terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

RESENHA: Memórias de uma Gueixa

“Porque, quando uma gueixa acorda de manhã, tem exatamente a mesma aparência de qualquer outra mulher. (...) Só quando se senta diante do espelho para colocar a maquiagem com todo o cuidado ela se torna uma gueixa. E não quero dizer que nesse momento ela comece a parecer uma; é quando também começa a pensar como gueixa.” (GOLDEN, p. 69, 2015)

Sei muito pouco sobre a cultura oriental e conhecer um pouco mais sobre o assunto foi o que me atraiu em “Memórias de uma Gueixa”.

Quando menina, Sayuri foi vendida por seu pai para se tornar uma gueixa. Ao chegar em Kioto, ela desperta a ira da principal gueixa da sua casa que, ao invés de toma-la como aprendiz, faz o possível para reduzi-la a uma mera criada. Mas Sayuri desperta também o interesse de Mameha, uma das principais gueixas da cidade, e sob sua orientação passará por todos os treinamentos e rituais tradicionais de forma que aos 18 anos, Sayuri também já terá conquistado sua popularidade, sendo alvo do interesse de homens importantes. Idosa, vivendo nos Estados Unidos, ela relata a sua vida, sua transformação de menina inocente de um vilarejo simples a uma das mais requisitadas gueixas do distrito de Gion.

“Memórias de uma Gueixa” é narrado em primeira pessoa em um ritmo que não é nem acelerado, nem lento. Gostei especialmente de ver como o autor conseguiu empregar ao texto e à voz narrativa de Sayuri uma suavidade que combina perfeitamente com a imagem da gueixa: esta figura que está ali para ser bela, entreter e servir.

Embora o cerne do livro seja a cultura das gueixas, o foco não está nas atividades de Sayuri como gueixa (as pessoas importantes que conhece, as festas que frequenta, ou mesmo o treinamento de anos necessário para se tornar uma), mas sim sua jornada e, principalmente, a maneira como ela se sente diante das situações. Apesar de alcançar o sucesso, sua trajetória é pontuada por mais momentos infelizes do que felizes, mas em nenhum momento o relato se torna melodramático, pois a intenção da personagem não é fazer com que o leitor sinta pena dela e sim mostrar como as coisas aconteceram. A vulnerabilidade com que Sayuri se apresenta é o que conquista o leitor.

A tradição milenar das gueixas vai se revelando aos poucos. A maneira como as meninas são compradas ainda jovens e iniciam seus estudos financiados pela okyia (casa de gueixas) a que pertencem, mas cientes de que todos os custos de sua educação e sobrevivência deverão ser pagos a okyia assim que começarem a receber como gueixas. As gueixas são a fonte de renda da okyia e por isso todos os que vivem na casa estão ali para servi-las, cada um fazendo a sua parte para que, no momento certo, ela saia para fazer o seu trabalho da melhor maneira. Ao contrário do que muitos pensam, gueixas não são prostitutas (inclusive sua reputação fica seriamente abalada caso façam sexo com um cliente). Sua função é entreter os homens com danças, histórias, servindo chá de acordo com a tradição. É por isso que o termo gueixa vem de artesã/artista, sendo de fato considerado uma arte.

Dentre as práticas que podemos conhecer através dos olhos de Sayuri estão a relação de uma gueixa com o seu danna (homem que assume os custos de vida da gueixa, negociando valores com a okyia, a fim de ter direitos sobre ela) e o mizuage (venda da virgindade da aprendiz de gueixa).

Além de Sayuri, outros bons personagens ajudam a dar forma a este mundo. Entre eles a interesseira Mamãe (que administra a casa onde Sayuri vive), a maldosa Hatsumomo (principal gueixa da casa), a gentil Mameha (que se torna sua mentora – na cultura das gueixas chamada de “irmã mais velha”), o bondoso Nobu (bom amigo que anseia em ser seu danna) e o misterioso presidente (alvo dos sentimentos românticos de Sayuri).

Outra coisa interessante é o momento histórico em que a trama se passa (durante e após a Segunda Guerra Mundial) de forma que podemos vislumbrar o Japão diante da derrota no conflito.

“Memórias de uma Gueixa” apresenta uma tradição de que pouco temos conhecimento e a ilustra com personagens que, mesmo vivendo em uma realidade de conceitos tão diferentes dos nossos, despertam empatia. Personagens esses habituados a tomar decisões baseadas na sobrevivência e não nos sonhos, acostumados a ver perdas e desilusões ganharem mais espaço que as alegrias. Sem dúvida uma leitura diferente e enriquecedora quando pensamos na frequência com que somos bombardeados com a cultura norte-americana e o quão pouco sabemos sobre as tradições orientais.

Em 2005, o livro ganhou uma adaptação cinematográfica – dirigida por Rob Marshal – vencedora de inúmeros prêmios, entre eles os Oscar de direção de arte, figurino e fotografia.

Título: Memórias de uma Gueixa (exemplar cedido pela editora) 
Autor: Arthur Golden
N° de páginas: 446
Editora: Arqueiro

26 comentários:

Vinicius Correa disse...

Vi o filme, e gostei muito. A cultura da região é riquíssima, e a oportunidade de ver mais de perto os pensamentos da protagonista foi incrível. O filme eu considerei, na época, intenso, não em ação, mas na carga dramática. Tenho interesse em ler o livro, e o farei assim que possível.

Abraços,

Blog Decidindo-se \o/

Livros & Entretenimento disse...

Eu adorei a adaptação e sou louca pra ler o livro, incrível história que tem grandes mistérios revelados sobre a cultura japonesa.

Beijos

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!
Tudo bem?

Eu assisti o filme anos atrás, mas nunca tive a chance de ler o livro! É até um pecado porque achei a história muito interessante e fiquei mais curiosa ainda com sua resenha.

Mas se gosta da cultura japonesa eu te indico o clássico Xogum, de James Clavell. Eu peguei uma edição antiga, dividida em duas partes, sendo que cada parte tinha mil páginas.
Então é um livro longo, mas vale muito a pena. A história é ótima e apresenta um Japão antes de ter aberto relações com o mundo.
É uma cultura muito diferente e foi um dos melhores livros que já li! :)

Bjs

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

T.P Fouryoubooks disse...

Olá Flor! Tudo bem?
Me admiro com livro que conseguem mostrar a cultura de uma nação e principalmente das gueixas. Não assisti ao filme ainda, mas tenho muita curiosidade e depois desta resenha fiquei com mais vontade ainda de ler este livro e está anotado para próximas aquisições.
Beijinhos
Tham
www.4youbooksmania.com

Thalita Branco disse...

Olá Mari!
Esse é um dos meus livros/filmes favoritos. Excelente resenha!
Bjs

EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

Tony Lucas disse...

Oi, Mari! Tudo bem? Gosto muito de conhecer outras culturas. Dos vários livros que já li, pelo que me lembro, nunca li nenhum que tratasse da cultura oriental. Isso só faz com que eu fique ainda mais interessado para ler "Memórias de uma Gueixa"! Adorei a resenha! :)

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Patrini Viero disse...

Este é um livro que me atrai muito, principalmente porque eu também não tenho muito conhecimento sobre a cultura oriental, apesar de admirar essa aura quase mística que surge dela. Com relação a história em si, fiquei contente em ver que o autor não foi para a linha de auto-piedade que tanto me desagrada, mas sim deixou o leitor tirar suas próprias conclusões sobre a história e o trajeto percorrido pela protagonista.

Dan Igor disse...

O livro parece ser muito enriquecedor, mostrando um pouco de uma cultura que pouco conheço, além disso, a premissa me atrai bastante e os personagens parecem ser bem construídos. Fiquei bem interessado! Abraços.

Denise Sena de Oliveira disse...

Oi Mari, tudo bem ?
Nunca tinha ouvido falar desse livro.
Mas parece ser muito bom, e nem sabia que teve filme dele também.
Adorei sua resenha
Beijos
@saymybook
http://saymybook.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Quero muito ler esse livro, Mari. Eu na verdade vi o filme e só muito tempo depois descobri ser uma adaptação. Na época em que vi o filme (devia ter uns 13 ou 14 anos) não tinha maturidade suficiente para assimilar alguns conceitos de forma mais profunda. Mas de alguma forma ao longo dos anos lembro constantemente da história e penso em conferir outra vez. Acho que o livro permitiria me aprofundar mais nela. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

H.L. Anjens disse...

Hello,
Meu Deus vai ter adaptação para filme gente eu quero assistir,
Só não pego o livro pois tenho muitas leituras atrasadas, (estou voltando a rotina rsr) ><
Bem e negocio era que eu fiquei muito interessado no livro provavelmente vou comprar e vou ficar com o ele aqui e vou deixar para ser selecionando pelo o tbr....
Beijinhos...
— H.L.anjens
Blog: hlanjens.blogspot.com
Site: perolasazuis.com

Claris Ribeiro disse...

Não conheço muito sobre essa cultura e achei bem interessante a premissa do livro, fiquei bem curiosa para ler e conhecer um pouco mais sobre. Já ouvi falar muito sobre o filme, mas nunca tive oportunidade de assistir. Gostei muito da sua resenha, despertou minha curiosidade.

Obrigada pelo carinho. Beijos :*
Claris - Plasticodelic

Camila Locatelli disse...

comprei esse livro tem mais de 6 anos e até hoje não li, e nem sei quando vou ler, assisti o filme e até esquecer a história vai demorar.kkkk
muito boa a sua resenha =D

bjus
http://www.tutiaah.blogspot.com.br/

Jeni Viana disse...

Oi, Mari! Tudo bem contigo, moça?

Puxa, gostei muito da sua resenha. "Memórias de uma gueixa" é um dos livros que gostaria de ler ainda nesse ano, porém desde que soube da polêmica abafada a respeito da escrita da obra, fiquei com os dois pés atrás. Soube que as informações relatadas foram adquiridas e deturpadas de uma gueixa, de forma que a moça que contou como tudo funciona ficou tão frustrada ao ponto de processar o autor e escrever um outro livro para contar a "realidade real" das coisas. Não sei se é verdade, mas...

Um beijo,
Doce Sabor dos Livros - docesabordoslivros.blogspot.com

Mariana Gabriela disse...

Olá, Mari!
Preciso ler esse livro! Já vou adicionar no Skoob. Como você, sou leiga em cultura oriental e amo conhecer novos culturas e realidades sociais. Obrigada!
Beijos!
apenasumaleitura.blogspot.com

Sarah Fernandes disse...

Olá, tudo bom? Nunca li nenhum livro de cultura oriental, confesso que eles não me chamam muita atenção, mas esse parece ser um ótimo livro, quando tiver um tempo vou me arriscar a ler *_*

Beijos
http://resenhaatual.blogspot.com.br/

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Tenho esse livro aqui em casa faz algum tempo, mas ainda não criei vergonha na cara para ler ele rs... Adoro o filme e tenho certeza que o vou gostar ainda mais do livro. Desse ano não passa rs...

Ótima resenha ;)

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Vida de Leitor disse...

Oi Mari, sempre senti curiosidade de ler o livro e ver o filme. Gostei da sua resenha, que bom que o livro flui de uma forma boa. Fiquei curiosa quanto às tradições das gueixas.

Beijos,
Natália

www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Mari! Já li e reli Memórias de Uma Gueixa e amei! Beijo!

www.newsnessa.com

Teca Machado disse...

Oi, Mari!
Eu faz tempo que quero ler esse livro, porque nunca vi o filme.
E se não vi até agora, melhor esperar para ler, né?
Sobre as queixas não serem prostituas eu já sabia, mas meu conhecimento sobre o assunto acaba aí.
Que bom que gostou do livro. Fiquei com mais vontade de ler!

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Sil disse...

Olá, Mari.
Eu amei esse livro. De inicio pensei que era apenas mais um romance, mas me surpreendi com a história e com uma cultura tão diferente da nossa. Chorei, dei risada, sofri e amei com a protagonista. É um livro que eu recomendo.

Blog Prefácio

Jéssica Soares disse...

Oi, Mari! Tudo bem?
Peguei o "Memórias de uma gueixa" emprestado da biblioteca da minha escola do ensino fundamental, já tem muito tempo que o li, mas a impressão que ficou foi muito positiva. Também conhecia (aliás, ainda conheço) pouco da cultura oriental e além dos livro ser uma boa introdução para despertar o meu interesse, eu fiquei muito apegada a história. Ainda não pude conferir a adaptação, mas quero dar uma relida antes de assisti-la e sua resenha me deixou com vontade de fazer isso logo! Bjs
Jéssica S. - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Minhas Impressões disse...

Olá, Mari.
Sempre tive curiosidade de ler esse livro, mas sempre vou adiando. Gosto de ler livros que noa façam adentrar em outras culturas e estou certa de que com esse irei aprender muito.
Abraços.

Minhas Impressões

marlene conceiçao disse...

Gostei.
Primeira vez que vejo falar desse livro, não faz realmente meu gênero, mas amei essa capa. e você tem uma maneira maravilhosa de escrever sua resenhas, bjs.

Fernanda Mendonça disse...

Oi!

Esse livro é completamente sensacional! Mostra uma cultura mais cruel do que a gente imaginava, mas ao mesmo tempo de uma forma poética.
A adaptação, porém, deixou muito a desejar. Pra quem não leu o livro é muito bom, mas para quem já leu é praticamente uma perda de tempo :/

Kemmy Oliveira disse...

Eu sabia que existia o filme, porém só com a sua resenha que fui descobrir que existia o livro. De qualquer forma, não assisti.
O livro parece ser bem interessante. Conhecer diferentes culturas é sempre bom. Até então eu não fazia ideia do que uma gueixa fazia, sempre achei que fosse uma espécie de prostituta o.O fiquei surpresa em saber que fazer sexo com um cliente mancha a reputação delas.
Vou procurar saber mais da obra :)

Beijos,
Kemmy - Duas Leitoras| CONCURSO CULTURAL: escolha um nome, ganhe prêmios

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger