segunda-feira, 30 de novembro de 2015

RESENHA: O Projeto Ascendant

“(...) a diplomacia com os chineses era uma encenação. Uma peça espetacular, cuidadosamente coreografada, com primeiro ato, interlúdio, segundo ato, a ocasional reviravolta ou surpresa, a reintrodução de algum enredo anterior, um desfecho e uma conclusão muito bem embalada. Cada ator conhecia seu papel, o que se esperava dele e sabia como o drama se resolveria.” (CHAPMAN, 2015, p. 217).

Eu adoro histórias que envolvam conspirações e por isso acreditei que “O Projeto Ascendant” tinha tudo para me agradar. Mas não foi o que aconteceu.

Após perceber que uma grande quantidade de títulos da dívida pública norte-americana está sendo colocada à venda de uma só vez, Garrett Reilly se revela um poderoso recurso ao governo já que é capaz de perceber padrões onde outros enxergam apenas dados e números. A informação de Garrett ajuda a impedir a desvalorização do dolar e o início da ruína da economia norte-americana, mas esse é apenas o primeiro indício de que uma guerra está tomando forma. Com a situação ficando cada vez mais preocupante, a solução é o Projeto Ascendant, um programa do governo que há anos tenta encontrar um candidato para liderá-lo. E ninguém nunca pareceu tão adequado para a tarefa quanto Garrett.

O grande problema de “O Projeto Ascendant” é a narrativa desnecessariamente detalhada de Chapman. Desde as primeiras páginas me incomodou que, apesar dos capítulos curtos, a leitura nao fluia, contando eventos com potencial para serem empolgantes, mas sem conseguir fazer isso. A meu ver, quando um autor entra demais em detalhes, ele elimina a chance de o leitor visualizar as cenas, o afogando em um mar de palavras. Quando isso acontece, não importa o quanto se escreva, as palavras ficam vazias, e é exatamente isso que acontece com Chapman.

Aos poucos também fui percebendo que grande parte do que era narrado era irrelevante para a história (o quote que escolhi exemplifica isso) e não foram em poucos os capítulos que conclui que tudo era desncessário, com exceção das últimas três ou quarto frases, como se a função do capítulo fosse apenas levar a tal informação e não contar uma parte da história. Entre o excesso de detalhes e os comentários supérfluos, a narrativa se assemelha a uma árvore de natal, onde os adereços aparecem mais do que a  própria árvore. Funciona para decoração natalina, mas não para contar uma história que deveria ser eletrizante.

Talvez parte do problema se deva ao fato de que Drew Chapman é roteirista e a narrativa cinematográfica é, suponho, muito diferente da literária. Talvez isso explique as incontáveis cenas úteis apenas para introduzir uma informação que poderia muito bem ser dada de outra maneira.

Quanto a Garrett, este está longe de ser um personagem cativante. Inteligente, mas arrogante, rancoroso e egocentrico, ele parece ter sido moldado para ser o anti-herói que nós amamos apesar de sua personalidade diícil, mas não é isso que ele desperta.

Apesar de tudo, a história em si tem bons elementos. Ameaças, conspirações, manipulações e espaço de sobra para muita ação. Isso me leva a acreditar que poderá funcionar no formato de série de TV, algo que deve acontecer em breve já que os direitos foram vendidos para a Fox com essa finalidade. Mas como livro, afirmo que “O Projeto Ascendant" promete, mas não cumpre. Talvez se tivesse sido um pouco mais lapidado, ou passado por uma edição mais rigorosa, poderia ter sido um daqueles livros frenéticos, dificeis de serem largados, mas assim, tornou-se apático.

Título: O Projeto Ascendant (exemplar cedido pela editora)
Autor: Drew Chapman
N° de páginas: 476
Editora: Record

31 comentários:

Carolina Hermanas disse...

Eu também não curti muuito o livro pela sua resenha, mas sempre vale a pena tentar né? :)


Beijinhos
http://carolhermanas.blogspot.com.br/

Ycaro Brito disse...

Oi, Mari. Eu não daria uma chance a este livro se descobrisse que o autor era roteirista cinematográfico, mesmo com tamanha curiosidade sobre sua narrativa. O Projeto Ascendant não me interessou com uma premissa repleta de política, governo e números, mas me desapontei ainda mais com o livro sabendo da leitura vazia que o mesmo possui, além de ser muito lenta. Quem sabe em um próximo livro do autor, você goste?! Abraços.
Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br
Instagram: Consumidor de Sonhos | CdS

Gus disse...

Oi Mari! Não conhecia o livro, mas ele não me despertou curiosidade alguma. Acho desnecessário quando o autor conta detalhes de tudo e esquece de contar a história. Uma pena esse livro não cumprir o que prometeu :/

www.cidadedosleitores.blogspot.com

Nadja disse...

Oi! Difícil quando o livro promete, mas não cumpre. Não gosto de detalhes excessivos, somente se eles forem necessário, mas acho que isso foi influência do seu trabalho como Roteirista, só acho que ele deveria ter tido mais cuidado e até mesmo ter colocado seu livro para outros olhos avaliarem.

Rose Gs disse...

Olá!!
Esse livro não me interessou desde cara, quando vi a resenha já me desaminei , me veio na mente uma historia cansativa e cheia de enrolações e detalhes de mais, e agora vejo aqui em sua resenha que eu estava super certa esse livro definitivamente não é pra mim, eu não leria ele mesmo.
Bjocas!!

RUDYNALVA disse...

Ah Mari!
Que decepção!
Achei que o livro seria um estrondo e não passa de mera junção de palavras e cenas, que poderão ser aproveitados para a série televisiva... que pena/1
Achei a capa tão expressiva...
Triste quando um autor não consegue completar a missão de um bom livro, mesmo com tantos bons elementos...
“Num filme o que importa não é a realidade, mas o que dela possa extrair a imaginação.” (Charles Chaplin)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Karina Valshe disse...

Não conhecia o livro e é uma pena que ele tenha prometido tanto e acabou que não cumpriu nada. O enredo tinha chamado a minha atenção, ainda mais com tantos elementos chamativos, mas a narrativa do autor não contribuiu.
Detalhes podem fazer falta em uma história, mas quando postos em excessos pode afogar um enredo que tinha muito a oferecer, como parece ter sido neste caso.
Talvez a profissão do autor tenha influenciado a construção dessa narrativa, afinal foi uma mudança brusca do que ele estava habituado a lidar, infelizmente.
Abraços

Vitor Leonardo disse...

Não leria o livro por essa narrativa cansativa, gosto de livros que nos prendem do começo ao fim, não desses que nos obrigam a ler, muito detalhoso porém sem foco na história principal é horrível! Nunca tinha ouvido falar do livro muito menos do autor haha quem sabe numa próxima escrita dele não nos interessemos?

Mih Prado disse...

Olá Mari, ainda não conhecia este livro, primeira resenha que leio sobre ele, e confesso que não me despertou o interesse, pois capítulos MUITO detalhados pois acaba se tornando uma leitura muito cansativa. Mas irei conferir outras resenhas.

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Eu estava ansiosa pra ler esse livro, mas, depois da sua resenha, vou deixar de mão.
Com essa história de narrativa enroladora, eu só ia perder tempo.
Uma pena que o livro tenha desenrolado assim porque a premissa realmente promete muito.
Beijos
Balaio de Babados || Participe da promoção Natal do Babado

Tony Lucas disse...

Oi, Mari! Tudo bem? Se tem uma coisa que não gosto é cenas muito descritivas, quando vejo coisas assim me dá vontade é de dormir! rsrsrs Por causa disso, não leria "O Projeto Ascendente"! Adorei a resenha! :)

PS: Essa capa é bem bacana, né?

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Yara Lima disse...

Não conhecia esse livro, masa a sua resenha me deixou muito interessada em ler esse livro ♥ ♥ adorei o seu blog e estou seguindo, poderia seguir de volta? ♥ http://www.dearmaidy.com.br/

Cineleva disse...

O livro tem uma capa e uma premissa sensacional mas pelo visto peca no "excesso de nada" coisas colocadas na história que no fim não dizem muito para o leitor :( Uma pena. Mas amei a sua resenha e a forma como você argumentou sua opinião.
Leitora nova aqui no blog, já estou seguindo e amando! <3
Criei um blog recentemente, para falar de cinema e arte no geral, caso se interesse em conhecer eu ficaria imensamente grata: http://cineleva.blogspot.com.br/ :)

Thalita Branco disse...

Olá Mari!
Uma pena, a premissa é realmente incrivel, mas detalhes demais assim são completamente desnecessários e cansativos.
Marquei o seu blog na TAG Hábitos de Leitura lá no Entrelinhas Fantásticas :)
http://www.entrelinhasfantasticas.com.br/2015/12/tag-habitos-de-leitura.html

Bjs

EntreLinhas Fantásticas | SORTEIO 250 SEGUIDORES! NOS SIGA E PARTICIPE :)

Caverna Literária disse...

Pela premissa esse livro não faz muito meu gênero, e é uma pena também ter decepcionado em certas partes :/

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova no blog de "Tempestade de Areia", vem conferir!

Eloísa Pompermayer disse...

Oláá Mari
Então, essa capa e a sinopse me chamou muita atenção, mas como as cenas são muito descritivas eu acredito que não curtiria a leitura, pois ficaria meio zzz sabe?! Na verdade eu ficaria entediada, mas enfim gostei da sua resenha pelos apontamentos que fez mostrando os pontos negativos e positivos. ^^
Bjoos

Sil disse...

Olá, Mari
Também adoro livros com conspirações. A capa desse é muito bonita. Quanto a parte dos detalhes, eu gosto de bastante hehe. Mas depende da história isso se torna cansativo. E pelo jeito esse é um deles e não acho que lerie esse livro. Vou deixar passar.

Gabriela CZ disse...

Não conhecia o livro, Mari. E apesar de adorar conspirações não me animei com esse por causa dos seus comentários. Detalhes demais não dá. E tramas conspiratórias tendem a ser complexas, então a narrativa precisa ser fluida. A propósito, adorei sua metáfora da árvore de Natal. Todavia, se virar mesmo série de TV talvez eu assista. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Soraya Abuchaim disse...

Oi, Mari... a premissa é boa, mas confesso que se não te agradou, posso dizer que tem chances de eu não gostar rs
Ainda assim, amo narrativas detalhadas, talvez eu possa gostar. O ruim é quando os detalhes não têm a ver com a trama, como vc disse, então perceba como fiquei confusa entre curiosa e pé atrás rsrsrs

Beijos

Meu Meio Devaneio

Menina da livraria disse...

Olá xará. Sua resenha é ótima, tá de parabéns. Gosto mt desse gênero, mas se a leitura não lhe agradou creio que tbm não vou me interessar ou gostar. Bjss ❤️

Segue lá -> Blog Menina da Livraria

Vanessa Vieira disse...

Gostei da resenha Mari. A temática do livro é bem interessante, mas me pareceu que o autor encheu muita linguiça, o que acabou tirando um pouco do brilho do enredo. Beijo!

www.newsnessa.com

Elder Ferreira disse...

Poxa que chato :(

Eu li um assim recentemente chamado Missão Pré-Sal 2025 e, embora a premissa fosse interessante, o livro se manteve mais ou menos até o fim.

Elder Ferreira

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
não conhecia o livro, mas parece ser muito bom hein?
Cheio de altos e baixos. Curti

bjos
http://blog.vanessasueroz.com.br

Priscilla Frasnelli Rocha disse...

Oi Mari, tudo bem?
Que pena que a história não te agradou. Também gosto de tramas com conspirações e reviravoltas. Mas, como você mesmo disse, roteiros de cinema e livros são mundos narrativos muito diferentes.
Beijos,

Priscilla
http://infinitasvidas.wordpress.com

Diane disse...

Oi...
É tão chato quando nos decepcionamos com um livro :(
Achei alguns pontos do livro interessante , acho que talvez leia .
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Diane disse...

Oi...
É tão chato quando nos decepcionamos com um livro :(
Achei alguns pontos do livro interessante , acho que talvez leia .
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Camila Monteiro disse...

Escritores que não sabem cortar a parte descartável da história, me cansam!
Eu realmente não me interessei pela obra e com tua critica, o coloco láaaaa longe na pilha de desejados hahahaha

>> Vida Complicada <<

Diego França disse...

Olá, tudo bom?
Eu acredito que a narrativa do autor é capaz de fazer de uma história simples uma super história ou de uma super premissa em algo nada agradável. Acho que foi o que aconteceu nesse livro,né?
Apesar de ter uma premissa interessante nunca quis lê-lo.

Abraço.
Diego, Blog Vida & Letras
www.blogvidaeletras.blogspot.com

Livy disse...

Oie, Mari :)

Não conhecia este livro.
Olha, apesar dos bons elementos, que me agradam em um livro, acho que não leria este livro. Como você disse, parece que funcionaria para algo voltado para a TV, mas não em um livro. Ainda mais se a leitura se torna arrastada pelo excesso de detalhismo e estilo narrativo do autor... a leitura não flui e se torna uma tortura ><

Beijos,
Livy
nomundodoslivros.com

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Eu gosto de histórias detalhadas, mas quando o autor não sabe dosar a quantidade de detalhes a leitura sempre se torna um pouco monótona para mim. Não conhecia o livro e nem o autor, mas assim como você gosto de enredos que envolvam conspirações. Uma pena o livro não ter sido como o esperado, mas apesar das suas ressalvas, fiquei curiosa.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Carol Souza disse...

Que doooor ler isso. Fiquei apaixonada pela capa e pela história. Li umas resenhas super positivas e já estava morrendo de amores. Agora estou com medo de me decepcionar hahaha.
Acho que vou esperar um preço bemmm bacana para o tombo ser menor pelo menos.


ourbravenewblog.weebly.com

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger