segunda-feira, 3 de agosto de 2015

RESENHA: O Último Policial

“Eu caracterizaria o estado de espírito nesta cidade como de uma criança que ainda não se meteu em problemas, mas sabe que se meterá. Ela está acordada no quarto, aguardando, ‘Espere só até seu pai chegar em casa’. Está emburrada e rabugenta, está tensa. Confusa, triste, tremendo por saber o que virá e bem à beira da violência, não com raiva, mas ansiosa de um jeito que pode facilmente matizar para a raiva.” (WINTERS, p. 60, 2015)

Dificilmente vejo John Green dando seu aval a algum autor e quando isso acontece sei que o livro merece ser conferido. Esse foi o caso de “O Último Policial” que, além de cair nas graças de um dos meus autores favoritos, promete fazer uma interessante mistura de trama policial com distópica. A promessa não é vazia.

O asteroide 2011GV1 está vindo em direção à Terra e em seis meses acontecerá um impacto fatal. Depois da notícia, a maior parte da população abandonou suas atividades para aproveitar o tempo que lhe resta e muitos estão se rendendo ao suicídio. Na cidade de Concord, conhecida agora como A Cidade do Enforcado, um dos poucos a permanecer fiel a sua função é o detetive Hank Palace e quando encontra o corpo de um homem enforcado com um cinto em um banheiro do que costumava ser um McDonalds, Palace insiste que aquilo deve ser investigado como um homicídio.

Ao escolher seu protagonista como o narrador da história, Winters nos permite ver um cenário apocalíptico pela perspectiva de uma das únicas pessoas que não está enlouquecendo com a proximidade do fim do mundo. O cenário que o autor cria e as reações da população são um contexto distópico interessante que se casa perfeitamente à uma trama policial por se focar em questionamentos como: se o mundo vai acabar, qual o sentido de perder tempo investigando crimes? Se logo estaremos todos mortos, por que fazer uma pessoa gastar seus últimos meses na prisão (afinal, se o mundo está prestes a acabar, qualquer sentença se torna perpétua)?

É interessante que Winters leve as duas tramas paralelamente, sem dar a uma mais importância do que à outra. A investigação do suicídio/homicídio é sim a atividade em que o protagonista se envolve, mas nem por isso é o cerne da história, já que a vinda do asteroide também ganha desenvolvimento, não se limitando a ser um cenário estático. Na verdade, o contexto parece se tratar de uma espécie de distopia transitória, afinal, o mundo já não é como antes e se encaminha para algo ainda mais diferente (isso, supondo, que possa sobreviver ao impacto, o que ninguém acredita ser possível). Os desenvolvimentos dos dois núcleos, porém, são lentos, mas isso não chega a incomodar já que a narrativa do autor é bastante fluida.

Por outro lado, o que incomoda um pouco é a dispersão da investigação que em nenhum momento se torna um emaranhado de fatos e sim elementos isolados que o detetive investiga um de cada vez. Além disso, nas primeiras páginas fica a impressão de que não há razão para se investigar aquela morte que todos os indícios apontam ter sido suicídio. Parece que Hank enfia na cabeça que foi homicídio e quer provar isso de qualquer jeito. Mas conforme conhecemos mais o detetive é possível entende-lo. Ele é um dos poucos que ainda se importa, que não acha certo abandonar tudo por causa do que irá acontecer e que acredita que, independente da circunstância, se uma pessoa cometeu um crime, ela deve responder por isso. E no momento em que se entende isso, é possível dar um voto de confiança ao personagem e torcer por ele.

No fim, o autor consegue dar um desfecho bem amarrado à sua trama policial e deixar o leitor curioso para a sequência da sua trama distópica.

“O Último Policial” é o primeiro livro de uma trilogia e talvez por isso sua função seja mais de apresentação de contexto e personagens do que de desenvolvimento. Talvez por isso a investigação tenha sido um pouco dispersa em alguns momentos. Porque sua função não era fisgar o leitor para dentro do seu mistério e sim permitir a ele conhecer o detetive e como ele reage diante de um caso como esse, consequentemente, o tipo de homem que ele é mesmo em face àquelas circunstâncias.

Quanto aos livros seguintes, meu palpite é que o fio condutor dos três será a vinda do asteroide, cada vez mais próximo da Terra, mas que cada livro terá sua trama policial com início, meio e fim. Se for, me parece interessante.

Título: O Último Policial (exemplar cedido pela editora)
Autor: Ben H. Winters
Tradutora: Ryta Vinagre
N° de páginas: 320
Editora: Rocco

29 comentários:

Camila Monteiro disse...

Uau, que resenha incrível! No meio dela já estava abrindo meu SKOOB para adicionar em QUERO LER. Sério, dica anotadíssima., Adorei a trama e indicação do Green não se deve deixar de lado né?!

Parabéns! Beijos!

www.vidacomplicada.com

Maurilei Teodoro disse...

Que premissa interessante hein ! Fiquei muito interessado. Parece ser uma trilogia muito promissora.

bomlivro1811.blogspot.com.br

RUDYNALVA disse...

Mari!
Realmente nem faz sentido tentar resolver um crime com um mundo se acabando, porém acredito que o protagonista faça isso para não pensar que tudo pode se acabar. Será?
Misturar policial com distopia já é complicado, imagina com o fim do mundo chegando?
Quero conferir!
Boa semaninha!!
“A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.”(Oscar Wilde)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participe no nosso Top Comentarista!

Livros leituras e leitores disse...

Fiquei bem interessada no livro, não conhecia... sua resenha está ótima!
Parece ser uma bela leitura!
Beijos
Dri

Mariele Antonello disse...

Nossa adorei esse livro, ainda mais que John Green indica ele!
Adoro livros que contenham investigação, e adorei sua resenha, fiquei mega ansiosa para ler esse livro.
Adicionado em minha lista de leitura e pretendo ler em breve.

Diane disse...

Pelo que você citou na resenha o livro deve ser muito bom :)
Com certeza será uma trilogia de bastante sucesso , ainda mais por ter sido citada por John Green .
Realmente merce dar uma chance á esse livro .

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Luis Carlos disse...

Eu adoro livros, filmes, documentários que tratam sobre o fim do mundo, e vendo esse livro que também trata de investigação, me fez querê-lo imediatamente. Pela sua resenha, pude ver que esse livro é magnífico!

Sil disse...

Olá Mari.
Eu não gosto do John Green hehe. Mas o livro me interessou e muito. Distopia com investigação policial é unir o útil ao agradável. Gostei bastante de saber que a trama se desenvolve junto com o personagem. Tem autores que lançam um cenário e foca no protagonista e esquece de desenvolver. Só não gostei de ser trilogia, mas se tem começo meio e fim, acho que não tem problema.

Blog Prefácio

Mandy disse...

Não sou fã de policiais mas esse me deixou bem curiosa, porque além da investigação deve ser ótimo para pensar no que aconteceria se a população descobrisse que o mundo acabaria. Com certeza a maioria enlouqueceria e teria muito caos,
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Rafaela. disse...

Oi, Mari!

Fiquei muito interessada em ler este livro e por pouco não solicitei. A premissa é bem diferente e instigante, especialmente por envolver dois temas / situações paralelas e me parece que o autor soube desenrolar ambas com maestria. Sua resenha tirou minha dúvida se a história seria bem desenvolvida ou não e agora, tenho certeza de que iria apreciar a leitura e o detetive como protagonista.
Espero que os demais livros sejam tão bons quanto o primeiro!

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Paola Severo disse...

Oi Mari, que resenha envolvente, fiquei aqui morrendo de curiosidade de ler! hahaha Não conhecia o livro, mas achei essa sinopse fenomenal, gosto deste tipo de distopia mais realista.

Beeijo,Paola
uma-leitora.blogspot.com.br

Anna Gabby disse...

Oie, Mari! Fiquei bem curiosa para conhecer o livro, tem tudo para ser uma ótima leitura na minha vida! kkk Espero poder comprar em breve e que as continuações não demorem! :P
Anna - Letras & Versos

Tony Lucas disse...

Oi, Mariana! Tudo bem? Nossa que premissa mais interessante! Achei bem legal a ideia de o autor misturar distopia com policial. E o melhor é que eu amo esses dois gêneros, então já viu, né? Quero muito ler o livro! hahaha Adorei a resenha! :)

Abraço

http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

Willow disse...

Adoro um policial e esse deve ser bem diferente. Vou ter que conferir ... fiquei super curiosa.
Excelente resenha e obrigada pela dica!

Beijos!
SUA ESTANTE
Gatita&Cia.

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
não assisti :(
mas gostei bastante! Vou tentar assistir.

bjos
http://blog.vanessasueroz.com.br

Gabriela CZ disse...

Por algum motivo que não sei citar não tinha me interessado por esse livro e nem sábia que tinha recebido o aval de John Green. Mas seus comentários me fisgaram, Mari. Essa mistura de policial com distopia parece ser bem interessante, ainda mais pelos questionamentos que levanta. Espero poder ler. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Inês Gabriela A. disse...

Olá,
Confesso que esse não é o tipo de livro que mais gosto de ler, simplesmente não é um gênero que desperta muita atenção de minha parte. Sem falar que os pontos que você citou me deixaram com um pé meio atrás, não acho que seria uma boa pedida para mim.
Beijos.
Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

Soraya Abuchaim disse...

Oi, Mari,
Esse livro faz muito meu estilo, já me interessei bastante.
Acho melhor esperar os 3 saírem né? rsrs

Beijos

Meu Meio Devaneio

Becca Martins disse...

Oi Mari!
Eu não me interessei muito por este livro não, tipo, é como você disse, é uma trilogia e o primeiro livro teria que ser mais uma apresentação do detetive, mas mesmo assim, eu sou do tipo que gosta das coisas já acontecendo logo no primeiro livro para me prender nos próximos.
Mas também não é meu gênero literário favorito - nem perto disto -, então acho que vou deixar pra próxima.
Beijocas!
umlugarparaleresonhar.blogspot.com

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
não conhecia o livro, mas confesso que livros policiais não são muito meu estilo, alias, geralmente passo bem longe.

bjos
http://blog.vanessasueroz.com.br

Vinci Cooper disse...

Olá , Mariana!!
Achei espetacular a Premissa, assim como seu Blog, se puder visite o meu : www.doctorleituras.blogspot.com

Andresa Linhares disse...

Olá!

Bom, não conhecia o livro... A premissa parece ser muito boa e achei a capa super interessante! Infelizmente o gênero não faz parte da minha lista de favoritos, mas não custa nada dar uma chance, né?! rsrsrs. Parabéns pela resenha... adoro quando são bem detalhadas sem dar à entender que está contanto o livro todo.

Beijos, And!

Blog Cantinho da And

Helana Ohara disse...

Acredito que esse livro é um daqueles que eu iria ler bem rapidinho! Gosto de investigações.

Beijinhos, Helana ♥
In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

suzana cariri disse...

Oi!
Ainda não conhecia o livro mas adorei a historia gosto muito de distopia e livros policiais e adorei a mistura que o autor fez a historia já começa agitada e fiquei muito intrigada com o Winters e todos os questionamentos que o livro nos faz, fiquei bem interessada !!!

Patrini Viero disse...

O gênero policial é um dos meus preferidos, e é interessante ver Green recomendando uma obra tão diferente do seu estilo. Gosto da premissa, e gosto ainda mais da forma como o autor mesclou distopia e suspense policial. Apesar da investigação fragmentada e um pouco sem sentido, acredito que valha a pena ler o livro só pra ver como o autor vai mexer com dois polos tão distintos e fazê-los conversarem entre si.

Ycaro Brito disse...

Recomendado por John Green? Opa, com certeza lerei. Percebi que na capa existem 2 imagens a primeira mostra uma ilustração e a segunda um fato mais "real", em minha opinião uma capa totalmente ilustrativa chamaria mais a atenção. Mas, o que realmente encanta é a mistura policial e distópica, como dito.

Aguida Sampaio disse...

Ahhh, adoro livros com histórias apocalípticas!
Gostei das histórias abordadas e creio que o livro contem muitas cenas de suspense a ação. Fiquei ansiosa para saber como seria o final do terceiro livro, hahaha. Lerei!

Bjs

Ana I. J. Mercury disse...

Tem cara de ser um livro bem legal, diferente e gostoso de ler. Porém.... eu morro de medo de distopia e demais livros sobre o fim do mundo kkk o único livro de fim do mundo que li foi o Apocalipse 3 vezes!!! Só que dele não tenho tanto medo, deve ser porque fui criada como evangélica e gosto e acredito e tal, não é tão assustador.
Mas gente, ler sobre zumbis, asteroides, essas coisas, dá um medão, mesmo na bíblia tendo fatos que "vão acontecer"que são bem parecidos com esses fenômenos kk
bjos

Letícia Souza disse...

Esse livro é um lançamento?.
Eu nunca li uma distopia que falasse de um asteróide que vai colidir com a terra então achei bem interessante esse enredo.Fiquei curiosa pra saber o final da trilogia e quais seram as investigações do detetive nos próximos dois livros.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger