terça-feira, 31 de janeiro de 2012

RESENHA: A Fúria dos Reis

"Nesta altura não sente as feridas ou a dor nas costas por causa do peso da armadura, ou o suor que escorre para os seus olhos. Deixa de sentir, deixa de pensar, deixa de ser você, só existe a luta, o inimigo, este homem, e logo o seguinte, e o outro, e o outro, e sabe que eles têm medo e estão cansados, mas você não, você está vivo, e a morte está por todo o lado a sua volta, mas as espadas deles movem-se tão devagar que pode dançar por entre elas, rindo." (MARTIN, 2011, p. 551).

***

Finalmente consegui terminar a leitura do segundo volume d’As Crônicas de Gelo e Fogo. E eis meu primeiro conselho: leia com tempo! Havia me programado para ler nas férias da faculdade justamente para ter tempo para ler, porém, de última hora, resolvi estudar para um concurso público. Resultado: demorei mais de três semanas p
ara conseguir findar a leitura. Parecia que eu lia, lia, e lia, mas estava sempre no mesmo lugar. E essa sensação de não avançar na leitura é muito frustrante. E, só para esclarecer, são 624 folhas, em uma letra miúda, em páginas com pouca margem.

Agora atenção: se você não leu o primeiro volume, A Guerra dos Tronos, sugiro que NÃO leia a resenha. CONTÉM SPOILERs.

A Fúria dos Reis é exatamente uma continuação da estória que havia terminado de forma tão prometedora no primeiro volume. Como o título sugere, os reis agora guerreiam furiosamente pelo trono de ferro. São eles Joffrey, Robb, Stannis e Renly, e é neste pano de fundo que a trama se desenvolve.

Tenho a nítida impressão que George Martin jogue xadrez. Digo isto porquê ele é um estrategista nato. Não consigo deixar de imaginar que o autor tenha um grande mapa dos Sete Reinos sobre uma mesa em seu escritório, este é o seu tabuleiro e os personagens são seus peões. A única diferença é que ele se permite jogar com quatro reis.

E, como no xadrez, paciência é uma virtude. Por isso, Martin investe uma boa parte da trama narrando os preparativos de todos os reis e exércitos para as batalhas. Nada do que foi escrito é súbito ou repentino, pois tudo ocorre em uma sucessão de eventos lógicos. Mas não me entenda mal, os eventos são lógicos, mas nem todos são previsíveis.

A idéia de trazer os Greyjoy em mais uma revolta foi simplesmente genial. Martin já havia mencionado a revolta no livro anterior, explicando como Robert e Ned silenciaram o pai de Theon há mais de dez anos. Diz o ditado que a vingança é um prato que se come frio, e vejo que não poderia ser mais verdadeiro.

Como sempre a trama, a estória e os personagens são muito bons. Porém, devo confessar que Ned Stark, mesmo não sendo meu personagem favorito, fez muita falta a estória. Creio que em Ned encontrávamos uma certa estabilidade/cadência para a estória, o que faltou em pouco em A Fúria dos Reis.

As participações de Daenerys e Jon Snow poderiam ter sido mais exploradas. Eu particularmente gosto destes dois personagens desde o volume anterior, e gostaria de ter visto mais deles neste livro. Porém, imagino que Martin esteja guardando suas estórias para os próximos volumes.

Ainda sinto um pouco de falta da ausência da fantasia em si. Das 624 folhas, creio que nem dez por cento faz referencias diretas a fantasia. Tire alguns capítulos (ok, um mais do que alguns) e o livro seria sobre uma guerra civil em um reino medieval. Também imagino que Martin esteja preparando tais elementos para os próximos episódios.

Achei A Guerra dos Tronos melhor, pois parece que tem mais estória sendo contada, e o livro não gira somente em torno das batalhas e afins, mas do reino, dos personagens, das traições, etc. Em A Fúria dos Reis, por ser um livro maior, creio que pode dar a impressão que o autor esteja enrolando, pois ele é minucioso em relatar o que acontece em cada canto dos Sete Reinos, mostrando um pouco da estória a partir de pontos de vista diferentes.

Como já disse, repito: pelos livros que já li da sega, resumo-a em duas palavras. Épico e magistral. E Martin não tem pressa nenhuma em contar a estória. Então minha sugestão é que você não a leia, mas a saboreie com tempo e da forma apropriada.

Título: A Fúria dos Reis
Autor: George R. R. Martin
N.º de páginas: 624
Editora: LeYa

3 comentários:

A Borbolet@ disse...

Eu acabei de pegar esse livro pra ler, e agora estou bem mais animada.

Beijo grande

Unknown disse...

Puta resenha, a melhor que encontrei. Você não trata o leitor com burro e não pega o resumo de trás do livro.
O livro é mais arrastado que o primeiro mesmo, mas o final fez minha cabeça explodir, pqp. Mesmo assistindo a segunda temporada na HBO eu me impressionei pra caralho.

SPOILER

O fato da Arya matar um guarda nortenho em Harrenhal foi do caralho. Mostrou que ela não tem escrúpulos putinha kkkk, mas continua sendo uma ótima personagem.
Fiquei impressionado com o final do Theon e a morte de todo mundo em Winterfell. A virada que a guerra deu foi muito boa. O que o Robb vai fazer agora?Amanhã no mesmo bat canal e no mesmo bat horário kkkk
Do caralho
Parabéns pela resenha

Camilla Vasconcelos disse...

Li o primeiro e agora já to terminando esse, pra pegar logo o 3, ai ainda tenho que compras os outros 2 que foram lançados. Eu simplesmente amo essa série, é demais!!!!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger