sexta-feira, 6 de maio de 2016

RESENHA: Duma Key

“Um corpo e uma mente feridos não parecem uma ditadura, eles são uma ditadura. Não existe tirano mais impiedoso do que a dor, déspota mais cruel que a desorientação. Só fui perceber que minha mente estava tão ferida quanto meu corpo depois que fiquei sozinho e todas as outras vozes desapareceram.” (KING, 2009, p. 67).

***

Duma Key é um exemplo de compra por impulso. Se não me engano, o livro estava com mais de cinquenta por cento de desconto, de modo que sequer me dei ao trabalho de ler a sinopse tamanha é minha confiança em Stephen King. 

Edgar Freemantle era dono de uma das maiores empresas de construção civil em Minneapolis, mas um acidente de carro tira sua vida dos eixos. Ele não apenas perdeu um braço e lesionou o quadril, mas também teve sérios problemas de memória. Após a esposa pedir o divórcio, Edgar decide se isolar em Duma Key, uma ilha na Flórida, para tentar recomeçar uma nova vida. E nessa nova vida ele descobre um talento adormecido: a pintura.

Duma Key é narrado em primeira pessoa e logo no início o leitor se afeiçoa a Edgar e a sua voz sincera. Aos poucos vamos compreendendo as circunstâncias em que ele vive e o que o motivou a deixar tudo para trás e ir para Duma Key. 

Apesar da narrativa envolvente, achei o livro com um ritmo lento, especialmente a partir do momento que Edgar chega em Duma Key e começa a descobrir sua aptidão para a pintura, bem como a desvendar os mistérios que envolvem a ilha. Entendo o motivo pelo qual King optou por fazer um desenvolvimento mais lento, mas ainda assim, senti falta de algumas doses de ação e adrenalina ao longo da trama. 

Creio que foram apenas nas últimas duzentas páginas que pude afirmar “esse é o King que eu conheço”, quando o ritmo não apenas se tornou mais acelerado, mas sobretudo começamos a entender a real natureza dos eventos que acontecem na ilha.

Para aqueles que estejam se perguntando, sim, Duma Key apresenta elementos sobrenaturais e de terror. Mas, mais uma vez afirmo que estes não são o cerne da estória, mas apenas gatilhos que trazem à tona as mais diversas facetas das personalidades dos personagens, criando conflitos que não seriam possíveis de outra forma.

É interessante notar que os eventos que acontecem em Duma Key podem ser vistos sob dois ângulos: a batalha com as forças que atuam na ilha, mas também a batalha entre o bem e o mal que acontece no próprio protagonista. E esta é a essência da estória: acompanhar os dramas de uma personagem ferido, em vários sentidos, e que ainda tem que lutar contra forças que desconhece.  

Por isso mesmo, dificilmente classificaria Duma Key como um livro de terror, mas sim como um drama. Aliás, registro também que apesar dos elementos sobrenaturais e de terror, não achei o livro assustador. O máximo que posso dizer é que há alguns momentos mais tensos, mas nada muito pesado. 

Apesar de não achar o livro tão bom quanto Sob a Redoma, Doutor Sono e Novembro de 63, para citar alguns, indico Duma Key para aqueles que já acompanham o trabalho do autor há algum tempo e que sabem o que esperar de um livro como esse. Para quem teve pouco contato com as obras do autor, a obra pode ser um pouco frustrante em virtude do ritmo mais lento, ainda mais para leitores que tenham a expectativa de uma épica batalha entre o bem e o mal e que não conseguirão enxergar os nuances da obra. 

Título: Duma Key
Autor: Stephen King
N.º de páginas: 665
Editora: Suma de Letras

21 comentários:

Bruna Lago disse...

O autor é tao bom que confesso que eu também nem ia ler a sinopse kkk, se bem que a sinopse só ia aumentar a vontade de comprar, achei que tem um mistério nas entrelinhas dela.
Minha solidariedade apitou com.esse personagem, que destino cruel o dele, um triste acidente e depois o divorcio. Entendi sua critica, sempre esperamos muito do King, mas acredito ser uma boa leitura.

Gabriela CZ disse...

Só pela premissa e o quote que você selecionou já fiquei curiosa, Alê. Seus comentários também me deixaram interessada apesar da menção à lentidão em certo momento da trama. Mas vou seguir seu conselho e ler mais obras de King antes de partir para Duma Key. Ótima resenha.

Beijos!

Diane disse...

Oie...
Acho que todo leitor já comprou algum livro por impulso, né? Mas, é impossível resistir á esses descontos!
Como não estou acostumada a ler livros do autor, por enquanto, vou evitar esses, mas, vou botar esses 3 últimos nos desejados.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Quando esse livro saiu, eu queria muito, mas o preço não cabia no bolso e acabei esquecendo dele. Vou já dar uma procurada.
Quero muito ler também Doutor Sono. Falando em Novembro de 63, você assistiu a série?
Beijos
Balaio de Babados

Jessica Andrade disse...

Olá,
Não conhecia esse livro do King, confesso que a premissa não me chamou tanta a atenção quanto dos outros. Mas foi bom conhecer a história dele.
Bjs e um bom domingo!
Diário dos Livros
Siga o Twitter

Tony Lucas disse...

Oi, Alê! Tudo bem? Nossa, eu ainda não conhecia esse livro do King, mas enfim... Gostei da capa da obra e da premissa. Mesmo com suas ressalvas, acho que leria o livro sim! :)

Abraço

https://tonylucasblog.blogspot.com.br

Michele Lima disse...

Oi Alê!

Não coheço muito do King, mas acho o autor incrível e mesmo que o ritmo seja lento vou conferir sim! rs

Bjs, Mi

O que tem na nossa estante

Pamela Simões disse...

Nunca li nada do King, mas tenho Novembro de 63 aqui, será minha primeira experiência.
Confesso que não sou fã de livros com enredo sobrenatural, meu motivo de nunca ter pulado de cabeça em seus livros.
Este livro não me chamou a atenção, mas quem sabe um dia, né?
Bjs

Devaneios de uma Cindy disse...

Oi Alê,

Adorei sua resenha, ainda não li nada do King. Vou anotar sua dica e não começar por esse livro.

Beijos!
Cintia
http://devaneiosdeumacindy.blogspot.com.br/

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Sem bem como é comprar por impulso quando vejo o nome do King na capa. Já fiz isso diversas vezes.
A premissa da obra é muito boa. Gostei da ideia de que, menos que haja elementos de terror, seja muito mais uma obra de drama. Gosto desse aprofundamento dos personagens, da luta interna. Aliás, o King faz muito bem isso.
Excelente resenha.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

Vida de Leitor disse...

Oi, gostei da sua resenha sincera. Ainda não li nada do autor (e pra ser sincera não sinto tanta vontade) então acho bom eu nem arriscar ler esse livro.

Beijos,
Natália

www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com

Carolina Garcia disse...

Olá, Alê!

Desde que li sua resenha de Sob a Redoma e Dr. Sono fiquei louca para lê-los, mas ainda não tive oportunidade.
Como a narrativa de Duma Key é mais lenta, deixarei para depois que finalmente ler os outros livros que indicou. :)

Bjs!!

livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Ariane Reis. disse...

Oie Alê =)

Olha tá ai um livro que posso ler do King rs... O meu maior problema com o autor é justamente o fato das histórias dele me deixarem com medo. Afinal sou medrosa e não leio ou assisto nada de terror rs... mas esse livro é como você disse que é, com uma pegada mais de drama pode ser que eu encare.

Ótima resenha!

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

suzana cariri disse...

Oi!
Realmente tenho que pegar alguma livro do Stephen King para ler, ainda não conhecia esse livro dela, mas fiquei interessada, achei o começo diferente dos outros livros dele pois começa bem calmo e sem grandes acontecimentos puxadas para o terror e se tiver oportunidade esse é um dos livros dele que quero ler!!

Stephanie Vasques disse...

Adorei a resenha! O livro parece ser ótimo, mas, como eu nunca li as obras do King, e como você mesmo afirmou, a narrativa aparenta ser um pouco mais lenta... Vou tentar ler alguma obra dele antes de começar essa :D

Com amor,
Steph • Não é Berlim

Thalita Branco disse...

Olá Alê!
Adoro o King mas esse é um que nunca tive curiosidade de ler :/ Se eu encontrar uma promoção que nem a sua beleza, senão vou adiando rs
Bjs

EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DO ORGULHO NERD

Thuanne Souza disse...

Olá!

Achei legal o enredo desse livro. King escreve muito bem, realmente de uma forma única.
Mesmo não sendo aquele terror de arrepiar, tenho certeza que ele não decepcionou.
Vou colocá-lo na minha lista de leituras.
Ah! To lendo Misery do S. k. e to amando! <3

Sil disse...

Olá, Alê.
Não conhecia esse livro do autor ainda. Esse Stephen que você descreveu ai é o que eu conheço. Pelo menos 90% dos livros que li dele se desenvolveram dessa forma. Chatice nas primeiras páginas e incrível nas últimas. Acho que nem vou me aventurar nesse dai.

Blog Prefácio

Camila Monteiro disse...

Muito bom ler uma resenha sincera! Essa é minha próxima leitura e já estou me preparando para ela. Sei que não é a melhor obra do escritor, mas aposto que vou gostar! Kkkk

>> Vida Complicada <<

Ana I. J. Mercury disse...

Gostei da resenha e o livro parece ser muito bom.
Eu tenho medo de ler Stephen King, ao mesmo tempo, morro de vontade kkkkk
Como esse pelo jeito é mais lento, menos assustador, acho que eu gostaria mais kkkk
anotado aqui, não conhecia ele de nome ainda.
bjss

David Galan disse...

Essas compras por impulso e aproveitando desconto geralmente podem ter surpresas boas, mesmo que o livro não seja o que se está acostumado tratando do King, ainda assim não perde a essência de trazer uma mensagem, alguns toques de sobrenatural e indo mais para o lado dramático como você cita, fiquei curioso para saber mais sobre os eventos que acontecem na ilha e suas razões, darei uma chance para essa estória.

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger