terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

RESENHA: 1984

Dia a dia e quase minuto a minuto o passado era atualizado. Desse modo era possível comprovar com evidências documentais que todas as previsões feitas pelo Partido haviam sido acertadas; sendo que simultaneamente, todo vestígio de notícia ou manifestação de opinião conflitante com as necessidades do momento eram eliminados. A história não passava de um palimpsesto, raspado e reescrito tantas vezes quantas fosse necessário.” (ORWELL, 2009, p. 54). 

***

Em 1984, a nação conhecida como Oceânia é governada pelo Grande Irmão e pelo Partido. Tendo como princípios Guerra é Paz, Liberdade é Escravidão e Ignorância é Força, o Partido visa controlar cada aspecto da vida de seus “cidadãos”, ao mesmo tempo em que cria toda uma ideologia para manter-se no poder a qualquer custo. Nesse cenário, conhecemos Winston, membro do Partido que trabalha no Ministério da Verdade, que não consegue deixar de questionar as ações e ensinamentos do Partido. 

Antes que você se pergunte, a palavra cidadãos está entre aspas por que, na verdade, não existe cidadania, no seu conceito mais amplo, na Oceânia. Afinal, cidadania não está apenas relacionado ao local de residência de um indivíduo, mas também a carga de direito e deveres que a ele é atribuída. Entretanto, esta população não detém nem mesmo os direitos mais básicos, como a igualdade ou a liberdade de pensamento e manifestação.

Acima de tudo, 1984 é um livro que faz o leitor refletir. Ser introduzido neste mundo totalitarista e opressivo, em que praticamente todos os aspectos da vida do indivíduo são controlados pelo governo é assustador. Porém, ainda mais assustador é perceber a quantidade de previsões que Orwell acertou em cheio. 

Acho que um dos fatores mais marcantes da obra é mostrar como o passado pode ser mutável. O Partido e o Grande Irmão nunca podem estar errados e suas metas sempre devem ser cumpridas. E se não forem, temos um exército, do qual Wiston faz parte, para corrigir qualquer “engano” em todos os documentos, jornais, revistas, livros, etc. 

1984 é um livro eminentemente ideológico, sendo que as próprias ideias do Orwell parecem ser mais importantes que a estória em si. Winston é apenas o ponto de contato entre o leitor e este mundo tenebroso, mas não é a estória dele que o autor realmente quer apresentar. Por isso mesmo, a narrativa não é muito fluída, visto que o texto é repleto de conceitos que demandam uma leitura mais vagarosa para que possam ser completamente assimilados. 

Além disso, fiquei com a impressão que o livro não possui “alma”. Sendo o conteúdo ideológico mais importante que a estória, todos os personagens e a trama são desenvolvidos em função daquele elemento. Em outras palavras: toda a jornada de Winston foi apenas a embalagem para que Orwell apresentasse esse mundo, mas a verdade é que poderia ter sido qualquer outro personagem, e a estória seria a mesma. 

Sei que serei polêmico e muitos podem não concordar comigo, mas achei impossível ler 1984 sem lembrar do partido que perpetua-se no poder há mais de doze anos em nosso país e que assalta os cofres públicos para lá se manter, ou do governo que utiliza a “contabilidade criativa” para ocultar o fracasso das contas públicas e que ao fim do ano precisa comprar o Congresso Nacional por mais de quatrocentos milhões de reais, para transformar déficit em superávit, rasgando a Lei de Responsabilidade Fiscal. 

Apesar de contar com um texto mais denso e que falha em desenvolver uma conexão mais profunda com o leitor, 1984 ainda é absurdamente genial e acima de tudo uma ode a democracia. Direitos como liberdade e igualdade são tão intrínsecos ao ser humano e as sociedades democráticas, que nunca imaginamos como seria um mundo sem eles. Por isso mesmo, afirmo que 1984 é um daqueles raros livros que deveriam ser considerados leitura obrigatória. Não pela estória que contém, mas por mostrar o perigo que advém da inércia de uma população apolítica, que não questiona seu governo, seja ele quem for.

“Estatísticas fabulosas continuavam brotando da teletela. Em comparação com o ano anterior, havia mais comida, mais roupas, mais casas, mais móveis, mais panelas, mais combustíveis, mais navios, mais helicópteros, mais livros, mais bebês — mais tudo, exceto enfermidade, crime e loucura.” (ORWELL, 2009, p. 76).

Título: 1984 (exemplar cedido pela editora)
Autor: George Orwell
N.º de páginas: 414
Editora: Companhia das Letras

37 comentários:

Gabriela CZ disse...

Ainda não li 1984 mas acho que entendo o que quis dizer e concordo, Alê. Além disso, é um livro que quero muito ler justamente por seus questionamentos ideológicos. Embora me preocupe um pouco o fato da história acabar ficando em segundo plano, por assim dizer, já que tenho certa dificuldade para me concentrar em textos assim. Mas com certeza lerei. Ótima resenha.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Silvana Sartori disse...

Primeiramente tenho que confessar que gostei bastante da maneira que você desenvolveu a resenha desse livro. Achei bastante interessante, até porque ele nunca tinha chamado minha atenção. Mas quando terminei de ler eu vi que eu poderia dar uma chance. Não por agora, mas logo sabe? Eu gosto de conhecer obras diferentes, mas como estou na fase dos romances, eu acho que por agora eu não irei ler, mas você está de parabéns. Adorei o modo como voce se expressou em falando do livro =]

Olha já estou te seguindo.
Adorei o seu cantinho
beijinhos

lovereadmybooks.blogspot.com.br

Paula de Franco disse...

Oi, Alê.

Até um tempo atrás eu nem sabia que que 1984 se tratava, conversando com um amigo e ele me contando eu fiquei bem interessada nessa leitura. Agora lendo a sua resenha e você falando de uma população apolítica fiquei mais ainda animada. Questionar tudo é o que devemos fazer e não apenas aceitar o que nos é imposto. Pode deixar que essa leitura já se tornou obrigatória pra mim no ano de 2015.

Beijos.
Visite: Paradise Books BR

Katrine Bernardo disse...

Oii, li esse livro a algum tempo, mas adorei a leitura!!!
Beijos.
http://www.garotadolivro.com/

Criticando por aí - Caroline disse...

Vou ser sincera com você: eu já estava com muita vontade de ler este livro antes de ler sua resenha, mas depois dela posso dizer que vontade não pode definir o que eu sinto. Comprei o meu exemplar no Saraiva day e até hoje não chegou, acredita? Tô me contorcendo aqui.
Eu me interessei muito pela proposta do livro e só li resenhas super positivas. Acho demais quando podemos associar alguns fatos narrados no livro com alguns fatos da nossa realidade, mas acho que nesse caso essa ligação não é algo muito bom, né?
Fico fascinada só de ler resenhas dele, então espero que o livro me proporcione um encanto bem maior que este.

Beijos,
Caroline, do http://www.criticandoporai.com.br/

Fernanda Ohashi disse...

Oi Alê! Eu dei esse livro de presente ano passado e o meu amigo falou dessa leitura tão bem quanto você, daí acabei colocando na minha wishlist :) Concordo muuito com o seu ponto de vista e acho que todo mundo devia se interessar por esse assunto, não precisa necessariamente ler o livro, mas se interessar pelo que tá acontecendo já é um começo. Parabéns pela resenha! http://www.trocandodisco.com.br

Daiana Ayalla disse...

Oi, Alê!
Desde A revolução dos bichos que tenho vontade de ler 1984, felizmente ele já está na minha estante só esperando para ser lido. É de se esperar que não seja uma leitura fluída, Orwell possui uma narrativa carregada de informações, e é isso que o torna tão importante. Não tardarei em começar a leitura, foi bom ver sua opinião sobre a obra, sua resenha está muito bem estruturada. Aliás, sempre gosto das suas resenhas, suas leituras são maravilhosas!

Beijo.
www.tendadoslivros.com.br

Ana Clara disse...

Oi Alê!

Acho que esse é um dos livros mais geniais que li na vida. Eu amo distopias, mas não gosto muito de história (acho que esse livro tem bastante disso, diferente das distopias mais atuais). Acho que não existe uma pessoa no mundo que não goste desse livro.
Também já li "A Revolução dos Bichos", mas não ganhou tanto o meu coração quanto "1984".

Beijo!
http://www.roendolivros.com/

Mandy disse...

Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro e apesar de todos dizerem que é genial, acredito que eu ainda não cheguei na fase para lê-lo, você conseguiu compará-lo com a nossa realidade e com toda a política envolvida. Ainda preciso entender mais sobre o assunto antes de ler
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Amanda Zanatta disse...

Uau Alê, adorei a resenha!
Sempre vejo esse livro pelos blogs mas só agora parei pra ler sobre ele.
Já entrou pra minha listinha :)

beijos,
Guerra de Almofada

Teca Machado disse...

Alê, eu até quero ler esse livro, mas saber que ideologia tem mais destaque do que a história em si me faz ficar um pouco desanimada.
Mesmo assim acho que é importante ler, um dos clássicos da literatura mundial tido como genial.

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Clube das 6 disse...

Oi, Ale, tudo bem?
Eu sou completamente louca para ler esse livro e sempre que leio uma resenha fico arrependida de ainda não ter comprado. Eu acho que é um livro que todo mundo deveria ler (mesmo eu ainda não tendo lido hehehehe) para abrir os olhos. Muitas vezes somos vítimas da nossa própria docilidade e é preciso que alguém nos acorde! Gostei muito da sua resenha e me convenceu de que preciso comprar e ler LOGO!

Beijos, Be
www.clubedas6.com.br

Ju Goulart disse...

Oi Alê, eu ainda não li nenhum livro do autor, mas se tem algum que chama minha atenção é esse. É engraçado como Orwell sempre consegue escrever livros com uma carga crítica intensa, e geralmente ele parece abordar esse totalitarismo de uma maneira que nos faz repensar nosso próprio governo.

Beijos

Vanille vie disse...

Esse é um livro que eu sempre quis ler, mas venho enrolando por N motivos, mas espero que esse ano finalmente consiga tirar um tempo e apreciar essa maravilha! Já lo Revolução dos Bichos do autor e achei muito genial e tenho certeza que 1984 não fica atrás. Acho que devido a ser um clássico seja o motivo pelo qual talvez a história do personagem não nos cative ou chame a atenção, mas sim a ideia e contexto no geral do mundo distópica. Como você disse, mesmo com prós e contras deve ser ótimo ter essa leitura que te dá uma oportunidade de crescer!
Beijos
Debora.
http://vanille-vie.blogspot.com.br/

Livreando disse...

Há tempos quero ler esse livro, mas tento reservar um tempo para me concentrar nele e só nele.Sua resenha colocou de forma direta e clara o que esperar e como Orwell conduz esse livro.
Bjim!
Tammy
LivreandoFacebook

Kétrin Galvagni disse...

Oi Alê, sempre tive vontade de ler alguma obra do autor, 1984 é denso né? Ouvi dizer que a maioria dos livros deles tem esse toque mais denso, eu gostaria de ler um dia para ver o que acho!

Beijos

http://www.oteoremadaleitura.com

David Andrade disse...

Oi Ale!
Distopia <3 1984 tá na minha lista de leituras. Já anotei ela a tempos, só ainda não tive oportunidade. Parece ser um enredo realmente tenso e o tipo de leitura que eu vou adorar, apesar da linguagem não ser tão atual já que é considerado clássico, mas com certeza pretendo. Governos opressivos dão tanto pano pra manga *-*

Abraços
David Andrade
http://www.olimpicoliterario.com/

Rafaela. disse...

Oi, Alê!

Sempre pensei em 1984 como leitura obrigatória, mas ainda não o li. Quero fazer isso em breve. Já imaginava que seria uma leitura mais reflexiva e vagarosa, mas fiquei um pouquinho desanimada ao saber sobre a pouca "profundidade" dos personagens e tudo o mais.
Adorei a resenha! :)

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

D e s s a disse...

Esse livro está faz tempo na minha meta de leitura! ):
Ainda não consegui ler, e já não me aguento mais para conhecer a trama!
Vejo tantas resenhas falando bem dele. Fora que nunca li nada do autor.
beijos
www.apenasumvicio.com

Jessica Garcia disse...

olaaa,
tudo bom? Então... eu curti demais tua resenha, amei tuas críticas e teu ponto de visão sobre o livro, afinal, não é qualquer pessoa que consegue fazer críticas, digamos, descentes dessa obra, mas mesmo assim eu não o leria, e o ruim é que eu nem mesmo sei porquê.
Beijo,
Jessica Garcia
http://entreeleitores.blogspot.com.br/

Jonatan Pereira disse...

Quero muito ler 1984 e também IQ84 que é uma série de livros de um autor Japonês que se inspirou no livro do Orwell.
coisasdeumleitor.blogspot.com.br

Rayanna Lucylle disse...

Oi Alê! Tudo bem? Gostei bastante da sua resenha! Desde quando li A revolução dos bichos eu fiquei interessada em conhecer as outras obras do autor. Como só li um livro dele até agora, não posso opinar muito sobre sua escrita numa forma geral (principalmente porque A revolução é bem peculiar, afinal, é narrado por animais..), mas já pude perceber que todos seus livros vão tocar e bater na tecla de reflexão pra algum assunto "polêmico". 1984 está na lista de prioridades literárias por motivos de
1 - estou muito curiosa pra conhecer mais sobre Orwell e seu fluxo de pensamento
2 - faz parte da trindade distópica/quarteto distópico e eu estou com planos de ler todos os livros dessa "turma", pena que só consegui ler Laranja Mecânica até agora..
Estou seguindo o blog e aguardando novas postagens! :-)

www.artigo2.com.br

Desbravadores de Livros disse...

Oi, Alê.
Adorei a resenha e a história do livro. Mesmo apresentando falhas e algumas críticas, é uma leitura que também enxerguei como obrigatória.
Enquanto lia sua resenha fui imaginando exatamente no jogo político e na corrupção que você ressaltou.

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de fevereiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

Mariana Ogawa disse...

confesso que eu tenho medo de ler esse livro, pois sei que é muito denso. e o outro motivo que eu ainda não li sei que é um livro que vc tem que ler com tempo para poder refletir, pois pelo pouco que li dele não é um livro que vc ler por ler e sim para pensar.

como ultimamente eu tenho lido livros para entreter e nada com a história com muita reflexão (facul faz isso comigo, tem gente que fica impressionado que eu ainda tenho neurônios e saco para ler) tenho que criar coragem para ler tanto ele quanto a revolução dos bichos

Camila Teixeira disse...

Eu comecei 1984 mas nunca terminei, e não foi por não ter gostado, achei incrivel, mas sim por que comecei a ler em PDF e não deu, decidi que precisava ter ele impresso! Quero muito comprar mas está sempre tão caro )))))))))):

http://www.livrologias.com/

Lulu on the sky disse...

Olá, Alexandre!
Esse é um dos livros que sempre ouvi falar, mas nunca li. Deve ser muito interessante
Big Beijos
Lulu on the Sky

Cabine de Leitura disse...

Será que sou a unica que nunca leu este livro?!
Todos que leem o acham extraordinário, preciso
ler mais esse.

Abraços Alê...
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/02/parceria-katia-caetano.html

Hangover at 16 (contato) disse...

Pelo visto o livro retrata de um assunto puxado mais pra realidade, e como você mesmo falou, é denso, até mesmo a capa demonstra a seriedade que a obra representa. Infelizmente acho que não faz muito meu estilo :(

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova no blog de "O Cavaleiro Fantasma", vem conferir!

Alessandra Tapias disse...

Que resenha linda com palavras bonitas e frases bem construídas. Sério. Adoro isso.
Fiquei tão envolvida na resenha que até deletei o livro em si, tamanha delícia que foi ler o que você escreveu, sua opinião.
Gostei mesmo.

Adorei. Adoro este livro com toda sua genialidade. Não é fácil ser um dos primeiros do gênero sem ter onde se inspirar, somente nas suas próprias ideias e ideologias.



Bjks

Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

Literatura Vip disse...

Oi Alê!
Que resenha top!!
Estou louca p ler este livro, todos falam de sua genialidade!
Sou fã das distopias!!
Bjos!!

www.leituravipblog.com

Rafael Botter disse...

Oiiii, tudo bem com você?

Só posso dizer que a resenha está SENSACIONAL!
Esse livro é o meu favorito e está na minha lista de top 10, o livro mostra tudo que estamos vivendo ( assustador ser monitorado) o autor foi um profeta em transmitir suas ideias nesse livro maravilhoso.

LivreandoFacebook

Elisa disse...

Já tem um tempo que eu quero ler esse livro, principalmente para ver uma distopia 'pré jogos vorazes', que traga reflexões mais complexas. Fiquei decepcionada em saber que o enredo em si não é lá essas coisas, mas espero conseguir ler sem morrer de tédio.

The Fat Unicorn

Lary Zorzenone disse...

Olá Alê
Nunca li 1984, mas sou louca para lê-lo. Pelo pouco que sei do livro, é uma distopia bastante "realista", digamos assim. Pela sua resenha, concordo contigo com relação ao governo de nosso próprio país. Sou super a favor da "viralização" das distopias, visto que elas fazem o leitor pensar sobre sua própria sociedade, mesmo que de maneira menos explícita.
Beijos

Vidas em Preto e Branco 

Vitória Pantielly disse...

Olá

1984 é realmente um livro extremamente complexo. George Orwell conseguiu descrever uma sociedade distópica muito oprimida e... burra, é impossível não achar isso das pessoas que ali se encontram, realizando as atividades ditadas pelo Grande Irmão, mudando informações históricas, criando uma guerra que nem a popula sabe se realmente existe e tendo como lemas esses princípios absurdos. Creio que a falta de "alma" do livro, como você falou, deve se dar ao fato de o autor ter se preocupado muito em passar tais criticas, no entanto, como uma boa romântica, achei impossível não me ver torcendo pelo casal a partir do momento em que li aquele bilhete demonstrando um sentimento. Nessa parte, pude sentir que mesmo com essa opressão toda, ainda é possível surgir algo que está intrínseco ao ser humano: o amor. Mas achei o final do livro um pouco triste demais para mim. Enfim, adorei os pontos elencados por você, e concordo com a parte que falas sobre esse nosso governo que tá no poder a tantos anos.

Beijos.
http://passeandocomoslivros.blogspot.com.br/

Ágata Bresil disse...

Eu já vi que esse livro é leitura obrigatória, todos os meus professores da faculdade indicam. É chato que você não tinha encontrado a conexão no livro, porém, ainda indica e sei que tenho que ler hahaha.

PS: Tava vendo vídeos de vocês no canal do youtube e ameeeeei o sotaque.

Beijos. Tudo Tem Refrão

Nardonio disse...

Apesar de ser um dos clássicos distópicos, ainda não tive oportunidade de lê-lo. Acho incrível, pois o autor focou na crítica social em si, nos deixando muitas reflexões em relação a sociedade e nossas atitudes perante ela. A cada dia, minha vontade de ler só aumenta.

Seguidor: DomDom Almeida
@_Dom_Dom

RUDYNALVA disse...

Alê!
Entendo todas as considerações que fez sobre o livro e até concordo. O que deve ser avaliado é quando o livro foi escrito... Na verdade lembro bem na época que o li - 1979 - e ainda sinto a sensação que tive naquela época... Será que estarei viva em 1984? O livro foi escrito em 1948 e naquela época o livro era considerado uma ficção muito bem escrita. Tão boa que ainda é comparada com o que acontece hoje em nosso país.
E o final de semana chega já, desejo muita luz e paz!
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger