sábado, 18 de abril de 2015

RESENHA: Fundação e Império

“— [...]. Seldon previu uma série de crises através dos mil anos de crescimento, cada uma das quais forçaria uma nova virada de nossa história para um caminho previamente calculado. São essas crises que nos guiam... e, portanto, uma crise deve estar vindo agora. Agora! — ela repetiu, com força. — Já se passou quase um século desde a última, e nesse século cada um dos vícios do Império foi repetido na Fundação.” (ASIMOV, 2009, p. 102). 

***

Isaac Asimov começou a saga Fundação com o pé direito: uma boa premissa e personagens carismáticos, e sendo o gênio que é, não poderia deixar de surpreender o leitor, aumentando ainda mais minha expectativa para o segundo volume: Fundação e Império

A Fundação, projetada por Hari Seldon com base na psico-história, continua crescendo e aumentando seus domínios, para insatisfação do Império Galáctico. Bel Riose, general do Império com vontade de registrar seu nome na história, decide que é hora de atacar a Fundação. A outra ameaça a ser enfrentada é o Mulo, um “pirata” que começou a dominar planetas sem qualquer resistência.

Ao contrário do primeiro volume, Fundação e Império tem uma estrutura mais coesa. Mesmo que a Fundação continue sendo a protagonista, desta vez acompanhamos apenas dois episódios de sua história, de modo que Asimov conseguiu criar tramas mais complexas, além de investir na construção dos personagens. 

Dessa vez, quem ganha destaque são os vilões da estória: Bel Riose e Mulo. Este último é, de longe, um dos mais interessantes personagens da saga, sendo o primeiro antagonista a altura da Fundação. Considerando o desfecho do livro, imagino que ainda devemos reencontrar Mulo no terceiro volume, ou pelo menos assim espero.

Tendo em vista a premissa da saga, sempre me pareceu que um dos possíveis pontos fracos poderia ser a previsibilidade do livro. E embora Asimov faça um ótimo trabalho mostrando a jornada da Fundação, o elemento surpresa certamente poderia ser utilizado para apimentar as coisas. E foi o que Asimov fez, com uma reviravolta completamente inesperada na trama, e que a deixou ainda mais interessante. 

O meu problema com Fundação e Império é que ficou claro que se trata de um livro de transição. Asimov inicia com uma revelação impactante, mas que só vem a ser explorada no final do livro, ficando de gancho para o próximo volume. Ou seja, todo o livro é desenvolvido para chegar a este ponto de transição, então, fiquei com a sensação de que o restante da estória era apenas a “ponte” que o leitor precisava atravessar para chegar a parte que importava.

Embora a segunda parte do livro seja muito mais interessante que a primeira, sobretudo, por causa da presença de Mulo, a verdade é que mesmo assim demorei a me envolver com a estória, o que atribuo aos múltiplos pontos de vista que deixaram a narrativa mais truncada. Asimov, que nunca tinha trabalhado com tantos personagens, me pareceu sofrer um pouco para conseguir fazer a trama funcionar com tantos “atores no palco”.

Neste livro, o alvo da discussão é mais restrito, limitando-se aos jogos de poder e ao despotismo. Aliás, é interessante ver como as falhas do ser humano se repetem, mesmo em uma nova sociedade, destinada a ser o embrião do futuro Império Galáctico, e que, por isso mesmo, não deveria cometer os mesmos erros que acarretaram na queda do antigo Império.

Apesar de não ter superado a expectativa, Fundação e Império é uma promessa grandiosa para o próximo livro da série e não tenho dúvidas que Asimov está a altura do trabalho.

Título: Fundação e Império (exemplar cedido pela editora)
Autor: Isaac Asimov
N.º de páginas: 244
Editora: Aleph

24 comentários:

Tamires Marins disse...

Oi, Alê!
Não conhecia esse autor! Achei a história bem interessante e inteligente!
Dá uma raivinha quando a história demora a se desenvolver e, quando isso finalmente acontece, o autor faz um cliffhanger daqueles que faz a gente se descabelar querendo ler logo a continuação, né? hahahaha

Beijão
Tamires
www.meuepilogo.com

Você acabou de ir lá, mas já tem post novo! hahaha

monique larentis disse...

Não conhecia este livro, até pela história não ser uma das minhas favoritas de leitura, mas gostei bastante da resenha e o assunto que o livro trata, é cultura de forma literária :)

www.vivendosentimentos.com.br

Fernanda disse...

Eu tinha um livro desse autor, chamava Encantamentos, ficou velhinho e doei na biblioteca municipal da minha cidade, que saudade me deu, adorei a escrita e criatividade do mestre.
Tenho vontade de ler outros dele, preciso ler na verdade, livros bons temos de ler sempre não é vdd?
Valeu pela dica!

Daily of Books

Bárbara Prince disse...

Oi, Alê! O primeiro volume dessa série me decepcionou um pouco, por causa de alguns pontos que você mesmo apontou aqui - ele não desenvolve muito bem os personagens, e a falta de foco deixa a trama bem confusa. Fico mais desanimada em saber que o segundo volume tem esse gosto de "transição". Mas já me recomendaram tentar encarar a trilogia como um livro só, parece que assim fica mais atraente.

www.blogsemserifa.com

DominO Simmons disse...

Oie..... sabes que tenho curiosidade em relação a essa trilogia desde um video que vi no canal romeu e julieta sobre...
o seu texto só me motivou mais ainda a ler bjos
:) http://cantodadomino.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

A cada comentário seu fico mais curiosa para conferir a série, Alê. Dá uma certa frustração ao perceber que um livro serviu mais como ponte entre uma etapa e outra da trama, mas boa saber que mesmo assim a história não perdeu seu brilho. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Netinho Alves disse...

Oiiêê
Ainda não tinha visto nada sobre esse livro, mas gostei muito da capa, em recompensação ñ seria um livro que eu compraria, achei bem chatinho a capa
Bjks

Passa Lá No Meu Blog: http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

Lary C disse...

Oi, Alê.
Eu estou louca para ler um livro desse autor, mas acho que vou começar por Eu, Robô. Adoro ficção científica, apesar de não ter lido nenhum do gênero recentemente. Mal posso esperar por minhas férias para por a leitura em dia. Vou aproveitar e dar uma olhada em Fundação.
Abraço!

Line Silva disse...

Não conhecia nem o autor e nem o livro, apesar de não ter o habito de ler esse tipo de gênero literário, achei bem interessante o enrendo e o desenvolvimento da história ;D

http://confissoesdeumaaprendiz.blogspot.com.br/

Rafaela. disse...

Oi, Alê!

São tantos comentários positivos que eu estou curiosa para ler essa série. É péssimo quando o autor se perde no desenvolvimento de tantos personagens, mas ainda assim, a série e esse livro parecem ter sido bem construídos.
Adorei a resenha.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Mariana Ogawa disse...

oie alê!!
eu ainda tô devendo ler os livros do asimov! tô com o "eu, robô" aqui (que vcs me indicaram para começar com ele)
sabe o q eu acho mais impressionante? qts anos tem o fundação(só q o asimov morreu tem mais de 20 anos...)? e ainda é um livro de ficção atual

Milena Caldas de Souza disse...

Olá! Bom, como não li o primeiro volume fiquei um pouco "boiando" sobre qual é a história do livro, mas fiquei curiosa, principalmente pelo enfoque dado aos vilões. Gosto muito de vilões bem elaborados.
Uma ótima resenha, parabéns! :3

http://amadoslivros.blogspot.com.br/

Luis Carlos disse...

Ainda não conhecia essa série, então não sei muito sobre ela. Sobre esse livro, eu achei bastante interessante em saber que os personagens são mais explorados, porque isso acaba tornando o livro melhor do que já é!

T.P Fouryoubooks disse...

Olá Ale! Tudo bem?
Já havia lido e visto vídeos falando deste livro e ele parece ser bem interessante... O único problema, que nem você mesma disse, é que o desenvolvimento é lento e isso me deixa sem coragem de adquirir esse livro, mas está anotado rsrs... Quem sabe eu goste dele? Rsrs
Beijinhoss
T.P
4 You Books

Matheus Braga disse...

Fala Dr., tudo bem?

Cara, confesso que desanimei com a série pela sua resenha. Lembro que fiquei super empolgado quando li seu texto sobre o primeiro livor e todo aquele lance da Fundação e tudo mais, mas personagens demais e pontos de vista alternados são coisas que me matam de ódio (o que você já percebeu pelas nossas conversas sobre Bloodlines HAHAHAHA). As capas continuam lindas, e gostei desse volume ser mais coeso que o anterior, mas se for para ler algo no estilo "peça de teatro" prefiro pegar pra ler Alto da Compadecida, assim não tomo pau no vestibular quando me perguntarem qual a função do palhaço no texto HAHAHAHA.

PS: Sabe se a Aleph tem intenção de lançar um BOX promocional dessa série? Vi que uma outra editora lançou um da Agatha Christie em capa dura que é a coisa mais linda do mundo.

Abraços,
Matheus Braga
Vida de Leitor - http://vidadeleitor.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Alê!
Não sei se tem a mesma impressão que eu, mas lindo Asimov percebo o verdadeiro contato com a ficção científica. E foi isso que me encantou desde a adolescência. Nos livros de Asimov a ficção é original, não os livros de fantasia recriados na atualidade. Sou da época em que a ficção não tinha ainda tantas divisões, eram fiação genuína, como o próprio autor. Talvez por isso a dificuldade em lidar com tantas personagens secundárias ativas. Minha opinião.
“A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros.”(Confúcio)
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Thiago Souza disse...

Devo discordar em alguns pontos.
1. Ao ler esse livro não se deve esquecer que o "personagem principal" é a fundação, em todos os seus séculos de desenvolvimento ora o autor deveria dar ênfase a alguns pontos, no primeiro livro ele não se atém a muitos personagens e passa um grande período de tempo, ja neste ele precisa focar em um determinado momento da história da fundação para detalhar a ascenção do mulo e a decadência do império.
E sobre a sua observação da "ponte"que o leitor precisa atravessar eu sinceramente não entendi, você queria chegar direto ao fim? Acho que essa é a parte mais maravilhosa dos livros do Asimov a forma como ele constrói toda uma problemática e a explica/soluciona perfeitamente ao final do livro.
Enfim meu ponto de vista é de quem já leu os 7 livros da fundação, e me segurei para não dar spoilers haha.

Recomendo a série a todos

Nardonio disse...

Até agora só li resenhas positivas em relação aos livros do Asimov. Ainda não cheguei a ler essa série, mas tenho vontade. Por uma parte, gostei de saber que a trama está mais coesa e ele se aprofundou mais, já por outra, essa questão de passar a impressão de se perder em meio a tantos pontos de vistas pode prejudicar um pouco. Mesmo assim, quero muito ler.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Cecília Vieira disse...

Acho que já tinha visto algumas coisas sobre essa série, mas ainda não me interessei para fazer a leitura. Pode ser que depois eu muto de ideia, mas por enquanto ela não me atrai.

Daniel Moraes disse...

Oi, Alê! Tudo bem?

Não conhecia este livo, mas chamou-me aatenção!
Deve se bem interessante.
Ainda irei ler "Fundação e Império"! :)

Visite-nos, caso queira, siga-nos:
Irmãos Livreiros

Abraços!

Ju M disse...

Não conhecia a série, não tinha nenhuma resenha ainda. Fiquei curiosa para ler o livro, acho que é bem diferente das cosias que ando lendo agora. Adoro quando o livro apresenta alguma reviravolta e sai daquele roteiro previsível, acho que isso é necessário, ainda mais quando o livro é um pouco mais truncado como você falou.

Letícia Souza disse...

Tanto se fala em Asimov mas eu nunca li nada dele.Esse é um daqueles livros que não abrange minha zona de conforto e dificilmente eu vá conseguir levar a leitura até o final,ainda mais se for uma série.E do meu ponto de vista fica meio tedioso o livro todo servia como você disse,como uma ponte,para o próximo.Espero que o próximo tenha uma ótima história.

Anelise santana disse...

Isso acontece com a maioria dos segundos volumes das séries, principalmente com as trilogias; servem como uma ponte para o desfecho da estória. Eu sinceramente não vejo isso como um problema, acho que faz parte. Essa série é diferente de tudo o que já li, talvez eu tenha problemas de adaptação quando for ler (porque pretendo, claro), mas se o livro for bom mesmo o esforço vale a pena. Além de que os personagens parecem bem marcantes, o que torna a leitura mais agradável.

Maurilei Teodoro disse...

Eis uma saga que estou adiando a leitura faz um ano e provavelmente irei gostar muito.

bomlivro1811.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger