domingo, 12 de junho de 2016

RESENHA: Meu coração e outros buracos negros

“Aposto que, se cortassem a minha barriga, a grande lesma preta da depressão sairia rastejando. Orientadores pedagógicos amam dizer: “Pensamento positivo!”, mas é impossível quando se tem essa coisa lá dentro, sufocando cada centímetro de felicidade que se pode juntar. Meu corpo é uma máquina eficiente de matar pensamentos felizes.” (WARGA, 2016, p. 48)

Aysel quer se matar. É por isso que ela visita com frequência o site Passagens Tranquilas onde pode encontrar pessoas que têm os mesmos pensamentos e que podem ajudá-la a cumprir seu objetivo. É assim que ela conhece Roman e os dois combinam de se matarem juntos para que não haja risco de algum desistir. O dia fatídico está a 26 dias de distância, mas até lá muita coisa pode acontecer.

Já li outros livros em que a temática suicídio na adolescência foi abordada, mas com "Meu coração e outros buracos negros” foi possível perceber, logo no começo, que o assunto não seria tratado de maneira intensa e profunda como outros YA já fizeram.

A narrativa se dá em primeira pessoa por Aysel e ao invés de testemunharmos a intensidade dos sentimentos de uma adolescente que chega ao ponto de planejar tirar a própria vida, há uma leveza na maneira da protagonista contar a sua história pouco compatível com o tema. A princípio acreditei que isso se devia a segurança que ela sentia com a sua decisão. Ela iria dar fim a própria vida e saber disso, saber que logo tudo teria fim, a deixava em paz. O problema é que em nenhum momento eu consegui sentir que Aysel tinha de fato uma razão para querer morrer. Parecia que simplesmente tinha colocado na cabeça que iria se matar e pronto. Ainda assim, a narrativa fluida e a velocidade com que as páginas passavam fizeram com que eu não me incomodasse e apenas esperasse pelo desenrolar dos acontecimentos

Ao ler a sinopse, não é difícil imaginar que Aysel e Roman terão um envolvimento amoroso e que isso, possivelmente, afetará a maneira de eles encarem a vida, interferindo até em seus planos suicidas. Clichê? Sim. Problema? Não se autora conseguisse torná-no verossímel, o que não acontece. Não só não é possível sentir uma conexão verdadeira entre os personagens ou testemunhar o nascimento de um sentimento entre eles (seja de amor ou de amizade, porque a verdade é que entre eles há uma parceria, nada mais do que isso), como tudo acontece rápido demais. Em 20 dias Aysel está se dizendo totalmente apaixonada, sentindo um amor capaz de fazer com que veja a vida, o mundo e a si mesma de uma forma diferente. Além disso, basta um único beijo para que ela decida que vale a pena viver. Pode funcionar em contos de fadas da Disney, mas em um livro para jovens adultos é bem difícil de engolir.

Com personagens rasos e pouco desenvolvidos, “Meu coração e outros buracos negros” é um livro que, apesar de ter uma narrativa agradável, não convence. Parece que a autora queria abordar o tema e apenas escolheu respostas para preencher lacunas, desenvolvendo algumas cenas para costurar a história. Inclusive os motivos que levam Aysel e Roman a querer se matar nem mesmo são plausíveis (o que até não seria um problema caso entendêssemos a dor deles e o porquê desses fatos os fazerem acreditar que a vida não vale a pena). No geral, a história não provoca emoção porque os personagens não transmitem emoção alguma, o que compromete o envolvimento com a trama.

Uma das minhas melhores leituras de 2015 foi um livro do mesmo gênero, com a mesma temática e até alguns dos mesmos clichês. Passado um ano, eu ainda consigo me lembrar de virar as páginas com o coração apertado e me emocionar com a história. Isso prova que não é uma ideia original que faz livros marcantes. É o desenvolvimento que o autor dá para a situação e seus personagens. Em “Meu coração e outros buracos negros” tudo carece de aprofundamento e é por isso que a lembrança do livro não ficará na memória muito além da última página.

Título: Meu coração e outros buracos negros (exemplar cedido pela editora)
Autora: Jasmine Warga
N° de páginas: 311
Editora: Rocco

22 comentários:

Luiza Helena Vieira disse...

Oi, Mari!
Eu queria justamente ler esse livro porque a temática lembra Os 13 Porquês e esse é um dos meus favoritos, mas, pelo que já li dele por aí e aqui na sua resenha também, ele é bem fraco quanto a essa temática. É uma pena.
Beijos
Balaio de Babados

Luiza Helena Vieira disse...

Ah! Quanto a O Lado Feio do Amor, eu coloquei como sofrência pura porque ambas as partes sofrem por algo, principalmente a Tate :( Mas leia porque é muito bom.

Jana Teixeira disse...

Mari, li esse livro recentemente e li exatamente por ter AMADO Por Lugares Incriveis (virou um dos meus favoritos). Com Meu Coração eu senti o mesmo que você. Achei que faltou um aprofundamento na depressão dos personagens. Achei que me marcaria mais do mesmo jeito que Por Lugares Incriveis, mas foi uma leitura que logo eu esquecerei. Também achei implausível a paixão deles acontecer tão rápido, mas isso eu revelei. :/

Adorei a sua resenha!
Beijos

Aquela Borralheira

Miriã Mikaely disse...

Olá, Mari. Ainda bem que você abriu meus olhos para o livro! Eu estava muito afim de ler mas também não gosto de personagens rasos, que não tem motivos suficientes para ter uma decisão dessas. Acho que o livro em si é superficial, então nem vou arriscar na leitura.
Abraço!
Leitora Encantada

Naty Araújo disse...

Oi, Mari.
Tudo bem?
Quando lemos um livro que amamos e depois pegamos outro no mesmo é bem difícil superar a decepção que ele nos proporciona quando são rasos, seja história, o personagem ou qualquer outro elemento importante.
Uma pena que não tenha sido tudo o que o outro foi.
Fiquei curiosa para ler o que você leu ano passado, Por lugares incríveis. Esse aí, confesso, não me chamou a atenção.

http://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

Cabine de Leitura disse...

olá Mari;
Eu como sempre me deixando levar pela capa kkk O título do livro me agradou muito e esperava que fosse uma grande estória, pena que é tudo muito raso, não si se me prenderia, mas adorei a resenha mesmo assim.

Beijos da Camila.
http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br

Diane disse...

Oie...
Você me desanimou completamente a ler esse livro ao escrever a frase: "Com personagens rasos e pouco desenvolvidos...", isso é tudo que eu mais detesto em um livro rsrs...
Infelizmente vou ter que passar longe dele.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Diane disse...

Oie...
Você me desanimou completamente a ler esse livro ao escrever a frase: "Com personagens rasos e pouco desenvolvidos...", isso é tudo que eu mais detesto em um livro rsrs...
Infelizmente vou ter que passar longe dele.
Beijos

http://coisasdediane.blogspot.com.br/

Gabriela CZ disse...

Tinha uma ideia bem diferente desse livro, Mari. Esperava que tratasse o tema de forma mais densa, até porque o título meio que já evoca isso. Mas pelos seus comentários a autora pegou um assunto intenso e introduziu de forma superficial em um romance qualquer. Triste isso. Enfim, ótima resenha.

Beijos!

Ariane Reis. disse...

Oie Mari =)

Não conhecia o livro, mas conforme fui lendo a sua resenha ele começou a me deixar curiosa. Até eu chegar na parte que os personagens não conseguem passar emoção. Acredito que em livros assim é a emoção que o personagem nos passa que faz com que a história fique para sempre em nosso coração. Tenho um caso de amor eterno com Por Lugares Incríveis por causa disso. Ele foi um livro que me emocionou muito.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Desbravador de Mundos disse...

Olá, Mari.
Uma pena que a obra não tenha convencido e que um tema tão complexo tenha sido tratado de maneira tão leve. Isso, sem dúvidas, tira toda a possível função emocional e psicológica da obra.
Ótima resenha, como sempre.

Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

Letícia Olegario disse...

Oi Mari, como vai ?
Não conhecia o livro, mais em algumas partes fiquei curiosa, e há uma pequena vontade em mim que pretende ler ele!
É uma boa resenha. :]

bellapagina.blogspot.com.br

monique larentis disse...

Não conhecia esse livro, nunca tinha ouvido falar na verdade, mas que pena que a história não foi tão boa.. não devem ter conseguido explorar muito bem os personagens, e ai pode ter ficado muito superficial..

www.vivendosentimentos.com.br

Carolina Garcia disse...

Oi, Mari!

Uma pena que o livro não foi tão bem aprofundado assim. Eu costumo fugir de histórias sobre suicídios normalmente - pelo menos quando sei que esse será o tema - e por isso não tinha desejado muito a leitura.

Mas espero que venham outros melhores, né?! E concordo com você. É o desenvolvimento que nos faz ficar emocionados com a história porque normalmente tudo tem algum clichê.

Bjs!!

http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

Caverna Literária disse...

Você já leu "Os 13 porquês"? Pelo que você descreveu na resenha, me lembrou bastante essa história. Tive basicamente a mesma impressão: A personagem não tinha motivos plausíveis pra se matar. Eu compreendi os motivos, afinal, eles são muito bem apresentados, diferente de "Meu coração e outros buracos", mas ainda assim, não dá pra aceitar, sabe? Como se ela tivesse desistido cedo demais. É bonito que o amor tenha convencido Aysel a viver, mas pela decisão tão radical, parece que simplesmente ela não tinha muito pelo que viver, e essa era a razão dela de se matar. E quando surgiu a oportunidade, um "e se", ela não hesitou, já que provavelmente lá no fundo não queria realmente morrer, embora tivesse se conformado com a ideia. Não sei, estou só especulando aqui, e nem preciso dizer que apesar de tudo, fiquei curiosa pra ler o livro né haha

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Filipe Laia disse...

De início o livro me chamou muita atenção. Adorei a capa, achei simples e bonita, além de chamativa. Porém confesso que após ler a resenha fiquei um pouquinho desanimado com o livro... Não sei se iria gostar!

www.booksever.com.br

Guilherme disse...

Oi Mari!
Nossa, me desaminou muito pra ler esse livro agora, tava doido por ele mas pela sua resenha ele não trata o assunto de maneira nobre. Ja vi isso acontecer com outros livros e isso não é legal :/
Abraço!
http://leituraforadeserie.blogspot.com/

Bruna Lago disse...

Poxa, que sinopse triste. Não gostei dessa personagem ter tantos persamebtos negativos.
Nunca li nada com esse tema, sabe? Uma pena que esse não seja tao bom, logo não é uma indicação pra mim.

Mandy disse...

Chocada com a resenha, vi esse livro na livraria e quase comprei porque amei a sinopse, amo livros que abordem (bem) o suicídio, mas não acredito que o autor não soube desenvolver um enredo tão bom.
2016 né galera, não dá mais para aceitar romances que acontecem da noite pro dia zzZzZ
Enquanto eu lia Os 13 Porquês, que também aborda suicídio, eu ficava até arrepiada, não tem como a personagem ter pensamentos calmos e não perturbadores.
Desapontada mas não surpresa HSUAHSAUH
Beijoos,
Sétima Onda Literária

Clayci disse...

O tema já é pesado, e os personagens não serem bem desenvolvidos estraga né =/
o único que eu li com o mesmo tema foi Perdão Leonard Peacock, e adorei demais ^^

Beijos
www.saidaminhalente.com

Ana I. J. Mercury disse...

O tema é polêmico, e fiquei curiosa.
Também detesto livros com relacionamentos amorosos mal desenvolvidos, como se tudo fosse um conto de fadas.
Mas agora queria saber como vai terminar kkkk
bjss

suzana cariri disse...

Oi!
Ainda não conhecia esse livro e mesmo não sendo o tipo de livro que gosto de ler, deu para ver que esse é um livro diferente dos outros que tratam desse tema pois mesmo tendo um assunto pesado deu para sentir essa leveza já na resenha !!

Postar um comentário

 

Além da Contracapa Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger