quarta-feira, 30 de abril de 2014

RESENHA: Uma Prova de Amor

“– Bom – ele falou, e fez uma pausa para tomar um gole de vinho. – Se a melhor parte de ter filhos mais cedo é resolver logo a questão, e a melhor parte de ter filhos mais tarde é adiar o trabalho duro, não é normal pensar que não ter filhos em qualquer ocasião é a melhor das soluções? – Concordo plenamente. – falei, erguendo meu copo para celebrar sua filosofia.” (GIFFIN, 2013, p. 15). 

 *** 

Sempre tive vontade de ler algum livro de Emily Giffin em virtude da alta aceitação de suas obras pelo público. Meu primeiro contato com a autora se deu através de Uma Prova de Amor, e preciso admitir que minha expectativa não foi totalmente alcançada. 

Claudia é uma editora bem-sucedida que optou por não ser mãe, fato este que refletiu diretamente em seus relacionamentos. Após desistir de encontrar alguém que compreenda e aceite sua decisão, ela conhece Ben, que também não deseja ter filhos. Mas o que aconteceria se um deles mudasse de ideia? 

A premissa de Uma Prova de Amor é extremamente original, afinal, nunca vi um livro que partisse do pressuposto de que a protagonista não desejasse ter filhos, dando preferência a sua liberdade. Todavia, a autora insistiu em afirmar que a sociedade entende a entidade familiar apenas como o casal e seus filhos, de modo que paira sobre os recém-casados uma pressão para experimentarem logo a dádiva da paternidade. A meu ver, isto não pod eria estar mais longe da realidade, visto que hoje temos os mais diferentes tipos de famílias, e a imagem da “família tradicional” fica cada vez mais vaga. 

A estória é interessante? Com certeza. A narrativa de Giffin é boa? Sem dúvidas. Mas algumas coisas não funcionaram no livro, a começar pelo início com ritmo vagaroso. Mesmo o leitor já sabendo o que irá acontecer, a autora insiste em mostrar exatamente a sucessão de eventos que levam ao fato aguardado, o que tornou o livro monótono. 

Tampouco consegui aceitar o fato da protagonista, descrita como uma mulher forte, de posições firmes e com personalidade, afirmar e reafirmar a todo instante seus motivos para não ser mãe, para logo em seguida questionar a si mesma se sua posição é correta. Me desculpe o excesso de franqueza, mas o que vi foi uma mulher insegura e contraditória ao extremo. 

Outro fator que deixou a desejar foi a falta de desenvolvimento na trama principal, enquanto as tramas paralelas não apenas foram bem desenvolvidas, como, por muitas vezes, eram mais interessantes que o verdadeiro cerne da obra. 

Uma Prova de Amor é uma leitura fácil e que rapidamente envolve o leitor, mas que deixou um gostinho de decepção ao final, visto que tinha potencial de sobra, mas que, infelizmente, se perdeu ao optar pelo caminho mais simples. Assim, caiu no clichê, quando poderia surpreender. 

Título: Uma Prova de Amor (exemplar cedido pela editora) 
Autora: Emily Giffin 
N.º de páginas: 410 
Editora: Novo Conceito

12 comentários:

Nardonio disse...

Eu também sempre li resenhas positivas em relação aos livros da Emily Giffin, mas ainda não li nenhum deles. Uma pena que a Emily deu essas deslizadas nessa trama. Realmente, personagem que deveria ser forte e decidida, começar a se questionar é um pouco contraditório demais. Talvez outro livro da autora possa te agradar um pouco mais. Quem sabe o "O Noivo da Minha Melhor Amiga" ou o "Presentes da Vida" possam te agradar mais, né?!?!

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Sou mais uma que não leu nenhuma obra da Emily Griffin mas leu várias resenhas positivas. Mas o enredo desse livro em especial não me atraiu, e seu comentários me deixam com medo de conferir outros títulos. E se ela sempre opta pelo caminho mais fácil? Enfim, ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Laura Zardo disse...

Eu fiquei tão decepcionada com o livro Presentes da Vida da autora, que não consigo ter vontade de ler outros livros dela. E saber que este também te decepcionou um pouco, me fez ter ainda menos vontade. Não sei, espero mudar isso algum dia, mas por enquanto estou evitando. =s

Natalia Vieira disse...

Esse foi o primeiro livro que eu li da autora e como você, para mim faltou algo. Minha mãe também leu e logo na metade do livro ela já estava impaciente e vivia me perguntando o que aconteceu no final. Esse é o tipo de livro que, pela sinopse, você já sabe o final. Pelo menos comigo aconteceu assim. Não sei se futuramente lerei mais algum livro da Emily, gostei da forma como ela escreve e tudo mais, só que eu esperava mais. Falam tanto da autora que eu acabei criando uma expectativa maior do era para ser. Ótima resenha.

Abraços.

Jéssica Soares disse...

Eu nunca li nada da Emily Giffin, mas não é pela falta de vontade, já vi tantas resenhas super positivas que o meu medo é ler algo dela com grandes expectativas e acabar me desapontando. "Uma Prova de Amor" parecia um bom começo, mas essa não e a primeira review que eu vejo com reclamações quanto a ritmo da narrativa e ao posicionamento da personagem principal. Enfim, de qualquer forma ainda pretendo conferir alguma obra dela, mas essa, provavelmente, não será a primeira.
Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

Lais Cavalcante disse...

Nunca li nada dessa autora, mas tenho curiosidade pelo simples fato de ser um romance. Ciente de que várias pessoas não curtem muito, devido ao final clichê, fico em dúvida se devo realmente ler..

Bruna Monteiro disse...

Ainda não tinha ouvido falar sobre essa autora e pra falar a verdade não é o tipo de enredo que faz com o que eu fique atraída e com aquela sede de leitura, mas gostei de ler a sua visão sobre o livro, pretendo mais pra frente saber um pouco mais sobre essa autora e os seus livros.

Brenda Monteiro disse...

Entrando pra lista de quem ainda não leu nada da Emily Giffin. Bom não sei o motivo exatamente mas os livros dela não me atraem muito e a maioria das pessoas de quem eu li comentários se decepcionaram ou acha uma leitura monótona.

Mênyky Rocha disse...

Nunca cheguei a ler algum livro de Emily Griffin, mas já ouvi vários elogios das obras dela. Pelo que você enunciou, a personagem principal se mostra uma mulher forte inicialmente e depois confusa em relação as suas decisões e pensamentos iniciais. Por mim não seria algo tão errôneo se comparado a vida real. Pois todos temos um complexo de adaptação e mudanças. A cada segundo estamos em um estágio de metamorfose: duvidando e renovando nossas forças e pensamentos. No entanto, é uma ficção que deixou muito a desejar, um tanto previsível demais para que satisfaça as expectativas do leito.

Abraços.
email: menykyrocha@gmail.com

Guilherme disse...

Nunca li nada da Emily, mas ela parece escrever ótimas histórias. Entrou para lista de livros a serem lidos!

Lara Silva disse...

Nunca tinha ouvido falar desse livro, na verdade nem da autora. Esse não é um dos meus tipos favoritos de historia exatamente por algo que foi citado na resenha; Ser muito clichê.
Muitas vezes uma historia grande com potencial acaba sendo desperdiçada por cair na mesmice. Pelo que foi dito na resenha e por outros comentarios que li, eu dificilmente lerei esse livro, mas quem sabe? Talvez mude de ideia.. Enfim, otima resenha

Mauro disse...

Nunca tinha ouvido falar dessa autora.Até porque,não gosto muito destes gêneros.Ao pesquisar mais opiniões sobre ele,ouvi muitos comentários positivos.E me interessei por ele,agora já esta na minha lista de desejos para este mês.Vou me arriscar nesta leitura.Ah ! Ótima resenha !

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger