segunda-feira, 6 de novembro de 2017

RESENHA: Quando Tudo Faz Sentido

Quando Tudo Faz Sentido Amy Zhang
Em Quando Tudo Faz Sentido, conhecemos Liz Emerson, a garota mais popular da escola. Mas apesar de sua vida aparentemente perfeita, ela está convicta de que o mundo seria um lugar melhor sem ela e por isso joga seu carro contra uma árvore. Mas o que teria levado Liz a este ato de desespero? E qual seria a reação que este acidente causaria na vida das pessoas mais próximas dela? 

Liz Emerson é uma ótima personagem. A autora conseguiu desenvolver a fundo a protagonista, de modo que entendemos exatamente quem ela é como pessoa, o que motiva suas ações e o porquê de querer colocar um fim em sua vida. Também merece destaque o fato de que ao contrário de outros livros, como Os 13 Porquês, Liz não é aluna que sofre bullying, mas sim aquela que o pratica

E por isso mesmo, Liz não é o tipo de personagem que conquista a empatia do leitor, pois ela passa por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. E o mais frustrante é perceber que Liz sabe que está errada, que está magoando pessoas e destruindo sonhos. Porém, mesmo assim, ela continua fazendo o que sempre fez, sabendo que não pode justificar suas maldades e perdendo sua humanidade a cada dia. 

E é justamente este um dos melhores aspectos do livro: Amy Zhang mostrou o outro lado da moeda. A prática do bullying para se autoafirmar ou garantir o status de “popular” não é apenas uma agressão contra a vítima, mas também contra a própria alma do agressor. A maldade desmedida e sem sentido degrada a todos os envolvidos. 

“Nunca fora punida por nada daquilo. Nunca tinha levado uma suspensão, sido expulsa ou deportada, embora provavelmente merecesse tudo aquilo. Liz Emerson tinha causado muita tristeza em sua vida curta e catastrófica, e ninguém nunca fizera nada a respeito.
Ela não percebia que a reação igual e oposta era a seguinte: todas as coisas terríveis, cruéis e escrotas que Liz fizera tinham voltado para ela.” (ZHAN, 2017, p. 270)

Porém, preciso registrar que fiquei com a impressão de que a autora se excedeu em alguns aspectos. Isso por que algumas das ações de Liz e de suas amigas eram “pesadas" demais para alunas de ensino médio, como esconder maconha no armário de outro estudante e fazê-lo ser flagrado pela polícia.

Apesar de ter gostado do desenvolvimento da protagonista e das reflexões que Zhang trouxe à tona, preciso admitir que meu principal problema com o livro diz respeito à narrativa. O livro é narrado em primeira pessoa por algum personagem onisciente e que conhece detalhadamente a vida de todos os atores da estória. Assim, a autora acabou “atirando para todos os lados”, contando a estória de vários personagens de maneira superficial, em vez de focar naqueles que eram relevantes para a estória. A identidade do narrador é revelada apenas no final do livro e me pareceu uma opção forçada demais. 

Outro ponto negativo da narrativa é que a autora não seguiu uma ordem cronológica. Assim, como são vários pequenos eventos acerca da vida de um grande número de personagens, percebi que em alguns momentos fiquei um pouco confuso, sem saber qual tinha sido a ordem dos acontecimentos. 

No fim das contas, Quando Tudo Faz Sentindo mostra adolescentes que vivem uma vida sem sentido e com prioridades completamente deturpadas e que precisam de um encontro com a morte para se darem conta disso. Um livro triste, mas necessário para ilustrar como toda ação realmente tem uma reação. 

Título: Quando Tudo Faz Sentido
Autora: Amy Zhang
N.º de páginas: 316
Editora: Rocco
Exemplar cedido pela editora

Compre: Amazon - Saraiva - Submarino
Gostou da resenha? Então compre o livro pelos links acima. Assim você ajuda o Além da Contracapa com uma pequena comissão.

14 comentários:

Sora Seishin disse...

Oi Alê!
A história desse livro me lembrou de "Quem é você, Alasca?", que foi um livro que eu gostei da história porém detestei os personagens. Pela sua resenha, acho que me sentiria assim com esse também.

Beijos,
Sora | Meu Jardim de Livros

Lettícia Gabriella / Fleur de Lune disse...

Eu gostei bastante desse livro, e sinceramente não achei que algumas atitudes foram tão pesadas, pois a realidade das escolas em outros países é bem diferente da nossa. Foi uma leitura que me fez pensar bastante sobre estas realidades. Um beijo!

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Eu gostei bastante desse livro.
Também não concordo que as atitudes das meninas são pesadas, não por se tratar de outro país. No nosso país acontecem várias coisas que não temos ideia, a diferença é que não é uma coisa que faz parte do nosso cotidiano...

Beijo!
http://www.roendolivros.com.br/

O Que Tem Na Nossa Estante disse...

Oi Alê, os pontos negativos que vc apontou são coisas que realmente me incomodariam na trama, inclusive a atitude da maconha é até criminosa, mas a premissa do livro parece ser muito boa.

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Diane disse...

Olá...
Adorei sua resenha!
Achei a premissa do livro bem interessante, mas, um ponto que me incomodou foi o fato da autora não seguir uma ordem cronológica... Sempre acho as narrativas assim muito confusas e não fluem bem pra mim. Porém, ainda assim, fiquei com vontade de ler.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

ALÊ!
Gosto também de livros que abordam muito o aspecto psicológico das personagens e é um atrativo para leitura, embora tenha livro outras resenhas que diziam que as personagens quase não se comunicavam direito e tornava o livro sem sentido.
Não sei, como falou, a autora pode ter cometido alguns excessos, mas o que sei é que quero ler.
Desejo uma ótima semana de luz e paz!!
“É prova de inteligência saber ocultar a nossa inteligência.” (François La Rochefoucauld)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

Nicole Longhi disse...

Gosto bastante de livros que abordam esse tema.
Não conhecia este, mas adorei a ideia da autora mostrar o lado de quem é que pratica o bullyng e como são as atitudes e finalidades.
Uma pena a autora ter pecado em alguns pontos, mas mesmo assim é uma leitura que quero fazer.
beijos

Thaís Souza disse...

Lendo sua resenha, me incomodei bastante com os pontos negativos, achei que a maldade da personagem excedeu como essa da maconha, mas é uma leitura que vale a pena para entender um pouco da mente humana e o porque de toda maldade, excelente resenha.
Estou seguindo seu blog.

http://vestigioliterario.blogspot.com.br/
Nos siga no instagram: https://www.instagram.com/vestigioliterario/

Naiara Fidelis Da Silva disse...

Nunca vi nenhuma resenha de um livro que trata sobre o outro lado da moeda quando se trata de bullyng. Porém, fiquei desanimada com os pontos negativos que você relatou, pois são pontos muito relevantes para uma boa leitura.

Carolina Santos disse...

Quando Tudo Faz Sentido me chamou a atenção durante o lançamento por tratar sobre temas - como suicídio, bullying, bulimia, drogas, aborto e relacionamentos - que, na minha opinião, precisam ganhar um espaço muito maior entre as pessoas. AMEIIIII

Amanda Barreiro disse...

Achei muito interessante essa outra visão sobre o bullying e o quanto ele desgraça a vida inclusive do agressor, algo que sempre acreditei, inclusive. Mas uma pena que a autora tenha, na sua opinião, se perdido na narrativa e no enfoque que ela deu (ou deixou de dar) nos personagens.
Acho que tinha tudo pra ser um livro ótimo.
Beijos.

Marta Izabel disse...

Oi, Alê!!
É interessante observar que uma pessoa que prática bullying também pode ter sérios problemas por trás de todo esse ato que faz contra outras pessoas. Gostei bastante da estória mas não sou muito fã de livros que não tem uma ordem cronológica.
Bjos

Ana I. J. Mercury disse...

Com certeza é muito interessante, mas acho que eu já começaria a leitura com raiva da protagonista.
Vou pensar bem, porém, acho que lhe darei uma chance sim!
bjsss

Gabriela CZ disse...

Que premissa interessante, Alê. Parece um livro que mesmo contando com falhas deve ser lido pois o que traz é muito maior. Quero ler. Ótima resenha.

Beijos!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger