quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

RESENHA: Carrie, a Estranha

Carrie, a Estranha Stephen King
Carrie, a Estranha foi o primeiro livro publicado por King e confesso que entre sua vasta obra, esta nunca foi uma prioridade, visto que a premissa não me parecia tão atraente. Entretanto, sendo o fã do autor que sou hoje, não poderia deixar de ler uma de suas obras mais icônicas. 

Carrie é uma adolescente tímida e retraída que vive com a mãe, uma fanática religiosa que submente a filha a uma vida de punições absurdas por pecados imaginários. Tudo muda quando Carrie, em um incidente na escola, descobre seu poder telecinético e aos poucos começa a dominá-lo. 

Apesar de ter começado a ler o livro sem grandes expectativas, confesso que me surpreendi com Carrie, a Estranha. Mesmo contando com uma estória simples e relativamente curta, a profundidade dos personagens chama atenção desde o início. É incrível ver como a personalidade e as atitudes de Carrie são uma reação ao meio inóspito em que vive, tanto com sua mãe, tanto com os colegas de escola. Acrescente-se a esta combinação explosiva o poder telecinético, o qual começa a dar confiança a Carrie, que deixa a passividade de lado e começa a se impor.

“— Mas quase ninguém descobre que seus atos, na verdade, magoam realmente os outros! Ninguém fica melhor, as pessoas só ficam mais espertas. Quando fica mais esperto, você não para de arrancar asa de mosca, só imagina um motivo melhor para fazer isso.” (KING, 2013, p. 76)

Este foi o décimo livro que li do mestre King, e mesmo sem poder dizer que sou um expert na obra do autor, começo a notar uma clara diferença entre seus livros de início da carreira, como Carrie, a Estranha e O Iluminado e os demais. Suas primeiras obras possuem uma trama mais simples e coesa, girando em torno da jornada dos personagens e tem um foco muito maior na psique destes. Já livros mais recentes — como Sob a Redoma, Novembro de 63 e Doutor Sono —, possuem tramas mais complexas, contam com inúmeras reviravoltas e o cerne da estória não se resume a jornada do protagonista. São estilos bem distintos e me impressiona como King se sai bem em ambos. 

A narrativa é composta por trechos em terceira pessoa, narrando diversos pontos de vista, de Carrie a sua mãe, bem como a professores e colegas, alternados com trechos de livros e reportagens que discorrem sobre os eventos que ocorreram na cidade de Chamberlain e que tiveram Carrie como principal figura. Creio que tal estrutura acarretou em um certo distanciamento entre o leitor e o livro, pois me pareceu haver uma formalidade desnecessária, faltando alguém com quem o leitor pudesse criar uma conexão. 

Mesmo tendo sido escrito na década de setenta, King aborda assuntos complexos e que permanecem atuais, como o fanatismo religioso e o bullying, porém, sem fazer destes tópicos o cerne da estória, tampouco utilizando-os para dar lições de moral. 

Muito mais do que uma estória de terror, Carrie, a Estranha é uma bem sucedida mistura de drama e thriller psicológico, mostrando que qualquer pessoa pode ser vítima e vilão ao mesmo tempo. Encerro dizendo que com Carrie, a Estranha, Stephen King fez uma incrível estréia literária e já dava sinais do grande autor que viria a ser. 

Título: Carrie, a Estranha
Autor: Stephen King
N.º de páginas: 199
Editora: Suma de Letras


Compre: Amazon
Gostou da resenha? Então compre o livro pelo link acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

21 comentários:

Gabriela CZ disse...

Carrie foi meu primeiro contato com a obra de King e desde então só quero ler mais, Alê. Tive uma impressão bem parecida com a sua, de que mesmo usando muito bem de assuntos sérios não fez deles o cerne da história. Focando nos personagens. Poucos autores conseguem isso. Acabou virando um dos meus livros favoritos. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Caverna Literária disse...

Sempre que passa na televisão eu acabo deixando no canal pra assistir kkk é uma história que mesmo conhecendo todo o caminho, atrai a atenção. Não cheguei a ler o livro, mas pelo jeito o nível de horror e surpresa é o mesmo!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem tag no blog, vem conferir!

Leitora Cretina disse...

Olá!
Ainda não tive nenhum contato com os livros do King, em compensação os filmes me chamam atenção. Vi o filme (regravado) desse livro e não curti tanto o enredo, quanto pensei que gostaria.

Beijão
Leitora Cretina

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Eu assisti ao remake do filme e embora ele não seja o melhor filme que assisti na minha vida,achei a premissa da história interessante.
Ainda tenho um pé atrás com os livros do King, mas estou cada vez mais disposta a dar uma nova chance para o autor.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Florescer Literário disse...

Oii Alê! Tudo bem?
Nunca tive muito contato com a escrita de King. Já vi o filme passar diversas vezes na televisão, mas terror não é um gênero que me atrai muito, não assisti. Tenho que admitir que a premissa da história é bem diferente, porém, ainda não pretendo ler por enquanto. Ótima resenha!
Abraços, :)
*Carolina*
http://florescerliterario.blogspot.com.br/

Vida de Leitor disse...

Oi!
Adoro os filmes sobre a história, mas ainda não tive a oportunidade de ler o livro... mas tem menos de 200 páginas? Ah, vou dar um jeito de lê-lo logo então! Hehe
Beijos!
Maria - doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

Janiele Silva disse...

Oie tudo bem?
Já assisti o filme, mas com certeza o livro deve ter bem mais detalhes e sendo um livro do SK não posso deixar de ler!
Vi que a história é curtinha, então deve ser uma leitura rápida!

http://www.leituraentreamigas.com.br/

Sil disse...

Olá, Alê.
Eu li esse livro o ano passado. E como em quase todo os livro do autor, eu não gostei muito. Preferi muito mais o filme do que o livro. Não sei porque eu não consigo gostar dos livros dele e ainda assim continuo lendo hehe.

Blog Prefácio

Dan Igor disse...

A estreia do King parece ser perfeita, já mostrando que iria ser o maior mestre da literatura de terror do mundo! Estou louco para ler Carrie, os filmes são ótimos.

Diane disse...

Oie...
Adorei a sua resenha e ainda mais o livro!
Adoro livros em que o personagem transita entre vilão e vítima.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Marlene Conceição disse...

Amo.
Já assistir o filme e amei, eu com certeza quero ler o livro, amei a resenha, ainda não tive o prazer de ler os livro do King, mas espero em breve poder ler.

Jéssica Soares disse...

Oi, Alê! Tudo bem?
Eu já assisti várias adaptações de "Carrie, a Estranha" e guardo a original no meu coração não só pelo impacto que ela teve, como também por ter sido o primeiro filme do gênero que assisti. É por isso que é horrível dizer que ainda não li esse livro, shame on me! É indiscutível o fascínio que tenho pelas histórias do King e acho que elas deveriam estar mais presentes na minha estante... E acho muito legal poder comparar a evolução dele, são poucos autores que conseguem transitar de abordagem ao longo da carreira e ainda se manter consistente. Até,
Jéssica S. - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Gente, que livro curto!
Eu nunca li Carrie, mas vi a última adaptação com a Chloe Moretz e percebe-se que a história é relativamente simples.
Beijos
Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas | Porcelana - Financiamento Coletivo

Tony Lucas disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Carrie, a Estranha foi o meu primeiro e até então único contato com o Stephen King. Li uma edição super antiga e que me incomodou um pouco, pois a tradução era ruim. Ainda assim, gostei muito do livro e me apeguei muito a Carrie. Lembro-me que até me emocionei no final. Espero reler o livro em breve numa edição mais atual, para aproveitar melhor a leitura. Adorei a resenha! :)

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Pausa Para Pitacos disse...

Oi Alê! Tudo bem?
Stephen King é meu autor preferido e chegar aqui vendo uma resenha de um livro dele já me fez ser sua fã!
kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Carrie foi o primeiro livro de King que eu li e adorei. Me emocionei com o final e me identifiquei muito com a guria, acredite.
Desde então, nunca mais deixei de ler King!
Sua resenha ficou excelente e eu adorei a sua maneira de escrever!

Beijos!

Fabi Carvalhais
pausaparapitacos.blogspot.com.br

Mandy disse...

Gostei do filme de Carrie mas também não achei nada de mais sabe, ainda bem que o livro surpreende. Ainda não li nada do King, preciso \o
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Sozinha Na Biblioteca disse...

Oi Alê!
Tenho esse livro mas ainda não li. Também notei essa diferença nos livros do King, realmente os mais recentes dele são mais complexos. Carrie, eu já vi um filme, que não me agradou muito, e acho que por isso me sinto um pouco receosa pra ler o livro. Como é o primeiro livro do King, com certeza pretendo ler ele um dia.

Abraços!

http://sozinhanabiblioteca.blogspot.com.br/

Jessica Lisboa disse...

Adoro os livro do Tio King pelos thriller psicológico, são f@#, esse em si ainda não li, mas ja esta na lista de desejados a uma era! Essa capa é a melhor de todas!

Patrini Viero disse...

Como fã de King, creio ser impossível não gostar de algo que ele escreva, mas preciso concordar contigo com relação a evolução que se operou em sua escrita. Porém, acredito que ele já era um talento nato, e só aperfeiçoou isso com o decorrer do tempo. Carrie é um livro especial pra mim pois foi o primeiro que li do autor e aquele que me despertou o interesse de conhecer outras obras do mestre.

Fernanda Mendonça disse...

Eu adoro King, mas não costumo comprar e ler muitos livros dele pq o preço costuma ser bem salgado. Esse, em especial, eu comprei na ultima black friday, exatamente nessa edição hehehe
Eu ainda não li o livro, pq ele tá no fim da minha lista de leitura, porém assisti várias versões cinematográficas da história e eu acho ela fantástica em tantos níveis que eu não sei nem como expressar...Pq tipo, não é simplesmente uma história de terror. É uma história de bullying e como isso afeta a vida de uma pessoa...E tbm uma história de como uma familia problemática também pode afetar uma pessoa e coisas do gênero. Nossa.

Minhas Impressões disse...

Olá, Alê.
Dez livros é um número impressionante de livros para se ler de um mesmo autor. E é muito bom perceber a evolução do mesmo ao longo de sua trajetória.
Confesso que ainda não li nada do King porque sou um pouco medrosa, mas vontade é o que não me falta.
Abraços.

Minhas Impressões

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger