segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

RESENHA: Sangue na Neve

“Eu gostava de esperar. Gostava do tempo entre tomar a decisão e colocá-la em prática. Eram os únicos minutos, horas, dias da minha vida assumidamente breve em que eu era alguém. Eu era o destino de alguém.” (NESBØ, p.32, 2015)

Com os livros da série Harry Hole, Jo Nesbø se tornou um dos meus autores favoritos da literatura policial contemporânea. É por isso que, hoje, leio qualquer um dos seus livros sem me preocupar em saber sobre o que se tratam. Gosto da surpresa e sei que Nesbø sempre surpreende.

Olav é um assassino profissional muito competente no que faz. Depois de tentar outras linhas de trabalho no mundo do crime, ele descobriu que liquidar pessoas por contrato é a única coisa que se sente confortável fazendo. É por isso que ele está acostumado a receber serviços de pessoas como Daniel Hoffmann, chefão do narcotráfico em Oslo. Mas dessa vez o serviço é diferente. Daniel não quer que Olav elimine um de seus concorrentes e sim sua própria esposa. O que Daniel não sabe é que por trás do assassino de aluguel existe um homem solitário e sensível e que ele se apaixonaria pela mulher que deveria matar. Ao estragar o serviço, Olav entra na mira de Daniel e precisará de ajuda se quiser salvar sua própria vida.

“Sangue na Neve” foi o primeiro livro que li de Nesbø que não faz parte da série do detetive Harry Hole. As diferenças são muitas. Além de ser um livro bem mais curto, saímos da linha “investigação policial” e acompanhamos um protagonista que ora é um homem sanguinário, ora apaixonado, ora só quer sair com vida da confusão em que se meteu. Trata-se de uma trama relativamente mais simples do que as que contam com pistas e suspeitos, mas ainda assim ágil e que consegue reservar surpresas e reviravoltas mesmo se tratando de um livro tão curto.

A história é narrada por Olav de forma que só nos é permitido conhecer os acontecimentos pela sua visão, o que nos leva a interpretá-los da mesma maneira que ele. Isso é essencial para que a história funcione, pois precisamos ver o mundo como o protagonista vê e estarmos cegos para todo o resto. Porém, devo reconhecer que a voz narrativa do personagem me incomodou um pouco, me parecendo um tanto insossa e não conseguindo fazer com que eu me sentisse íntima dele em nenhum momento. Talvez isso seja proposital. Olav é um personagem que opta por se distanciar do mundo e manter-se isolado. Sua narrativa possivelmente tenha a intenção de recriar isso, ou seja, manter o leitor distante, mesmo tentando trazê-lo para perto ao contar detalhes de sua vida. De qualquer forma, a narrativa não parece monótona em nenhum momento e mantém o interesse do leitor até o fim.

Olav é um bom personagem. Um assassino profissional é alguém que mata por dinheiro e não volta a pensar nisso, o que exige frieza. Mas Olav escolhe essa linha de trabalho justamente por não conseguir conviver com o sofrimento. Ele tentou trabalhar com prostitutas, mas não suportava vê-las apanhando dos cafetões. Tentou ser assaltante de banco, mas se sentiu tão culpado que foi visitar no hospital uma pessoa que foi ferida em um de seus assaltos. Ele matou um homem que estava prestes a matar outro e deu para a família o dinheiro que sua vítima deveria ter recebido caso cumprisse a missão. Olav não gosta do crime, mas não tem outras habilidades. Sua dislexia o impediu de estudar e fez com que se acostumasse a criar outras histórias em cima das que lia sempre que não as achava boas o suficiente. Mas o mais marcante em Olav é o buraco que ele tenta preencher dentro de si. Ele é um solitário por escolha. Mora sozinho em um lugar que ninguém sabe onde é e que não tem um telefone instalado justamente para não ser encontrado, mas sua conexão com certas pessoas que aparecem em seu caminho (sempre vítimas, de uma forma ou outra) mostra um desejo desesperado de ter alguém próximo e criar um vínculo afetivo.

“Sangue na Neve” é um livro menos sombrio que os da série Harry Hole pelo fato de o próprio Olav ser um personagem menos problemático que o detetive que esteve no fundo do poço várias vezes e por isso carrega uma intensa carga dramática onde quer que vá. É uma história que parte de uma premissa um pouco batida (o protagonista precisa vencer os inimigos para poder viver feliz com a garota), mas por ser explorada por um autor talentoso como Nesbø rende um bom livro.

Por fim vale um destaque para a belíssima capa elaborada pela Editora Record.

“Sangue na Neve” já teve os direitos de adaptação cinematográfica adquiridos e cogita-se Leonardo DiCaprio para o papel do protagonista.

Título: Sangue na Neve (exemplar cedido pela editora)
Autor: Jo Nesbø
N° de páginas: 152
Editora: Record

26 comentários:

Maya disse...

Parece ser muito bom. Ótima resenha!
Beijos,
http://o-hyeah.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Mari!
O livro apesar de curto, parece trazer uma crise existencial profunda no matador de aluguel.
Gosto de thrillers policiais que abordam o lado psicológico, mesmo que aqui no caso nem seja tão explícita essa ligação.
“Desejo a voce e a sua familia um Natal de Luz! Abençoado e repleto de alegrias. Boas Festas!” (Priscilla Rodighiero)
cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

Alessandra Fernandes disse...

Mari, toda vez que pego um thriller policial sou surpreendida com uma narrativa única e, com histórias e personagens intrigantes que me faz querer mais de sua leitura. E tenho a certeza de que Sangue na Neve não seria diferente, principalmente por ser escrito por um grande autor como o Jo Nesbø. Quero ler em breve.
Bjs!

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Nossa, esse livro é bem curtinho.
Eu vejo muitos comentários positivos sobre os livros do Nesbo, mas nunca tive oportunidade de ler. Pretendo mudar esse status no ano que vem.
Beijos
Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

Sarah Fernandes disse...

Oi^^ Estou suuper interessada nesse livro *_* É uma das minhas proximas leituras.Ótima resenha <3
Beijos e boas festas
http://resenhaatual.blogspot.com.br/

Carla A. disse...

Oi, Mari! Gosto quando o livro é narrado pelo protagonista... Ficamos mais próximos. E nesse gênero, acho que garante mais surpresas, vamos descobrindo as coisas ao mesmo tempo que ele. Ainda não li nada do autor.

Beijos, Entre Aspas

Ycaro Brito disse...

Olá, Mari. Jo Nesbø é um autor totalmente novo para mim e, de imediato, me interessei por sua escrita. Um enredo com assassinos que se apaixonam podemos encontrar facilmente pelas livrarias, mas Nesbø nos apresenta uma narrativa totalmente original e envolvente, o que mais me encanta são as características de homem apaixonado e assassino de Olav. Muito bem construído!

Silviane Casemiro disse...

Oi, Mari. Eu achei a premissa desse livro ótima.
Acho que por ser narrado pelo personagem que se encaixa nos padrões ~vilão a curiosidade acaba falando alto em relação a obra. Beijos
SIL ~ Estilhaçando Livros

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
confesso que não é meu estilo de leitura, só pelo titulo já passaria correndo.

bjos
http://blog.vanessasueroz.com.br

Laís Lubrani disse...

Mais do que vontade de ler os livros que você indica, eu sinto vontade de ler as suas próprias indicações. Parabéns sempre.

www.chadefirulas.com.br

Friendzone disse...

Adorei a resenha, bastante descritiva. Me interessei pela estória do livro.

http://blogfriendzone.blogspot.com.br/

Camila Tamiya disse...

Oiie!
Um livro bem curtinho, né?
Tudo no seu blog é realmente lindo. O layout, posts, imagens...perfeito, parabéns!
Já estou te seguindo!
Dá uma passada lá no meu blog quando puder, você será sempre muito bem vinda!
Beijão!
http://makedamotociclista.blogspot.com.br
Meu Twitter: @cat_343
Meu Insta: tamiya343

Gus disse...

Gostei da sua resenha Mari, mas não sei se leria, pois vi outra resenha falando horrores do livro e fiquei meio em cima do muro, sabe? :/

www.cidadedosleitores.blogspot.com

Diane disse...

Oie...
Hoje é a segunda resenha que leio desse livro rsrs...
A premissa é até interessante, mas, não sei se leria :)
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Samira Hammoud disse...

Uau, com toda história que tem esse livro fiquei admirada pelo fato de ter poucas páginas!!! Mas me interessou bastante!

suzana cariri disse...

Oi!
Mesmo tendo um livro curto parece que o autor consegue trabalhar bem com a historia e o que mais me chamou atenção no livro foi Olav achei o personagem bem interessante e gostei da forma que o Nesbø trabalha com ele !!

Devaneios de uma Cindy disse...

Mari,

Você como sempre arrasa nas suas resenhas. Se eu tinha vontade de ler esse livro antes você conseguiu me convencer em lê-lo logo.

Beijos e boas festas
Cintia
www.devaneiosdeumacindy.blogspot.com.br

Sil disse...

OLá, Mari.
Eu nunca li nada do autor e acho que esse é um bom livro para eu começar. Gostei bastante dessa premissa de se apaixonar pela pessoa que tem que matar. E achi que parecia bem o roteiro de um filme hehe. É engraçado ele ser um assassino mas não gostar do que faz. É um livro que eu já anotei aqui e assim que der eu vou ler ele.

Blog Prefácio

Gabriela CZ disse...

Lembro de outras resenhas suas de obras de Jo Nesbo que me deixaram curiosa e com essa não foi diferente, Mari. Apesar dos pequenos poréns parece que te agradou muito. Vou procurar. Ótima resenha.

Abraços!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Patrini Viero disse...

Confesso que a trama em si não me despertou um interesse tão grande quanto aconteceu com os outros livros do autor, mas acredito que a habilidade de Nesbo em trabalhar com elementos já comuns e fazê-los diferenciados sempre é capaz de surpreender até o leitor mais cético. Achei interessante a forma ambígua com que ele constrói seu protagonista, mas fiquei um pouco receosa de que a narrativa em primeira pessoa possa restringir o ponto de vista do leitor, mesmo que isso seja necessário dentro do livro.

Italo Henrique disse...

Oi, Mariana!

Tenho muita vontade de ler Jo, principalmente após a repercussão com Boneco de Neve. Eu acredito que seja um autor brilhante, e ainda mais agora que você citou sobre ele pegar uma linha normal dos livros de suspense e conseguir encantar. Parece ser um ótimo livro, preciso botar na lista de 2016!

Beijos,
Italo - http://www.leitorespossessivos.com.br/

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!!

Confesso que não tive muita vontade de checar esse lançamento só com a sinopse, mas gostei da sua resenha.
Mesmo com o distanciamento do personagem me parece um história muito boa. Fiquei curiosa e espero ter a chance de checá-lo no próximo ano. :)

Bjs!!

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Amanda Ferreira disse...

Por mais incrível que pareça, nunca li livros com tema policial/investigativo. Nunca me interessei pelo gênero, prefiro fantasia, romance e ficção. Também não conhecia o autor. A história parece ser bastante interessante, mas acho que não embarcaria nessa leitura :(

Rafaela. disse...

Oi, Mari!

O livro parece ter sido muito bem escrito e a história, bem elaborada. Nunca li os livros de Nesbo, mas tenho curiosidade. O problema é que esta história não chamou minha atenção, talvez pela temática.
Adorei a resenha.

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Ana Luiza Ferreira disse...

Olá!

Essa capa é mesmo muito bonita e fiquei morrendo de vontade de ler o livro, ainda mais depois da sua resenha! A história parece ser muito boa, do tipo que te prende do início ao fim!

Um maravilhoso Ano Novo para você e sua família!
Beijos!
Participe do Book Tour de O Caminho Certo
http://www.mademoisellelovesbooks.com

Baseado em Livros disse...

Oi, Mari!
Eu ADORO a escrita de Nesbø. O Último livro dele que li foi Boneco de Neve, e fiquei sem fôlego do início ao fim!
Beijos.
Fê Cardoso.
www.baseadoemlivros.blogspot.com.br

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger