segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

RESENHA: Três Ratos Cegos e Outros Contos

“Houve um silêncio. Foi, de certo modo, um silêncio incomodo. ‘É uma armadilha’ pensou Molly. ‘É uma armadilha, mas não vejo como...’
Parecia haver cinco pessoas culpadas na sala, em vez de uma culpada e quatro inocentes.” (CHRISTIE, 2014, p. 89). 

***

Três Ratos Cegos é o conto que deu origem a peça A Ratoeira (The Mousetrap), que está em cartaz a mais de sessenta anos, sendo a peça mais encenada da história. Quando estive em Londres, não perdi a oportunidade de conferir uma peça escrita pela própria Dama do Crime, e desde então estava com vontade de ler o conto que a originou. 

Os recém casados Molly e Giles resolveram transformar uma casa que fora herdada em hospedaria, sendo que logo que recebem os primeiros hóspedes, ficam ilhados por conta de uma forte nevasca. O problema é que um assassino está a solta e a pista encontrada pela polícia é que ele se dirigia para lá. 

Creio que este conto é uma amostra do que Agatha Christie faz de melhor: confinar desconhecidos em um ambiente isolado e restrito onde um crime irá acontecer, sendo que todos os personagens têm algo a esconder. Além de conseguir fazer o leitor suspeitar de tudo e de todos, a autora sabe como ocultar a verdadeira motivação para o crime de forma maestral. E mesmo sabendo o desfecho, a leitura não perdeu a graça.

A peça é a reprodução exata do conto, tanto é que em diversas cenas que li me senti transportado para o teatro St. Martin, e conseguia até mesmo visualizar os atores no palco. E quanto a pergunta que não quer calar: qual é melhor? Para ser honesto, peça e conto são igualmente bons, mas, se você planeja ir para Londres algum dia, eu o aconselharia a ver a peça primeiro. Ver uma obra de Agatha Christie ganhar vida no palco é simplesmente emocionante. Tão emocionante que sonho em assistir mais uma vez. 

Quanto aos demais contos que compõe o livro, confesso que não me empolguei. É claro que vindo da Dama do Crime, nenhum deles é ruim, mas tampouco tive aquela sensação inerente aos livros da autora, aquela excitação por ver a investigação se desenrolar a sua frente e ter a oportunidade de desvendar o crime antes de Poirot ou Mrs. Marple. A verdade é que este é o segundo livro de contos que leio da autora, e a leitura de nenhum deles foi tão satisfatória quanto seus romances. 

Assim, apesar de ter adorado ler Três Ratos Cegos, chego a conclusão que os contos de Agatha Christie não são para mim. Mas não tem problema. Com mais de oitenta livros escritos, tenho certeza que não me faltarão romances para ler. 

Não deixe de conferir a coluna Viagem de Contracapa sobre a peça The Mousetrap

Título: Três Ratos Cegos e Outros Contos
Autora: Agatha Christie
N.º de páginas: 267
Editora: Globo

8 comentários:

thayna ta disse...

Não sabia que a Ratoeira era originado deste livro. E como sempre os assassinatos que a Agatha impõe nos livros, e com os detetives de cabelo em pé. Esses monte de pessoas com segredos sobre o mistério. E claro 80 livros pode durar até... dá um bom tempo de Agatha para tu ler.
Beijos Alexandre,
ThayQ.

Renata Varela disse...

Acredita que nunca li nada da Aghata? Por mais que tenha curiosidade, mal sei por onde começar! Aahahah talvez eu comece por esse, já que você falou tao bem :)
whoosthatgirrl.blogspot.com

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

E mais uma vez fico curiosa por um livro da Agatha Christie. Isso está virando uma constante na minha vida, Alê. [rs] E não vejo a hora de finalmente lê-los, e o máximo possível. Só imagino que a peça também deve ser ótima. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Thales Soares disse...

Eu quero muito ler um livro dela, até hoje nunca li nada relacionado a ela.

criativare-leitura.blogspot.com.br

RUDYNALVA disse...

Alê!
Vou concordar duas vezes com você: primeiro que vindo da rainha do crime, nenhum livro pode ser ruim, e, segundo, os livros de contos dela não sõ tão empolgantes quanto os romances policiais.
Há muito li esse livro, entretanto, os outros contos foram tão fracos que nem me lembro direito (preciso reler).
E que chique você ter ido a Londres e ter tido a oportunidade de assistir a peça, nossa, deve ser um sonho maravilhoso!
Uma semaninha cheia de luz e paz!
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Nardonio disse...

Qualquer coisa escrita por essa dama do crime são para mim. Sejam seus contos ou seus romances. Infelizmente nunca tive oportunidade de assistir suas peças, mas fiquei bem curioso pra ver essa. Mas ir até Londres já é outros quinhentos (quer dizer, bem mais do que quinhentos. kkkkk).

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Sarah Costa disse...

Nunca li nada da Christie, mais ok.
Estou bastante interessada no conto e na peça. Quando eu for em Londres com certeza irei dá uma passadinha no teatro e irei ver a peça.
Bom, gostei bastante da capa, a mesma me fisgou no mesmo momento que a vi.

Vitória Pantielly disse...

Oii Alê !

Sabe, sempre fui muito fã do Sidney Sheldon, e um amigo como viu que eu gostava do gênero me indicou a Agatha Christie, nas duas primeiras leituras fiquei meio "entediada" com a escrita dela, mas hoje sou apaixonada .. Ela tem uma forma inacreditável de conduzir as histórias, e sempre me prendendo desde o começo do livro.
É exatamente o que sinto quando leio um livro dela, nunca sei quem está mentindo, e na maioria das vezes eu estou desconfiando da pessoa errada, rs! Gostei do livro, eu ainda não o conhecia, entro pra minha lista de desejados!!
Beijos.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger