sexta-feira, 6 de novembro de 2015

RESENHA: Os Luminares

“— Senhores [...], eu defendo que não há verdades totais, e sim apenas verdades pertinentes, e a pertinência, hão de convir, é sempre uma questão de perspectiva. Não creio que nenhum de vocês haja perjurado de alguma maneira esta noite. Eu acredito que me deram a verdade, e nada além da verdade. Mas suas perspectivas são muitas, e hão de me perdoar se eu não tomar por integral a sua narrativa.” (CATTON, 2013, p. 300).

***

Os Luminares me chamou a atenção nem tanto por sua premissa, mas principalmente por sua excelente recepção pela crítica. Além disso, o livro foi laureado com o Man Booker Prize em 2013, sendo Eleanor Catton a mais jovem autora a receber o prêmio.

Walter Moody chega em Hokitika para tentar a sorte na corrida do ouro e em seu primeiro dia na cidade, interrompe, sem saber, uma reunião secreta de doze homens. Estes estavam a discutir  os misteriosos acontecimentos do dia 14 de janeiro de 1866: um eremita alcoólatra morreu e quando seu espólio é vendido se descobre uma grande fortuna; uma cobiçada prostituta é presa por tentativa de suicídio; um jovem e rico garimpeiro desaparece. Aqueles doze homens estão relacionados, direta ou indiretamente, a tais fatos e por isso sabem uma parte desta estória. A preocupação deles é a de ser comprometido em algo muito maior e de serem considerados cúmplices dos crimes alheios. 

Os Luminares surpreende por sua trama maravilhosamente intrincada e magistralmente concatenada. Nunca, em toda minha vida, encontrei um livro que tivesse uma trama tão audaciosa, cruzando a vida dos personagens em um verdadeiro efeito borboleta. A impressão que eu tinha ao ler era semelhante a de estar puxando o fio de um novelo, e quanto mais puxava mais conexões entre os personagens descobria. 

Catton escolheu uma interessante forma de contar sua estória: apesar do livro começar com os doze homens e a vida deles estar relacionada, pelos mais diversos motivos, com o cerne da estória, eles são os coadjuvantes. Cada um deles revela o que sabe sobre os fatos de modo que o leitor comece a juntar as peças, montando este grandioso quebra-cabeça. Quanto mais o livro avança, mais o leitor se aproxima do cerne da estória e de seus verdadeiros protagonistas. 

Digo "protagonistas" no plural por que a estória de Os Luminares não diz respeito a um personagem, mas há um grupo deles. E não há como dizer que a estória de um seja mais importante que a do outro, até mesmo porque não há como separar suas estórias. Como consequência, é igualmente difícil classificar o livro, pois trata-se de uma mistura afrodisíaca de drama, suspense, mistério, romance e até mesmo thriller. 

O único problema desta abordagem é que ao contar a estória por tantos pontos de vista, e a maior parte dela pelo olhar dos coadjuvantes, não há ninguém com quem o leitor crie uma conexão. O que me encantou e me impulsionava a ler Os Luminares foi a trama, a vontade de juntar as peças e de descobrir toda a verdade, e não por me importar com os personagens. 

Mas preciso destacar que os personagens são um prato cheio. Todos são multifacetados e decifrar seu caráter e personalidade é tão interessante quanto desbravar os mistérios mais prementes do livro. É ainda mais interessante ver a interação entre pessoas tão diferentes como um reverendo irlandês, um nativo maori, um chinês viciado em ópio, um funcionário da justiça e uma prostituta. 

A narrativa de Eleanor Catton me incomodou um pouco dado o excesso descritivo. A autora descrevia não apenas o mundo físico, mas sobretudo a personalidade de cada novo personagem que era introduzido na estória, o que tornava o texto um pouco cansativo. Entretanto, os diálogos são brilhantes, pois além de bem construídos, conseguiam imergir o leitor naquele contexto. Felizmente, depois da primeira metade do livro a narrativa se torna menos descritiva. 

O desfecho impressiona pelo grau de detalhes que Catton observou, amarrando todas as pontas, deixando claro o que aconteceu, mesmo que algumas explicações tenham ficado nas entrelinhas. O final do livro não é o final da estória daqueles personagens, sendo impossível encerrar a leitura e não ficar se perguntando o que o futuro reserva para eles. 

Não posso encerrar esta resenha sem elogiar a estrutura da obra. A cada um dos doze homens é atribuído um signo do zodíaco e aos demais personagens são designados astros de modo que seus encontros e conflitos seguem os movimentos celestes. Se escrever um livro já é uma tarefa hercúlea, apenas imagino o trabalho que a autora não teve com Os Luminares.

Os Luminares é uma estória fantástica sobre sorte, chantagem, segredos, amor, traição, vingança, ódio, ambição, recomeço, justiça e principalmente sobre a verdade, e o quão relativa ela pode ser até se ter todos os fatos. Durante a FLIP de 2014, Eleanor Catton afirmou que quanto maior o livro, maior a promessa do autor, pois este estará exigindo que o leitor invista mais tempo em sua obra e, portanto, deverá entregar uma experiência a altura. Após encerrar a leitura só tenho uma coisa a dizer: promessa cumprida.

Título: Os Luminares
Autora: Eleanor Catton
N.º de páginas: 884
Editora: Biblioteca Azul

21 comentários:

Gus disse...

Gente, que resenha instigante. Não conhecia o livro nem a autora, mas acho q merece ir pra os desejados ^^ adoro quando os autores misturam diversos generos em um livro só e tb adoro quando eles entrelaçam tds as historias do livro.

Www.cidadedosleitores.blogspot.com (TÁ ROLANDO SORTEIO)

Sil disse...

Olá, Alê.
Eu não tinha me interessado muito lá no começo da resenha, mas conforme fui lendo, mudei de ideia. Acho que nunca li um livro que não tenha um protagonista fixo. Acho que gostarei de ler algo com uma abordagem diferente. Mesmo não tendo essa parte de se conectar com ninguém. Espero gostar da leitura.

Blog Prefácio

Evelyn Almeida disse...

Olha, eu vi a capa desse livro e não achei que me prendeu. Mas lendo a resenha, fiquei curiosa.
Post it & Livros

Thalita Branco disse...

Olá Alê!
Não conhecia a obra e pela sua resenha ela parece ser fantástica! Gosto muito de livros com um toque histórico <3
Bjs

EntreLinhas Fantásticas

Ycaro Brito disse...

Olá, Alê. Pensei que Os Luminares não iria me interessar, mas estava enganado pois a leitura de sua resenha me despertou uma imensa curiosidade para a leitura do livro. Logo com esta reunião de 12 homens pude perceber que o livro tratava-se de algo misterioso, o que já me agradou. Mas, o ponto mais forte do livro é mesmo a relação e interligação que os mesmos possuem. Quero!

Gabriela CZ disse...

Estou arrependida de não ter dado mais atenção a esse livro, Alê. Me deparei com ele em vários sites e por algum motivo não tive interesse em ver sobre o que se tratava, agora vejo que estava deixando passar um grande livro. Uma trama intricada e rica como essa eu não posso perder. Ótima resenha.

P.S.: Concordo que quanto maior o livro maio a promessa do autor.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Que livro interessante. Não conhecia até ler sua resenha e agora já quero na minha estante.
Realmente, quanto maior o livro, maior a promessa. Pena que às vezes ela não é cumprida :(
Beijos
Balaio de Babados

Milena Schabat disse...

884 páginas? Uau, é muita coisa.
Eu gostei da sua resenha, mas não sei se estaria preparada para um livro assim, no momento. Estou em um momento mais leve, sabe?
Por mais que, tanto a sinopse quanto a resenha, tenham me chamado a atenção, talvez eu deixe essa passar. Mas anotarei o título aqui, caso esse "momento" passe, rs.

Abraço,
literarizei.blogspot.com

RUDYNALVA disse...

Alê!
Que trama mais intrincada e que criatividade da autora em usar tantos elementos e personagens, para no final criar um enredo cativante e carregado de mistérios ao longo da mais de 800 páginas.
A leitura deve ser fascinante.
“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz.” (Madre Teresa de Calcutá)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

Jessica Oliveira disse...

Oi, Alê!
Ainda não conhecia o livro, mas pela tua resenha percebi que esse é um ótimo livro. Achei bem interessante a ideia do autor colocar vários personagens e contar a estória através das perspectivas deles. Acredito que ainda não li nenhum livro que não tenha um protagonista fixo. Já anotei a dica aqui e, assim que diminuir a minha lista de leituras, irei lê-lo.

Abraços!
Books and Movies
www.booksandmovies.com.br/

Joice Ol. disse...

A julgar pela capa eu esperava uma história totalmente "sem sal", mas pelo que vi com sua resenha ele é o tipo de livro que te fixa na leitura, achei diferente a proposta dele, mas fiquei curiosa.

Beijos ♥
http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

Camila Monteiro disse...

Caraca, puta resenha. Enquanto lia lembrei do livro A PASSAGEM que tem u,a abordagem assim, sob o ponto de vista de várias pessoas. A história vai mudando de dentário e vai trazendo pessoas novas e... Nossa. A trama precisa ser muuuuuito boa pra segurar o leitor, mas acho que essa é né? Gostei da dica. Valeu.

>> Vida Complicada <<

Vanessa Vieira disse...

Gostei da resenha Alê. Além de ter uma trama intrincada, os personagens são multifacetados, o que se torna o livro ainda mais convidativo. Abraço!

ww.newsnessa.com

Rose Gs disse...

Olá!!
Que livro gigante em , mais uma estória dessa complexidade e contendo toda essa tanta trama, com todas as entrelinhas, efeito borboleta e tal, tinha mesmo que ser grande o livro, mais tomei um susto viu rsrs . Pela capa e nome não surgiu o minimo interesse em mim pela obra, mais lendo sua resenha vi mais uma vez que não se deve julgar o livro pela capa, porque fiquei fascinada pela leitura, quero muito.
Bjocas!!

Karina Valshe disse...

Nossa, sua resenha me fisgou por completo e agora preciso muito ler Os Luminares. Ele é um livro muito instigante e parece carregar diversos elementos que adoro, tanto personagens com mais de uma face, como mistérios e vidas entrelaçadas, sendo cada página um pedacinho de um quebra-cabeça.
Achei interessante ver o modo como a autora resolveu narrar o livro, mesmo que o número demasiado de personagens não nos permita criar uma conexão com algum deles, mas creio que é o de menos, em uma obra que parece ter tanto a oferecer ao leitor.
Inclusive, adorei ver que cada um dos personagens é representado por um signo do zodíaco ou por um astro, pois mesmo não crendo na astrologia, acho-a interessante.
Abraços

Eloísa Pompermayer disse...

Oláá Alê
Amo livros assim que apresentam muitos sentimentos e emoções no decorrer da estória, que 'aproxima' a vida dos personagens e os correlaciona, simplesmente fascinante a ideia de unir tantos pontos em um único livro, já quero ler, pois me encantei só pela forma que descreveu a estória na sua resenha. hehe
Bjoos

Jovem Literário

Mih Prado disse...

Olá Alê! Tudo bem? Ainda não conhecia o livro, mas fiquei muito surpresa pois sua sinopse não me chamou em nada a atenção,mas depois de conferir tua resenha, fiquei mega animada com o livro, pois adoro historias assim que vão nos surpreendendo aos poucos! Sem dúvida uma grata surpresa, amei conhecer ele e conferir tua resenha!

Nadja disse...

Oi! Os seus elogios para o livro me deixaram com vontade de ler. Já li muitas tramas que tivessem mistério e suspense, que desse a sensação que era um enorme quebra-cabeça, mas nunca li um livro que fosse assim, tão complexo e tão cuidadoso. Com certeza, a autora teve um trabalho meticuloso com esse livro, fazer ainda combinações com astros e signos para cada personagem é um trabalho primoroso. Depois dessa resenha só me resta ler.

Carolina Garcia disse...

Oi, Alê!!

Sua resenha está ótima!!
Confesso que não conhecia esse livro, mas fiquei encantada. Já adicionei no meu Skoob, por sinal, só para não me esquecer do nome. Hahahaha

Imagino que é difícil se interessar por uma história quando não se cria uma conexão com os personagens, então só posso supor a qualidade da trama.
Também estou curiosa para saber o desfecho da ligação dos 12 homens e dos fatos.

Espero conseguir achá-lo em breve! :)

Bjs

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Kamilla Evely disse...

Olá, Alê!
Eu não conhecia o livro, mas ele parece ser incrível. Apesar de no começo ser muito descritivo e por conta disso cansativo. Mas tem um enredo fascinante e os personagens parece ser mais fascinantes ainda. Sem esquecer de mencionar que tem um pouco de cada gênero, isso me encanta em uma leitura. É tão bom ter esse misto!

Adorei sua resenha!
Beijos
www.lendoeapreciando.com

Vitor Leonardo disse...

Uau que trama hein? Incrível! Bem envolvente e tudo o mais! A capa em si é desinteressante mas ao ler a resenha acho que mudei meus conceitos haha
Quando tiver oportunidade de ler, lerei com certeza!
Ótima resenha e obrigado pela dica!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger