segunda-feira, 20 de junho de 2016

RESENHA: Entrevista com o Vampiro

“— [...]. Para ele, ser vampiro significa vingança. Vingança contra a própria vida. Cada vez que acabava com uma vida, estava se vingando. Não era estranho que não apreciasse nada. Nem podia perceber as nuances da existência como vampiro, pois só se importava com uma vingança maníaca contra a vida mortal que tinha abandonado. Cheio de ódio, ele olhava para trás. Cheio de inveja, nada o agradava, a não ser o que podia tirar dos outros. E, ao obtê-lo, ficava ainda mais frio e insatisfeito, sem conseguir apreciar a coisa em si, tendo que sair em busca de algo mais. Vingança, cega, estéril, desprezível.” (RICE, 1992, p. 51). 

***

Sempre tive vontade de conferir algum livro de Anne Rice e resolvi começar por sua obra mais aclamada: Entrevista com o Vampiro, publicado em 1976 e um dos precursores do gênero. 

Louis de Point du Lac decide contar sua história de vida para um repórter. Começando nos tempos em que ainda era dono de uma fazenda na Louisiana em 1791, as dificuldades familiares, o encontro com o vampiro Lestat e sua transformação, os primeiros dias nesta nova condição, a transformação de Cláudia  uma criança que se torna filha de Louis e Lestat —, e os rumos que suas vidas tomam. 

O primeiro aspecto a chamar atenção é a narrativa. Como esperado, por se tratar de uma entrevista, a maior parte do texto consiste em diálogos nos quais Louis discorre sobre sua vida. Entretanto, o que torna a leitura um pouco confusa é o fato de que o protagonista em alguns momentos fala diretamente com o jornalista, em outros reproduz diálogos em que conversa com outros personagens, de modo que muitas vezes eu não tinha certeza quem era o interlocutor. 

Considerando que o jornalista tem pouca importância para estória, ele me pareceu um personagem desnecessário, apenas uma justificativa para Louis contar sua história. Sendo assim, creio que a autora poderia ter optado por estruturar o livro na forma de diário, mantendo a voz narrativa em primeira pessoa e eliminando as confusões causadas pelos diálogos. 

O ponto alto do livro certamente é a construção dos personagens. Apesar do pano de fundo fantástico, vemos conflitos existenciais e dramas eminentemente humanos. Merece destaque Claudia, transformada em vampira ainda criança, e que desenvolve uma perspectiva única, uma mescla entre inocência e maldade. A relação atribulada de Louis, Lestat e Claudia, o modo como conseguem ser, ao mesmo tempo, dependentes e tóxicos uns aos outros também é um dos grandes ápices da obra. 

A autora aproveita a estória para trazer à tona discussões profundas. Vemos alguns personagens debatendo-se com questões morais, como o valor da vida humana, a perda da humanidade, o sentido da vida e da morte, o transcorrer do tempo e a benção/maldição da imortalidade. 

Apesar de contar com personagens e temas interessantes, cheguei ao fim da leitura com a sensação de que a estória foi mal planejada. Entrevista com o Vampiro é um livro que enfoca na jornada do protagonista, mas a meu ver a jornada é vazia, não empolgando, nem emocionando. Sinceramente, não vi motivo para que Louis desejasse compartilhar sua estória de vida, pois, mesmo sendo um ser sobrenatural, não há nada de mais em sua trajetória. 

O livro não foi planejado para ser uma série, mas dado o sucesso, a autora lançou a continuação, O Vampiro Lestat, quase dez anos depois. Hoje, a série já conta com onze volumes. 

Título: Entrevista com o Vampiro (exemplar cedido pela editora)
Autora: Anne Rice
N.º de páginas: 334
Editora: Rocco

19 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Alê!
Acredita que nunca nem vi o filme? Pois é... Mas dizem que seus personagens são realmente bem construídos, principalmente a Claudia (que eu acho que é o nome da vampirinha criança)
Beijos
Balaio de Babados
Participe da promoção de aniversário do Crônica sem Eira

Teca Machado disse...

Oi, Alê!
Eu sempre tive curiosidade com esses livros também, por isso ano passado peguei Entrevista com o Vampiro para ler, ainda mais porque nunca nem tinha visto o filme.
Eu gostei, mas achei que ia gostar mais, já que toooooooodo mundo fala sobre ele.
Gostei da história, amei os personagens (Lestat <3), mas faltou algo para mim também.
A narrativa da Anne Rice é meio confusa mesmo, às vezes até cansativa.
Mas a experiência valeu a pena, no fim das contas.
Eu não sabia que não seria uma série, mas fez sucesso e virou.

Beijoooos

www.casosacasoselivros.com

Alana Gabriela disse...

Helloo, Alê! Tudo numa nice?!
Eu já tinha ouvido falar desse título, mas nunca tinha lido nada sobre. Nossa, se esse livro foi lançado em 76 quantos anos tem essa autora?!
Enfim, preciso dizer que não curto muito livros de vampiros, eu assisto seriados do tema, porém. Sei lá o porquê. Eu já tinha ouvido falar da autora, mas nunca tinha me interessado bastante pela obra, e pelo que você disse, eu não gostaria. Essa questão de ser confuso me deixaria atrapalhada e saber que poderia ser melhor desenvolvido se fosse em forma de diário me deixa com o pé atrás.
Ótima resenha.
Beijin...
Pieces of Alana Gabriela

Cabine de Leitura disse...

Oi Alê;
Este é um dos clássicos que nunca tive grande interesse pela leitura. Quando trabalhava em biblioteca era um livro de muita saída, vivia emprestado e mesmo assim torcia o nariz pra ele, ainda mais com o clichê que o tema virou nos últimos anos.


Beijos da Camila.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/

-Lunii † disse...

Olá, tudo bom?
Quando eu estava completamente viciada em vampiros eu baixei esse, mas infelizmente nunca consegui finalizar a leitura djdjdkjj. Mas se soubesse que era assim, nunca teria lido.
Sessão Proibida

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Alê.
Apesar de ser um livro com problemas, como a questão da estruturação dos diálogos e também da vida do protagonista não ter uma emoção a mais que justifique o desejo de contar suas memórias, fiquei interessado no livro. Quero conferir essas reflexões que a obra pode trazer.

Ótima resenha.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

Thalita Branco disse...

Olá Alê!
Li esse livro a muuuuuuuuuuuito tempo. Na época lembro que gostei. Fiquei curiosa para ler.
Bjs

EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do ANIME FRIENDS <3

Rafaela. disse...

Oi, Alê!

Eu sinto que é preciso paciência para ler os romances de Anne Rice. Eles são bons e têm ótimas discussões - além de trazerem à tona vampiros bem interessantes e existenciais -, mas há tantos trechos maçantes e diálogos extensos que a leitura se torna cansativa. Por isso, a paciência, haha.
Não li Entrevista com o vampiro, apenas a graphic novel, mas o que mais chamou minha atenção foi a personagem Claudia.
Ótima resenha!

Beijocas.
http://artesaliteraria.blogspot.com.br

Gabriela CZ disse...

Esse confesso que tenho mais curiosidade em ver o filme que ler o livro, Alê. E com seu comentários sobre a narrativa ser confusa e parecer que faltou algo acho que só verei o filme mesmo. Enfim, ótima resenha.

Beijos!

Caverna Literária disse...

Que pena que apesar do potencial, a história é mal estruturada assim :( não cheguei nem a assistir o filme, mas tenho muita curiosidade.

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Carolina Garcia disse...

Olá, Alê!!
Tudo bem?

Que pena que você não gostou da história.
Eu adorei o livro - fiquei encantada pela Cláudia - e depois li o graphic novel A História de Cláudia, que me fez adorá-la com certeza.

Gosto do texto da Anne Rice exatamente porque ela debate questões profundas e necessárias até os dias atuais.
Ainda não consegui pegar os outros livros da coleção para ler, mas tenho muita vontade. :)

Bjs

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

Mari Dahrug disse...

Ahhh eu já li e gostei bastante, mas acho que tem umas falhas sim.

Beijos

http://www.rabiskos.com.br/

Mandy disse...

Sou apaixonada pelo filme mas ainda não li o livro, agora quando surgir a oportunidade não vou com tantas expectativas para não me decepcionar,
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Ariane Reis. disse...

Oie Ale =)

Já li cinco livros dessa série da Anne Rice, mas vou te confessar que não gosto do Lestat e do Louis. E assim como você realmente acho que esse livro tem inúmeras falhas.
O que mais gosto na narrativa da Anne é a forma como ela constrói seus personagens, do tipo que mesmo que a história não esteja assim tão boa, você continua envolvido por que o personagem de prende nela.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary


Marcel Elias disse...

Leu errado, Alê, pode ler de novo! rs

Brincadeiras à parte, eu sou suspeito pra falar, pq sou totalmente tiete da Anne Rice, e alucinado por esse livro. Ele émais q uma história de vampiros pra mim, mas um modo de observar de como seríamos se pudéssemos viver eternamente.

Eu recomendaria você dar uma chance ao segundo, mas fica a seu critério. rs

Abração!

http://www.mundodoslivros.com/

Camila Monteiro disse...

Também me decepcionei um pouco com essa obra. Não era TODO AQUILO que eu esperava. Acho que a fama me atrapalhou um pouco!

>> Vida Complicada <<

Ana I. J. Mercury disse...

Alê, há uns dois anos peguei emprestado esse livro, com altas expectativas, mas não consegui passar dos 3 primeiros capítulos.
Achei uma narrativa muito cansativa. E bem graça.
Eu esperava mais ação sanguinolenta deste o princípio kkkkk
Penso em um dia voltar a ler, mas sei lá.
Sua resenha está ótimo, muito bem escrita como sempre.
bjo grande

suzana cariri disse...

Oi!
Ainda não li nada da Anne Rice, mas depois depois de ouvir falar tanto de seus livros fiquei bem curiosa em pegar esse livro dela para ler, mas pela a confusão nas falas fiquei um pouco desanimada pois li um livro assim e me perdi muito ao longo da leitura !!

Anne disse...

Não sabia que essa era uma série, pensei que fosse um único volume.
A história parece boa! Vou procurar pra ler.
Beijo

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger