segunda-feira, 9 de março de 2015

RESENHA: Star Wars - Herdeiro do Império

“Quando você entende a arte de uma espécie, você entende toda a espécie.” (ZAHN, 2014, p. 27)

Há anos eu tinha curiosidade de assistir a saga Star Wars, mas, vergonhosamente, nunca o havia feito. Quando recebi “Herdeiro do Império” – o primeiro volume da trilogia Thrawn – decidi que era o momento de corrigir essa falha. Assim, assisti a trilogia original, depois a trilogia prequal e então, devidamente preparada, dei início à leitura. O que eu encontrei poderia ser facilmente considerado o episódio VII da saga e trazer a assinatura de George Lucas.

A Estrela da Morte foi destruída. O Imperador e Darth Vader estão mortos. Ainda assim, nem tudo são flores na Nova República. Luke Skywalker, Leia Organa e Han Solo lutam para firmar o novo regime, mas enfrentam sérias dificuldades ainda mais agora que o grão-almirante Thrawn quer reestabelecer o império, dominando a galáxia e destruindo os últimos Jedis.

A primeira (e possivelmente única) coisa que você precisa saber a respeito de “Star Wars – Herdeiro do Império” é que ele é Star Wars em cada mínimo detalhe. Recentemente comentei o quanto deve ser difícil transportar para as páginas personagens que estamos habituados a ver nas telas e quando se trata de algo icônico como Star Wars, a dificuldade e a responsabilidade são imensuráveis, afinal, se trata de um mundo e personagens que moram no imaginário coletivo de milhares de pessoas e que passaram de geração para geração. Eu, por exemplo, quando assisti “Episódio IV: Uma Nova Esperança”, me senti sendo apresentada para pessoas de quem muito tinha ouvido falar só não tivera a oportunidade de conhecer antes. Manipular tudo isso e ainda introduzir novos elementos é uma tarefa hercúlea, mas Zahn se sai muito bem. Não só a essência da saga foi preservada, como o tipo de cenas e diálogos que davam forma aos filmes, além das vozes dos personagens que já conhecíamos (eu quase podia enxergar Harrison Ford falando).

Mas acredito que o maior desafio para Zahn fosse criar um vilão a altura de Darth Vader, porque um antagonista de peso como Vader estabelece um nível difícil de ser alcançado com outro personagem (uma das coisas que, diga-se de passagem, faz falta na trilogia prequal). Talvez isso nem seja possível, já que o personagem é tão lendário que mesmo que você não saiba nada sobre Star Wars, ao menos Lord Vader você conhece. Mas Zahn apresenta o grão-almirante Thrawn, um humanoide de pele azulada, especialista em estratégia militar que rende as cenas mais interessantes do livro. Inteligente e calculista, Thrawn é aquele tipo de personagem que nos faz aguardar ansiosos por cada aparição do vilão. Não é por nada que Thrawn dá nome à trilogia e que é dele a frase que escolhi para o quote dessa resenha. Pesquisando um pouquinho, descobri que os livros anteriores de Zahn tinham uma abordagem militar, incluindo estratégias de combate. Isso fica evidente no desenvolvimento desse personagem.

Outro personagem de destaque é Mara Jade e seu misterioso ódio mortal por Luke Skywalker, uma das minhas maiores curiosidades ao acompanhar a história.

E por falar em Luke, gostei do destino dado para os personagens principais. Cinco anos se passaram desde os eventos do “Episódio VI: O Retorno de Jedi” e o que vemos agora é Luke em toda a sua forma Jedi, treinando Leia para que aprenda as mesmas habilidades agora que ela está grávida e casada com Han Solo (meu personagem favorito do trio). Se pararmos para pensar, não é difícil constatar que era isso que o futuro aguardava para os três. Vale mencionar que, além do trio, também estão presentes no livro os androides R2-D2 e meu querido C-3PO, além de Chewbacca e o contrabandista Lando.

Para a ambientação ficar completa, o autor cita ainda várias cenas dos filmes como Obi-Wan Kenobi afastando o povo da areia, Solo e Luke salvando a vida de Leia na primeira vez que os três se reúnem, o treinamento de Luke com Yoda, o resgate de Solo enquanto prisioneiro de Jabba, o Hutt, entre tantas outras.

Entre criaturas estranhas, perseguições e batalhas presentes da primeira a última página, é a batalha final repleta de ação que se caracteriza como a melhor cena do livro, recriando o tipo de desfecho que víamos nos filmes.

A edição da Aleph está linda, com um detalhe em cada transição de capítulo. Gostei muito porque não atrapalha a leitura e deixa o livro com uma cara ainda mais Star Wars. Para completar, a editora criou marcadores de sabre de luz.

Não posso dizer que fiquei fissurada pela leitura porque, confesso, não me tornei uma fã do universo Star Wars. Gostei de alguns filmes, não gostei de outros, adorei um, detestei outro (não é difícil imaginar quais foram quais, tenho certeza), mas no geral acho a saga cativante, empolgante e repleta de personagens carismáticos e foi exatamente isso que encontrei em “Herdeiro do Império”, sem mais nem menos. Star Wars do começo ao fim. Que a força esteja com vocês!

Título: Star Wars – Herdeiro do Império (exemplar cedido pela editora)
Autor: Timothy Zahn
Nº de páginas: 472
Editora: Aleph

14 comentários:

Jonatan Pereira disse...

Quero muito ler, amo as edições da Aleph (ainda nao tenho nenhum deles :'( ) mas estão na lista!
Abraços!
http://coisasdeumleitor.blogspot.com.br/

Ana Clara disse...

Oi Mari!

Eu sou perdidamente fissurada por Star Wars, sério. A primeira vez que eu assisti foi com o meu paizinho. Acho que é por isso que a série é tão importante para mim. Infelizmente, ainda não tinha oportunidade de ler nenhum livro relacionado, mas pretendo!

Ah! O Han Solo também é meu personagem preferido do trio, se não for o preferido de toda a série! Não sei dizer, porque é meio impossível não gostar do Vader, apesar de tudo. HAUEHAUEHAE

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Luan Sampaio disse...

Oi Mari (:
Quero muuuuuuito mesmo ler esse livro, eu adorei totalmente o trabalho da Editora Aleph nessa edição (aliás, todas são super caprichadas ♥) e eu sou meio ''nub'' nessa história, conheço o SÓ O OBI-WAN, SÉRIO HAUHAUAHAUAHU. Então eu tenho muita curiosidade para me aprofundar mais nessa história, adoro ficção científica e essa capa tá maravilhosa <3 Espero ler brevemente :)
Beijos,
Luan || http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/

David Andrade disse...

Oi Mari!
Acredita que eu não vi nem os filmes? KKKKKKKK. Gosto do meu universo nerd, mas sou poser nessa area Nunca tive vontade alguma de ver os filmes de Star Wars. Os livros seguem o mesmo exemplo. Mesmo você tendo adorado, ainda nao consigo me sentir atraido por ele. A capa é linda, de fato.

Abraços
David Andrade
http://www.olimpicoliterario.com/

Gabriela CZ disse...

Mari, assim como você também fiquei anos querendo ver Star Wars. Assisti os filmes ano passado e entendo muito bem o que quis dizer. Fiquei feliz quando soube que a Aleph ia reeditar esses livros e quero muito ler. Li em algum lugar que o autor chegou a ouvir apenas o áudio dos filmes para "captar" o jeito de falar de cada personagem. Pelo visto conseguiu e ainda vez uma sequencia digna. Espero que isso também aconteça com o Episódio VII. Estou mais ansiosa agora. Ótima resenha.

Abraço!

Rafaela. disse...

Oi, Mari!

Gosto muito, muito mesmo de Star Wars. Não me considero uma super fã, mas tudo sobre esse universo sempre me encantou! Faz anos que não assisto aos filmes, preciso fazer uma maratona qualquer dia desses e rever todos eles, rs.
Assim que "Herdeiro do Império" foi lançado, fiquei bem curiosa e animada para lê-lo, mas tive medo de como o autor iria transportar os principais elementos da história, seus personagens e o tom deles para o livro. Agora que li sua resenha, me sinto mais aliviada e pude perceber que o autor fez um ótimo trabalho. :)
Também gosto bastante de Darth Vader e Han Solo!

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Amanda Almeida disse...

Oi Mari, tudo bem?
Eu confesso que não sou a maior fã de star wars, mas gostei de alguns filmes. Acredito que esse livro seja uma ótima aquisição pra quem é fã e conhece a história.
Abraços,
Amanda Almeida
http://amanda-almeida.com.br

Ágata Bresil disse...

Gosto bastante de Star Wars, mas, assim como você, não sou uma fã assídua. Fiquei super curiosa quando vi esse livro na livraria e não sabia bem se valia a pena investir, mas sua resenha me convenceu. Já tinha gostado quando você disse na resenha de Veronica Mars que o livro tinha mesmo a essência dos personagens, é bom saber que esse também tem as características da tela.

Mil Beijos. Tudo Tem Refrão

Anelise santana disse...

Pois é, também não sou uma super fã. Assisti aos filmes quando tinha pouca idade, e acabou que não entendi muito da história. Foi erro meu não ter assistido novamente, porque é evidente que é uma ótima história. O único problema que tenho em relação aos livros é a quantidade de personagens, eu me perco, confundo, nunca gravo quem é quem... Mas sei que a leitura vale muito a pena.

Teca Machado disse...

Mari, eu fui criada numa casa onde assisti desde bem pequena Star Wars, Star Trek, De Volta Para o Futuro, Indiana Jones e outros clássicos dos anos 1970 e 1980. Então, Darth Vader faz parte da minha infância, haha.
Mas que bacana saber que o livro é tão bom. Eu acho a capa e a edição dele sensacional!
E mesmo com outro vilão que nosso adorado senhor com voz de batata enfiada na boca, temos um tão marcante.
Quero ler (E rever todos os filmes).

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Matheus Braga disse...

Hey Mari, tudo bem?

Eu confesso que queria muito ter paciência para ver a trilogia original, mas infelizmente não gosto muito de filmes com aquele ar "antigo", com os efeitos especiais que chegam a doer os olhos, por isso, dei uma chance só para a trilogia prequel e adorei, mas não o suficiente para ver a original. Uma coisa que me aborrece muito são quando os autores decidem escrever coisas nos mínimos detalhes, por isso acho que vou passar a leitura desse livro, por mais que seja algo bom, pois dá mais verossimilhança às atitudes e personalidades, enrolação demais me incomoda. Outro fator é que o autor cita cenas de um filme que eu não vi, então acho que ia ficar meio perdido HAHAHA Vou passar dessa vez, mas quem sabe um dia eu não animo e vejo a trilogia original?

Abraços,
Matheus Braga
Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

Lady Sybylla disse...

O livro me decepcionou um pouco por causa da tradução. Encontrei algumas frases muito mal construídas, o que deixou o texto com aspecto raso, até meio infantil em alguns trechos. Isso me desanimou e acabei largando a leitura por quase um mês até ter saco para retomar. É uma pena, pois o autor soube como trazer todos os elementos que nos encantaram na trilogia, criando um universo ainda mais poderoso que o original e no fim a nova tradução acabou pobre em alguns aspectos.

Bárbara Prince disse...

Esse livro será minha próxima leitura, já estou ansiosa para lê-lo. Ouvi falar muito bem de como o autor captura a essência dos personagens dos filmes, por isso estou mega interessada!

www.blogsemserifa.com

RUDYNALVA disse...

Mari!
Pois eu como boa fã da saga, estou ansiosa pela leitura e para acompanhar todo desenrolar da nova estória ficcional criada.
Tô tão chocada ainda que nem sei mais o que falar, acredita?
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger