terça-feira, 29 de julho de 2014

RESENHA: O Maravilhoso Agora

“Mas o que não sei é por que tenho que explicar alguma coisa para alguém. Por que não posso fazer exatamente o que estou fazendo? É o máximo estar na rua tão cedo de manhã, antes mesmo de o sol nascer. É uma sensação de se estar supervivo. É como saber um segredo que todas as pessoas caretas dormindo dentro de casa ignoram. Ao contrário delas, você está alerta e ciente de que existe, bem aqui, neste exato momento, entre o que aconteceu e o que ainda vai acontecer.” (THARP, 2014, p. 82)

“O Maravilhoso Agora” não me despertou interesse imediato, mas por ser uma das grandes apostas da Editora Record, resolvi analisar um pouco mais a fundo antes decidir pela leitura. Descobri que o filme (estrelado por Milles Teler, Shailene Woodley e Kyle Chandler) havia recebido ótimas criticas, mas ainda não estava convencida. Fiz então o que sempre faço nessas situações: recorri às reviews da Amazon e do Goodreads, mas mesmo elas eram contraditórias (muitos adoraram o livro, outros tantos detestaram profundamente). Foi então que li a prova disponibilizada pela Amazon e pronto. Sutter me conquistou nas primeiras páginas.

Conheça Sutter Kelly. Em que mundo você vive que ainda não conhece o Sutterman? Certamente não na escola de ensino médio que ele frequenta, porque lá Sutter é o cara. Aquele que todos conhecem e a quem todos recorrem quando o assunto é festa (até porque, ele é a alma das festas) e bebidas. Se você quer um amigo para curtir o presente, ele é o seu cara. Mas se o assunto envolve planos ou futuro, você vai ver Sutter com seu 7Up batizado com uísque andando na direção contrária. Ainda mais agora que todo mundo deu para falar sobre futuro com Sutter: a namorada, Cassidy, cansou de esperar mais do que apenas diversão do relacionamento e o trocou por outro cara; o amigo, Ricky, arrumou uma namorada (na verdade, Sutter arrumou uma namorada para ele) que o transformou em um novo homem; sem falar na irmã, na mãe e no padrasto e as ameaças vazias de colégio militar e no fato que Sutter nem consegue lembrar qual foi a última vez que falou com o pai. Então, um dia ele acorda no gramado com uma menina ao lado. Tímida e insegura, amante de ficção científica e com grandes planos para o futuro, Aimee se torna um projeto para Sutter: ele precisa ajudar essa menina a ter mais autoconfiança. Nesse processo de mudar a vida de Aimee, Sutter vai aprender que às vezes é preciso fazer escolhas difíceis.

À primeira vista “O Maravilhoso Agora” parece um livro bobinho e não se engane, ele não é nenhum poço de profundidade. É um livro gostoso e leve que não vai mudar a sua vida, mas vai diverti-lo (um perfeito reflexo de seu protagonista).

Sutter tem uma voz narrativa extremamente cativante. Esse é um menino irresponsável que tem um estoque constante de cervejas no porta-malas do carro e não vê problema nenhum em beber às 10 horas da manhã em pleno dia de aula. Mas Sutter tem o que se pode chamar de bom coração. Se importa com os amigos e mesmo com aqueles que nem conhece (como o menino de 6 anos que está tentando fugir de casa em quem se esbarra). Ele se preocupa em não magoar Aimee e em afastá-la de caras que possam fazer isso, faz questão de encontrar uma namorada compatível para o melhor amigo e tenta manter amizade com as ex-namoradas. Na verdade, Sutter é um daqueles personagens cheios de defeitos, mas que nos encantam. Mais verdade ainda é que ver o mundo através dos seus olhos é irresistível.

O autor consegue inserir com naturalidade na história diversas situações girando em torno de Sutter - seus amigos, sua família, seu chefe, seu relacionamento com Aimee e mesmo de Aimee com sua família. É por isso que não considero esse livro um romance, já que ele me parece girar mais em torno do personagem do que de seu envolvimento romântico com Aimee.

O desfecho é tão compatível com a essência do personagem que há quem vá desejar que o livro acabe em outro momento (mas, para mim, isso é sempre mais importante do que o acontecimento em si). Na verdade, vi que muitos leitores desejaram que o livro nem ao menos tivesse começado porque se irritaram com a personalidade de Sutter e se decepcionaram com a história em geral. Eu não me identifico com essa opinião, mas entendo porque o protagonista pode não agradar a todos.

Da primeira à última página de “O Maravilhoso Agora” a sensação é que Tim Tharp criou um personagem e deixou que ele vivesse, incluindo na história aqueles que apareceram em seu caminho e o ajudaram a se moldar e foram igualmente moldados por ele. Uma experiência literária feita não para marcar sua vida como leitor, mas para ser deliciosa em cada instante que ocorre ou, com o perdão do trocadilho, um maravilhoso agora.

Título: O Maravilhoso Agora (exemplar cedido pela Editora)
Autor: Tim Tharp
Nº de páginas: 317
Editora: Record

13 comentários:

Bruna Monteiro disse...

A resenha de hoje é sobre O Maravilhoso Agora. <3 Então, eu gosto bastante desse livro e confesso que comprei por conta do filme, estrelado pelos meus amorecos: Shailene Woodley e Miles Teller. Pode não ser o melhor livro do mundo e nem ter a história mais interessante, porém gostei bastante do Sutter e eu me prendi muito ao livro durante a leitura. Sem falar nas quotes. O modo de Sutter de ver o mundo, em certos pontos, me atraiu bastante. Para quem não leu, eu recomendo muito!

Nardonio disse...

Confesso que, antes de ler essa resenha, esse livro iria passar despercebido. Gostei bastante do que li aqui. Me parece que esse Sutter foi tão bem escrito, que ele parece ter vida própria. Gosto de personagens mais verossímeis assim, bem gente como a gente. Fiquei bem tentado a ler, e espero que seja em breve.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

Estante Diagonal disse...

Olá tudo bem? Eu adoro esta historia, amei o filme mas ainda não tive a oportunidade de ler o livro, pretendo fazer isso em breve, adorei sua resenha e a sinceridade nela ^^

Beijos Joi Cardoso
Estante Diagonal

Livy disse...

Oi Mari =)

Adorei a resenha =) Se tinha alguma dúvida em ler agora me decidi hihi,
A impressão que tenho, lendo sua resenha, é que o livro (ou melhor, os personagens) tem vida própria. O livro deve ser maravilhoso =)

Beijos,
Livy
No Mundo dos Livros

Angela Graziela disse...

Vou te confessar aqui que eu não conhecia
Mas depois dessa resenha tão boa e de dar uma olhadinha nos comentários dos meus companheiros, blogueiros.
O livro passou a me chamar atenção, gostei da dica
Já estou seguindo ;)

Beijos
http://pocketlibro.blogspot.com.br

Maiara Vieira disse...

Oi Mariana, tudo bem?
Adorei sua resenha, está muito bem escrita, parabéns viu!!
Ainda não conhecia esse livro, mas achei a premissa dele interessante. Estou mesmo precisando de um livro assim, leve e divertido, para me divertir um pouco. Vou pensar se vou realmente ler o livro ou optar por apenas assistir o filme ;).

Beijão :*

http://www.livrosesonhos.com/

Virginia de Oliveira disse...

Já li diversas resenha que expressavam a decepção que tiveram ao ler o livro, foi bom ler sua resenha pois pude ver que não é todos que não gostaram dele. Não acredito que este livro terá uma história que eu iria gostar de ler, mas graças a sua resenha posso dizer que um dia talvez eu leia o livro.
Bjs!

Lais Cavalcante disse...

Eu tinha interesse em ler o livro, mas então fui assistir ao filme e vi que não era nada do que eu estava esperando. Achei o Sutter muito irresponsável, o tipo de cara que me dá raiva e a Aimee muito boba! Sei que o filme e o livro são bem diferentes, mas fiquei super decepcionada :/

Bruna Costabeber disse...

Olá,
Eu vi esse livro na Cultura, no domingo, fiquei tentada a comprá-lo, mas desisti no último momento. Se eu tivesse lido sua resenha antes, já estaria com ele na mão.
Adorei o que você escreveu.
Beijos
http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

Gabriela Cerutti Zimmermann disse...

Também não fiquei instigada por esse livro, Mari. Até por não ser um dos meus gêneros favoritos. Mas se é uma leitura agradável e divertida é outra história. Pelo menos posso considerar. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Letícia Souza disse...

Oie
Eu não me interessei pelo livro e muito menos pelo filme,com todo mundo comentando como não gostou do final e tudo mais resolvi nem apostar nesse título.
Já vi vários personagens como Sutter mas ele foi o que eu menos gostei e não consigo ler nada onde a garota seja toda bobinha e inocente,sempre acabo me irritando e deixando a leitura de lado.
beijos

Clube das 6 disse...

Oi, Mari, tudo bem?

Confesso que eu não conhecia muito bem a história, só havia ouvido falar.
Sua resenha fez com que eu sentisse vontade de ler, mas do jeito que anda minha fila, vamos ver quando né?

Beijos, Be
www.clubedas6.com.br

Raimundo Ferreira disse...

Oi, Mari!

Não costumo ler resenhas antes de ler o livro, acho que isso pode influenciar minha leitura. Mas não resisti a sua resenha, pois "O maravilhoso agora" é um livro que já me dá vontade de ler só pelo título e pela capa, com a sua resenha então fiquei ainda mais fascinado. Logo, logo ele aparece no LO. rsrs

Grande Abraço!

Visitem: legereoculis.blogspot.com.br
Curtam: https://www.facebook.com/legereoculis?ref=hl

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger