domingo, 15 de junho de 2014

RESENHA: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

“Então passei a me chamar Ari. 
Se tirasse uma letra, meu nome seria Ar. 
Achava que devia ser ótimo ser o ar. 
Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver.” (SÁENZ, 2014, p. 98)

Existem dois tipos de livros que você não quer parar de ler: aqueles cuja narrativa é tão fluida e a trama tão envolvente que você nem percebe as páginas passarem, e aqueles que são tão bons que você não quer se desgrudar deles em hipótese alguma nenhum minuto sequer. “Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo” pertence à segunda categoria.

Aristóteles – ou Ari, como prefere ser chamado – tem 15 anos, poucos amigos (nem faz questão de ter muitos) e vê o mundo como um grande mistério. Um deles é porquê o pai (um veterano de guerra que tem dificuldade de demonstrar seus sentimentos) é sempre tão calado; outro, porquê seus pais agem como se seu irmão (que está cumprindo pena na prisão por um crime que Ari não sabe qual é) nunca tivesse existido. Para Ari, até ele mesmo é um mistério. Assim como seu pai, ele também tem dificuldade com as palavras e também é atormentado por pesadelos. Mas sua visão de mundo fica prestes a mudar quando conhece Dante, um menino que é seu oposto em quase tudo, mas com quem compartilha muitas coisas, dando início a uma amizade que irá redefinir a maneira como Ari compreende o mundo e as pessoas ao seu redor.

Quando li a sinopse de “Aristóteles e Dante”, o livro me pareceu simpático, mas não mais do que isso, de forma que pesquisei no Goodreads e na Amazon um pouquinho mais antes de decidir se lia ou não. Nessa pesquisa, acabei pegando um spoiler sobre a trama, mas isso em nada diminuiu o meu interesse ou a minha experiência de leitura. Como me disse a Diana, da Editora Seguinte: “O livro é bom assim”. Mas não é verdade. “Aristóteles e Dante” não é só bom. É especial. E já na primeira página, antes mesmo da história começar, se revela profundo, belo e singelo, para se mostrar também muito divertido em sequência.

Ari e Dante não podem ser mais diferentes. Um é introspectivo, o outro faz questão de compartilhar seus sentimentos. Um vem de uma família amorosa, mas retraída, o outro de uma família carinhosa que o beija e abraça cada vez que entra em casa. Um prefere se fechar em si mesmo, o outro é corajoso e confiante. Os dois personagens são riquíssimos e encantadores, mas é através da narrativa de Ari e todas as suas dúvidas, angústias e anseios que o autor escolhe nos contar a história e é maravilhoso acompanhar como esse menino vai aos poucos descobrindo quem é e o tipo de homem que quer ser.

Dante também é um personagem maravilhoso que empresta para Ari sua visão de mundo e o ajuda a se encontrar. Dante sabe quem é, o que pensa, não tem medo de se posicionar nem de ver além do que o novo amigo está disposto a lhe mostrar.

Mas nem só da dupla de protagonistas se faz o livro. Os personagens secundários, com destaque para os pais dos meninos, criam uma teia de relações que se cruzam de inúmeras formas (já que a amizade dos adolescentes acaba se estendendo aos pais e até mesmo entre os pais) e todas elas se tornam significativas. Até mesmo o irmão de Ari que aparece na história apenas através de lembranças e questionamentos é fundamental para a evolução do personagem. Na verdade, tudo em “Aristóteles e Dante” é fundamental para a jornada e nada passa sem ser aproveitado ou é forçado na história para cumprir um objetivo.

A narrativa de Saénz é simples, mas repleta de sentimentos e se já cativou no primeiro parágrafo, dali para frente só me encantou cada vez mais. Sendo composta mais por diálogos do que por narração, não são poucas as vezes em que páginas e páginas se seguem sem uma única observação narrativa, mantendo-se apenas com as falas dos personagens. Os capítulos são curtos e alguns se resumem a um mero trecho de diálogo, encerrando-se antes do final da página. Aparecem como um lampejo, um rasgo que permite ao leitor enxergar um pouquinho mais sobre os personagens ou, até mesmo, refletir. E tudo isso com bom humor (porque se não deixei claro, além de lindo o livro também é engraçado).

Quando comecei a ler “Aristóteles e Dante”, em plena metade da semana, lamentei que não fosse um sábado ou um domingo, o que me permitiria ler sem interrupções até chegar à última página. Como isso não foi possível, aconteceram situações como me atrasar dez minutos para um compromisso e deixar a fome aumentar para ler meia hora a mais ao invés de jantar. Entre reflexões e risadas, marcar um quote, só quando ele me obrigava a parar para que fosse relido e relido de novo. “O livro é bom assim.”

“Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo” é um livro que não se quer largar, mas que se quer ler aos poucos para não acabar logo e que, finalizada a leitura, se quer recomendar para todo mundo. Conquistou seu lugar entre as minhas cinco melhores leituras do ano até agora.

Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
(exemplar cedido pela Editora)
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Nº de páginas: 390
Editora: Seguinte

20 comentários:

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Esse é um livro que já despertou meu interesse pela capa e título. E como só vejo elogios minha curiosidade só aumentou. Mas com seus comentários, Mari, tive certeza que preciso ler. Parece incrível. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Bruna Monteiro disse...

Olá, Mari. Em primeiro lugar, quero dizer que amei demais a sua resenha sobre este livro, fiquei tão encantada pelo jeito que você descreveu o enredo e os personagens, que me deu uma enorme vontade de ler agora. O livro realmente me parece ser muito bom, despertou muito o meu interesse, e como esse ano só tenho lido mais literatura distópica vai ser ótimo mudar um pouco o gênero de leitura e vou começar por esse livro. Beijos!

Nina disse...

Oi, Mari!
Acredito que o contato com uma pessoa de personalidade oposta a de Ari deve fazer toda a diferença na trama.

Beijos,
Nina & Suas Letras

rafaela disse...

Vi várias resenhas positivas sobre esse livro. Gostei da temática sobre amizade entre Ari e Dante e também as suas relações com os pais. A história parece ser muito bonita. Espero poder ler em breve.
Beijos!

Camila Libanori disse...

Só o nome so livro já chama a atenção! Adorei a resenha, dá vontade de começar a ler imediatamente!
Beijos
http://poraodaliesel.blogspot.com.br

Luara Cardoso disse...

Ah, a vontade de ler esse livro é TÃO grande, mas cadê que ele chegou? Ainda estou aguardando a boa vontade dos Correios, porque falta de empolgação para ler é que não falta.
Esse livro TEM TUDO para se tornar um dos meus favoritos. <3

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Camylla Carvalho disse...

Quero tanto ler esse livro... Falam tao bem dele tanto aqui no Brasil quanto fora..
Preciso ler!

http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

Inês Gabriela A. disse...

Olá, Mari.
Eu estou morta de curiosidade pra ler esse livro, achei a premissa super interessante e a capa é linda!
Adoro quando existem personagens secundários que tem certo destaque, principalmente quando as vidas deles se cruzam.
Beijos.

memorias-de-leitura.blogspot.com

Rayra Mirelem disse...

Sinceramente esse é um dos livros que eu mais desejo! Acho que vou amar a história *--*

Beijos, Paradoxo Perfeito

Ray Pereira disse...

Desde a capa, até os outros detalhes, o leitor já tem noção que esse livro é arrasador. Estou louca para o ler, justamente por ter um tema muito delicado e pouco abordado. Adorei a resenha.

Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

Marco Antonio Marco Antonio Sousa da Silva disse...

Olá Mariana,

Não conhecia o livro, mas confesso que depois da sua resenha ele vai para a minha listinha, fiquei super curioso e gostei da história....boa dica....abraços,.

devoradordeletras.blogspot.com.br

pamela mendes disse...

Eu já tinha visto esse livro por aí e confesso que não dava nada por ele. Acho que por causa do nome enorme, sei lá. Mas sua resenha me deixou apaixonada e me deu outra visão do livro. Parece ser uma história realmente apaixonante. Adoro livros que focam nas relações humanas e familiares. E acho que vou gostar muito do livro *-*
Bjss

Nardonio disse...

Até agora só tenho lido resenhas positivas em relação a esse livro. Mas também fica impossível não gostar de uma trama em que tudo está muito bem encaixado, sem pontas soltas, e que tudo tem seu grau de importância para a história toda. Gostei dessa união de personalidades completamente opostas como os protagonistas desse livro. Espero conseguir ler em breve.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

beth disse...

Pelos seus comentários na resenha a história é envolvente e emocionante. Fiquei bastante curiosa a respeito dos personagens tão diferentes e envolventes. Adorei conhecer e vou tentar ler. Beijos.

Girlene Viey disse...

Quando comecei a ler a resenha achei que o livro era no mesmo estilo do Codigo da vinci na verdade foi quando li o nome do livro , a a drama passa atraves de outras formas que nn tem nada haver com codigo da vinci tirando a busca de ideias que sem duvidas acho que foi isso que me chamou a atenção

Fran Crawfield disse...

Uau, esse livro parece ser ótimo, me interessei pelo titulo mas nunca tinha lido alguma resenha, fiquei mais curiosa pra ler .

Ana Clara disse...

Oi Mari!

Eu li esse livro mês passado e me apaixonei completamente por ele. Mexeu tanto comigo que eu sabia que seria favorito mesmo antes de concluir a leitura. Achei lindo a forma como o autor retrata o amor, não só entre Ari e Dante, mas entre as famílias com os filhos também. Sem contar que convivo com o tipo de realidade deles, aí já viu... Enfim, eu amei demais esse livro.

Beijos!
http://roendolivros.blogspot.com.br/

gisele oliveira disse...

Amei esse livro porque ele parece ter muitos quotes e reflexões e amo livros assim, a capa já te interessa bastante, bom pelo menos me interessou, amei a personagem ari ou "ar" hahahaha estou participando

Cristiane de oliveira disse...

Primeiro gostei muito da capa e depois de ler tantas resenhas maravilhosas sobre o livro não vejo a hora de ler um livro tão bom cheio de reflexões e passando coisas boas que só a leitura me dá ultimamente, espero ler em breve.

Allison Norberto Alves disse...

Quando vi pela primeira vez pensei que fosse algo relacionado àquela época dos pensadores e tudo mais e tive vontade de ler porque a capa é muito bonita. Depois que li a sinopse e a resenha, achei muito mais legal e divertido. Livros infanto-juvenis são sempre bem-vindos por todo mundo, eu acho :D

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger