sexta-feira, 20 de novembro de 2015

RESENHA: Perdidos por aí

“Nessa viagem, já fui multada três vezes por excesso de velocidade, quatro por estacionar em lugar proibido e duas por dirigir na contramão, tudo porque eu estava chorando. Passei dias, é sério, dias pensando em um garoto de quem não tenho notícias há dois meses. Duvido que você esteja pensando em alguma coisa idiota, mas, mesmo que esteja, a idiotice é parte natural da condição humana. Especialmente no que se refere a emoções.” (ALSAID, 2015, p. 242)

Hudson é um mecânico em uma cidade pequena às vésperas do dia mais importante de sua vida. Bree fugiu de casa e agora vive pedindo carona nas estradas e cometendo algumas transgressões no caminho. Elliot é apaixonado pela melhor amiga e escolhe a noite da formatura para se declarar a ela. Sonia ainda não se recuperou da morte do namorado e não sabe o que fazer quando percebe que está se apaixonando por outro. Esses quatro adolescentes moram em cidades diferentes, têm problemas diferentes e levam vidas completamente diferentes. Mas todos têm em comum Leila, uma menina que está atravessando o país em um carro vermelho rumo ao Alasca para ver a Aurora Boreal.

O livro é dividido em cinco partes, sendo cada uma o ponto de vista de um dos quatro adolescentes que cruzam o caminho de Leila. O inusitado é que mesmo Leila sendo a protagonista e sua road trip sendo o que costura toda a trama, a personagem parece estar sempre em segundo plano, já que a cada ponto de vista o enfoque está no personagem que estava vivendo a sua vidinha até que ela apareceu. A visão da própria Leila é a última que o leitor vem a conhecer.

“Perdidos por Aí” não trata de assuntos sérios, mas convence ao apresentar personagens com defeitos, qualidades e, em se tratando de adolescentes, atitudes inconsequentes. Além disso, todos estão um pouco perdidos. Hudson sonhou a vida inteira em ir para a faculdade de medicina, mas agora que está com uma entrevista marcada para conseguir uma bolsa integral, joga tudo para o alto para passar a noite com uma garota que mal conhece. Bree não soube lidar com a morte dos pais, preferindo criar novos problemas e deixar tudo para trás a tentar conviver com a irmã. Elliot acredita que os filmes da década de 80 podem ser recriados na vida real e não sabe o que fazer quando as coisas não saem de acordo com o script. Sonia se sente culpada por seguir com sua vida e não suporta a ideia de magoar a família do ex-namorado que passou a ser sua família também, bem mais do que a dela própria. Os quatro se beneficiam da visão de uma pessoa que caiu de paraquedas em suas vidas e vê seus problemas totalmente do lado de fora. Infelizmente não consegui me afeiçoar a nenhum dos personagens (em especial a Hudson e Bree, cujas atitudes e decisões me irritaram), mas acredito que isso tenha sido algo pessoal e não exatamente um defeito do livro.

Outra coisa condizente com a realidade é que esses personagens estão presentes na vida de Leila por um breve momento, mas depois que ela os deixa para trás e dá sequência à sua viagem, ela não volta a saber deles. O mesmo acontece com o leitor. Alsaid nos aponta na direção do desfecho dessas histórias, mas não chegamos saber o que aconteceu de fato.

Durante a maior parte do livro, Leila permanece uma incógnita, pois o leitor a está vendo através de quatro personagens para quem ela significa coisas diferentes. É apenas na última parte que o autor se volta para sua protagonista, momento em que descobrimos o que a fez embarcar nessa aventura e como era a sua vida antes da viagem.

Por ser um livro curto e ainda dividido em cinco partes, é compreensível que não haja um aprofundamento de cada uma das histórias. Somando isso a minha falta de afeição pelos personagens, é possível entender porque não me envolvi totalmente com o livro. Ainda assim, acho que Adi Alsaid não fez feio em sua estreia. “Perdidos por aí” é uma leitura fluida e descompromissada que nos lembra que é bom aceitar o inesperado quando ele surge.

Título: Perdidos por aí (exemplar cedido pela editora)
Autor: Adi Alsaid
N° de páginas: 294
Editora: Verus

22 comentários:

Nana Barcellos disse...

Oi Mari,
O enredo até me atrai e me deixa curiosa para saber a ligação entre eles.
Mas alguns personagens já passam 'mimimi' hahaha só de saber a parte de cada um.
E esse do carinha dos filmes dos anos 80, soa clichê pois, já vi personagens assim em séries e filmes.
Mas não dispensaria a leitura e curti a capa.

Ótima resenha.

tenha um ótimo final de semana.
Nana - Obsession Valley

Juliana Demos disse...

Eu já tinha visto esse livro no skoob e a sinopse me chamou atenção.
Pela sua resenha senti que o livro é meio evasivo esse tipo de leitura só me agrada quando to afim de fazer umas leiturinhas rápidas, mas vou dar um chance para o livro e por ele na espera!

simplesmenteassimj.blogspot.com

Karina Valshe disse...

A sinopse do livro me chamou bastante atenção e acredito que criei um pouco de expectativa além da conta com ele, esperava algo um pouco mais profundo, mas ainda sim parece ser uma leitura agradável, perfeita para dias em que precisamos de algo mais leve.
Achei interessante a divisão do livro e como Leila é um mistério para o leitor até o final, o modo como ela se torna a linha que costura as demais histórias é curioso. Não sei se gostaria dos personagens, apesar de seus dramas particulares até me chamarem um pouco a atenção. Se tratando de um livro juvenil não espero cair de amores por eles, pois muitas vezes os adolescentes desses livros me irritam com suas atitudes, as vezes nem parece que tenho a mesma idade que alguns deles, porém é algo pessoal.
O livro continue na minha lista de leitura, mas não como prioridade.
Abraços

Sil disse...

Olá, Mari.
Esse é um livro que eu não compraria. Se eu ganhasse até leria, mas para comprar, não achei nada de diferente nele que me chamasse a atenção. Acho que não iria me identificar com nenhum dos personagens também. Achei os dramas deles bem comuns. Acho que não é um livro muito indicado para minha idade.

Blog Prefácio

O Menino e O Livro disse...

Oi Mari, gostei bastante da sua resenha!
Acho que esse livro me chamou muito a atenção, gostaria de conhecer um pouco mais sobre ele, então acho que vai para a listinha <3
Beijão,

Vinicius
omeninoeolivro.blogspot.com

Ycaro Brito disse...

Oi, Mari. Eu me encantei por este livro pela capa. Entretanto, sua história não deixa nada a desejar. Eu gosto muito de histórias que envolvam adolescentes, mas às vezes a imaturidade é estressante. Perdidos Por Aí me encantou demasiadamente, gostei das dificuldades, qualidades e defeitos de cada personagem apresentado e da trama viajante envolta de Leila. Quero!
Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

Gus disse...

Olá Mari!
Achei essa resenha fofa. Não sei porque, talvez por causa da capa do livro que é muuiito fofinha e muito bonita!
Enfim, não conhecia o livro, mas parece-me uma leitura interessante e, como você disse, descompromissada.

www.cidadedosleitores.blogspot.com

Luiza disse...

Primeira resenha que leio desse livro, parece interessante e chamou minha atenção.
Bjs
http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Confesso que a premissa me chamou bastante atenção. Queria ver como seria a interação dos cinco personagens.
Beijos
Balaio de Babados

Sávio França disse...

Olá, tudo bem?
De cara, eu já gostei do livro pela capa. O enredo me deixou um pouco na dúvida, mas acho que leria este livro.
Vou procurar saber mais da história e, quem sabe, ler este livro em breve.

Abraço!
Tudo Online

RUDYNALVA disse...

Mari!
Achei o livro bem despretencioso de uma ideia inicial.
Qual o sentido da passagem de Leila pela vida dos 4 adolescentes se não há uma continuidade no desfecho?
Fiquei um tanto no ar...
“Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem.”(Millôr Fernandes)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

Milena Schabat disse...

Parece divertido. Eu gosto de livros que mudam de rumo constantemente, parece que assim nunca fica "mais do mesmo", sabe? E esse parece ser um deles. =)

Abraço,
literarizei.blogspot.com

Vida de Leitor disse...

Oi Mari!
Adorei sua resenha, o livro parece ser muito divertido!! Já coloquei na minha wishlist hehe

Beijos,
Natália
www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

Postando Trechos disse...

Dos livros que estão na minha lista e não faço ideia de quando vou conseguir ler. hahaha Tenho vontade já a um tempinho. Tenho visto bons comentários em alguns blogs...

Beijos,
http://postandotrechos.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Não tinha dado muita atenção a esse livro pois pensei que seria algo bem "água com açúcar". Até que acertei mas não sabia a real premissa, Mari. Me pareceu uma ideia interessante, mas a falta de empatia e os mimimis que você mencionou são coisas que costumam me incomodar. Mas talvez leria para conferir a estreia do autor. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Jul T. disse...

Olá, Mari!
Achei a história interessante, mas essa divisão de narrativa entre 5 me desanima também. Gosto de me aprofundar em cada personagem, o que não é possível nesse livro :(

Blog Entretanto

Eloísa Pompermayer disse...

Oláá Mari, tudo bem??
Estou querendo esse livro, desde que o vi, essa capa está linda e a sinopse me chamou a atenção, curti esse mistério em volta a Leila que você citou, já que é só no fim que podemos conferir um pouco da protagonista, acredito que esse é o tipo de livro diferente que pode me prender na leitura, justamente por ser diferente da maioria das narrativas. Parabéns pela resenha. ^^
Bjoos

Jovem Literário

Mih Prado disse...

Ainda não conhecia este livro então esta é a primeira resenha que leio sobre ele, mas achei apesar de ser uma leitura bem leve a adolescente, creio que seja uma leitura bem interessante de se fazer, e também fiquei bem curiosa para fazer o que vai acontecer com os personagens. Esta capa é linda demais!

Camila Monteiro disse...

Nossa eu nunca nem ouvi falar desse livro hahaha
Acho que prefiro ler mais algumas criticas antes de me aventurar a comprar essa obra. Confesso que não me instigou não!!!

>> Vida Complicada <<

Vitor Leonardo disse...

Olá, ainda não havia escutado a respeito do livro e autor, primeira vez que vejo uma resenha que possui ambos. Sobre o livro, não deu para retirar minha própria opinião, fiquei indeciso quanto a isso, do gostar ou não gostar, ler ou não ler!
Nossa assim é ruim acho que não da pra pegar apego ao personagem
!

Nadja disse...

Oi! Acho que já tinha visto esse livro, mas não sabia do que se tratava. Bom, não sou acostumada a livros que não se agarrem a um personagem e aprofunde a sua história e já senti que isso será um grave problema para mim nessa leitura. Tudo me parece um pouco superficial, gosto de aprofundamento para assim conhecer melhor cada um, mas é compreensível o fato da autora escolher essa forma de tocar o enredo, o o interesse era que o livro fosse curto e sem mensagens subliminares, daí ele ficaria mais direto. Não sei se gostei da ideia da protagonista está em segundo plano.

Rose Gs disse...

Olá!!
Acho que eu ficaria desesperada em ler esse, só de imaginar que a historia desses 4 personagens começam a ser contadas e agente não conhece o final simplesmente tem que esquecer a eu não consigo conviver com isso rsrs, esse é meu primeiro contato com o livro e achei meio louco que tudo isso que você citou em sua resenha esteja presente em apenas 294 paginas, acho que poderia ser mais trabalhado, mas apesar de tudo quero ler o livro achei interessante essa viagem de Leila e o que a levou a percorrer isso tudo pra ver a Aurora Boreal, e sem falar que também fica a curiosidade de saber como que vai ser o envolvimento de cada um dos 4 personagens com ela, mesmo sabendo que vou ficar louca pra saber o final da historia de cada um rsrs
Bjocas

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger