitor para uma sequência que parece promissora, Legado Ranger é uma boa pedida para os fãs de literatura fantástica. 

Título: Cemitérios de Dragões – Legado Ranger I (exemplar cedido pela editora)
Autor: Raphael Draccon
N.º de páginas: 350
Editora: Fantástica Rocco

20 comentários:

Caline disse...

Oi Alê

Não sou uma grande fã de literatura fantástica, mas quando encontro uma boa história, que tenha um enredo interesse, eu me deixo levar.
Já tentei ler Filhos de Éden e não deu muito certo. Não consegui me envolver com a história e acabei abandonando o livro. Depois disso meio que perdi a vontade de ler outros livros do autor. Talvez esteja perdendo grandes histórias, mas por enquanto nada me anima a voltar. Excelente resenha.

mundo-de-papel1.blogspot.com.br

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Tenho bastante vontade de ler os livros do Draccon. Dragões de Éter já estava na minha lista e Cemitérios de Dragões entrou automaticamente. Então é bom saber que está aprovado e que apesar de alguns poucos pontos negativos promete uma sequência e tanto, Alê. Com certeza irei conferir. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Rafa Hübner disse...

Oie! Td bom?
Que falha minha, nunca li nada do autor. Mas está na lista... espero ler logo :)

Beijos
Arrastando as Alpargatas

Caline disse...

Ai que vergonha ter confundido os autores, rsrs. Tinha que vim fazer essa retificação. Agora que eu tô situada vou opinar decentemente. Quando a Trilogia Dragões de Éter foi lançada li em um blog que eu confio muito, que os livros eram ótimos. Fiquei super empolgada pra ler, mas depois de um tempo comecei a ver alguns comentários dizendo o quanto a história era extensa demais e cansativa. Fui desanimando e acabei por desistir. De vez em quando penso em tentar, mas principalmente por ser uma série, eu sempre acabo deixando pra depois.

Beijos

Julia G disse...

Oi Alê, eu tenho um livro do Draco em casa, mas ainda não li. Sempre leio resenhas positivas sobre os livros dele, mas tenho impressão de que não fazem muito meu gênero. Acho que tenho que experimentar para saber.

Beijos

Jéssica Soares disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Eu ainda não li nenhum livro do Draccon (#ShameOnMe maior ainda), mas já tive contato com alguns textos dele e acredito que o escritor tem um posicionamento claro e sabe entreter o leitor! Adoro livros de fantasia e sou suspeita para falar deles, "Cemitérios de Dragões" tem uma sinopse que super me atraiu e saber que o livro é mais adulto é outro fator que aprovei. Sobre as cenas descritivas, elas realmente atrapalham o ritmo de leitura, mas acho que isso é até fundamental em livros introdutórios, espero não me incomodar tanto assim com relação a isso.
PS: é uma pena que o livro não é acompanhado por um mapa, sou daquelas que acreditam na teoria de que um livro com mapa é sempre infalível! haha
Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Milena Soares disse...

Gostei muito da trilogia Dragões de Éter, curto muito fantasia, gostei de saber que essa saga promete ser mais dark, o livro parece ótimo, fiquei bastante interessada em ler!

Desbravadores de Livros disse...

Oi, Alê.

Eu tenho a trilogia dos Dragões de Éter, mas ainda não a li. Penso que, em minha situação, #ShameOnMe é bem maior e mais grave hahaha. Porém, quando vi esse lançamento, ele me chamou bastante a atenção. A capa é bem atraente e gosto de literaturas fantásticas. Antes não era muito adepta, mas, com o passar do tempo, fui me adaptando e agora estou praticamente viciada.
Quanto a obra em si, achei o trabalho interessante e é uma pena que tem alguns pontos a serem melhorados, principalmente no aspecto do mundo, no sentido de confusão e quanto a ausência de um mapa para nos nortear. Mas adorei as suas dicas e espero que essa resenha seja lida por ele.

Loly Fonseca disse...

Nunca li uma obra do autor, mas já ouvi falar bastante... Não é o meu estilo literário, mas tenho plena certeza que o meu irmão adoraria... Pra quem gosta do estilo, parece ser um livro muito bem construído e que, ainda que um pouco confuso, prende a atenção do leitor... Já sei o próximo presente do meu irmão kk
Kisses =*

RUDYNALVA disse...

AlÊ!
Gosto de literatura fantástica e já ouvi dizer que os livros de Draccon são Dark, leitura cheia de imaginação e muita fantasia, o que me atrai muito, embora não tenha lido nenhum livro do autor.
Concordo que um primeiro livro de uma série é mais introdutório e prepara para outros livros da série, só me assustei um pouco ao ver que o livro se tornou um tanto devagar por isso e mais, que precisa de um map, já que são muitas localidades.
cheirinhos
Rudy

Ø Väzïø ñä Flø® disse...

Eu já tinha lido alguma coisa a respeito deste livro pelo mundo literário, mas nunca havia parado de fato, para entender e concluir alguma opinião.
Consegui ler Dragões de Éter e consequentemente, me apaixonar pela maneira que o autor traça suas histórias..
E pelo que li acima, ele continua da mesma forma.
Livros de fantasia são maravilhosos, desde que o autor consiga fazer o leitor se colocar na situação(por mais louco que pareça)
Draccon tem esse poder!
Beijo

Nardonio disse...

Muito bom saber que temos um ótimo autor d literatura fantástica. A mitologia e a trama, realmente, me parecem bastante promissoras. O Raphael Dracon, a cada dia, ganha mais pontos comigo.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Thállyta Silva disse...

Tenho muita vontade de ler este livro, adorei a capa e o título. Ainda não li a saga Dragões de Éter, mas pelo que leio em resenhas os livros dele parecem ser ótimos.
Imagino o que as cinco pessoas devem ter pensado, estando em outra realidade sem saber o porquê.. Concordo com você, sendo bastante complexo deve ser um pouco confuso mesmo.

Girlene Viey disse...

Raphael e bom exemplo de que a literatura brasileira
esta perfeita a cada dia! Esta sua obra Cemitérios de Dragões
fez um serie de fã, li muuita resenha, vi muita foto atraves do IG e varios comentario positivos. Qndo este livro foi lançado fiquei muuuito curiosa ler e depois de sua resenha fiquei me perguntado: Pq ainda não comprei?

nathalia muller disse...

Não li nenhum livro do autor ainda, mas o gênero me agrada muito...
é sempre bom sonhar um pouco mais com livros de fantasia...
com certeza vou ler muito em breve...

Tamires Fernanda disse...

Ainda não li Dragões de Éter mas ouvi muitas criticas boas sobre essa serie. Essa capa ficou um show, mas não sei se o leria pois vc disse que é bastante violento e não gosto muito de livros assim, mas gostei bastante da resenha.

Abçs :)

Adriana disse...

Fantasia não é o estilo de leitura que mais gosto, talvez por isso eu não tenha lido nada do Raphael ainda, mas minha filha leu a série Dragões do Éter e gostou muito. Acho que por esse ser o primeiro livro dessa nova saga, a leitura tenha sido um pouco cansativa, e também a falta dos mapas pode realmente ter atrapalhado um pouco, mas mesmo assim, vc gostou né, e com certeza o segundo livro será ainda melhor, ótima resenha, bjão!
Adriana

Jessica Lisboa disse...

Bem, essa leitura eu passo. Não e algo que sou abtuada a ler e alem do fato que não sou la muito fan de dragoes e coisa do genreo (nao me leve a mal). Mas espero que quem gostou tenha uma otima leitura.

Edna Dias disse...

O que me desanimou é saber que é uma saga. Não li nada do autor ainda, mas gosto do gênero e fiquei lendo a resenha e quando vc falou que é dark pensei em George R. R. Martin e se fosse feita comparação eu ia correndo comprar o livro, hehe.
Bem, como tal não foi feita e vc comentou sobra muita descrição, falta de um mapa, algumas coisas confusas eu desanimei mais...
Vou aguardar resenha de mais um livro ao menos para ver como a estória evolui.
Bjs.

Liza Mikaelly disse...

Há duas razões para eu estar maluca para ler este livro. Primeira: é um livro nacional! para mim isso é mas que especial pois até pouco tempo eu fazia parte dos chatos que tinham um certo preconceito pela nossa literatura. Só que a partir do momento que abri os olhos e vi como eu era uma idiota não parei mais. Segundo: a sinopse me conquistou! desde a primeira vez que a li fiquei completamente obcecada para saber mas da historia. Emfim ainda não li porque meio que estou esperando o preço abaixar. Beijos <3

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger